quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Apocalipse

Sabe quem foi João de Patmos ou São João de Patmos?
O autor do Apocalipse, parte integrante do Novo Testamento. Acredita-se que também possa ter sido o mesmo João, autor do quarto Evangelho, que foi discípulo de Jesus, mas não se tem certeza. Patmos é uma ilha da grécia, local de banimento (exílio) nos tempos de perseguição romana e até hoje lá existe uma caverna que acredita-se foi usada por João para escrever o Apocalipse.

O fato é que João faz uma leitura econômica, política e social do momento do conflito, explica as causas dele e anuncia como será o fim daqueles dias: a vitória dos que sofriam, do bem sobre o mal. A cada capítulo, o autor procurava passar uma mensagem de conforto que, longe de produzir conformismo, pretendia ajudar o povo a entender aquela situação, resistir e enfrentá-la. Algo como “continue na luta que você vencerá”.



Mais do que o fim do mundo, o Apocalipse de João anunciava, portanto, o fim dos que mandavam no mundo. Acontece que o Apocalipse (apokálypsis, em grego, significa revelação) e outros textos do gênero – que começaram a surgir pelo menos 200 anos antes do de João – são férteis em metáforas e passagens fantásticas. E é esse traço que dá margem a interpretações acerca do fim dos tempos por parte de diferentes correntes religiosas. Personagens e passagens como a besta (que seria, muito provavelmente, o imperador Nero, segundo o Apocalipse de João), o dragão que persegue os descendentes de uma mulher (a Igreja Católica), o cordeiro (Jesus Cristo) enviado dos céus para julgar os homens e os mil anos de paz na Terra vão sendo relidos ao mesmo tempo que fatos históricos, como a ascensão de Hitler, o comunismo, a Guerra Fria e o 11 de Setembro, ganham contornos de sinais do final de tudo. 

Entre os judeus, os textos de caráter apocalíptico se encontram no Livro de Daniel, no Antigo Testamento, e não no de João. Em comum com os escritos seguidos pelos católicos estão, entre outros pontos, a vinda de um juiz, no caso o Messias, e a ideia de que a história caminha para o seu final. A batalha do bem contra o mal, porém, não tem destaque na literatura rabínica.

 Religião monoteísta como o catolicismo e o judaísmo, o islã também conta com uma teologia apocalíptica. Segundo o “Alcorão” e as profecias de profetas como Jesus, Abraão e Mohammad – existem, no total, 124 mil profetas –, Deus daria pequenos sinais (como a banalização da vida e da morte, as mudanças climáticas bruscas e o fato de o homem imitar a mulher na maneira de se vestir) e grandes avisos (a vinda do anticristo, o retorno de Jesus, a grande guerra mundial, a inversão da rotação da Terra e o nascimento do Sol no Ocidente) da proximidade do fim dos dias. Os muçulmanos aguardariam o retorno de Jesus, que eliminaria o anticristo. Um reino de paz se estabeleceria até um novo tempo de injustiças se reiniciar. Cristo, então, morreria e com ele seus fiéis. Na Terra restariam os injustos, que seriam eliminados no fim do mundo.



O “Hallelujah Chorus” é uma obra de coral inteiramente sobre Jesus Cristo. Porém, o “Hallelujah Chorus “, especificamente, é praticamente a trilha sonora para sua suposta segunda visita à Terra. É o fim do mundo como Jesus o conhece: Ele comanda o total extermínio em cima de uma nuvem negra monstruosa enquanto tudo abaixo se colapsa.
Cada peça de música é uma parte da vida de Cristo, do início ao fim até depois do fim. O “Hallelujah Chorus” obteve sua letra a partir do Apocalipse. Estamos todos gritando, enquanto Jesus termina o mundo que nos rodeia. Dizem que quando Handel terminou “Hallelujah Chorus”, foi encontrado chorando. Seu assistente perguntou o que havia acontecido, e Handel respondeu: “Eu pensei ter visto o rosto de Deus”. 
Anuncia também  a segunda vinda como O Reino Eterno do Cordeiro( coro “Worth is the Lamb”).
A música é linda, divina. Arrepiante.  Handel  era um gênio... 
SA

Baseado em: http://www.istoe.com.br/reportagens/184615_O+APOCALIPSE+SEGUNDO+A+BIBLIA+

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Os riscos do Espiritismo

Os riscos do Espiritismo

Integralmente do site: http://hypescience.com/espiritismo-transtorno-mental/
Autora do texto: Fernanda Marinho (farmacêutica)


Há muito tempo o assunto espiritismo versus transtornos mentais vêm sendo destaque em muitas discussões infinitas e polêmicas. Realmente, é complexo falar ou escrever sobre assuntos que envolvam diversas opiniões e pontos de vista.
Portanto, antes de qualquer coisa, deixo claro aqui que não estarei defendendo nem contrariando nenhum tipo de crença, visto que o propósito aqui é a preocupação com os portadores destes transtornos diante destas situações conflitantes as quais, muitas vezes, sem querer, eles são envolvidos. Pense agora, como se você fosse portador de um transtorno mental ao qual um dos sintomas é alucinação, (pode ocorrer na esquizofrenia, por exemplo).
Um dia você sai de sua casa para o trabalho, como de costume, e ao voltar para sua casa percebe algo estranho no seu quarto. Um vulto que rapidamente passou próximo a sua cama. E fica, a princípio, muito assustado, mas deixa passar, por que imagina que pelo cansaço deva estar “imaginando coisas”. Pois bem, no outro dia, quando acorda, percebe que ao fazer o café sente um calafrio, e aquela sensação de medo do dia anterior, volta a perturbar.
Agora, você começa a ficar inseguro, pois, até então, não costumava sentir medo dentro de sua própria casa. Sendo assim, ao ir para o trabalho, comenta com um amigo o que vêm ocorrendo, e este, assim que você termina de explicar, o encaminha para um “centro de espiritismo” (poderia ser qualquer outro local, de acordo com crença de cada um). Você vai, pois acredita que possa realmente ser algo “do além da imaginação” que o esteja confrontando.
Depois de ter frequentado por sete dias o local, e ter praticado as orações, percebe que apesar de estar mais calmo, às vezes continua tendo as mesmas sensações de medo, agora acompanhadas de certo tipo de desconfiança. É como se aquele vulto o quisesse prejudicar. Sendo assim, você decide ir ao psiquiatra, já que a situação tem ficado próxima do insuportável. Chegando a consulta, explica detalhadamente ao médico todos os acontecimentos e responde a um pequeno questionário com conteúdo especifico para portadores de transtornos mentais.
Ao final da consulta, o médico conclui que realmente você vem tendo descargas emocionais de alto peso, além de morar sozinho e não poder contar com o apoio familiar em muitas situações de sua vida, e que estes fatos o sobrecarregaram, ocasionando um transtorno mental.
Você finalmente consegue olhar para si mesmo, e enxergar a sua vida. Seria um espírito maligno, ou seria um peso muito grande que você não estava mais conseguindo suportar sozinho?
Entendem como é complicada a relação entre o espiritismo e o transtorno mental? É claro, que quando a pessoa tem fé, e, portanto, tem algo com o que possa contar e se apoiar, fica mais fácil suportar os “pesos da vida”, mas se ela não olhar para si mesma, e observar o que está fazendo com sua mente e vida, talvez as consequências sejam graves demais para suportar sozinha.
______________________________________________________________________

