terça-feira, 30 de abril de 2013

Grande obra! Ódio dos perturbados...

 é realmente uma obra gigantesca para se considerar exclusivamente humana...

... merecem realmente a raiva e ódio de um "infeliz" do tipo 233...

http://livrosdechicoxavier.blogspot.pt/

segunda-feira, 29 de abril de 2013

Falácias


O que significa a palavra "falácia"?
De acordo com o dicionário Aurélio: sf (lat fallacia1 Qualidade de falaz. 2 Engano, logro, burla. 

Exemplo de falácia


Falácia é uma linha de raciocínio que possui falha(ou falhas), é um pseudo-argumento.  Falácias são usadas frequentemente como artifício retórico, mas nem sempre seu uso é intencional. Falácias são verdades ilusórias e podem ser utilizadas como método de persuasão. Nos casos nos quais as falácias são usadas intencionalmente, este é um exemplo de “desonestidade intelectual”.  Falácias também podem ser realizadas inconscientemente.

Tipos de falácias (ou tipos de enganos que podemos induzir nos outros através de falsos argumentos):

1. Falso dilema

É dado um limitado número de opções (na maioria dos casos apenas duas), quando  de fato há mais.
Exemplos: 


a. Ou concorda comigo ou não. (Porque se pode concordar parcialmente.) 
b. Reduz-te ao silêncio ou aceita o país que temos. (Porque uma pessoa tem o  direito de denunciar o que bem entender.) 
c. Ou vota no PT ou será a desgraça nacional. (Porque os outros candidatos  podem não ser assim tão maus.) 




2. Apelo à Ignorância (argumentum ad ignorantiam) 
Os argumentos desta classe concluem que algo é verdadeiro por não se ter provado que é falso; ou conclui que algo é falso porque não se provou que é verdadeiro. 
(Isto é um caso especial do falso dilema, já que presume que todas as proposições  têm de ser realmente conhecidas como verdadeiras ou falsas). Mas,  "A falta de prova não é uma prova." Exemplos:


a. Os espíritos existem! Já provou que não existem? 
b.  Como os cientistas não podem provar que se vai ter uma guerra global, ela provavelmente não ocorrerá. 
c. Hosaka  disse que era mais esperto do que Nihil, mas não provou. Portanto, isso deve ser falso. 



3. Derrapagem (bola de neve) 
Para mostrar que uma proposição A é inaceitável, extraem-se conseqüências  inaceitáveis de A e consequências das consequências... O argumento é falacioso. Exemplo:
a. Esse blog diz que é sobre religião, mas de religião tem muito pouco. Se você continuar a participar dele, pode virar ateu ou ter falsas ideias sobre religião. Não presta.

4. Pergunta Complexa

Dois tópicos sem relação, ou de relação duvidosa, são conjugados e tratados como uma única proposição. Exemplo:
a. Como apoiar esse blog e conseguir educar os filhos dentro da lei Divina? (Reparou que uma coisa nada tem a ver com a outra?)

5. Apelo à força (argumentum ad baculum) 
Exemplo:

a. É melhor admitir que a nova orientação da empresa seja a melhor — se pretende manter o emprego. 

6. Apelo à Piedade (argumentum ad misercordiam) 
Exemplo:
a. Como dizer que eu não entendo nada? Passei a vida inteira lendo e estudando sobre o assunto e mereço ser ouvido.

7. Apelo às consequências (argumentum ad consequentiam) 
Exemplo:
a. Não pode aceitar que a teoria da evolução é verdadeira, porque se fosse  verdadeira estaríamos no nível dos macacos. 




8. Apelo a preconceitos
Exemplo: 
a.As pessoas inteligentes não leem livros do Chico Xavier.

9. Apelo ao povo (argumentum ad populum)
Com esta falácia sustenta-se que uma proposição é verdadeira por ser aceite como  verdadeira por algum sector representativo da população. Esta falácia é, por vezes,  chamada "Apelo à emoção" porque os apelos emocionais pretendem atingir,  muitas vezes, a população como um todo. Exemplo:
a. Se você quer ter cabelos lindos, use shampoo XXX e verá como sua vida irá mudar.

10.Ataques pessoais (argumentum ad hominem)

Ataca-se pessoa que apresentou um argumento e não o argumento que apresentou.  A falácia ad hominem assume muitas formas. Ataca, por exemplo, o caráter, a nacionalidade, a raça ou a religião da pessoa. Em outros casos, a falácia sugere que a pessoa, por ter algo tem algo a ganhar com o argumento, é movida pelo interesse. 
A pessoa pode ainda ser atacada por associação ou pelas suas companhias.Exemplo:
a. Você fala que fantasmas existem porque nasceu em uma cidadezinha de interior, cheia de crendices.

11. Estilo sem substância
Apela-se para fatos bobos para fazer valer a sua própria verdade.
a. Chico era médium porque era gay.

Enfim, há muitos outros tipos de falácias e exemplos de falácias. Quem quiser ler mais, visite esse link:
http://www.lemma.ufpr.br/wiki/images/5/5c/Falacias.pdf , onde você poderá ler um interessante texto em pdf intitulado "Guia das Falácias" de Stephen Downes.







SA

sábado, 27 de abril de 2013

Continuando...


233 >> O corpo ressuscitado de Jesus não era como o nosso, porque Paulo explica que os ressuscitados terão um corpo especial (cap. 15 da epístola aos coríntios),

 >> Jesus disse que aqueles que ressuscitarem serão como os anjos.
 ------
Quem leu o "O Livro dos Médiuns" sabe perfeitamente que os Espiritos "materializados" (tendo puder para isso e querendo) podem agir APARENTEMENTE como se tivessem corpo humano e fazer coisas que faziam quando na carne...

  - entre-se nesse link abaixo e veja-se uma pequena amostra do que é dito nesse livro... (mas o ideal, para um melhor e mais completo entendimento, seria ler todo o conteúdo e não somente partes retalhadas)...

 Quanto aos Espiritos de Nosso Lar", região próxima e que abastece a Terra de Espiritos, é dito pela D. Espirita que, aqui, é uma copia do sistema organizativo que acontece por lá... e...

 ... como ali a "mente é Espiritual" (digamos assim) :)... nada tem o "corpo condensado/material" que acontece haver por cá, inclusivamente a comida, evidentemente... :)...

 e ainda... se os corpos que são" ressuscitados" são outros e não aqueles que eram os do individuo quando andou por cá,  que corpos são esses afinal?...  Será que Paulo arranjou maneira bem feliz de chamar "corpo especial" ao Espirito???... Bem... não me admiraria nada que assim fosse, antes pelo contrario... :)

 Jesus disse que tais corpos  serão como os anjos?!?!?...  Perfeito... é  D. Espirita!!!!...   :)

 http://www.espirito.org.br/portal/codificacao/lm/lm-12.html#lm12a1

sexta-feira, 26 de abril de 2013

Religião é importante?

Eu não tive curso de religião no primário, no ginásio, no colegial e nem na faculdade. Quando eu pedi o batismo na Paróquia Santa Tereza de Ávila, o padre José também não me pediu nenhum curso de religião. Quando entrei no fórum do UOL, do Terra e agora no blog da Doutora SA, ninguém me pediu um curso de religião. Mas nessas duas últimas semanas surgiu um tal de IEU, fazendo uma pergunta bem cabeluda e que deixou todo mundo de calças curtas: alguém aqui fez curso de religião?

Foi uma semana bem proveitosa. E acabamos descobrindo que ninguém sabe se Buda fez curso de religião, se Kardec fez curso de religião ou se Jesus fez curso de religião. O curso de religião é reconhecido pelo MEC? Quem faz curso de religião ganha mais do que aquele que não fez? Quantos anos de estudo é necessário, sem repetência, para se graduar como primário, secundário, universitário e doutor em religião? E pior é que o Sr IEU se despediu do Blog sem informar se fez curso de religião.

