sábado, 30 de junho de 2012

O fim da legítima defesa

O Estado de S Paulo


O anacronismo da legislação penal e processual penal do País vem gerando situações absurdas, levando cidadãos inocentes, que reagiram a criminosos que os assaltavam à mão armada, a serem processados por crime de homicídio doloso triplamente qualificado.

Só este mês, ocorreram três casos semelhantes. Um aconteceu numa joalheria de Porto Alegre, onde o proprietário, reagindo a um assalto no momento em que abria o estabelecimento, baleou um dos criminosos, que acabou morrendo. Outro caso aconteceu numa tarde de sábado no centro da cidade de Caxias do Sul. Surpreendida em seu apartamento por um ladrão que a ameaçava com uma faca de cozinha, uma senhora de 86 anos tirou da gaveta um revólver calibre 32 que pertencera a seu marido e que estava sem uso há mais de 30 anos e o matou com três disparos.

O terceiro caso aconteceu na região de Cidade Dutra, na zona sul de São Paulo. Rendido em sua loja por dois assaltantes e levado até um banheiro, um comerciante de produtos de informática aproveitou um momento de distração dos bandidos, sacou uma pistola Glock 380 que guardava na mochila e disparou contra os bandidos. Um deles também disparou um revólver calibre 32. Os bandidos foram feridos e morreram logo após dar entrada no Pronto-Socorro do Grajaú. A loja já havia sido assaltada oito vezes nos últimos três anos.

Apesar de terem agido em legítima defesa, nos três casos as vítimas dos assaltantes podem se converter em réus de ações criminais, correndo o risco de serem condenadas a penas privativas de liberdade a serem cumpridas em prisões de segurança máxima, o que representa uma absurda inversão de valores.

Por não ter registro de arma, por exemplo, a idosa de Caxias do Sul está sendo indiciada por crime de homicídio doloso - quando há intenção de matar. Pela legislação processual penal em vigor, explicou o delegado responsável pelo caso, sua tarefa é apenas elaborar o inquérito criminal e enviá-lo para a Justiça. A propositura de uma ação penal cabe ao Ministério Público e o acolhimento do pedido e a posterior condenação ou absolvição da acusada são de responsabilidade de um juiz criminal.

Já os proprietários da joalheira de Porto Alegre e da loja de informática de São Paulo tinham suas armas registradas pela polícia, como manda a Lei do Desarmamento. Apesar disso, os delegados responsáveis pelo inquérito criminal deixaram-se levar por um formalismo que parece exagerado.

No caso do comerciante paulista, por exemplo, o delegado colocou em dúvida a tese de legítima defesa e, alegando indícios de "reação excessiva" e "excesso doloso", pois um dos assaltantes era menor de idade, prendeu o comerciante na carceragem da delegacia. As testemunhas relataram que os assaltantes agiram com violência e que, após o tiroteio, o comerciante esperou a chegada da polícia, apresentou a arma e prestou depoimento. "Quanto à possibilidade do reconhecimento da legítima defesa, submeto à apreciação do Poder Judiciário, ouvindo representantes do Ministério Público", disse o delegado responsável pelo inquérito.

Ficou evidente que a idosa e os comerciantes apenas reagiram, defendendo seu patrimônio e sua vida. Como imputar exagero na reação que tiveram ao ter a vida ameaçada? Por que indiciá-los e convertê-los em réus, obrigando-os a gastar a poupança de uma vida para contratar advogados de defesa, uma vez que eram pessoas honestas colocadas sob risco em suas residências e locais de trabalho? Apesar de serem obrigados a observar a legislação processual penal, que tem mais de 70 anos, por que os delegados de polícia se deixaram levar por tanto formalismo?

A falta de bom senso na interpretação das leis propicia, assim, um cenário surrealista, no qual têm direitos os bandidos, devendo as vítimas de atos criminosos curvar-se à vontade de seus algozes. E quem se defende dentro de sua própria casa vai para a cadeia por ter ferido um criminoso. Não existe mais legítima defesa?

sexta-feira, 29 de junho de 2012

Nada acontecec por acaso...

Na verdade... o que faz o quevedozeco 233 desesperar (e outros bestializados profundos) é a muita pureza Espiritual que ocorre no Frei Lui ...

Por exemplo... enquanto nesse quevedo 233 se nota exuberantemente o quão tenebrosa é sua índole...

... nio testemunho dolink abaixo, sobressai com notória NITIDEZ o bom caráter do Espirito que anima o individuo que o desenvolve...

Não tenhamos duvidas(!!)!... ha os raça de vibora, e... os samaritanos do exemplo que Jesus apresentou ao senhor da lei...

...a diferença entre uns e outros é tão oposta quanto a escuridão e a luz...

http://criscwb.blogspot.pt/2007/11/lar-de-frei-luiz.html

quarta-feira, 27 de junho de 2012

Ao MB, com carinho

Feche seus olhos, me dê sua mão, querido.
Você sente meu coração batendo? Você entende?Você sente o mesmo?
Estou apenas sonhando?
Isto que esta queimando é uma chama eterna?

Eu acredito que está destinado a acontecer, querido.
Eu te observo quando você está dormindo,
Você pertence a mim.
Você sente o mesmo?
Estou apenas sonhando?
Ou isto que está queimando é uma chama eterna?


Diga meu nome, o sol brilha através da chuva...
Uma vida toda tão sozinha,
E então você chega e alivia a dor.
Eu não quero perder este sentimento.

Feche seus olhos, me dê sua mão, querido.
Você sente meu coração batendo?
Você entende?
Você sente o mesmo?
Estou apenas sonhando?
Isto que esta queimando é uma chama eterna?

Feche seus olhos, me dê sua mão, querido.
Você sente meu coração batendo?
Você entende?
Você sente o mesmo?
Estou apenas sonhando?
Isto que esta queimando é uma chama eterna?

Isto que está ardendo é uma chama eterna?

Feche seus olhos, me dê sua mão, querido.
Você sente meu coração batendo?
Você entende?
Você sente o mesmo?
Estou apenas sonhando?
Isto que esta queimando é uma chama eterna?

Rádio UOL: Eternal Flame

terça-feira, 26 de junho de 2012

Anne Frank

Quando li pela primeira vez sobre Anne Frank eu estava no ensino fundamental. Foi leitura obrigatória, definida pela professora de português de uma escola pública. Fato que provavelmente não acontece hoje em dia. Não sei se foi à partir desse dia, mas tudo que está relacionado com a I e a II Guerra Mundial passaram então a me interessar.

Relí esses dias sobre Anne Frank. Mas não  "O Diario de Anne Frank" e sim o livro "Anne Frank - Uma Biografia", de Melissa  Muller, que é mais completo.