A autora do texto, apesar de afirmar no segundo parágrafo que   "não estarei defendendo nem contrariando nenhum tipo de crença", claramente cita somente a influência do Espiritismo como principal responsável pelo possível mascaramento de um problema mental.
Se a pessoa em questão fosse encaminhada para uma igreja Evangélica (ou se fosse Evangélico), com certeza o pastor diria que é um demônio. Se fosse encaminhada para uma igreja Católica (ou se fosse católica) possivelmente seria aconselhado a pedir missas por alguma alma sem paz.
Se a pessoa fosse encaminhada direto para um neurologista ou psiquiatra, seria entupida de medicação de tarja preta e sessões de psicanálise para que se curasse de sua alucinação. É um fato bastante controverso.
O mesmo ocorre na odontologia. Se um paciente extraiu um molar há anos e o dente vizinho migrou para o espaço anteriormente ocupado por ele, mas não preencheu o espaço, estando meio cá e meio lá, meio torto, meio inclinado, meio  feio, qual a solução?
Se procurar um ortodontista, que é meu caso, eu aconselharia a colocar um aparelho fixo e alinhar o dente na arcada.
Se procurar um implantodontista, ele poderá aconselhar  até a extrair o dente para colocar um implante, afirmando que o molar não está bem, problemas periodontais, estética feia, etc.  E desaconselharia o tratamento ortodôntico por ser tratamento longo.
Se procurar um outro profissional, talvez aconselhe a fazer um canal e a colocar uma prótese.
O conselho é dado conforme o meio em que vive quem aconselha.
No caso dito acima, em que a pessoa vê vultos, a culpa não é do Espiritismo e nem de nenhuma religião. O problema está na pessoa. Seria stress? Preocupações excessivas?  pode ser até causado por uma medicação que está sendo tomada atualmente pela pessoa.
Outro dia eu pensei ter visto uma freira de hábito branco na sala de minha casa. Era domingo à tarde, e eu estava lendo uma revista. Levantei os olhos da revista e me pareceu ver uma freira. Algo que durou segundos. Foi muito rápido. Pude até ver um cordão branco na cintura da imagem que vi. Uma senhora idosa.
Não tive medo. Fiquei só pensando porque haveria de ter visto uma freira, sendo que não havia pensado em freiras? Seria Irmâ Josefa?
Acabei por esquecer o que tinha visto. Comentei com o 233.
A melhor solução seria procurar um médico e depois auxílio da religião. Sem extremismos. 

SA

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Poesia Contemporânea

Por Paulo Santoro


Algum poeta alguma vez disse alguma coisa como "não há arte revolucionária sem linguagem revolucionária". Essa frase é apenas de efeito (a lógica pode desmascarar frasismos) ou deve ser vista como parâmetro realmente funcional para a avaliação de percursos artísticos?
O mercado cultural barateou os dignos nomes de cada arte, esvaziando sua estética, e o criador autêntico sabe que deve contrapor-se a isso. Parece-me consciente, por exemplo, a revolução de Brecht, que inovou e sempre se dispôs a formar e informar seu público, trazendo-o realmente à reflexão. Sua "revolução" participava um conteúdo de sensível relevância.
Mas muita poesia que tem sido feita hoje — com base em impressões supérfluas do cotidiano, palavras esparramadas e muito desejo de concisão astronômica — relega ao leitor um papel subalterno de desvendador de quebra-cabeças miúdos. O leitor não forma seu bom gosto pela estética formal, nem se informa pelo conteúdo: cabe-lhe admirar o maneirismo lacunoso do rabiscador de letras minúsculas em poemas de caixa-baixa.
Ocorria o contrário com nossos últimos "papas". João Cabral e Drummond são espetaculares porque uniram, a um trabalho formal peculiar e enriquecido, conceitos humanos de importância. Severas críticas modernas à sociedade em nosso século foram armadas pelos concretistas originais. Se João Cabral ou José Paulo Paes exigem às vezes que o leitor dedique-se para alcançar suas idéias, os louros conquistados pelo vencedor acabam como bastante concretos em seu espírito. Seu leitor não é um ser inferior.
O que aconteceu? Para sobreviver neste mundo em que o capitalismo "venceu" — para sobreviver como ideólogo mesmo, não como ser físico — o poeta contemporâneo tem precisado apoiar-se numa profunda egolatria. Se não se auto-enganar (utilizando aqui a análise de Eduardo Gianetti), cerrará as portas de seu botequim de poesia e procurará outra coisa para fazer. Enquanto os capitalistas lideram no mercado das artes com seus padrões rígidos de execução (isso vale para cinema, música, literatura, teatro), certos poetas (profissionais ou amadores — como discerni-los, num mercado tão restrito e de tanto prejuízo?) precisam se resguardar numa ebúrnea torre de arrogância.
Entretanto a aflitiva precipitação desses poetas a tudo que pareça ruptura formal perde-se no curioso engano dos retardatários: um modelo já usado apenas parece inovador, mas não revoluciona mais, o que só deverá ser percebido no momento de historiarmos esta fase.
Em que período literário vivemos? O dos epígonos do concretismo!