Eu não sei de nenhuma escola que ensine religião, mas como eu já participei de vários debates sobre o assunto, eu aprendi o seguinte: 1) Deus existe, mas Ele não fez curso de religião. 2) Moisés libertou o povo de Israel, mas ele não fez curso de religião. 3) Davi construiu um suntuoso santuário em Jerusalém, mas também não fez curso de religião. 4) Maria não fez curso de religião, mas fugiu para o Egito para ir bem longe das fofocas de uma maternidade mal explicada. 5) Chico Xavier psicografou um monte de cartas, mas também não fez curso de religião. 6) O Papa São Francisco também não fez curso de religião, se fez, a imprensa não divulgou o nome da escola.

Resumindo, como é que podemos falar de religião se nem existe curso para isso? Preciso tirar o chapéu para o Sr IEU, ele abriu os nossos olhos, e notou que há um enorme caos no Blog. No curso de Matemática, a sequencia é aritmética, álgebra e finalmente cálculo. Se houvesse um curso de religião, como deveria ser a sequência de complexidade?

quarta-feira, 24 de abril de 2013

Simplesmente questão de honestidade intelectual...

com certeza as pessoas de boa fé e intelectualmente honestas (predicados impossíveis de encontrar nesse 233) facilmente entendem o cerne da questão, que é o facto de Kardec ter sido apontado como "manipulador" ao referir que naqueles tempos o termo "ressurreição" poderia também significar "reencarnação", e...

... na VERDADE a documentação biblica dá-lhe total razão, pois que...

...quando ali é dito que na ideia do povão, Jesus podia ser um dos profetas RESSUSCITADO, realmente o que estava sendo mencionado é que Jesus podia ser um dos profetas RENASCIDO (reencarnado portanto), já que...

... como já disse anteriormente, o termo RESSURREIÇÃO, não pode ser aplicado no caso de Jesus já que Ele foi parido e não "saído do tumulo", como era sabido por aquelas gentes...

o resto não passa das habituais e sempre presentes cabriolices desse coitado 233 que tenta fazer deste fórum um espaço onde imagina só entrarem atrasados mentais... (Ele aqui pode fazer isso porque sabe perfeitamente que aqui a oposição às suas estupidas diatribes e formas desonestas de atuar é praticamente nula, mas...

... não acredito que o fizesse/faça em meios onde a cultura/ saber intelectual fosse muito mais presente... Seria desmascarado em seus intentos e processos como quem limpa a bundinha de nenes)...

terça-feira, 23 de abril de 2013

As duras palavras do Sr IEU

Estou de volta no fórum do UOL. Naquela época, eu participava do grupo de Informática, Banco de Dados Access. Mas havia tanto spam que o grupo foi comprometido, e muita gente foi embora. Assim comecei a navegar em outro fóruns, até encontrar o grupo de Religião. Encontrei uma mensagem do professor Andros, perguntando que sentido havia em fazer as crianças sofrerem de câncer. Eu arrisquei um palpite de que se tratava de uma provação. O professor não gostou nada, e deu a maior surra que jamais esqueci. O correto era esquecer todo o UOL, mas acho que o espírito vingativo falou mais alto dentro de mim, e comecei escrever as porcarias de sempre, só para aborrecer o professor. Após vários anos, acabei famoso, principalmente por publicar o meu emai, nome e telefone verdadeiros. Nunca falei de religião, só falava da Maria.

E nessa semana, levei outra bela surra, lembrando que ninguém espera que se fale da Maria num Blog de Religião.

Já se passaram muitos anos, e confesso que fiquei contente com a participação do Sr IEU. Tanto ele como o professor tem razão, temos que ser um pouco coerentes. Se temos algo importante a dizer, é nesse momento que temos que usar o livre arbítrio para publicar a mensagem, caso contrário, o melhor é ficar em silêncio, deixar o valioso espaço da internet para quem entende do assunto.

Eu me sinto envergonhado. Não sei aonde enfiar a cara. Se o professor está lendo a minha mensagem, eu peço sinceras desculpas. Já ao Sr IEU, eu quero agradecer muito, principalmente por dar respaldo à importante decisão que tomei: vou continuar a escrever sobre Maria, porque ela é a minha única e verdadeira religião. Se eu escrevo mal, se eu não apresento ideias novas, se os meus argumentos são circulares que saem de lugar nenhum e chegam no mesmo ponto, acredito que o problema não é meu, mas de quem continua me lendo.

Pintura Mediúnica


Chamam-se médiuns pictógrafos aqueles que sob “influência de um espírito de um pintor(famoso)”, pintam um quadro como se fosse o próprio pintor em vida.

Quando eu morava em SJCampos, participei de uma reunião no Centro Espírita Divino Mestre -o qual eu era assídua frequentadora - onde Mariluza Moreira de Vasconcelos (autora de vários livros) lá esteve para pictografar. Essa medium psicografou também alguns livros, dentre eles o Livro "De Mário a Tiradentes" e "Inconfidências de um inconfidente" onde é contada a trajetória de Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes. No livro de Mário a Tiradentes, Mário era um tirano romano que cortava a cabeça dos inimigos e morrendo reencarnou como Tiradentes (que expiou o carma morrendo enforcado e depois esquartejado).


Foto do meu livro, que li há muito tempo...

Mas, voltando à pintura mediúnica, a médium pintava quadros divinamente: Renoir, Toulouse-Lautrec, Pablo Picasso. em questão de minutos. Obviamente que não tenho e nem tinha naquela época  o conhecimento de um marchand de tableaux (comerciante de quadros), especialista no assunto. O que eu sabia era o básico, que havia aprendido em livros e nas visitas ao MASP, quando havia exposições. Mas no geral, as pinturas lembravam as características dos autores. E ainda por cima, devidamente assinadas por eles...

A minha curiosidade é saber como essa médium conseguia pintar um quadro tão perfeito, em tão pouco tempo, e assinar a assinatura idêntica a do pintor.  Seria mesmo um espírito pintando? Ou seria uma farsa? Os que não acreditam na existência do espírito dirão que é farsa. Os que ficam em cima do muro, ou seja, não acreditam e nem desacreditam, ficam cheios de duvidas. Muitos fatos despertaram a minha curiosidade:
1. a pintura era feita após uma prece e com meia luz,
2. os quadros eram pintados em cerca de 5 minutos,
3. eram semelhantes aos dos pintores famosos e a mistura e combinação de cores era impressionante,
4. ao perguntar alguns fatos para a médium , no momento da pintura, ela falava com o sotaque do pintor  que estava “incorporada”,
5. o objetivo era vender os quadros para “obras de caridade”, mas o valor era bem alto,
6. não gostei quando uma pessoa disse que “um espírito lhe falou aos ouvidos” que a menina pintada por Renoir em um dos quadros era a sua filha.

Recentemente descobri Esref Armagan em um site da internet.
Armagan é um pintor turco que nasceu com deficiência visual e mesmo assim não desistiu de seus sonhos. Para pintar, ele usa uma técnica conhecida como perspectiva de três pontos, considerada difícil mesmo para pessoas que enxergam. Primeiro Esref desenha usando braile, depois adiciona cores individualmente. O pintor tem sido comparado ao mestre renascentista Brunelleschi e suas obras estão espalhadas por museus de toda a Europa.
 
Pintura de Esref Armagan
Premiado, o artista ganhou reconhecimento ao participar do documentário Os Super Humanos, no canal Discovery Channel.

Ele precisa de absoluta calma quando está trabalhando para poder sentir o que está “dentro” de sua pintura – por exemplo, quando desenha uma imagem do mar, muitas vezes se pergunta se deve usar um colete salva-vidas para não se afogar. E quando está satisfeito com seu desenho, começa a aplicar os óleos com os dedos , apenas uma cor de cada vez, espera dois ou três dias para a cor secar antes de aplicar a próxima cor. Este método de pintura é totalmente único para o Sr. Armagan. Ele não recebe nenhuma assistência ou formação de qualquer pessoa.


Fiquei espantada com as obras pintadas por esse senhor, que segundo um site que visitei pinta melhor que os médiuns “incorporados”. Ou seja, não é preciso enxergar para pintar boas obras.