Anne Frank (Annelies Marie Frank) nasceu em junho de 1929 na Alemanha, filha de pais judeus. Família abastada. Logo mudaram-se para  a Holanda (Amsterdam), fugindo da perseguição antissemita que já estava bem evidente.


Anne sonhava em ser jornalista. Ela também adorava assistir filmes, mas os judeus neerlandeses foram proibidos de ter acesso às salas de cinema a partir de 8 de janeiro de 1941.
Em julho de 1942, Margot Frank (irmã mais velha de Anne)  recebeu uma carta do Jüdische Zentralstelle für Auswanderung (Escritório Central de Emigração Judaica). Era um aviso prévio, ordenando que ela fosse para um dos Campos de concentração nazistas (pois já havia completado 16 anos, e deveria "trabalhar"). Otto Frank (pai de Anne)  então revelou à família seus planos prévios para que eles fossem se esconder em uma espécie de anexo secreto atrás de sua empresa, na rua Prinsengracht, uma rua junto a um dos canais de Amsterdã, onde alguns de seus empregados mais confiáveis os ajudariam.

Em julho de 1942 a família mudou-se para o anexo secreto,  quando Anne tinha 13 anos. Ela havia ganho uma espécie de caderno de seu pai no seu aniversário de 13 anos, o que transformou em diário, contando suas sensações no esconderijo e suas impressões sobre a guerra, os alemães e os judeus. Ficaram nesse esconderijo por aproximadamente dois anos, quando alguém (que até hoje não se sabe quem) os delatou aos alemães.

Em agosto de 1944 a Gestapo invadiu o local e levou a todos. foram todos considerados criminosos (pois estavam escondidos), levados para interrogatórios e depois para campos de concentração. Anne frank, sua irmã Margot e sua mãe Edith foram enviadas  para Auschwitz-Birkenau (sul da  Polônia) e depois transferidas para Bergen-Belsen (Alemanha), onde morreram de tifo (em março de 1945), transmitido  pelos piolhos devido às  péssimas condições de saúde. O pai de Anne, Otto Frank sobreviveu ao holocausto e morreu em 1908, sendo que foi ele quem autorizou a publicação do diário da filha.

A casa que serviu de esconderijo para a família Frank é hoje um museu, em Amsterdam, Holanda.


A ignorância humana destrói os semelhantes. O ódio mata a esperança de inocentes. Hitler foi um louco.



 http://www.annefrank.org/en/



Livros sobre o assunto:  Anne Frank  Uma Biografia - Melissa Muller
                                     A Menina que Roubava Livros - Markus Zusak
                                     O Menino do Pijama Listrado - John Boyne
                                     O Arquivo de Hitler - Patrik Delaforce



Sonia A.

segunda-feira, 25 de junho de 2012

Solidariedade

A Nihil disse que o Andros está precisando de apoio mas não disse claramente o que aconteceu.
Visitando o Jornal de Debates  descobri que a esposa de nosso amigo faleceu há uma semana e ele encontra-se profundamente entristecido, o que é natural numa ocasião dessas. Não vou escrever lá, pois há necessidade de cadastro. Deixo aqui minhas palavras de conforto.


Meus pêsames.
O melhor remédio é o tempo, embora cicatrizes sempre fiquem em nosso coração.
Sinta-se abraçado, meu amigo Andros.




Sonia Araújo e demais colegas do Blog.

domingo, 24 de junho de 2012

Como ficar podre de rico?

Li um artigo bastante engraçado no Blog do Geraldo Almendra, mais uma indicação do Dr Esio Lopes, que fala que a Forbes estimou em dois bilhões de dólares a fortuna pessoal do Sr Luis Inácio Lula da Silva. O link é esse aqui. O texto é muito pessimista, termina concluindo que não passamos de uma república de cafajestes, onde aplaudimos a aplicação da lei com dois pesos e duas medidas, aos poderosos os louros da vitória, e aos proletários todo o peso da lei.

Essa visão de mundo do Geraldo Almendra é a mesma que eu tenho, muito antes de conhecer a Igreja de Roma. Uma vez ou outra, o padre lê aquele famoso versículo, onde Jesus joga nas costas de Deus a promessa de que tudo o que você pedir ao Pai, Ele lho dará, mas no final o padre sempre acaba colocando um monte de santos no meio do caminho para encaminhar os nossos pedidos, como a Santa Tereza, o Santo Papa, tornando a nossa relação com Deus um longo labirinto de intermediários. Ou seja, o catolicismo é o caminho mais longo para a riqueza pessoal. Mesmo que um católico se atreva a pedir diretamente a Deus o benefício da riqueza desse nosso mundo, é muito raro Deus atender, a única exceção, a meu ver, foi o Lula.

O Geraldo Almendra não cita Deus no caso do Lula, mas com tanta gente acusando o enriquecimento do Lula através da corrupção sem que ninguém faça um Boletim de Ocorrência, isso me faz acreditar que o dedo de Deus está no meio dessa história. Todo mundo sabe que foi Deus que mandou Jesus para esse planeta, que deu todo o seu sangue para nos proteger do fim do planeta há 2012 anos. Ou seja, se estamos aqui, respirando esse ar e sentindo esse calorzinho gostoso, devemos a Jesus por mais essa chance, e a rotina católica de agradecer ao Pai por essa chance, esse é o mínimo que podemos ponderar em nossas vidas.

E se o Lula é mais uma obra de Deus, certamente que nenhum de nós podemos questionar a vontade do Pai. E se o Lula é podre de rico, essa é a forma pedagógica de Deus lembrar que todas as nossas preces que jogamos no labirinto de lamentações chegaram até o seu destino. Ou seja, se não valorizamos a vida como uma oportunidade para estudar, trabalhar, sacrificar as poucas horas de vida que temos para conseguir o nosso espaço nesse planeta, então Deus inventou o Lula, um exemplo clássico de enriquecimento sem mérito algum. Ou seja, se nenhum de nós faz a vontade do Pai, quem somos nós para reclamar da riqueza e glória que o Lula alcançou?

Hippolyte Léon Denizard Rivail

Eu nunca levei o Adilson à sério, hoje comecei a reler os textos dele, e comecei com o rivailismo de que ele tanto fala. Usei o Wikipédia, e ele me linkou no artigo sob o título "Allan Kardec". Fiquei envergonhado, o Adilson estava falando o tempo todo da Doutrina Espírita, só que ao invés de usar o pseudônimo mais conhecido do planeta, ele usou o nome civil do professor que viveu na primeira metade do século XIX, na França.