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Erros no Telecurso 17 de Matemática



Antes de mais nada, o crédito desse comentário pertence ao Adilson, colaborador do Blogue da Selma, que encontrou no YouTube o vídeo que foi exibido na Globo às 5:30 hs da manhã de 20/02/2013. Eu pedi ajuda à Central Globo de Relacionamento bem como à Fundação Roberto Marinho para localizar o vídeo, mas nenhum dos dois se prontificou em me responder.

De acordo com o Wikipedia, o Obelisco de São Paulo tem uma altura de 72 metros, mas na tele aula foram apresentados três artistas que usaram o teorema de Tales para calcular outra altura: 112,50 metros.

Eles pegaram um pau de 1 metro, e mediram a sombra dela de 1,25 metro.

Eles mediram a sombra do obelisco de 90 metros.

E usaram a clássica regra de três, inventado por Tales em 6 A.C. A sombra do pau está para a altura do pau, assim como a sombra do obelisco está para a altura do obelisco, o famoso x da questão. Assim temos:

1,25 / 1 = 90 / x -> simplificando, temos x = 90 / 1,25, o que dá 72 metros, mas o tele curso calculou 112,50 metros, ou seja, ao invés deles dividirem a sombra do obelisco com a sombra do pau, eles multiplicaram, ou seja, ninguém seguiu o primeiro teorema de Tales que reza para fazer a prova dos nove pelo menos três vezes.

Outro erro crônico da tele aula é a trena de noventa metros, coisa que não existia em 6 A.C. e muito menos em 2013 D.C., o máximo que você encontra é uma trena de 10m, o programa não explica de onde surgiu essa trena bem dotada.

Outro erro crônico é que eles desprezaram o movimento dos corpos celestes. No tempo de Tales, os astros giravam em torno da Terra, é o que o pessoal chamava de teocentrismo. Depois do fiasco da Nasa em 1969, o pessoal começou a adotar o heliocentrismo, após a declaração de Armstrong de que é a Terra que gira em torno do Sol. Não importa quem gira em torno de quem, é possível que o Sol e a Terra girem em torno da Lua, isso só será possível de verificar quando conseguirmos colocar uma nave fora da órbita da Terra, mas de acordo com o Sr MB, isso não é possível de ser feito, por mais que a Petrobrás subsidie o combustível. Na tele aula, os três artistas mediram primeiro a sombra do pau, e depois mediram a sombra do obelisco, quando o correto é medir as duas sombras ao mesmo tempo, para evitar que o movimento dos corpos celestes alterem o resultado.

E finalmente o tele curso desprezou completamente o teorema de Tales, a regra de três só funciona se a sombra do pau e a sombra do obelisco estiverem em sentido paralelo, o que não é possível de ser feito em São Paulo, pois todo o terreno é torto.

Para corrigir esse problema, eu gostaria de sugerir à Fundação Roberto Marinho a convidar o Sr MB, usá-lo numa catapulta do tempo do Tales, lança-lo no topo do obelisco, e de lá o Sr MB solta um barbante, e depois de esticado, o Sr MB corta o barbante. Eu só não sei como tirar o Sr MB do topo do obelisco.

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Voobys

O Adilson me orientou a buscar o telecurso sobre o Teorema de Tales no YouTube, e fiquei imaginando como copiar o vídeo no meu celular no formato mp4 para apresentar ao meu irmão. Usando o Google, encontrei a seguinte resposta.

Imagine que você está vendo a Ivete Sangalo e a Paula Fernandes nesse endereço:

http://www.youtube.com/watch?v=NydhvZUXUsg

Para você baixar o vídeo no seu PC, mude a palavra "youtube" para "voobys", assim:

http://www.voobys.com/watch?v=NydhvZUXUsg

Você vai receber o alerta de que o seu PC ficará vulnerável ao usar esse aplicativo, e ele só vai executar o programa se você assumir o risco por conta própria. Apesar da mensagem ser bastante ameaçadora, essa é forma mais fácil que eu encontrei para baixar o vídeo.

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Paula Fernandes e a Santa Inquisição


Paula Fernandes diz que é espírita e enfrenta protestos


No dia 21 de janeiro, Paula Fernandes participou do programa "Show Business" da Band, durante a entrevista ela afirmou que é espírita, porém, segundo matéria publicada no "F5" nesta quarta-feira (20), muitos fiéis da Testemunha de Jeová se revoltaram e pediram um boicote do trabalho da cantora.


No programa, a cantora sertaneja disse ao apresentador João Doria Jr. que: "Tenho comigo que só a doutrina espírita ou algo ligado a isso justifica muitas coisas que eu sinto, meu dom. Eu acho que a gente nunca está sozinho, eu não componho sozinha"

Após a declaração, alguns fãs evangélicos começaram uma revolta nas redes sociais. "Agora descobri a porta que eu mesma tinha aberto para satanás, destruí prontamente o DVD que tinha dela", publicou um usuário do Facebook, segundo o "F5".

Na terça-feira (19), Paula Fernandes se manifestou no seu perfil no Twitter. "O que a bíblia prega? Respeito ou preconceito? Viva a liberdade de expressão!", postou a cantora.

Veja a  Reportagem no  YAHOO

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------
É impressionante e imperdoável  que no ano de 2013 existam pessoas que acreditam que uma determinada pessoa tem que ser "boicotada"  pela religião que tem.  Não estamos na idade Média, a idade das Trevas e da ignorância.
O boicote partiu das Testemunhas de Jeová e dos Evangélicos, sendo que um Evangélico do twitter  até teve coragem de destruir o DVD que havia comprado. 
J. J. Rousseau disse que "todo homem nasce bom, é a sociedade que o corrompe". Para alguns Evangélicos (sei que não são todos) , todos nascem bons e  é o diabo quem os corrompe... Essa deveria ser a frase...
Outro dia li que lá na Nova Guiné queimaram uma moça viva porque foi acusada de feitiçaria. Achei um absurdo, mas parece que a mentalidade aqui no Brasil está mais ou menos próxima disso. Se pudessem queimariam a Paula Fernandes.  Sua canção, sua voz e beleza merecem menos atenção porque ela é Espírita? Ou seja lá o que for? E que satanás é esse que mora no DVD da moça?