Veja o vídeo sobre Esref Armagan: http://www.youtube.com/watch?v=h3O71Ty-1PM



Texto com pesquisa nos sites:
 http://obraspsicografadas.org/2008/cegos-de-nascena-pintam-melhor-que-mdiuns/



SA

segunda-feira, 22 de abril de 2013

A Vingança na Bíblia


"A vingança é um prato que se come frio". Muitas vezes se ouve essa frase. As palavras indicam que se é um prato que se come frio, é porque um dia esteve ele quente, e há necessidade de se esperar que esfrie. E para isso é necessário paciência.  Só com muita paciência e cautela é que se pode cometer uma vingança bem sucedida, esperando  o "calor da ira, da raiva" esfriar. De cabeça quente, obviamente, ninguém faz nada direito. 
Isso interpretando o contexto da frase.

A Bíblia está coalhada de vingança .Segundo a Bíblia a palavra justiça vem do original grego dike (justiça), mas dela surgiram alguns derivados e um deles é vingança.
A palavra vingança na bíblia é escrita no original grego ekdikiõ(ek=de  / dike=justiça), dando a ela o significado literal de ekdikiõ= revindicar os direitos de uma pessoa. (corrija-me se eu estiver errada)

Abaixo alguns exemplos dos textos bíblicos:

Mas o Senhor lhe respondeu: "Não será assim; se alguém matar Caim, sofrerá sete vezes a vingança". E o Senhor colocou em Caim um sinal, para que ninguém que viesse a encontrá-lo o matasse.
Gênesis 4:15


Se Caim é vingado sete vezes, Lameque o será setenta e sete".
Gênesis 4:24

"Não procurem vingança nem guar­dem rancor contra alguém do seu povo, mas ame cada um o seu próximo como a si mesmo. Eu sou o Senhor.
Levítico 19:18

E trarei a espada contra vocês para vingar a aliança. Quando se refugiarem em suas cida­des, eu lhes mandarei uma praga, e vocês serão entregues em mãos inimigas.
Levítico 26:25

"Vingue-se dos midianitas pelo que fizeram aos israelitas. Depois disso você será reunido aos seus antepassados".
Números 31:2

Então Moisés disse ao povo: "Armem alguns dos homens para irem à guerra contra os midianitas e executarem a vingança do Senhor contra eles.
Números 31:3

Elas serão locais de refúgio contra o vingador da vítima, a fim de que alguém acusado de assassinato não morra antes de apresentar-se para julgamento perante a comunidade.
Números 35:12

O vingador da vítima matará o assassino; quando o encontrar o matará.
Números 35:19


Um dos mais marcantes casos de vingança na Bíblia é aquele que envolveu a violação de Diná. Quando Diná tinha cerca de seis anos de idade, Jacó passou a habitar em Canaã, na cidade de Sucote. Diná havia nascido em Harã, quando seu pai ali morava. (Génesis 31:41)

Perto do acampamento de Jacó e sua família ficava a cidade de Siquém. Era para lá que Diná se dirigia frequentemente para visitar as moças cananéias locais, que não partilhavam dos costumes religiosos dos descendentes de Abraão. Durante uma dessas visitas regulares, Siquém, filho de Hamor, o maioral, violou Diná.
 Siquém apaixonou-se por Diná e esta ficou em casa dele até que Simeão e Levi decidiram vingar sua irmã. Com um plano ardiloso, eles convenceram os homens de Siquém a efetuarem a circuncisão em troca da mão de Diná em casamento. Daí, enquanto os habitantes da cidade ainda estavam em convalescença, os dois irmãos atacaram a cidade e mataram todos os homens, incluindo Hamor e Siquém.

Outro caso de vingança foi do Profeta Elizeu ( II Reis 2:23-24 ):
"Então subiu dali a Betel; e, subindo ele pelo caminho, uns meninos saíram da cidade, e zombavam dele, e diziam-lhe: Sobe, calvo; sobe, calvo!
E, virando-se ele para trás, os viu, e os amaldiçoou no nome do SENHOR; então duas ursas saíram do bosque, e despedaçaram quarenta e dois daqueles meninos."
Elizeu sentiu-se ofendido por ter sido chamado de "careca" e a vingança foi jogar uma praga nos pobres meninos.


Como entender a vingança no contexto da Bíblia?

SA 

domingo, 21 de abril de 2013

Ciência & Religião - Para refletir

"A ciência convida o homem a aprender, a religião o convida a agir"*

Foi Max  Planck -  ganhador do Nobel de física no ano de 1918 -  quem disse essa frase. 
Ganhou o Nobel  com a hipótese  de que a energia eletromagnética  não seria um processo contínuo, mas estabelecido por determinadas quantidades mínimas  de energia chamadas de "quantum".

Passaram-se muitos anos até que sua hipótese  recebesse a aceitação da comunidade científica.  Max Planck tornou-se ao longo da vida uma pessoa  muito espiritualizada, sendo que sofreu um profundo golpe quando seu filho foi executado pelo regime nazista acusado de traição. Isso porque Hitler não gostou que ele ( o pai) tivesse ganho o Nobel de Física.

Anos antes dessa tragédia havia tentado convencer Hitler da necessidade da preservação dos pesquisadores judeus, quando lhe disseram: "Se a ciência não pode passar sem judeus, teremos que passar sem a ciência".



"Para os crentes, Deus está no princípio das coisas. Para os cientistas, no final de toda reflexão!"
Max Planck


* Autobiografia Científica e outros Ensaios - Max  Planck




Pessoal, amanhã, segunda feira dia 22 de abril, por volta das 8 h da manhã, o acesso aos comentários será restrito apenas aos que têm uma conta no Google (gmail) ou for membro de algum blogger.
Essa atitude será tomada para evitar clonagens e  (talvez) postagens que nada tem a ver com o intuito desse blog.
Uma boa semana  para vocês.

SA

A versão móvel de O Estado

Eu uso o navegador Dolphin Browser para ver as páginas na Internet através do Note II, principalmente por causa do recurso adicional do Text Sizer. Quando o Dolphin exibe a página original da Web, é possível alterar o tamanho da fonte, usando o recurso de pinçar, ou seja, separando dois dedos na tela.

O Estado prometeu mudar a página móvel do jornal para o dia 22 deste mês, mas ele já está disponível desde ontem. Na versão anterior, eu podia mudar o tamanho da fonte através do recurso de pinçar - agora eu preciso usar o recurso do Text Sizer do Dolphin, ou seja, a mudança da versão móvel do jornal trouxe um pouco mais de trabalho para mim, mas vou conseguir sobreviver.

A melhor versão móvel do jornal no Celular é do New York Times, o tamanho da fonte deles é o mais agradável em qualquer celular. Mesmo assim, o New York Tmes oferece o recurso de alterar a fonte no final da própria página. O único problema é que eu não sei ler inglês.

Eu vi um comentário no Blog da Selma, afirmando que o Jornal O Estado é um instrumento ideológico de direita. Como eu sou um analfabeto em termo de ciência política, eu não consigo enxergar isso. Eu já li Pasquim, os panfletos da CUT. o Manifesto Comunista, a Bíblia, mas não sei o que é direita, esquerda e centro. Eu não sei como o leitor do jornal pode ser influenciado por editores inescrupulosos para mudar a sua opinião, influenciar o seu voto, e mergulhar o destino de toda uma Nação na maior crise econômica, política e ética que possa ser imaginado - isso eu acho um exagero, principalmente porque eu vejo que pouca gente lê o jornal, ainda mais o da família Mesquita.