No mínimo, preciso pedir desculpas ao Sr Adilson. Não dei a importância que devia no tempo do UOL, do Terra e boa parte do Blogue da Sônia (agora, você é obrigado a baixar o Google Chrome, senão você não tem como publicar qualquer mensagem por aqui).

Ou seja, vejo nos comentários do Adilson de que ele critica o espiritismo, começando pelo nome do autor dos livros. Por que ele usa um pseudônimo ao invés de usar o seu nome verdadeiro? O Adilson faz sugerir que o professor tinha vergonha do que andava escrevendo, e para proteger seus filhos, netos, bisnetos e todas as gerações futuras é que ele decidiu deixar o nome de sua família bem longe do que ele andou escrevendo, presumo que fala sobre a existência do espírito.

Ou seja, o espiritismo não passa de uma crônica e que não é para ser levado a sério, esse é o núcleo das mensagens do Sr Adilson. E por que o Sr Adilson tem tanta bronca do professor Rivail? Só nessa semana é que tivemos a resposta: porque ele perdeu oito anos da vida dele, lendo o livro do professor.

É mais ou menos parecido com a minha história. Eu gastei todo o ano de 1984 para ler a Bíblia, e no final não acabei encontrando Deus nenhum, e por isso decidi me ingressar na Igreja Apostólica de Roma para saber como os católicos conseguem adorar algo que não existe, a famosa Missa que ouvi falar desde o tempo de criança. Eu acho a Missa sensacional, não tem nada a ver com a Bíblia, mas é o melhor empreendimento comercial que eu conheci em toda a minha vida, até conhecer o App Store da Apple Inc.

Eu não sei rezar, e várias vezes eu me tropeço, quando tento repetir Ave Maria e o Pai Nosso, em teoria as orações mais fáceis da Igreja Católica. Participei de algumas procissões, bem como fui várias vezes à Nossa Senhora, participei de vários encontros ecumênicos, patrocinados pelo grupo mais avançado da Igreja no Brasil, tendo como principal ícone o Leonardo Boff, até que um dia o chefe lho chamou e deu uma tremenda bronca. Foi uma época divertida e proveitosa. Agora, é a hora da volta da tradição, de cantar a Missa, coisa que eu detesto, mas chefe é chefe, e eu sou apenas um burro que tem que amarrar a corda aonde o chefe manda. Enfim, só existem duas maneiras de ganhar dinheiro: usando o método revolucionário da inovação como mostrou Steve Jobs ou o método tradicional, curvando-se de joelhos à vontade daquele que possui os meios de produção. A Igreja Católica só serve para ensinar a como engolir os desaforos que a gente leva para casa dos chepones, gepones e diretopones. Claro que nem todo católico consegue ficar em silêncio, e muitas vezes dá um murro na mesa do chepone, deixando todo o destino mais uma vez nas mãos de Deus.

Enfim, o Adilson está fazendo a coisa certa, descontando nesse Blogue todo o seu ódio por ter perdido oito anos de sua vida. Eu não sei se Deus existe, se os espíritos existem, mas o alerta do VaiVolta é válido. O Sr VaiVolta lembra uma velha discussão da Igreja Católica sobre Apocalipse do apóstolo João, tudo leva a crer que se trata de eventos futuros, mas muitos chegaram à conclusão de que se trata de um livro criptografado que fala do passado, e que o João teve que usar desse artifício para ludibriar a censura do Império Romano: quem sabe se o professor Rivail não estava na mesma situação? Enfim, há mais coisas do que carne, osso e pó: por que não chamá-los de espírito? E para que usar o nome verdadeiro se o papel aceita nome falso e até profecias falsas?

sexta-feira, 22 de junho de 2012

A teoria do capacho

A Bíblia é um livro bem difícil de ler, mas o Vai-Volta e o Adilson demonstram habilidade e destreza para procurar nelas a existência do espírito. Com o terceiro capítulo da primeira carta de Pedro, o Vai-Volta chega à conclusão que o Evangelho é uma doutrina para os espíritos e não para as nossas funções orgânicas, a Bíblia não presta para ensinar a comer ou fazer bolo digestivo, isso é automático.

O texto do Pedro deixa mais ou menos claro quem vai pilotar o fogão e quem vai limpar o bolo digestivo, sugerindo às mulheres que sejam submissas aos seus maridos, mas naquela época, haviam princesas que adoravam passar o dia todo adornando os seus dias com maquiagens e bugigangas, e os maridos se faziam de capachos, pilotando o fogão e limpando o bolo digestivo. Tanto num caso como no outro, era e é sempre difícil esconder o desgosto pela vida.

De onde vem esse desgosto?

De acordo com o Sr Vai Volta o desgosto é a prova material da existência do espírito que há em nós, e se um dia Deus decidir arrebatar as nossas lembranças desse planeta, Ele arrebatará somente os espíritos, e não os ossos e a carne, e muito menos o fogão e o bolo digestivo.

Entendi certo, ou preciso ler a carta do Pedro, de novo? Ou seja, para que as coisas funcionem, um manda e outro tem que obedecer. Veja o caso desse blogue, por exemplo, a Dona Sônia decidiu colocar papel de parede horroroso do lado direito e outro mais horroroso do lado esquerdo, e ái daquele que for reclamar. Pode até perder até o direito de resposta... Enfim, a democracia não funciona!

quinta-feira, 21 de junho de 2012

os diabolicos



http://noticias.gospelmais.com.br/pastor-preso-acusado-abuso-sexual-crianca-cinco-anos-33731.html

http://noticias.gospelmais.com.br/criancas-violentadas-pastor-tentaram-flagrar-abusos-celular-29772.html

http://noticias.gospelmais.com.br/inglaterra-padre-condenado-22-anos-prisao-pedofilia-32012.html

Será?



O que está tirando o "demônio" da mulher seria o 233? 
Ahahahaha!

Padre é acusado de discriminar adolescente autista

O Estado de S Paulo

ELDER OLGLIARI - Agência Estado
A primeira comunhão de 34 crianças em Bom Princípio (RS) provocou uma polêmica de dimensões estaduais durante a semana. Tudo porque o padre Pedro José Ritter pediu que Cássio Maldaner, de 13 anos e autista, fosse retirado da fila, o que revoltou seus parentes.

O pároco afirmou que quis evitar constrangimento, porque o adolescente poderia se aproximar do altar e se negar a receber a hóstia por não abrir a boca, como fez no ensaio. O padre alegou que nenhum fiel deve ser forçado a comungar, sugerindo que a família prepare o garoto por mais algum tempo.