*Já adianto que não sou fã de música sertaneja, mas admiro a beleza e a voz de Paula Fernandes.
*Também adianto dizendo que  acredito que nem todos os Evangélicos e nem todas as Testemunhas de Jeová partilham do mesmo pensamento.

SA

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Como cuidar da alma?

Estava ouvindo o rádio, na tentativa de pescar um sono merecido, mas acho que estou com febre ou está calor demais, e não consigo dormir. Mas aqui eu deixo o meu elogio à equipe do Bispo Edir Macedo. Eles vão montar a escola do amor lá na zona leste de São Paulo, esqueci o endereço, eu sei que é às 17:00, um horário bem complicado, no dia 28 de fevereiro de 2013. Eles prometem ensinar pessoas solteiras como eu a se preparar para viver a dois, e no programa eles colocaram vários casais que saíram felizes, depois de frequentar a escola. Ouvi várias histórias de casais que estão casados há mais de três meses, que lindo!

A seguir escutei outro convite que me deixou bastante emocionado. O locutor perguntou qual o bem mais precioso que você tem na sua vida? Eu logo pensei no meu celular. É seu patrimônio? continuou o locutor. É sua família? É sua alma? As pessoas e os bens patrimoniais passam ao longo do tempo, e o que fica é a alma. Logo, você faz melhor se investir na sua alma. Você não tem como cuidar do seu carro a todo momento, uma hora você terá de deixar na mão do manobrista. O mesmo acontece com o seu bebê, não há como cuidar dele o dia todo, uma hora você terá de deixa-lo na mão da babá. O mesmo acontece com a sua alma. E assim o locutor convida para deixar a sua alma nas mãos do bispo Edir Macedo. A seguir vem aquelas canções dos anos cinquenta, bem conveniente para quem tenta dormir altas horas da madrugada.

No tempo do UOL, havia um vídeo que o pessoal repetia copiosamente, mostrando o Bispo e o seu carisma com os seus discípulos, falando da estratégia de nunca vacilar diante de um fiel. Você precisa botar o fiel contra a parede, e arrancar tudo dele para deixar nas mãos seguras de Jesus. Nenhum padre tem a menor chance de competir com o Bispo Edir Macedo, mas a minha alma ficou lá atrás, na cidade de Campinas. Aqui em São Paulo, eu sou apenas uma enorme barriga empurrado pela agenda do meu celular, eu fico quase sempre irritado, quando não consigo liquidar as minhas tarefas, e mais irritado ainda quando aparecem muitos outras tarefas que não esperava, nunca consigo liquidar as pendências passadas, presentes e futuras.

Claro que muitas vezes junto as mãos, e lembro da minha alma que deixei lá atrás. O correto é eu voltar a Campinas e resolver de vez esse problema, mas a minha intuição é mais forte e me pede para deixar onde está. Não há como parar o tempo e nem a vida, mas a alma eu deixei lá em Campinas, o melhor de mim deixei para trás, e certamente serei um péssimo aluno na escola do amor do Bispo. Aliás, conhecendo a reputação do Bispo, o meu medo é perder o celular e eu ficar sem mais nada. Pelo menos eu posso me vangloriar de psicografar as minhas próprias palavras, sem ter alma nenhuma.

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Uma visita ao Sr MB

A minha mãe me ligou de tarde, apavorada, disse que o chão se mexeu. Foi exatamente às 17:20 hs. Ela pensou que era um terremoto, mas foi a laje do vizinho que despencou. Isso eu ouvi há um mês no bar da esquina, eu ouvi um comentário de que a construção estava muito mal feita, faltava escoramento, faltava coluna para distribuir peso, enfim, a voz do povo é a voz de Deus. E tem mais: o telefone da sala não está mais funcionando.

Ao chegar de noite, a primeira coisa que eu fiz foi tirar a bateria do telefone. Não adiantou. Mas logo percebi que a tecla 7 estava bem afundada, ajeitei a tecla e coloquei no lugar. Fiquei imaginando que a minha mãe conversou com um dos meus irmãos, querendo falar do tal terremoto, e apertou com muita força a tecla 7.

Depois de um banho, fiquei pensando no comentário maldoso que o Sr MB colocou no Blogue da Selma, o de que sou um petista roxo.

Assim, fiquei imaginando eu indo para Caxias do Sul, para mostrar ao Sr MB o que exatamente eu tenho de roxo. Vejo a porta de entrada, e ele me recebe com um forte abraço. Mas a mulher dele não está lá, ao invés disso apareceu um baita de um afrodescendente, forte e mal encarado, que recebe a seguinte a orientação "Não deixe o Frank sair sem a minha autorização".

Claro que fiquei com medo, e a minha primeira providência foi pedir licença para usar o banheiro.

Depois de me recompor, comecei a conversar com o Sr MB. "Olá, Sr MB, para início de conversa, eu não sou petista roxo. Mas depois que fui no banheiro, a única coisa que eu tinha de roxo, ele ficou branco, logo não tenho como convencê-lo de que não sou petista. Logo, para não perder a minha viagem, queria saber como vive um aposentado que ganha R$ 7.000,00 por mês".

O Sr MB deu o clássico sorriso Hehehehe... pegou a sua guitarra, botou o som a 60 decibéis, e quando começou a tocar, ele apertou um dispositivo que saia um monte de fleche de luz que chegava até o teto da sala, todo forrado de gesso. E alguns minutos de muita barulheira, um monte de fumaça tomava conta da sala, aquilo ardia a minha garganta e me fazia sentir enjoo. Eu só queria vomitar.

Então, veio uma pergunta: para onde vou? Vou para o banheiro vomitar ou tento convencer o segurança de que o Sr MB precisa de cuidados médicos?

domingo, 17 de fevereiro de 2013

O impossível

Eu confesso que sou mais celulótra do que católico, apesar do Padre José ter gasto várias horas, ensinando que a prioridade de todo católico é buscar o Reino de Deus ou fazer a vontade do Pai (Aquele que está nos céus). Já o Adilson acha uma heresia chamar alguém de Papa ou Padre, é fazer pouco caso dos ensinamento do maior profeta de todos os tempos. Seguindo a lógica do Adilson, deveríamos chamar o Papa de o Grande Filho da Mãe, o padre de o Pequeno Filho da Mãe, e os demais de filho da mãe, tudo em minúsculo. Mesmo assim, não importa como você chama o chefe dos chefes de todos os católicos do mundo, o importante é que ninguém irá a Jerusalém Celestial ou ao Lago do Enxofre, caso você não tenha sido incluído na lista de Deus.