Eu compartilho a tese do Sr Adilson, o de que a vida é somente essa, de que voltaremos a ser pó, e o máximo que podemos fazer é tentar salvar a nossa alma, seguindo a luz de Jesus. Mas eu já sou um caso perdido. Depois que vi a Maria em 1981, não consigo pensar em outra coisa senão em abraçar a Maria. Ou seja, eu fui infectado pelo vírus do Satanás, e acredito na tese do Adilson de que o meu batismo em 1984 na Paróquia Santa Tereza em nada vai ajudar a curar a minha alma. Logo, o meu destino já está determinado no famoso lago que arde e cheira enxofre. Mas, de onde estou até o lago, existe um enorme tempo e para preencher esse espaço vazio é que leio um ou outro artigo da família Mesquita.

Nessa semana, eu li "Nas asas da FAB", e o que consegui deduzir do texto é que o Mensalão não morreu. No tempo da ditadura, nós tínhamos o ministério da Segurança, da Saúde e da Fazenda, mas com a punição do Sr José Dirceu, a Dilma não encontrou outra saída senão multiplicar os ministérios, de tal forma que para cada deputado no Congresso existe uma pasta dentro do Poder Executivo, e assim cada deputado recebe todo mês um dinheiro extra que vem do bolso do contribuinte para vender os votos dos eleitores em favor da Dilma, do tipo tornar obrigatório a cobrança da contribuição sindical, discutir o projeto de limitar a liberdade na internet e na imprensa, e etc. Bem que eu poderia ficar indignado, bloquear a Av Paulista e protestar contra a Dilma, o PT e todos os políticos, mas com que moral posso fazer isso, como posso atirar uma pedra na Dilma, se eu mesmo sei que também não presto, se só penso em abraçar a Maria, principalmente depois que a Doutora SA me deu a receita do sanduíche de frango?

==================================

O Estado: Nas asas da FAB

Os cada vez mais numerosos ministros da presidente Dilma Rousseff estão transformando a Força Aérea Brasileira (FAB) em empresa de táxi aéreo. A prerrogativa do uso de jatinhos da FAB para transporte de autoridades, instituída prioritariamente para casos excepcionais, parece que se tornou regra, e a um custo bastante pesado para os cofres públicos. Em muitos casos, conforme noticiou o Estado (15/4), a agenda dos ministros é maquiada para se enquadrar nas exigências legais e, ao mesmo tempo, encobrir atividades privadas ou eventos partidários.


A regulamentação do uso de jatinhos da FAB pelos ministros, conforme o decreto presidencial 4.244, de maio de 2002, prevê que as aeronaves da FAB devem ser solicitadas, em primeiro lugar, "por motivo de segurança e emergência médica". Pela ordem de prioridade, só depois é que aparecem "viagens a serviço" e "deslocamentos para o local de residência permanente".

Além disso, o artigo 2.º diz que, "sempre que possível, a aeronave deverá ser compartilhada por mais de uma das autoridades", e o artigo 4.º autoriza os ministros a "optar por transporte comercial" nos casos de emergência e de deslocamento para a residência, com despesas pagas pelos Ministérios.

Em resumo, o decreto trata de situações que deveriam ser incomuns. No entanto, as 5,8 mil viagens dos ministros de Dilma, em pouco mais de dois anos de governo, mostram que o uso dos jatinhos da FAB está incorporado ao cotidiano da Esplanada dos Ministérios. A situação é tão constrangedora que, em janeiro de 2011, a presidente pediu a seus ministros que recorressem menos aos serviços da FAB e que usassem, sempre que possível, as companhias aéreas. Não se trata somente de pôr termo a um abuso rotineiro, mas de reduzir os gastos públicos, pois viajar em avião de carreira é muito mais barato. O apelo de Dilma, porém, caiu em ouvidos moucos: o número de voos com os jatinhos da FAB subiu 5% entre 2011 e 2012.

O ministro-chefe da Advocacia-Geral da União, Luís Inácio Adams, por exemplo, requisitou um Embraer ERJ 145, com capacidade para 36 passageiros, para uma viagem a São Paulo em agosto de 2011, ocasião em que visitou o ex-presidente Lula. Em valores atualizados, estima-se que esse voo tenha custado R$ 6,6 mil. Se Adams optasse por um voo de carreira, a despesa teria sido de R$ 700. Está entre as atribuições do advogado-geral cuidar de casos de ex-presidentes, mas a agenda de Adams não registrou o encontro com Lula - logo, ele não estava oficialmente "a serviço".

Em janeiro passado, o vice-presidente Michel Temer usou um jatinho da FAB para ir a São Paulo, onde passou o dia em encontros de seu partido, o PMDB. De acordo com sua agenda, naquele dia ele não teve nenhum compromisso como vice. Em outubro de 2012, Temer se encontrou com Fernando Haddad, também em São Paulo, para conversar com o petista sobre o apoio do PMDB na disputa pela Prefeitura. Do mesmo modo, a agenda de Temer não registrou atividades relativas a seu cargo no governo naquela data.

Casos como esses são comuns. Em grande parte deles, os ministros marcam compromissos irrelevantes às sextas e às segundas-feiras nas cidades onde moram, para ter o conforto dos jatinhos no fim de semana. Quando informam qual serviço precisam prestar, os ministros descrevem situações genéricas. A agenda do ministro da Fazenda, Guido Mantega, assíduo cliente da Aeronáutica, justificou uma recente viagem a São Paulo, numa sexta-feira, dizendo que ele tinha "reuniões internas" no Banco do Brasil.

É evidente que os ministros não querem se juntar aos brasileiros comuns que se apinham nos balcões de check-in dos aeroportos, preferindo a mordomia oferecida pela FAB. Ao explicar o privilégio, porém, os ministros alegam que sua atitude nada tem de ilegal ou de imoral. O ministro da Justiça, José Eduardo Martins Cardozo, chegou a dizer que, ao usar os jatinhos da FAB, estava colaborando para a manutenção das aeronaves, pois elas "necessitam voar determinadas horas". Talvez Cardozo ache que, em vez de criticá-lo, devíamos lhe ser gratos.

quinta-feira, 18 de abril de 2013

Mortos enterrando mortos (Lucas 9:59)


“E disse a outro: Segue-me. Mas ele respondeu: Senhor deixa que primeiro eu vá enterrar meu pai. – Mas Jesus lhe observou: Deixa aos mortos o enterrar os seus mortos; porém tu vai e anuncia o Reino de Deus.” 
 (Lucas 9: 59-60)


Pois os vivos sabem que morrerão, mas os mortos não sabem coisa nenhuma, nem tampouco têm eles daí em diante recompensa; porque a sua memória ficou entregue ao esquecimento.
                                                                                                                                       (Eclesiastes 9:5)


Jesus era judeu. O homem para quem ele aconselhou deixar o pai morto também era judeu. Aliás, era uma sociedade de judeus!
Judeus possuem um ritual muito especial para os funerais, chamado TAHARAH.
A tahará é realizada pela Chevra Kadisha (Sociedade Sagrada, i.e., Sociedade Funerária), composta por judeus instruídos na área dos deveres tradicionais, e que podem mostrar o devido respeito aos falecidos. Além da limpeza física e da preparação do corpo para o enterro, eles também recitam as preces exigidas pedindo perdão a D'us por qualquer pecado que o morto possa ter cometido, e rezando para que o Todo Misericordioso o guarde e lhe conceda a paz eterna. Assim como um recém-nascido é imediatamente lavado e entra neste mundo limpo e puro, também aquele que parte deste mundo deve ser limpo e purificado através de um ritual religioso chamado taharah (purificação).


Como existe todo esse ritual a ser seguido, por que Jesus não deixou o homem enterrar o pai morto, sendo que Ele sempre proclamou  o amor filial?

Se os mortos não sabem de coisa alguma, por que Jesus mandou “ um morto enterrar outro”?

Acredito que Jesus  revelou que não é com o corpo físico morto, que devemos nos preocupar mas com o espírito que é imortal. Por isso, Ele mandou anunciar o reino de Deus, isto é, a vida espiritual.
 
Cemitério judeu no Monte das Oliveiras (Jerusalem) sob a neve.
Obviamente que cemitérios de judeus não têm cruzes.