O sacerdote disse que, há alguns meses, explicou aos parentes de Cássio que em casos como o do adolescente a Igreja não vê necessidade de recepção dos sacramentos para a salvação. Muito devota, a família aceitou a sugestão de catequizar o rapaz em casa e prepará-lo para a missa solene. A mãe, Maria Maldaner, de 41 anos, treinou o garoto por um mês, mas, no ensaio, ele recusou a hóstia. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

------------------------------------------

Mensagem recebida em fhosaka@uol.com.br de Esio Lopes:

PADRE PICARETA, IDIOTA E MAL CHEIROSO MORAL É A PROVA DA REENCARNAÇÃO. IGREJA CATÓLICA, PODE SE DIZER CRISTÃ?

COMPANHEIROS:

A notícia abaixo, nos mostra com bastante certeza que a Igreja Católica não pode se apresentar como Cristã. Esse fato mancha a imagem de tal seita que se apresenta como Religião Cristã, mas, que na realidade não é nunca foi. Isto é tão grave quanto os milhares e milhares de casos de Pedofilia que vemos noticiados na Mídia, praticados por Padres dentro dos templos "religiosos".Esta notícia agride a moral cristã, o entendimento fraterno que deve haver entre os líderes de seitas como a Católica. E triste e nos causa dor moral. Esse padre, certamente, foi um dos líderes dos tribunais da Santa Inquirição. Ele, agora, em nova reencarnação, voltou como esse Padre perverso e sem a mínima sensibilidade moral!!!

http://noticias.gospelmais.com.br/padre-causa-polemica-impedir-menino-autista-receber-eucaristia-37722.html

quarta-feira, 20 de junho de 2012

O segredo das mãos de parafina

O 233 insiste que as mãos de parafina ( do livro "O Trabalho dos Mortos" ) foram feitas colocando-se água em luvas  e depois mergulhando-as em água.   Será? Parece que essas mãos de parafina (as do livro) tinham até impressões digitais.
Não pensem que sou antiespírita. Sou apenas alguém que gosta de pesquisar sobre o Espiritismo. Afinal, se Espíritos existem, quero a prova de sua existência, e não quero saber de fraudes. Portanto, acho interessante que leiam o texto abaixo sobre mãos de parafina.



Moldes em parafina: materialização de espíritos?



A febre espiritualista contava com muitos feitos de espíritos durante sessões mediúnicas, e as mais impressionantes certamente deveriam ser as ‘materializações’. E dentre as materializações, as que permanecem gerando questionamentos até hoje são os moldes de parafina.

Alguém teve a idéia genial de que, enquanto o espírito estava materializado, poderia colocar alguma parte de seu corpo em contato com parafina derretida, que ao se solidificar formaria um molde permanente mesmo que o espírito acabasse se desmaterializando. Mais do que isso, como alguns moldes, por exemplo o de uma mão, teriam partes mais estreitas como o pulso, então apenas um espírito poderia originá-los. Acreditava-se  impossível a uma pessoa retirar a mão de um molde de parafina sem danificá-lo, somente um espírito se materializando e depois se desmaterializando com a mão dentro da parafina poderia criar moldes dessa natureza. O problema seria similar ao de retirar um navio pronto de dentro de uma garrafa.

Na foto você confere uma cópia em gesso criada a partir de um molde de parafina mediúnico. O nível de detalhamento é notável, a disposição intercalada dos dedos intrigante e o pulso é de fato um tanto mais estreito. Será mesmo que apenas um espírito poderia criar algo assim? Essa é então a mão de um espírito?



Além de parecer uma evidência física interessante por si mesma, o fenômeno teria sido analisado por diversos pesquisadores, entre eles Gustave Geley. As investigações de Geley feitas com o médium Franek Kluski foram divulgadas na Scientific American, que na época era parte relevante da discussão dos feitos mediúnicos. Contudo, nenhum destes investigadores conseguiu fornecer uma explicação convencional para os moldes de parafina mais perfeitos. Mais do que isso, alguns declararam que  a única conclusão a que podiam chegar é que de fato foram espíritos a ter criado os moldes, que constituíam assim uma das maiores provas físicas de sua existência.

A realidade é muito irônica e ingrata com tais investigadores.  Diversas explicações complexas foram propostas para reproduzir os moldes de parafina, incluindo:
- luvas de borracha reproduzindo de forma perfeita uma mão, sendo infladas e desinfladas;
- moldes de mãos cuidadosamente esculpidos feitos em material solúvel que, depois de formar o molde em parafina, eram dissolvidos;
- mãos inchadas com torniquetes formando moldes e depois desinchadas, permitindo sua retirada.

A  explicação racional convincente é a mais simples, segundo Maximo Polidoro e Luigi Garlaschelli. Em um artigo publicado no Journal of the Society for Psychical Research, eles citam uma explicação já apontada por M.H. Coleman pouco antes como plenamente satisfatória.

Essa explicação é simplesmente colocar a mão diretamente na parafina e retirar o molde com cuidado. Ao contrário do muito repetido, o molde não irá se quebrar: a parafina ainda não completamente solidificada é surpreendentemente flexível. Abaixo você pode ver a comparação de uma mão supostamente mediúnica, à esquerda, ao lado de uma criada por um molde de Polidoro e Garlaschelli, produzido colocando a mão em parafina derretida e retirando o molde cuidadosamente.




Não há diferenças significativas, e a mão dos pesquisadores italianos é mais perfeita.

Há mais um ponto nesta história. Como se não bastasse que todos os investigadores do passado tenham deixado passar que da forma mais simples possível os enigmáticos moldes de parafina poderiam ser feitos, a história ainda parece tripudiar sobre eles. Isto porque moldes de mãos em parafinas se tornaram hoje uma atração para crianças!

Ao lado você vê uma “wax hand”, uma mão de parafina que pode ser feita em estandes ou em carrinhos em parques (EUA) por alguns minutos e dólares. Clicando no link abaixo você vai à página que aluga o carrinho apropriado para que as mãos de parafina sejam feitas. No carrinho, não há nada de mais: apenas parafina mantida derretida por resistências e termostatos.




Pede-se que a pessoa coloque a mão na parafina alguma vezes, e depois retire com cuidado o molde. Qualquer pessoa pode fazer isto, como se vê ao lado, no carrinho vendido por outra empresa. Uma busca por wax hands no Google revela a extensão com que esta atividade está espalhada no EUA e no Brasil:  http://www.licensingbrasil.com/noticias_int.php?new_id=130&edicao_id=7



 





E é assim que a história acaba sendo ingrata e até mesmo humilhante com aqueles que, no passado, atraveram-se a proferir conclusões precipitadas em favor de fenômenos inexplicados. Como disse Michael Shermer, o inexplicado não é necessariamente inexplicável.