Mas aonde encontrar a lista de Deus? Isso o Adilson não falou. Eu presumo que seja a Bíblia, a primeira que foi editado na mesma língua usado por Jesus, em aramaico. Se você encontrar o seu nome em aramaico na Bíblia original, certamente o seu lugar estará garantido, seja à direita ou seja a esquerda dEle. Ou seja, o Adilson questiona a eficácia dos sacramentos, rituais inventados ao longo desses 2.013 anos por vários papas e teocratas da nossa Santíssima Igreja, o mais conhecido é quando o padre joga água na sua cabeça. A minha bíblia é digital e não é aramaico, e lá eu vi João Batista comentando a besteira que é o ritual do batismo, mas Jesus disse que alguns rituais tem que ser seguidos à risca, dando a entender que o Senhor dos Exércitos gosta mais da formalidade do que a improvisação dos nossos corações. Eu acredito que esse é o texto que fundamenta os rituais católicos, eu não sei, eu não sou tão estudado quanto o Sr Adilson. Acredito que a Igreja Católica sincretizou a cultura romana, e graças a isso conseguimos chegar à Revolução Burguesa e a Revolução Industrial, e assim temos os nossos "direitos" garantidos através das nossas leis humanas. Ou seja, se hoje o sr MB recebe R$ 7.000,00 por mês a título de aposentadoria, isso ele deve à sacramentalização do direito adquirido que a Igreja Católica ensinou à humanidade em todas as missas.

Ou seja, se a Igreja Católica falhou feio ao trazer o Reino dos Céus na Terra, pelo menos, ela inventou a burocracia. E esse é o tema da minha crônica de hoje.

Nessa semana, peguei vários filmes do César no Shopping Popular de Diadema, e o que me chamou a atenção foi O Impossível, um filme espanhol distribuído pela Paramount. É uma família que passa as férias do Natal de 2004 numa das ilhas da Ásia, um pai, uma mãe e três crianças. O cenário do tsunami é fantástico, todos somos dependentes da água, mas em excesso, isso é uma tragédia. Ao longo do filme, a família conseguiu sobreviver, mas todos estavam espalhados, mas no final eles conseguiram se encontrar. O final do filme é que deixa qualquer um de boca aberta. Apareceu um senhor de maleta na mão, dizendo que o serviço do Convênio Médico iria cobrir tudo, fretou um Boeing 737 só para resgatar aquela família e leva-los para Cingapura. Um Convênio Médico que funciona assim é realmente O Impossível.

Mas, enfim, apesar do fracasso milenar da Igreja Católica em trazer a lista de Deus para a Terra, vamos torcer para que os nossos concorrentes consigam arrancar a famosa lista das mãos de Deus, principalmente porque ninguém mais aguenta o Adilson e o Esio falarem mal da nossa santíssima Igreja. A Igreja Católica é auto-suficiente, ela tem os seus problemas, o suficiente para ver os seus tijolos desmoronarem depois de tantos anos ininterruptos de missas, batismos, casamentos, e um monte de unções. Não entendo a pressa do Adilson, será que foi só isso que ele aprendeu na sua bíblia aramaica?

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Esio Lopes e o Facebook





NENHUMA RELIGIÃO E MAIS AMOR QUE É A GRANDE RELIGIÃO! A MAIOR DE TODAS! A ÚNICA!!! Esio Lopes.







  • Luiz Alberto Paiva MENOS RELIGIÃO, MENOS MENTIRAS DOUTRINÁRIAS ESPIRITA COMO A REENCARNAÇÃO, MENOS MENTIRAS DOUTRINÁRIAS CATÓLICA COMO O PURGATÓRIO, MENOS DEVOÇÃO AOS IDOLOS....MAIS CRISTO JESUS COMO UNICO SENHOR, SALVADOR, MEDIADOR, ADVOGADO DE NOSSOS PECADOE E REI DOS REIS.
  • Sonia Araújo Credo... Porque esse ódio do espiritismo e do catolicismo? As religiões foram feitas para o amor e não para o ódio.

    • Esio Lopes SÔNIA - POR FAVOR NÃO ALCUNHE O ESPIRITISMO COMO RELIGIÃO. ELE É UMA DOUTRINA PROMETIDA POR JESUS, QUE VEIO COMO O CONSOLADOR PROMETIDO. UMA DOUTRINA CONSTITUIDA POR 3 CONJUNTOS: FILOSÓFICO; CIENTÍFICO; E MORAL. SEM ESSA DE RELIGIÃO!!! Esio Lopes.







terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

O crime entrou em campo

O seguinte texto tem acesso restrito pelo PC, mas o acesso é livre pelo smartphone:

O Estado de S Paulo

Paixão popular no mundo inteiro, o futebol não é isento de denúncias de corrupção. Já na transição do amadorismo para o profissionalismo, ele é tema de extenso folclore contendo casos como o do dirigente de um clube que prometeu pagar ao goleiro do adversário certa quantia por gol tomado e, após o quinto, avisou-lhe que o trato não valia para os próximos. Tendo esse esporte se transformado num negócio muito próspero, a manipulação de resultados de partidas se tornou relativamente comum. E as quantias envolvidas, cada vez maiores. Ainda assim, os dados revelados no último escândalo divulgado impressionam: quase 700 jogos - 380 em 15 nações europeias e mais de 300 na América do Sul, América Central, África e Ásia, inclusive no Brasil, na Copa dos Campeões da Europa e nas eliminatórias para a Copa do Mundo - estão sob investigação do Serviço Europeu de Polícia (Europol).


Os policiais calculam que na Europa, onde se concentra a elite do futebol mundial, a máfia devassada pagou 2 bilhões (R$ 5,4 milhões) em propinas e recebeu 8 bilhões (R$ 35 bilhões) em prêmios de loteria e apostas feitas pela internet. "Nunca vimos uma rede tão grande de criminosos no futebol. Trata-se de uma operação sofisticada e uma evidência clara de como a corrupção invadiu o esporte", comentou o diretor do Europol, Rob Wainwright.