SA

Sanduíche de frango

Eu não sei o que aconteceu com a minha enquete, pois os votos computados sumiram (inclusive o meu). Portanto, excluí a votação sobre o destino do blog, visto não estar sendo satisfatória.

O Hosaka e a Nihil têm razão, o blog é um ponto de encontro e não pode ser deletado por causa de vândalos virtuais. O 233 também tem razão, as piadinhas são chatas pra caramba e não podem continuar dessa maneira.

Os textos do Filósofo foram interessantes e espero que ele continue. São interessantes para quem acredita e para quem não acredita, visto que esse é um blog sobre religião e tudo sobre é bem vindo.

Para a felicidade do Hosaka posto aqui a receita de sanduíche de frango que costumo fazer:

Cozinhe um peito de frango grande em panela de pressão por 30 minutos, que é para ficar bem macio. Deixe esfriar e desfie com um garfo.Reserve o líquido onde foi cozido.  Numa panela coloque  azeite,  cebola ralada, alho e refogue bem. Adicione 2 tomates picados e mexa mais um pouco. Coloque então o frango desfiado e mexa bem. Espere juntar um pouco de água e adicione 2 cubos de caldo de galinha. Se for necessário coloque mais um pouco de água do cozimento. Mexa bem, pois isso fará com que o frango fique bem desfiadinho. Adicione alho poró, cebolinha e salsinha picadas, molho de tomate pronto (Pomarola, p. ex.)  e pimenta se  gostar.  espere  a água sumir e desligue. Você  pode também adicionar pimentão picado, ervilhas, milho, requeijão...

Corte um pão francês pelo meio ( ou de forma) e passe maionese em ambas as fatias. Coloque uma folha de alface em cada uma delas e o peito de frango refogado em cima do alface. Corte pelo meio e coma acompanhado de Coca-Cola, Guaraná ou qualquer outra coisa interessante...


O Blog irá continuar até quando Deus quiser...
Mas irei deletar comentários inconvenientes de agora em diante.


SA

quarta-feira, 17 de abril de 2013

Cada um tem o blog que merece

Para evitar comentários desse tipo "cada um tem o blog que merece", que ao meu ver depreciam esse blog, resolvi que atitudes devem ser tomadas.
Para selecionar quem participa ou não desse blog, eu poderia colocar moderação nos comentários e analisar uma por uma das mensagens. Mas meu tempo não seria suficiente e as mensagens demorariam para aparecer. E provavelmente não saberia se um sujeito foi clonado ou não.

Outra solução seria permitir a participação somente de quem é cadastrado no blogger (não necessariamente no meu blog, mas em qualquer outro). Dessa forma não seria um blog democrático, mas seria uma maneira de impedir clonagens.

Outra solução seria deletar o blog, e daí cada um criaria o seu, segundo suas vontades.

A intenção e evitar desentendimentos e causar a impressão de que aqui só se tem baixaria.

Ao lado está uma votação aberta para saber qual destino deve-se dar ao Grupo de Discussão Religião. Agradeço a participação.

Peço desculpas a todos que se sentiram ofendidos e clonados. tenho certeza de que logo esse problema acabará.

Thanks.

Justiça vai condenar igreja

O texto seguinte foi divulgado pelo Dr Esio Lopes, fala de um pastor que foi desligado de sua igreja, depois de 31 anos. Lendo o texto, no entanto, dá para perceber que o Dr Esio andou maquiando a matéria. A Justiça não condenou ninguém. O processo estava no STJ, eles empurraram à Justiça do Trabalho, que finalmente decidiu encaminhar a Justiça Cível, um clássico caso de empurra empurra.

Aqui seria interessante o Sr Especialista acrescentar o seu comentário. Na minha opinião, todo o processo deveria ser rejeitado, uma vez que o Estado é laico, a menos que o pastor comprove que contribuiu para o erário público através do Imposto de Renda ou Previdência Pública. Mas se o pastor decidiu contribuir com toda a sua vida para Jesus, o correto é reclamar diretamente com o Jesus e não com os juízes que deveriam priorizar os processos que deveriam trazer a justiça aos contribuintes de fato. Ou então, deveríamos mudar o sistema tributário, o de acabar com a isenção de impostos dos cultos religiosos, afinal o fato gerador de todo imposto é quando você ganha dinheiro. Pelo menos Jesus deixou bem claro: "Dê à Dilma o que é da Dilma, e dê ao pastor o que é do pastor".

STJ Superior Tribunal de Justiça

Justiça cível decidirá sobre indenização a pastor excluído de igreja evangélica

Compete ao juízo de direito da Vara Cível de Prado (BA) processar e julgar ação de indenização por danos morais e materiais ajuizada por pastor contra a Convenção Estadual das Assembleias de Deus da Bahia, devido ao seu afastamento das funções na igreja. O entendimento é da Segunda Seção do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ao julgar o conflito de competência suscitado pela Vara do Trabalho de Itamaraju (BA).

A ação foi proposta pelo pastor perante o juízo de Prado, ao argumento de que ele teria exercido a função na Assembleia de Deus por mais de 31 anos, em várias cidades, e que, sem nenhuma justificativa por parte da cúpula da Convenção Estadual, foi afastado de suas funções.

O pastor sustentou que o seu afastamento foi ilegal, motivado, provavelmente, pelo término de seu casamento, e que tal fato é inaceitável, pois se trata de episódio relacionado exclusivamente à sua vida íntima.

Sem justa causa

A Justiça comum declinou da competência para a Justiça do Trabalho, ao argumento de que a indenização pedida pelo pastor seria de natureza trabalhista, já que ele alegou não ter sido despedido por justa causa.

Encaminhados os autos à Justiça especializada, o juízo da Vara do Trabalho de Itamaraju reconheceu a sua incompetência para processar e julgar a ação e, assim, suscitou o conflito de competência.

“A pretensão do autor não apresenta como pano de fundo relação de emprego. Na verdade, o autor aponta como fundamento o fato de ter sido desligado da igreja sem nenhuma explicação e ainda o fato de que, ao contrário do que normalmente ocorre, seu afastamento não foi fruto de deliberação pela Assembleia, mas sim da decisão de dois pastores”, sustentou o juízo trabalhista.

Política interna

Em seu voto, o relator, ministro Raul Araújo, destacou que a questão enfatiza aspectos de política interna de uma congregação religiosa na relação com seus ministros, envolvendo direitos e garantias constitucionais de liberdade de culto e de crença religiosa, competindo, dessa forma, à Justiça comum processar e julgar a ação.

“A ação proposta não tem causa de pedir e pedidos fundados em eventual relação de trabalho entre as partes. Em momento algum da inicial o autor afirma ter relação de trabalho com a ré, assim como não postula o pagamento de verba de natureza trabalhista”, afirmou o ministro.

segunda-feira, 15 de abril de 2013

Evolução

Diz o Livro dos Espíritos, codificado por Kardec, que Deus - causa primária de todas as coisas - nos criou simples e ignorantes. 
Muitas pessoas têm dificuldades em aceitar como um ser simples e ignorante transforma-se em um bandido, um assassino ou um estuprador. Obviamente que um frágil bebê, à  medida que cresce desenvolve seu livre arbítrio adquirindo "gostos" que seus pais podem não ter. Se Deus é bondade, caridade e benevolência, acredito que jamais criaria uma criatura destinada ao mal. 

Tomemos Hitler como exemplo, visto que ele é  um grande exemplo da personificação da maldade.
Hitler nasceu em uma família estruturada, viveu tempos  com seus pais (antes que morressem), teve irmãos, tias e primos. Foi criado na religião católica, batizado, fez primeira comunhão e foi coroinha. Ou seja, teve uma religião. Teve condições de se tornar uma excelente pessoa.
Seu primeiro amor (não correspondido) foi uma jovem judia, e teve vários amigos judeus. Ajudou a fundar o partido nacional socialista dos trabalhadores alemães, cuja sigla em alemão era NAZI, de onde derivou a palavra nazista. Dentro desse partido nasceu então o desejo de uma raça pura alemã.
Por incrível que pareça, era contra o aborto (dos alemães, claro). Era a favor do casamento e da harmonia da família. E - pasmem -  graças a ele surgiu o fusca, pois entusiasmado para fazer a Alemanha progredir, financiou o projeto desse carro. Dizem que ele roubou a ideia de um engenheiro judeu. O que parece ser provável (leia "A verdadeira história do fusca"). Também era amante do Mickey Mouse, sendo que seu fiel escudeiro o marqueteiro Paul Goebbels comprava vários filmes desse personagem para agradar o Patrão. Dizem as más línguas que Walt Disney contribuiu financeiramente para a II GM.