Um ponto a favor deles: até mesmo Harry Houdini parece ter sido enganado, e se não declarou que os moldes em parafina eram prova de espíritos, também não parece ter conseguido reproduzi-los.

























Sonia Araújo

segunda-feira, 18 de junho de 2012

Cuidado com o que você escreve!

O Supremo Tribunal Federal (STF) deverá julgar, ainda este ano, um recurso extraordinário que é decisivo para a liberdade de imprensa no País. Trata-se de uma ação de reparação de danos causados, envolvendo o exercício da liberdade de informação, seja por meio de jornais e revistas, seja por meio de sites e blogs da internet.


O litígio começou há cinco anos, quando a mãe de uma aluna de um colégio particular da capital classificou como preconceituosa uma apostila distribuída em classe pelos professores. Além de ter retirado a filha da escola, a mãe divulgou um artigo na internet, criticando as apostilas de história e geografia adotadas pelo estabelecimento. Segundo ela, os textos conteriam erros de português, equívocos de informação, falsificação de dados históricos e "panfletagem grosseira".

As apostilas foram elaboradas por um grupo educacional de Ribeirão Preto especializado na produção de material didático e pertencente a uma das maiores multinacionais do setor. Assim que as críticas às apostilas foram colocadas na internet, a empresa pediu o direito de resposta. Ela alegou que os trechos das apostilas criticados haviam sido extraídos de questões formuladas nos processos seletivos da UFMG. Também reconheceu que a qualidade da redação das apostilas poderia ser melhorada, mas refutou erros de informação histórica.

Dias depois, os advogados da multinacional impetraram, no Fórum de Ribeirão Preto, uma ação de indenização por danos morais contra a mãe da aluna e contra o site que publicou seu artigo. Assim que o processo começou a tramitar, o juiz responsável pelo caso acolheu pedido de tutela antecipada, determinando que o site retirasse imediatamente os nomes do grupo educacional do texto do artigo. E fixou multa de R$ 3 mil para cada vez que esse site ou qualquer outro veículo de comunicação mencionasse o nome da empresa ao noticiar o litígio.

A partir daí, o eixo do litígio judicial mudou e os advogados das duas partes passaram a discutir uma questão processual, acerca do foro competente para o julgamento da ação. Os advogados da multinacional insistiram em que a ação deveria tramitar na comarca onde a empresa tem sua sede - ou seja, Ribeirão Preto. Os réus alegaram que o caso deveria ser julgado em São Paulo, onde moram.

Com base no artigo 100 do Código de Processo Civil (CPC), quem se considera ofendido tem o direito de ajuizar a ação no foro de seu domicílio. Por isso, quem se manifesta por jornais ou pela internet corre o risco de ser processado em qualquer lugar do País. Se várias pessoas se sentirem ofendidas pela mesma matéria e cada uma morar numa cidade diferente, o autor de um artigo terá de se defender em cada comarca - arcando com os custos dos advogados. Foi o que ocorreu em 2008, quando a Igreja Universal do Reino de Deus estimulou seguidores a processar a Folha de S.Paulo, por causa de uma reportagem. O jornal teve de se defender em mais de 90 cidades. A mesma estratégia foi usada pelo deputado Paulo Pereira da Silva (PDT-SP) contra O Globo. O jornal foi acionado em 20 Estados, por causa de uma reportagem sobre a Força Sindical, da qual o parlamentar é presidente. "Vou dar um trabalho desgraçado. Vou fazer de mil a 2 mil ações contra eles no Brasil inteiro. A Universal vai ser fichinha", disse ele na época.

Como essa chicana jurídica colide com o artigo 5.º da Constituição, que assegura o direito de opinião e determina que "nenhuma lei conterá dispositivo que possa constituir embaraço à plena liberdade de informação jornalística em qualquer veículo de comunicação", o caso foi levado para o STF, com base no princípio da "repercussão geral". Caberá ao Supremo decidir se o artigo 100 do CPC - no qual se baseiam as tentativas de intimidar jornais e blogs - é um obstáculo à liberdade de informação jornalística e se pode ser aplicado às ações de reparação de danos morais causados no exercício da liberdade de expressão. O relator do processo é o ministro Luiz Fux e o caso interessa a todo o setor de comunicação.

O Estado de S Paulo - O STF e a Liberdade de Expressão

domingo, 17 de junho de 2012

O Espírito do Adilson

O Adilson é um importante colaborador desse blogue, e defende que não passamos de carne e osso, ou seja, se o camarada nunca deu o seu orgulho, ele tem vontade de dar. Ele usa o clássico método da repetição verbal, para lembrar o clássico versículo 41 do capítulo 26 de Mateus

Vigiem e orem para que não sejam tentados. O espírito está pronto para resistir a tentação, mas o corpo é fraco.

E assim são os dias e as noites nesse blogue, o Adilson denuncia que o espiritismo, o catocilismo, o budismo e etcetera são faces diferentes da mesma moeda, o famoso Satanás, um falso profeta que ensina aos seus fiéis fracos de cabeça a acreditarem que defuntos consertem computadores com e sem ectoplasma.

Ele incentiva aos participantes daqui, em particular o Sr Vai-Volta, a parar de dar o orgulho a quem quer que seja, e fazer a vida mais proveitosa em busca da Verdade, digo, em busca de Jesus, uma vida mais plena de júbilo e coerência. Para tanto, ele faz do seu relacionamento com o Sr Vai-Volta um exemplo vivo da primeira Carta a Timóteo, primeiro capítulo, versículo 15:

Fiel é esta palavra e digna de toda a aceitação: que Cristo Jesus veio ao mundo para salvar os pecadores, dos quais sou eu o principal; mas por isso alcancei misericórdia, para que em mim, Cristo Jesus mostrasse toda a sua longanimidade, a fim de que eu servisse de exemplo aos que haviam de crer nele para a vida eterna.

Caso você não concorde comigo, pelo menos, você há de concordar que fica mais interessante fazer qualquer estudo bíblico com o Adilson 233 do que sem ele.

Danielle Harkins

Enviado por Fernando Moreira - 15.06.2012 10h55m O Globo Blogs
.
Professora é presa por queimar alunos para expulsar 'demônios'



Uma professora literatura de St. Petersburg (Flórida, EUA) foi presa após causar queimaduras e cortes em alunos na tentativa de "expulsar demônios deles".

De acordo com a polícia, Danielle Harkins levou os adolescentes, a maioria de origem asiática, até um píer, onde realizou o bizarro ritual de "exorcismo". A professora derramou perfume nas mãos de um dos alunos e ateou fogo.