O esquema devassado baseia-se na compra de jogadores, árbitros e dirigentes para assegurar resultados de interesse de apostadores. Jogos de pouco destaque no noticiário esportivo estão sob suspeita. O trio que apitou um amistoso entre seleções sub-20 da Argentina e da Bolívia em 2010 deu à partida um acréscimo de 13 minutos sem razão aparente. E o juiz ainda marcou um pênalti inexistente para garantir a vitória dos argentinos. Pelo menos um jogo válido pela Copa dos Campeões na Inglaterra, dois das eliminatórias para a Copa da África e um na América Central estão sendo investigados. De acordo com os investigadores, além de obter lucros milionários, os bandidos também usam a fraude para lavar dinheiro ilícito obtido na venda de entorpecentes.

Esta é a principal diferença entre o escândalo denunciado esta semana pelo Europol e outros ocorridos em passado recente. Em 2006, a descoberta da manipulação de resultados no futebol italiano resultou no rebaixamento da tradicional Juventus de Turim para a segunda divisão do campeonato nacional. No ano passado, esquema similar foi denunciado no mesmo país, cuja seleção já conquistou quatro Copas do Mundo da Fifa.

No Brasil, também não é incomum o registro de casos escabrosos. Há 30 anos, quando a Loteria Esportiva era uma mania nacional quase igual à paixão pelo próprio futebol, a revista especializada em esportes Placar revelou que jogos que constavam das cartelas de aposta tinham resultados alterados à base do suborno de seus participantes. Em 2005, outra revista, a Veja, denunciou a chamada Máfia do Apito, sob o comando de Edilson Pereira de Carvalho, acusado de chefiar uma quadrilha de árbitros venais. Das investigações feitas após a reportagem resultou a anulação de 11 jogos do Campeonato Brasileiro.

Só que a corrupção não se limita ao que ocorre dentro das quatro linhas que delimitam o gramado. Também prospera nos escritórios de um negócio que movimenta fortunas em transferências e contratos de craques e treinadores. E em quantias vultosas investidas em publicidade na transmissão pela televisão de torneios acompanhados por bilhões de espectadores pelo mundo inteiro. Recentemente, Ricardo Teixeira foi apeado da presidência da CBF sob suspeita de enriquecimento ilícito. E a revista francesa France Football revelou que dirigentes da Fifa teriam recebido propina para escolher o Catar para sediar a Copa do Mundo de 2022.

O combate a essa praga deve começar pela transparência na contabilidade de clubes, federações, confederações e da Fifa, entidades privadas em que dirigentes reinam por anos a fio, sem a obrigação de prestar contas de suas gestões.

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Precisa-se de um Papa


"Convoquei-vos para este Consistório não só por causa das três canonizações, mas também para vos comunicar uma decisão de grande importância para a vida da Igreja. Depois de ter examinado repetidamente a minha consciência diante de Deus, cheguei à certeza de que as minhas forças, devido à idade avançada, já não são idôneas para exercer adequadamente o ministério petrino. Estou bem consciente de que este ministério, pela sua essência espiritual, deve ser cumprido não só com as obras e com as palavras, mas também e igualmente sofrendo e rezando.

Todavia, no mundo de hoje, sujeito a rápidas mudanças e agitado por questões de grande relevância para a vida da fé, para governar a barca de São Pedro e anunciar o Evangelho, é necessário também o vigor quer do corpo quer do espírito; vigor este, que, nos últimos meses, foi diminuindo de tal modo em mim que tenho de reconhecer a minha incapacidade para administrar bem o ministério que me foi confiado. Por isso, bem consciente da gravidade deste ato, com plena liberdade, declaro que renuncio ao ministério de Bispo de Roma, Sucessor de São Pedro, que me foi confiado pela mão dos Cardeais em 19 de Abril de 2005, pelo que, a partir de 28 de Fevereiro de 2013, às 20h, a sede de Roma, a sede de São Pedro, ficará vacante e deverá ser convocado, por aqueles a quem tal compete, o Conclave para a eleição do novo Sumo Pontífice.

Caríssimos Irmãos, verdadeiramente de coração vos agradeço por todo o amor e a fadiga com que carregastes comigo o peso do meu ministério, e peço perdão por todos os meus defeitos. Agora confiemos a Santa Igreja à solicitude do seu Pastor Supremo, Nosso Senhor Jesus Cristo, e peçamos a Maria, sua Mãe Santíssima, que assista, com a sua bondade materna, os Padres Cardeais na eleição do novo Sumo Pontífice. Pelo que me diz respeito, nomeadamente no futuro, quero servir de todo o coração, com uma vida consagrada à oração, a Santa Igreja de Deus."

Fonte: http://www.estadao.com.br/noticias/vidae,leia-integra-do-anuncio-de-renuncia-do-papa-bento-xvi,995197,0.htm

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

O mundo vai acabar em 2020


Info: Tempestade solar catastrófica pode atingir a Terra

São Paulo - Uma enorme tempestade solar pode atingir a Terra na próxima década. A chance de isso acontecer é de 12% e pode causar danos de trilhões de dólares a humanidade.

Trata-se de um evento de proporções raras. Erupções solares responsáveis por causar tempestades na Terra são comuns, mas essa que acontecerá em 2020 deve ser parecida com a Carrington Event, que aconteceu há mais de 150 anos.

Foi o evento mais poderoso já registrado. Ele aconteceu em 1 de setembro de 1859. Naquela manhã, o astrônomo Richard Carrington viu um clarão enorme que rompeu da superfície do sol e emitiu um fluxo de partículas na Terra viajando mais de 4 milhões de quilômetros por hora.

A estimativa da próxima tempestade solar catastrófica foi feita pelo físico Pete Riley, cientista sênior do Predictive Science, em San Diego, California. Riley conseguiu medir a chance de uma enorme tempestade solar ao olhar para bancos de dados históricos e calcular a relação entre o tamanho e a ocorrência das explosões solares. A pesquisa foi publicada na Space Weather, no dia 23 de fevereiro.