Bem, como eu disse, Hitler tinha tudo para ser um bom governante. Mas o que aconteceu para que resolvesse eliminar todos os judeus da Alemanha? Por que resolveu seguir esse caminho obscuro?

Deus criou a todos simples e ignorante - repito. Se resolveu ir para o lado negro da força, não foi por obra divina, e sim porque aceitou a inspiração do "outro lado".
Fomos criados para evoluir e atingir a perfeição. Essa criatura resolveu não evoluir. Aparece então um antiespírita afirmando que Kardec disse que espíritos não regridem. E não regridem mesmo, vejam só:


193. Pode um homem, nas suas novas existências, descer mais baixo do que esteja na atual?
“Com relação à posição social, sim; como Espírito, não.”

194. É possível que, em nova encarnação, a alma de um homem de bem anime o corpo de um celerado?
“Não, visto que não pode degenerar.”
a) — A alma de um homem perverso pode tornar-se a de um homem de bem?
“Sim, se se arrependeu. Isso constitui então uma recompensa.”

A marcha dos Espíritos é progressiva, jamais retrograda. Eles se elevam gradualmente na hierarquia e não descem da categoria a que ascenderam. Em suas diferentes existências corporais, podem descer como homens, não como Espíritos. Assim, a alma de um potentado da Terra pode mais tarde animar o mais humilde obreiro e vice-versa, por isso que, entre os homens, as categorias estão, frequentemente, na razão inversa da elevação das qualidades morais. Herodes era rei e Jesus, carpinteiro.


O espírito pode, no máximo, estagnar, mas nunca regredir. O caminho é sempre para a frente. É por isso que o Espiritismo rejeita a metempsicose, que afirma, por exemplo, que um espírito humano poderia reencarnar como um animal.

Portanto, Hitler não evoluiu, estagnou na última encarnação. 


Os que não gostam do espiritismo dirão que isso tudo é baboseira, e que o  Espiritismo não é cristão, pois não aceita que jesus morreu por nossos pecados na cruz.

É claro que o espiritismo é cristão, visto seguir os ensinamentos de Cristo. E também acreditamos que Jesus morreu por culpa de nossos pecados. Se não fôssemos pecadores, se fôssemos espíritos perfeitos, jamais teríamos deixado Jesus ser crucificado.



SA

domingo, 14 de abril de 2013

Alienação

Como se arrepender do pecado?

[Publicado no Facebook, na página Frank K Hosaka]

Ontem estava chovendo, mas encontrei minha mãe lavando as escadas com vassoura e muita cândida, ela queria tirar aquelas manchas verdes. É uma escada rústica, só de concreto, não tem nenhum azulejo. E ela me pediu para ajuda-la. Eu disse não, ou seja, ofendi Deus no seu famoso quarto mandamento, o de obedecer aos pais.

Mesmo que eu seja batizado, certamente que vou acabar sendo queimado naquele lago que arde e cheira enxofre, junto com todo o joio que Deus encontrar no famoso dia do julgamento, e lá eu vou lamentar todas as vezes que desobedeci minha mãe.

Eu não sou uma pessoa má. Todo mês, eu contribuo com a igreja de São Francisco, de cada dez pedidos que a minha mãe pede, pelo menos uma eu faço. Por exemplo, quando ela manda eu jantar, eu vou lá e faço o meu prato sem resmungar. Só não lavo o prato, porque detesto mexer com detergente.

Eu também não sou uma pessoa boa. Ao invés de reler a Bíblia, eu fico quase o tempo livre, vendo Facebook, onde encontro o Esio Lopes defendendo o casamento entre os não convencionais, um monte de propaganda para comprar isso e aquilo, ou seja, sempre deixo Jesus de lado para viver esse momento que é o Facebook. O que Jesus diz na Bíblia é muito mais sensato e saudável para minha vida material e espiritual, mas sempre acabo dando mais importância para o Facebook, onde não aprendo sequer a escrever melhor, ler melhor ou fazer conta.

Eu sou um servo mau e preguiçoso, eu não sou nem quente nem frio, eu sou tudo aquilo que Jesus detesta. O pior de tudo é que não sei como me arrepender de todas as vezes que frequentei o Facebook.

sábado, 13 de abril de 2013

Long Live - Taylor Swift & Paula Fernandes

Dedico esse vídeo a todos os inocentes úteis do blogue. A música em si não é de direita, não é de esquerda, e muito menos de centro, e nem tampouco tem a intenção de transformar a política numa ciência. Ela só pretende deixar você alienado da dura realidade, da inflação de quatro dígitos que a FGV teima em apresentar com apenas um digito, tudo para garantir a reeleição dos mesmos de sempre, com inúmeras legendas prometendo fazer no futuro o que não conseguem fazer no presente.

sexta-feira, 12 de abril de 2013

Um pedido absurdo

O Estado de S Paulo

Mesmo para uma prefeitura de pequena cidade pobre do interior, pedir doações a particulares - de cadeiras a ventiladores - já seria no mínimo surpreendente e incorreto. Onde já se viu uma coisa dessa? Pois não é que isso acaba de acontecer em São Paulo, a maior e mais rica cidade do País? O que dizer então, nesse caso? Que o mundo ficou de pernas para o ar? Que jamais se poderia esperar tamanho disparate? Que os que governam a cidade perderam ao mesmo tempo o respeito à população e o senso do ridículo? Tudo isso e mais alguma coisa pode ser dito, tanto a respeito do pedido inusitado como das explicações que os governantes se sentiram obrigados a dar e que fazem pouco da inteligência dos paulistanos.


Da estranha solicitação, que saiu no Diário Oficial do Município de 29 de março, constam 96 itens e 11 mil produtos destinados a suprir necessidades do setor de transportes e trânsito, em especial da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), a primeira a ser eventualmente beneficiada com a generosidade da população. Alguns dos produtos da lista de pedidos bastam para dar uma ideia do estado de penúria em que a Prefeitura acha que se encontra esse setor: 45 telefones, 85 impressoras, 32 lixeiras, 9 micro-ondas, 69 notebooks, 17 TVs e 139 ventiladores. A Secretaria Municipal de Transportes e a CET precisam também de 3.179 cadeiras. Todos esses produtos e equipamentos não precisam ser novos. Podem ser seminovos, desde que em boas condições.

As TVs, de 22 a 50 polegadas, se destinam ao serviço de monitoramento de trânsito. E a maior parte das cadeiras - mais de mil - é para as salas de aula do Centro de Treinamento de Educação de Trânsito, onde há "muitas que estão quebradas ou em condições precárias de uso". A julgar pelo número de cadeiras pedido, há muitos funcionários trabalhando e alunos estudando em pé.

Em nota, a CET afirma que a atual administração encontrou uma "realidade sucateada, não só na infraestrutura da secretaria, mas também nas da CET e da SPTrans", a empresa que gerencia o serviço de ônibus da capital. Acrescenta que o pedido de doações não significa que a Prefeitura deixará de investir em infraestrutura de transporte, lembrando os R$ 100 milhões que serão destinados à revitalização do sistema de semáforos. Se há dinheiro para semáforos, por que não para aqueles outros equipamentos da lista?

O secretário de Transportes, Jilmar Tatto, respondeu em declaração à Rede Globo: "Eu pedi para fazer esse levantamento (da lista de doações esperadas). Então, ao invés de gastar dinheiro para isso, já que a nossa prioridade é a modernização semafórica e o investimento em transporte público, eu publiquei no Diário Oficial para dar transparência, para que todos que quiserem doar esses equipamentos possam fazer (isso) de forma transparente".

