sexta-feira, 12 de maio de 2017

#Prece  - by Orquidéia Nihil.
 
Deus, disseram
no final do século dezenove
que vc morreu
numa emboscada,
mas seja qual
tiver sido a causa real
do seu desenlace
te implorarei agora
para reencarnar,
pois apesar
de toda a ciência e teoria
dos últimos séculos
e dos milagres recentes
que preenchem
nossa necessidade
e nos tornam espertos,
que fizeram a justiça
na sociedade,
melhorando a saúde
distribuindo a comida
e trazendo para perto
a felicidade
o homem continua
na mesma bonomia
dos outros animais.
Tem destruído o ambiente
a si,aos outros viventes,
exceto a própria maldade
que poderá arrasá-lo,
e como a palavra "homem"
traduz o "gênero humano",
estamos todos
"pequenos" e "grandes"
em perigo nesse mundo
insano.
 
Precisamos da sua presença,
do céu e do inferno,
do crime e do castigo
do pecado e da perdição,
ainda não está na hora
de sermos contemplados
pelo perdão.
 
O futuro não promete tanto
quanto o arauto
dos supostos novos movimentos
sociáveis,acreditou.
Vivemos momentos melindrosos,
e não seremos melhores
sem a bússola do apego,
da dependência e do zelo
entregue, por um ícone
distante,
pois desejando ser deuses
ficamos a mercê
de nós mesmos.
 
O terror não chega a ser
um conselheiro maravilhoso,
mas a ausência do escuro
e dos fantasmas
não produzirão tão cedo
nenhuma luz que não nos cegue
nenhum ruído que seja música
nenhum amor que não seja rude
nenhuma natureza que não seja
ensandecida
nenhuma vida que não seja morte.
 
Deus, tende-nos piedade.
Eu te agradeço todos os dias
por ser Deus, apesar de tudo.
.
.
.
 
Trecho do filósofo Niet que colaborou na minha inspiração.

"Deus está morto! Deus permanece morto! E quem o matou fomos nós! Como haveremos de nos consolar,nós,os algozes dos algozes? O que o mundo possuiu,até agora, de mais sagrado e mais poderoso sucumbiu exangue aos golpes das nossas lâminas. Quem nos limpará desse sangue? Qual a água que nos lavará? Que solenidades de desagravo, que jogos sagrados haveremos de inventar? A grandiosidade desse acto não será demasiada para nós? Nunca existiu acto mais grandioso,e, quem quer que nasça depois de nós passará a fazer parte, mercê deste acto, de uma história superior a toda história até hoje!" _Niet no livro "Assim falou Zarastruta" em 1.883,mas a frase em ref.foi escrita pela primeira vez em "A Gaia Ciência" em 1.882.
 
 
 
 
De setembro de 2.016,para o facebook.