O Sol tem ciclos de atividade de aproximadamente 11 anos, com períodos mais intensos. As tempestades são causadas pelas manchas solares, regiões onde há uma redução de temperatura e pressão das massas gasosas no Sol, relacionadas ao seu campo magnético.

Além disso, quando as partículas elétricas liberadas nas explosões solares atingem o campo magnético da Terra, ficam retidas, o que provoca a intensa luminosidade no céu. Porém, apesar da aurora boreal ser muito bonita, as partículas carregadas podem causar estragos em sistemas elétricos.

Na tempestade de 1859, por exemplo, postos de telégrafo pegaram fogo, as redes tiveram grandes interrupções. Também foram registrados distúrbios no campo magnético da Terra. Portanto, quanto maior a quantidade de manchas solares, maiores são as explosões e as consequentes interferências na ionosfera terrestre, onde ficam as ondas de rádio, por exemplo.

A próxima tempestade solar pode destruir os computadores, derreter os circuitos integrados e causar falhas massivas de discos rígidos. Também pode acontecer um colapso nos sistemas de comunicação, nos automóveis e na aviação.

Somente nos EUA, o dano de uma tempestade nessas proporções pode ser entre 1 e 2 trilhões de dólares no primeiro ano. A recuperação completa de todos os danos causados pode demorar de 4 a 10 anos, de acordo com um relatório de 2008 do Conselho Nacional de Pesquisa.

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Perguntar ofende

Você é virgem?

Essa é uma clássica pergunta que ofende qualquer tipo de rapaz, não importa se ele é adolescente, adulto ou idoso. Para evitar um confronto imediato, existem vários truques. O mais clássico é contar até dez, mentalmente, e em seguida lembre da grande dica de Jesus, o de dizer ao seu interlocutor o que você gostaria de ouvir dele, do tipo: Hoje vai ser um bom dia, o melhor de nossas vidas, tudo vai dar certo! Mas, não exagere, não dê espaço para o seu interlocutor perceber que você está tirando a maior onda da cara dele.

Nesse blog temos vários exemplos de perguntas ofensivas. Tem um camarada aí que detesta as pautas que eu abro, a maneira como escrevo, e ao invés de comentar o meu texto, ele pergunta do meu orgulho. Vocês nem imaginam para onde vai a minha auto estima, quando vejo um negócio desses, mas, enfim, eu consigo me segurar. O pessoal da Paróquia me ensinou a ficar em silêncio, continuar a escrever, e fingir que não li o que machucou o meu amor próprio. Ou, de vez em quando, respondo com um "Bom dia ao Sr também", se bem que fica evidente que eu quis desconversar.

Enfim, o silêncio é a melhor saída. A princesa sempre soube que eu fiquei caidinho por ela, sempre que a convidava para sair, ela era só um sorriso, e não mais que isso. E foi o silêncio dela é que acabou gravando a imagem dela na minha cabeça. Jamais saberei qual foi a importância que eu tive na vida dela, pois tudo o que ela deixou foi um silencioso sorriso, e não aquele sorriso sarcástico que o Sr MB gosta de mostrar assim Hehehehe...

Mas, por quanto tempo, um ser humano pode suportar um sorriso silencioso? No meu caso, só consegui quatro anos, depois voltei para São Paulo, chorei, mas chorei à beça, por não saber o que representava aquele silêncio, mas enfim São Paulo é um ótimo lugar para você deixar de viver e sonhar.

Ledo engano. O meu irmão entrou na sala, disse que estava frito. "O Sr Vicente mostrou a espingarda dele e disse que vai me matar se não casar com a filha dele". Pensei que ele estivesse brincando, mas não estava não. E num piscar de olhos, ele estava no Japão, e eu lá na maternidade, olhando para a minha primeira sobrinha, que menina linda!

E num piscar de olhos percebi que passaram mais de vinte e quatro anos, e a minha sobrinha me pediu um catálogo de tintas, eu só espero que ela não me peça um pintor, pois eu detesto lixar parede, passar massa corrida, sujar a roupa de tinta, mas enfim eu não perguntei nada para ela, e espero que ela não pergunte nada para mim. Após tanto tempo de convivência, acho que ela aprendeu que o silêncio é um método bastante eficiente de deixar de resolver problemas. Não é bom viver sem uma princesa, mas foi muito bom viver com uma sobrinha. Ela se formou, tem o seu registro na OAB, e tudo indica que ela vai tentar a vida no escritório com o seu namorado, que também é advogado. Se eles vão se casar ou não, isso eu não sei: aqui, sigo o exemplo do pai da princesa, que me viu conversar com ela, mas foi logo se esconder lá na cozinha.

Enfim, todo esse monólogo é porque compartilho a dúvida que um desses administradores enfrenta no Google. Ao invés de perguntar sobre o destino do Google, eu deixaria para as moscas resolverem. Porque perguntar ofende.

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Frederick von Stein existiu?



 Relato auto-biográfico do Dr. Frederick Von Stein.
(Psicografia)

Numa noite, com várias autoridades do Primeiro Reich, na Alemanha quando me dirigia para minha residência, o carro em que vínhamos foi alvejado por aviões inimigos.
Fomos lançados, quase mortos, a longa distância. Sofri, meus irmãos, quase dois dias, jogado num pântano! Minha maleta com medicamentos estava longe não podendo eu dar termo a meus sofrimentos, pois continha injeções de cicuta, onde eu, com aquela pequena dose eliminaria minha vida, desencarnando. Sofri 3 longos dias, para mim, com a perna gangrenada por ferimentos à bala, no Pantanal. Quando fiz a passagem para o verdadeiro mundo e dei por mim, encontrava me em tremenda escuridão, com gemidos, ranger de dentes e odor nauseabundo!
De repente, verificava pequenas luzes que se aproximavam; vim a saber , depois, que eram espíritos de luz que vinham trazer, àqueles que mereciam, uma regeneração.
Deparavam-se-me em minha frente, entidades com garras tremendas, com formas gelatinosas e desprendiam insuportável fedentina.
Fiquei assim, meus irmãos, muito tempo. Não me foi possível calcular, até que um dia consegui aproximar-me de uma luz de cor branca, e verifiquei ser um amigo!
Quando despertei - depois vim a saber - estava neste Santuário, julgando-me ainda na carne, sentindo todas as vibrações, todas as reações!...
Vi uma entidade de grande luz, alta, um pouco curva, de fala macia (Frei Luiz). Fez tudo para me cativar, mas eu não queria aceitar que tinha desencarnado.
Constantemente, por diversas vezes era levado para um local mais iluminado e aqui trazido, isso por várias vezes, até que, aqui neste Santuário, graças à Jesus e à Frei Luiz, fui libertado para os hospitais espirituais, consciente de minha desencarnação e sabendo que era um espírito, mas, meus irmãos, sentindo todas as vontades e desejos que me foram tirados totalmente.
Neste hospital, fui tratado por entidades maravilhosas, como Dr. João Pedro, Yunakaia, e com o médico que se intitulava Amor e Carinho.
De vez em quando, aparecia-me Frei Luiz, que nunca deixou de visitar-me.
Livro de onde o texto foi retirado