Há dois aspectos a considerar nessa declaração. O primeiro é a sem-cerimônia com que Tatto diz que o governo decidiu cuidar das prioridades de seu setor e deixar o resto por conta da generosidade do distinto público. O segundo é a tentativa de desviar a atenção do pedido de doações para a "transparência" com que foi feito, como se isso por si só o justificasse. Ou seja, se for às claras, pode pedir, que está certo.

Na mesma linha, foi o prefeito Fernando Haddad, em declarações ao mesmo programa. Disse ter ficado surpreso com o pedido de doações publicado no Diário Oficial - como todos os paulistanos, poderia acrescentar - e deu em seguida a explicação que encontrou para ele: "Eu achei engraçado e liguei para o secretário (dos Transportes) para entender. Aquilo ali é uma recomendação da Procuradoria para receber doações que são muito comuns. E, como você não pode receber doações sem dar transparência, ele resolveu publicar no Diário Oficial".

Nem uma palavra sequer, pelo menos naquela entrevista, sobre o pedido propriamente dito, que coloca a Prefeitura de pires na mão. É sobre ele que os paulistanos esperam uma explicação razoável, se é que ela existe. Se não existe, como tudo indica, um pedido de desculpas. Mas com transparência, para que o público possa aceitá-las.

quarta-feira, 10 de abril de 2013

Ouvindo pássaros

Hoje de tarde encontrei um folheto de alguém que procura um pássaro que sumiu faz alguns dias. Andando pela rua, eu ouvi um forte pio. Vocês ouviram isso? perguntei para uma moça e uma criança que estavam diante de um prédio. Elas sorriram e disseram que não ouviram nada. E veio mais um pio forte. Vocês não estão ouvindo, não? Não, deve ser o radinho daquele moço que vem subindo, sorriu a moça. E outro pio, bem mais forte. E pela terceira vez perguntei e pela terceira vez elas afirmaram que não ouviram nada. Prossegui o meu caminho, e agora depois de ler o desabafo da Srta Nihil, vi que chegou a hora de eu escrever um pouco.

Religião é algo bem complicado, ainda mais quando a gente expõe a nossa opinião num ambiente como a internet. Existem moleques que levam para o lado pessoal, e começam a tirar o maior sarro. No desabafo da Nihil, eu percebi que ela está cansada de ser destratada e que a paciência dela chegou no fim, e assim ela deixou um aviso prévio para todo o blogue. Isso me fez lembrar da Margaret Tatcher, não sei se é assim que se escreve, ouvi dizer que alguns lamentaram a morte dela, e outros soltaram os rojões, comemorando a morte do maior ícone da iniciativa privada; se a Srta Nihil desaparecer, certamente eu terei o que lamentar, vou perder apoio da única ala conservadora desse blogue. Eu e a Nihil não acreditamos na mão invisível do Estado, acreditamos que todas as pequenas vitórias são frutos de nosso esforço particular.

Já os moleques que se escondem no anonimato ou em nomes esdrúxulos como Olga e Caetanão, para citar alguns, tratam o blogue como um bem coletivo, todo santo dia entopem o espaço dos comentários com mensagens que já foram publicados nos comentários anteriores, entupindo o blogue com spans que em nada ajudam a melhorar a qualidade da informação. Diante do exposto, eu aplaudo a indignação da Srta Nihil, ela tem sim o que reclamar. Só não concordo que ela reclame diretamente com os moleques, isso é inútil ou pior só aumenta o ego desses infelizes.

Aqui, vale a pena lembrar o Evangelho. Jesus veio na Terra, fez coxos andarem, fez mortos se ressuscitarem, deu pão para quem tinha fome, deu água para quem tinha sede, mas os moleques da sua época além de não Lhe respeitarem, acabaram maltratando, prendendo, crucificando e matando. Ao invés de Jesus dar um aviso prévio para os moleques daquela época, ele apelou para o Pai. Essa é a lição mais importante de Jesus que deixou para nós: reclamar com moleque é pura perda de tempo.

terça-feira, 9 de abril de 2013

Stress X Facebook

Dona Cida é uma senhora de cinquenta e poucos anos, com excesso de peso, quase obesa. É solteira, nunca se casou, pois segundo o que ela me disse, não achou a "pessoa certa". Tem vitiligo. O rosto está bem manchado, mas ela disfarça com maquiagem. Mas nos braços as manchas estão bem evidentes.
Frequenta a Igreja Universal várias vezes por semana. Está com bruxismo exacerbado, faz tempo. Os dentes inferiores estavam  quase na metade de seu tamanho original, pois o ranger de dentes os desgastou por demais, o que os deixou sensíveis e feios.

Problemas estressantes são uma das principais causas do bruxismo, mas alguns medicamentos também. E é o que acontece com dona Cida: ela toma fluoxetina que é um medicamento antidepressivo, cujo efeito colateral é o ranger de dentes. Geralmente o paciente alega não poder ficar sem o medicamento, mas também quer parar de ranger dentes. Então eu sugiro uma placa de bruxismo, que não cura, mas melhora o desgaste.

"A senhora precisa se distrair, dona Cida"
"Ah, mas eu me distraio...  Eu participo de uma sala de bate-papo na internet e também fiz um Facebook para mim. Tenho muitos amigos, reais e virtuais. Às vezes fico triste e às vezes me deixam feliz."
"Isso é bom. Quem sabe um namorado? Rsrs!"
"Eu tenho conversado com uns evangélicos, quem sabe?Tô paquerando uns.  Eu procuro um homem bom, trabalhador, honesto, sincero, carinhoso, que goste de me dar presentes..."
"Isso é o toda mulher procura, dona Cida..."
"Como?"
"Eu quis dizer que esse é o sonho de todas...  Mas tome cuidado com essas coisas de internet. E a senhora encontrou alguém?"
"Tá difícil. Eu penso que o vitiligo me deixa bem feia. Tenho vergonha de mostrar minhas fotos na internet. A Sra sabia que  minha avó tinha vitiligo e de todas as nove irmãs só eu nasci assim? Tem gente que pensa que isso pega."
"Pois é... Mas se a Sra encontrar alguém legal, que goste da senhora de verdade, essa pessoa nem vai ligar para isso..."
"Será? Eu queria alguém sincero, não precisa nem ser evangélico, mas eu queria que fosse religioso. Será que eu encontro?"

Nessa hora pensei em falar para ela adicionar o Hosaka no facebook. Afinal o Hosaka parece ser uma boa pessoa, sincera, honesta. E que talvez goste de dar presentes.

"Será que eu encontro alguém legal, Dra?"

"Ah, encontra sim, dona Cida." Falei eu, já desistindo de indicar o facebook do Hosaka para ela. Afinal a Nihil já se declarou para ele várias vezes, e seria uma sacanagem colocar a dona Cida no caminho...

Mudei de assunto e marquei a próxima consulta.

Tomara que  use a placa direitinho para parar de desgastar os dentes que foram todos restaurados. E desista aos poucos da fluoxetina. Ela merece ser feliz. Com ou sem  facebook.


SA




domingo, 7 de abril de 2013

Paulo de Tarso deturpou a palavra de Jesus?

Faz tempo recebi esse texto por e-mail, mas sem a referência de onde foi tirado. Portanto peço desculpas por essa falha, pois realmente não sei a sua origem.
Fala sobre paulo de Tarso e Jesus.
Vejamos um breve resumo:


"Embora não esteja entre os evangelistas e nem sequer tenha sido um dos 12 apóstolos, Paulo de Tarso é tido como um dos maiores intérpretes do cristianismo. Suas epístolas,  escritas enquanto estava na prisão como cristão perseguido, foram incorporadas à Bíblia e permanecem um grande instrumento difusor da doutrina cristã entre os povos não-judaicos.
Mas será que a pregação de Paulo é a mesma de Jesus? Há vários indícios de que, como num plano de
sabotagem, Paulo divulgou, em nome do Messias, uma doutrina falsificada.