A polícia foi alertada após um aluno de Danielle enviar uma mensagem por celular a um colega que não estava no grupo "exorcizado". O destinatário do torpedo mostrou aos pais, que acionaram autoridades, noticiou a emissora WTSP.

Danielle foi presa por abuso contra menores e suspensa da escola sem pagamento.

=====================================================================================

Comentário de Frank K Hosaka:

Encontrei essa matéria na minha Caixa Postal (fhosaka@uol.com.br), encaminhado pelo Dr Esio Lopes, sob o título FANATISMO RELIGIOSO DAQUELES QUE SE DIZEM SER CRISTÃOS DAS IGREJAS QUE EVIDENTEMENTE NÃO SÃO CRISTÃS

Eu só conheço duas igrejas, a católica e a não-católica, ambas lêem alguns trechos dos evangelhos, o que diferencia uma da outra é que na católica rezamos pelo Papa Bento XVI, pela padroeira de nossas paróquias, pelos amigos que morreram na amizade de Jesus e pelos amigos que querem viver na amizade de Jesus, isso é parte de um ritual milenar que chamamos de missa.

Os demônios existem sim, fazem parte do texto dos evangelhos, quando menciona que o sujeito estava possuído, mas ninguém conseguia arrancar o mal dele, até que apareceu Jesus e expulsou os demônios para jogá-los em alguns porcos, que em seguida se afogaram num lago, mas um padre exorcizar, isso eu nunca vi, senão nos filmes de ficção como O Exorcista, Constantine e mais recentemente em Sobrenatural.

Na rotina católica, é muito raro falar em demônios. Já alguns evangélicos usam e abusam dessa imagem do mal. Quando você consegue emprego, o crédito vai para Jesus, o Salvador. Quando você está desempregado, aí é o Maligno que toma conta de você. Apesar desse tipo de raciocínio ser bastante comum, boa parte dos católicos e não católicos creditamos a nós mesmos os nossos méritos e os nossos tropeços. Os méritos vêm da perseverança, e os tropeços vem da nossa mania de esquecer Jesus. Nós somos os principais responsáveis pelos nossos atos e pensamentos.

Alguns de nós deixamos as nossas ofertas em nossas sinagogas, seguindo a orientação de Jesus: você precisa sim deixar alguma coisa na igreja, mas antes você tem que se acertar com o seu irmão, caso haja alguma desavença, senão a oferta não tem valor algum, já o Dr Esio e o Sr MB rezam que isso é coisa de otário, pois o único que se beneficia com as ofertas são os padres, que ficam podre de rico e usam recursos que deveriam beneficiar os mais necessitados em aventuras não aprovadas por Jesus, ou, quando muito, pelo Código Penal.

O Dr Esio sempre bate na mesma tecla: os católicos e não católicos estão muito longe de receberem o diploma de cristão, pois não praticam a caridade, a única forma de arrancar um sorriso de Jesus e de seu Pai.

Voltando ao caso da moça, há pouca informação, alguém deveria perguntar a ela onde ela aprendeu a jogar perfume na mão do moleque e botar fogo, para tentar fazer o pequeno delinquente a valorizar o tempo da escola para aprender a escrever, ler e fazer conta, pois isso não é ensinado nem na Igreja Católica e muito menos na Não Católica. Agora, temos uma bela loira na cadeia e uma professora de Literatura a menos nas escolas dos Estados Unidos da América. É um desperdício, e não um caso de fanatismo religioso, como prega o Dr Esio Lopes.

sexta-feira, 15 de junho de 2012

Ectoplasma


 O Ectoplasma é geralmente conhecido como um plasma de origem psíquica, que se exsuda principalmente do médium de efeitos físicos, e algo dos outros médiuns.
Trata-se de substância delicadíssima que, situa-se entre o perispírito e o corpo físico. Embora seja algo disforme, é dotada de forte vitalidade, por cujo motivo serve de alavanca para interligar os planos físico e espiritual.
Historicamente o ectoplasma tem sido identificado como algo que é produzido pelo ser humano que, em determinadas condições, pode liberá-lo, produzindo fenômenos diversos.
O Ectoplasma é de difícil manipulação, é pegajoso, não se molda facilmente, por isso exige treinamento e técnicas para que os espíritos se utilizem deste fluido.
Não é o espírito que se materializa e sim o ectoplasma que se adere a forma do perispírito do espírito.
Pode ocorrer materialização sob o efeito da luz branca mas é necessário ter muito ectoplasma (em abundância), também é difícil tirar-se foto com flash de materialização, porque no momento do flash há interferência.
 Não é o ectoplasma puro que exala do médium que é usado diretamente nas materializações, é necessário combiná-lo com outros fluidos (espirituais, físicos (kundalini-material , líquido nervoso + líquidos
do corpo do médium e da natureza) ou seja na materialização é utilizado ectoplasma elaborado.
 A presença de apenas uma pessoa incrédula no ambiente dificulta ou até impede a aderência do ectoplasma no perispírito do espírito.
 Todos os estudos feitos, sobre as materializações de espíritos e os chamados “efeitos físicos”, demonstram que esses fenômenos ocorrem somente na presença de pessoas que podem fornecer ectoplasma.
Isto leva à óbvia conclusão de que os espíritos não “produzem” ectoplasma. Eles apenas podem manipulá-lo.
Uma observação mais cuidadosa leva, inclusive, à conclusão de que esta “manipulação” somente pode ocorrer com a conivência, consciente ou “inconsciente” dos encarnados que fornecem o ectoplasma.
 Se assim, não fosse esses fenômenos ocorreriam com tal frequência e intensidade, no cotidiano da humanidade, que os desencarnados passariam a participar diretamente do mundo dos encarnados.
Deste modo, pode-se deduzir que o ectoplasma é um atributo do corpo físico, portanto da matéria, uma vez que o corpo humano é material, embora seja controlado pelo espírito nele encarnado.