Em todos os momentos sentia desejo do sexo, da bebida e de voltar à carne!...Devo a este espírito o que um filho deve a um Pai de bondade e de carinho!

Recebi uma ordem do alto, através de Frei Luiz, para que conseguisse me regenerar, terminando o que teria de fazer, ajudando aos pequeninos e fazendo o que hoje fazemos aos doentes e aos enfermos. Não consegui compreender como poderia ser feito. Dali fui retirado e ingressei numa verdadeira escola de Amor e de Carinho, para que pudesse aprender técnicas que hoje aplico nas desmaterializações e materializações, processos que só poderão entender, quando para aqui vierem!...Coisas maravilhosas foram feitas e nunca Frei Luiz deixava-me só!...
E até hoje, meus irmãos, o atendo e o quero mais que um Pai. Nunca me abandona, como neste momento está protegendo a mim e meu aparelho, para que a cenas passageiras que sofri, não venham a me fatigar o espírito!...
Deixo aqui esta pequena narrativa de tudo que sofri e passei, para que possa constar de nosso livro (Medicina dos Espíritos) pois esta é a vontade de Frei Luiz. Tive e tenho que ser rápido, como já expliquei a Luiz:  Quando o espírito tem um passado de Amor e Carinho, de devotamento à Caridade, ao relembrá-lo nada sentem mas o irmão como eu, que vivia na descrença, no sexo e na bebida, e nas fanfarrices, poderia atrair para mim coisas muito sérias e, assim poderia ser paralisado este adiantamento em que me sinto nas operações. Faria mesmo até me desligar do aparelho, não suportando a vibração de encarnado.
Aqui termino, pedindo a Deus, cada vez mais luz pra todos vocês; e cada vez mais luz, muita luz para Frei Luiz, Luminar do Espaço! Que Jesus esteja em todos os corações!

Fonte: "Medicina dos Espíritos " =de Luiz da Rocha Lima







 -------------------------------------------------------------------------

Como o 233 gosta de falar sobre o Médico-Espírito que participa das sessões de cura do Centro Espírita Lar de Frei Luiz, e que - segundo ele - irá provar que tudo é uma farsa, vamos estudar sobre esse assunto. Acima temos um relato (psicografado) do espírito.

O espírito cita que estava com várias autoridades do Primeiro Reich dentro de um carro. Vamos analisar as informações:

- Primeiro Reich seria o Sacro Império Romano-Germânico, ou Sacro Império Romano da Nação Alemã, surgido com o monarca Oto I, em 962 e que se esfacelou em 1806, com as invasões de Napoleão Bonaparte.

- Frederick estava com várias autoridades do Primeiro Reich dentro de um carro? 
O primeiro veículo motorizado a ser produzido com propósito comercial foi um carro com apenas três rodas. Este foi produzido, em 1885, pelo alemão Karl Benz e possuía um motor a gasolina.
Hã? O Primeiro carro foi produzido em 1885? Mas o Primeiro Reich começou em 962 e terminou em 1806. 
Como que o alemão estava dentro de um carro?

- Dizem que esse espírito foi morto na Segunda Gerra Mundial.  Mas a Segunda Guerra foi no Terceiro e não no Primeiro Reich.

Bem, somente no primeiro parágrafo vários erros foram encontrados...


SA

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

O que fazer com este blog?

O blog nasceu em novembro de 2010 depois da morte do GD Terra. Mais precisamente em 29/11/2010 com o post "A Bíblia e o BOP", que foi escrito na época que os policiais invadiram o Morro do Alemão/RJ.

O primeiro comentário foi da Nihil. 

Para  chamar a atenção dos antigos participantes do antigo Grupo de Discussão Religião do provedor Terra, tive o cuidado de dar o nome do blog de "Grupo de Discussão Religião". Mandei e-mail para alguns dos antigos participantes (cujo e-mail eu sabia) e outros apareceram espontaneamente.

Bons assuntos foram gerados.
O 233 - apesar da implicância com alguns assuntos - fez surgir debates interessantes com Vai-Volta, Católico, Hosaka e o Robson Conti.

Robson Conti escreveu muitos assuntos interessantes, mas se foi... Deletou até a sua função de colaborador.

Esio Lopes também era colaborador. Nunca escreveu artigos, mas também deletou-se...

Católico sumiu. 

Filósofo sumiu.

William Robson possui seu próprio blog e raramente aparece.

Marciano Alado foi-se.

Daniel Bergh raramente aparece.

Mb, Agudão, Márcio Agudo & cia aparece para escrever sempre as mesmas coisas e fazer piada do Hosaka. Ou seja, não faz comentários de posts.

O Ateu não sei nem se participa. O cara é muito inteligente, mas se participa, nada de interessante escreve.

O 233 desanimou.

Se o 233 não escreve, o Vai-Volta  também não se manifesta.


O Hosaka parece não ter tempo. Suas crônicas e seus posts sobre tecnologia são ótimos, mas ele escreve somente nos finais de semana.

Eu trabalho o dia todo e pouco tempo tenho também.

Precisamos de bons assuntos, bons debates sobre religião. Isso diariamente.
Como conseguir isso?
O que fazer com esse blog? Ano passado havia uma média de 300-400 visitantes por dia. Hoje mal chegamos aos 100.




Acho que o blog está morrendo.

Sugestões?