Paulo, nascido Saulo, em Tarso, na Ásia Menor, servia aos romanos como uma espécie de agente policial. Ele fazia investigações para descobrir os locais de reunião dos nazarenos - como eram chamados os primeiros seguidores de Jesus-, para prendê-los e supliciá-los. Anos depois da crucificação de Cristo,
numa de suas incursões ele teria tido uma visão do Messias e se convertido. Foi aceito pelos nazarenos e com eles estudou durante quase três anos. Paulo começou, então, a divulgar a doutrina, mas com diversas mudanças. Os nazarenos se opuseram a essas alterações, o que culminou com a sua expulsão.

Várias vozes já alertaram sobre a falsidade da obra de Paulo, entre elas a do profeta da não-violência Mahatma Gandhi e a do teólogo alemão Albert Schweitzer, prêmio Nobel da Paz em 1952. "As Epístolas são uma fraude dos ensinamentos de Cristo, são comentários pessoais de Paulo à parte da experiência
pessoal de Cristo", escreveu Gandhi. "Paulo nos mostra com que completa indiferença a vida terrena de Jesus foi tomada", escreveu Schweitzer.

Muito do conteúdo das epístolas está claramente em oposição à doutrina de Jesus. Isso ficou evidente após o descobrimento de escrituras autênticas e completas dos ensinamentos de Cristo: o Evangelho dos Doze Santos, encontrado em 1850 no Tibete; o Evangelho Essênio da Paz, achado na Biblioteca
 o Vaticano em 1925; e os Manuscritos do Mar Morto, encontrados em 1945 numa caverna do Oriente Médio, com os ensinamentos dos essênios que viveram nos séculos I e II. Comparemos algumas das palavras de Jesus, segundo o Evangelho dos Doze Santos, com as palavras de Paulo, segundo suas próprias epístolas:

Vegetarianismo - Jesus: "Não comereis a carne nem bebereis o sangue
de nenhuma criatura abatida (...) Porque das frutas das árvores e das sementes
das ervas Eu partilho somente". Paulo: "Aqueles cuja fé é fraca comem somente
vegetais". (Romanos 14)

Remissão dos pecados - Jesus: "Nenhuma oferenda de sangue, de besta,
de pássaro ou de homem pode tirar o pecado. Como pode a consciência ser purgada
de pecado pelo derramamento de sangue inocente?" Paulo: "Com efeito, quase todas
as coisas, segundo a lei, se purificam com sangue; e sem derramamento de sangue
não há remissão (...) O sangue de Cristo, que, pelo Espírito eterno, a si mesmo
se ofereceu sem mácula a Deus, purificará a nossa consciência." (Hebreus 9)


Discriminação da mulher na Igreja - Jesus: "Em Deus o masculino não
é sem o feminino, nem o feminino sem o masculino (...) Deus criou a espécie
humana na divina imagem macho e fêmea (...) Assim devem os nomes do Pai e da Mãe
ser igualmente reverenciados (...) Deixai-os escolher, dentre eles mesmos,
homens e mulheres (...) que exercerão o sagrado ministério". Paulo: "E não
permito que a mulher ensine". (Timóteo 2:14) "A cabeça de todo homem é Cristo; a
cabeça de toda mulher é seu marido." (Efésios 4)
Nada mais verdadeiro que as palavras de Jesus: "Homens de mentes
perversas, por meio de ignorância e malícia suprimirão muitas coisas que vos
tenho falado e atribuirão a mim coisas que nunca ensinei. Porém (...) as coisas
que esconderam serão reveladas (...) e a verdade fará livres aqueles que estavam
presos".


O 233 é fã dos ensinamentos de Paulo, isso está mais do que provado.


SA

quinta-feira, 4 de abril de 2013

Estudo sobre as Experiências de Quase Morte


Pesquisadores da Universidade de Liège demonstraram  que os mecanismos fisiológicos disparados durante EQM levam a uma percepção mais viva, não só de eventos imaginados na história de um indivíduo, mas também de eventos reais que ocorreram em suas vidas! Estes resultados surpreendentes - obtidos utilizando um método original que agora requer mais investigação - foram  publicados na PLoS ONE.(em 27 de março de 2013)






Vendo uma luz brilhante, passando por um túnel, ter a sensação de acabar em outra "realidade" ou deixar o próprio corpo são características conhecidas dos fenômenos chamados  de "Experiências de Quase Morte" (EQM), fatos que as pessoas que estão perto da morte pode experimentar em particular. 

Produtos da mente? Mecanismos psicológicos de defesa? Alucinações? Esses fenômenos têm sido amplamente documentados na mídia e tem gerado inúmeras crenças e teorias de todo tipo. Do  ponto de vista científico, essas experiências são ainda mais difíceis de compreender  pois  estudá-las em tempo real é quase impossível. 

Pesquisadores da Universidade de Liège tentaram  uma abordagem diferente.
Trabalhando em conjunto, pesquisadores do Cience Coma Group (Dirigido por Steven Laureys) e da Universidade de Pesquisa Liège ‘Psicologia Cognitiva’ (Professor Serge Brédart e Hedwige Dehon), olharam  para as memórias de EQM com a hipótese de que, se as memórias de EQM eram somente  produtos da imaginação, suas características fenomenológicas (por exemplo, sensoriais, auto-referenciais, emocionais, etc detalhes) deveriam  estar mais próximas aos de memórias imaginadas. 

Inversamente, se a EQM é  experimentadas de um modo semelhante ao da realidade, as suas características seriam mais perto das memórias de acontecimentos reais.

Os investigadores compararam as respostas fornecidas por  grupos de pacientes. Um grupo  sobreviveu do coma (mas cada um de um modo diferente)  e um grupo de voluntários saudáveis. Eles estudaram as memórias de EQM, as memórias de acontecimentos reais e eventos imaginados com a ajuda de um questionário que avaliou as características fenomenológicas das memórias.

 Os resultados foram surpreendentes. A partir da perspectiva que está sendo estudado, não foram só as EQMs  semelhantes às memórias de eventos imaginados, como também semelhantes  as características fenomenológicas inerentes às memórias de eventos reais (por exemplo, memórias de detalhes sensoriais).   Esses fatos foram ainda mais numerosos nas memórias de EQM do que nas  memórias de eventos reais.

O cérebro, em condições propícias a tais fenômenos que ocorrem, é preso ao caos. Mecanismos fisiológicos e farmacológicos  o perturbam, o exacerbam ou, pelo contrário, diminuem sua capacidade de pensar. Alguns estudos apresentaram uma explicação fisiológica para certos componentes do EQM, como sentir estar  fora do corpo. Isso geralmente é explicado por disfunções do lobo temporo-parietal. Neste contexto, o estudo publicado em PLoS ONE sugere que estes mesmos mecanismos também poderiam "criar" uma percepção - o que, pode ser assim  processado pelo indivíduo como vindo do exterior - da realidade.

O cérebro poderia estar  mentindo para os pacientes, como em uma alucinação. Estes eventos são particularmente surpreendentes e muito importantes do ponto de vista emocional e pessoal. Numerosos estudos têm investigado os mecanismos fisiológicos de EQM, a produção destes fenômenos pelo cérebro, mas, tomados separadamente, estas duas* teorias são incapazes de explicar estas experiências na sua totalidade. 

*As duas teorias as quais o texto se refere é esse publicada pela PloS One e a teoria do lobo parietal provocando alucinações.


Embora existam teorias fisiológicas e psicológicas para explicar os mecanismos da EQM, ainda não há uma que consiga explicar todas as experiências relatadas pelos pacientes, e tampouco o presente estudo oferece uma explicação única para a EQM, mas sua contribuição é em direção de que os fenômenos psicológicos são fatores associados aos fenômenos fisiológicos, e não contraditórios.




Site do artigo original, onde nas referências bibliográficas você pode ler vários artigos sobre o assunto:


SA