O que se pode admitir que aconteça é que, os espíritos encarnados, em contato com a matéria (corpo), durante a encarnação, manipulam-na (a matéria) de tal modo a produzirem o que chamamos de ectoplasma.
Essa produção se daria, de modo automático e inconsciente, desde a concepção até o desencarne.
Segundo André Luiz, o ectoplasma está situado entre a matéria densa e a matéria perispirítica, assim como um produto de emanações da alma pelo filtro do corpo (duplo etérico), e é recurso peculiar não somente ao homem, mas a todas as formas da Natureza.
 Este tipo de raciocínio indica, novamente, a existência de outra matéria, “paralela” à que conhecemos e
o ectoplasma seria constituído por esta matéria.
Esta matéria seria coexistente com a matéria conhecida, porém, de uma densidade muito menor.










terça-feira, 12 de junho de 2012

O meu dia dos namorados

O tempo passou e confesso que perdi a noção do tempo, mas eu lembro que eu tive pelo menos um dia dos namorados. Isso foi na década de 80, na mesma época em que trabalhava com a princesa, é extremamente embaroço você beijar e abraçar a sua namorada, mas não sentir tudo aquilo que você sente pela princesa. O nome dela é Cicera, e ela morava em São Paulo. Ficamos duas horas juntos, mas antes eu havia pensado em comprar uma rosa para brindar a data, mas acabei jogando fora. Também não recebi nenhuma lembrança naquela data. Uma semana depois, a Cicera me mandou um cartão azul, afirmando que seriamos amigos para sempre. O tempo passou, e ela desapareceu. Foi um alívio, e não me arrependo de ter jogado a rosa fora. Graças a Deus, ela percebeu que só estava perdendo tempo comigo. Por dentro, eu estava todo despedaçado, não sabia o que fazer, senão ficar o mais próximo e por mais tempo possível junto à princesa, ali no trabalho, mas desde então o dia dos namorados é apenas uma data só para lembrar que estou sozinho.

É o dia mais calmo da minha vida, não preciso comprar flores para em seguida jogar fora, mas é dia de romantismo, de guardar boas lembranças. A de 2012, uma senhora de muita idade trouxe uma linda cachorra (ou cadela, ainda não sei a diferença) de apenas dois meses. Aquela senhora me conhecia e disse que queria doar a cachorra para mim. A cachorra estava tremendo, mas foi logo brincando comigo. Ah eu senti uma enorme vontade de ficar com a cachorra, mas eu pedi desculpa, e disse para aquela senhora que eu detesto limpar sujeira de cachorro. E aquela senhora começou a apelar: "a mãe dela não tem mais leite, e essa aqui fica machucando a mãe, eu preciso separar as duas, principalmente porque eu fui operada recentemente, sinto muita dor nas costas e eu não consigo tomar conta dela".

Enfim, o dia dos namorados sempre me faz lembrar que não consegui tomar conta da Cicera, da princesa, quando muito de uma cachorra ou cadela. Alguém sabe a diferença?

E o Amaral?

Perguntaram sobre o Amaral.

A última notícia que tive dele, estava trabalhando em Hollywood, no filme MIB 3 (Men in Black 3 - Homens de Preto 3).



Hehehe.. não resti em dar uma trollada...

Dia dos namorados






Hoje é dia dos namorados.
O comércio agradece. As vendas aumentam enormemente.
Quando se pensa em namorados se pensa em amor. A verdade é que amor e ódio sempre andam juntos. Exemplo está aí, da esposa do executivo da Yoki, que num acesso de ciúmes matou e esquartejou o marido. E outros tantos exemplos anônimos esparramados pelo Brasil e pelo mundo.  Não de pessoas  que mataram o companheiro (a), mas de pessoas que juraram amor, amor esse que passado um tempo transformou-se em ódio.


Dizem que as araras, periquitos e papagaios - os psitacídeos enfim - têm apenas um parceiro por toda a vida. E são animais irracionais, imaginem.
Não que eu seja contra a mudança de companheiro. Claro que não. Se viver junto tornou-se insustentável, não há outro jeito. Mas mirem-se no exemplo dos periquitos e procurem viver na santa paz, pelo menos.


Feliz dia dos namorados.



Sonia A.

segunda-feira, 11 de junho de 2012

Quem sou eu?

Repito a mesma pergunta que o Homem Aranha fez para si próprio ao final do primeiro filme da série, quando  se encontrava perdido, sem saber se era homem, se era aranha, se era herói ou se era bandido: "Who am I?".

Há dez anos atrás, quando ainda morava em São José dos Campos, a AOL  mandou pelo correio um CD de instalação da sua internet. Internet discada. Por curiosidade experimentei o "primeiro mês grátis". Por curiosidade entrei no site Espírita e no grupo de discussão sobre Espiritismo. E por curiosidade acompanhei o 233 durante algum tempo. Nenhuma diferença entre o 233 de 2002 e o 233 de 2012. A AOL faliu. Mas os sites de discussão sobre religião continuaram. Uol, Terra...
Respondendo a pergunta do Hosaka: O 233 existe... E uma das principais características que comprovam a sua existência é a constância de seus argumentos que são praticamente os mesmos de 10 anos atrás: ele odeia o Espiritismo, Chico Xavier, Kardec e toda a obra Espírita. Penso que uma pessoa que mantém a personalidade praticamente inalterada durante 10 anos, com os mesmos propósitos, deve realmente existir. Ou deve ser um robô programado para isso.

Quanto a mim, eu não sei se sou a mesma de 10 anos atrás...  Penso que não tenho as mesmas convicções de antes, as mesmas certezas. 
Quem sou eu?






Sonia A.

domingo, 10 de junho de 2012

O Adilson existe?

Hoje, o Vai Volta indicou um livro de dois séculos atrás, onde o autor tenta descrever que métodos eles usaram para identificar os espíritos naquela época. Eu não tive coragem de ler o livro, pois o meu problema não é identificar espírito, mas sim um bloguista em particular, o famoso Adilson 233.

Uma vez o Adilson escreveu que um gato perseguiu seu filho e acabou morando com eles. Dalí, eu conclui que ele é casado ou pelo menos é pai.

Há muito tempo, a Senhorita LG, a Dith e a Selma me escreveram que o Adilson é boa pessoa e nada tem a ver com o professor. Várias vezes, a Selma afirmou que ele mora no Rio de Janeiro, mas isso não é compatível com a informação do Vai Volta que vê as extraordinárias orelhas do Adilson, e eu aqui de Diadema não consigo ver coisa alguma, por mais que me esforce em abrir os olhos.

Pelos textos que o Sr Adilson anda escrevendo, o máximo que dá para concluir que ele é um Anti-Vai-Volta e não um anti-espírita. Ou seja, é impossível falar do Adilson sem falar do Vai-Volta, os dois formam uma forte conexão desde o tempo do UOL e que arrasta até os dias de hoje, e isso já faz mais de dez anos, o que sempre forçou a desconfiar que os dois são a mesma pessoa, o famoso MB dos Pampas, que usa de vários pseudônimos para conversar consigo mesmo.

A Receita Federal anda incentivando o contribuinte a comprar um Certificado Digital para se identificar junto ao Governo, geralmente é um pendrive. Eu ainda não tenho o meu, mas um amigo mostrou o procedimento, mas sinceramente eu acredito que qualquer um pode se passar pelo Adilson desde que tenha o pendrive e a senha que Adilson cadastrou no dispositivo. Ou seja, a assinatura digital é só mais uma chave de segurança para o contribuinte fazer o login na Receita Federal. No Blogue da Selma, eu criei uma conta no Google com a imagem da Interprise, e com ele é que eu assino os meus textos e os meus comentários: eu sou real. Além da minha assinatura digital, sempre divulgo o meu endereço eletrônico (fhosaka@uol.com.br) e até o meu celular (11-8199-7091), e com isso qualquer um pode comprovar cientificamente que eu existo. Se usar o celular, eu atendo. Se usar o email, eu respondo.

Já o Adilson, só o Vai-Volta é que pode responder. O Vai-Volta leu o livro sobre a identificação espiritual, e pode responder se o Adilson é de carne e osso ou apenas um espírito que se encarna no corpo do Sr MB e usa de suas mãos para escrever essas barbaridades que a gente lê todo santo dia.

WiFi FTP Server e Windows 7 64 bits

É muito difícil tornar o servidor FTP do iPhone visível na janela do Widows Explorer, principalmente quando o sistema operacional é o Windows 7 de 64 bits.

A solução que eu encontrei foi no NetDrive, onde só testei a versão gratuita. Não sei quantas vezes poderei conectar o Windows 7 de 64 bits com o iPhone. Mas a solução deles é muito boa. O programa você baixa nesse link: http://www.netdrive.net/features.html - lá eu crei e salvei a conexão com a seguinte configuração:





Note que eu coloquei 192.168.0.100 como endereço do FTP e a porta 2121, isso o WiFi FTP não informa. O iP eu peguei no aplicativo Ajustes e a porta eu peguei do programa Swiftp do Android. Lamentavelmente, o desenvolvedor do Swiftp vai parar com o programa, não vai desenvolver o aplicativo para o Android, portanto nós também não teremos esse programa no mundo do iOs: http://code.google.com/p/swiftp/ - esse é o único servidor FTP que o Windows 7 consegue mapear sem nenhuma dificuldade.

O NetDrive não só consegue conectar o Windows 7 com o iPhone, mas também ele cria um drive de rede no Windows Explorer. Ou seja, você pode mandar um relatório do Microsoft Access para o iPhone, usando esse comando:

Sub iPhone_Click ( )
DoCmd.OutputTo acOutputReport, "rptAsMaisGostosas", acFormatPDF, "E:\AsMaisGostosas.PDF"
End Sub

E o relatório você abre diretamente na tela do iPhone através do WiFi FTP da SavySoda, como se o PC tivesse mandado um torpedo para o celular. Não é bacana? Tomara que o iOs 6 facilite um pouco mais a vida da gente, no quesito servidor de FTP.

--------------

Nota: o Microsoft Access só consegue converter um relatório em PDF a partir da versão 2007.
Nota2: Não consigo melhorar a visibilidade da imagem que eu coloquei nessa mensagem, então, peço para você pressionar [CTRL]+[+] para ampliar a foto. Grato.

sexta-feira, 8 de junho de 2012

Dr Esio Lopes já sabia escrever aos quatro anos

Nessa semana, recebi a mensagem do Dr Esio explicando que milagres não existem, de que a diferença de talentos que existe entre nós nada mais é que a prova intuitiva da justiça divina, de que a reencarnação explica tudo. Ou seja, essa revolta do Dr Esio contra os "cristãos dizimistas" não é pessoal, é algo que já vem desde reencarnações anteriores e que o Dr Esio recebeu através da herança do períspirito.

Baseado nessa premissa, todas essas leis, direitos e deveres que estão escritos na nossa Carta Magna não passam de letras mortas. Essa mania que o Sr Duzentos, Trinta e Três tem de ridicularizar o espiritismo pode ser facilmente explicado pela ausência da evolução em suas existências anteriores, ou seja, ele é um espírito novo que ainda tem que aprender a respeitar os espíritos mais experientes. É pura perda de tempo pegar o Código Penal e tentar enquadrá-lo no capítulo do atentado violento ao pudor. Você pode até tirar o notebook do Sr Duzentos, Trinta e Três e botá-lo na cadeia, mas isso só vai atrasar o seu aprendizado, do que seja o pudor, de como tratar outros colaboradores desse blogue com mais respeito.

Eu sou apenas um cristão dizimista, eu continuo financiando o Papa para prosseguir com o seu trabalho de deixar as portas de todas paróquias sempre abertas e de lá aprender a respeitar os defuntos do passado, e eu acredito que eles podem intervir em nossas vidas através de suas experiências históricas de como combater o egoismo, a ganância e a indiferença, o que aos olhos do Dr Esio não passa de um espírito que tem muito que aprender.

Eu já tenho cinquenta e três anos, não sei dançar balé como a netinha de quatro anos do Dr Esio, ontem apanhei o dia inteiro para tentar ler textos em inglês na Internet, sem sucesso, tentanto fazer o iPhone ficar visível na janela do Windows Explorer, pois não tenho o mesmo talento do neto de doze anos do Dr Esio que sabe muito mais inglês que os alunos graduados em Cambridge. Enfim, é frustrante você não saber nada, e é difícil conviver com esse ressentimento que faz questionar a justiça divina.

São poucos os cristãos dizimistas que entendem a teoria da reencarnação, o máximo que podemos fazer é baixar a cabeça, aceitar a vida como ela é, ou descontar a raiva no blogue da Selma como faz o Sr Duzentos, Trinta e Três, Marciano Alado  e o Sr Muito Bosque. E agora que o Daniel Berger voltou, faz mais sentido a velha frase de que muitas orações chamam mais assombrações, logo é hora de parar.

Vou parar de escrever.

Vou continuar a escrever assim que voltar do serviço. Um forte abraço a todos,

quarta-feira, 6 de junho de 2012

FileBrowser

05/06/2012 Terça

Ele custa 5 dólares no App Store, e eu tive um problemão para fazê-lo funcionar. Logo de início, ele conseguiu abrir as pastas compartilhadas do PC, e depois não sei o que fiz, ele não conseguiu mais navegar no PC. Depois de pesquisar o Google, para saber se o Windows 7 era incompatível como servidor SMB, decidi desinstalar o aplicativo. E quando reinstalei o aplicativo, ele começou a funcionar. Para configurar o FileBrowser você precisa do IP do PC, a conta do usuário e a senha.

Ele não é um aplicativo útil - a minha ideia era o PC mandar um arquivo para o iPhone como acontece com o iMessenger entre o iPhone e o iPad, mas não sei como fazer isso. Estudei o iExplorer e o Wincsp & OpenSHH, eles funcionam perfeitamente para esse propósito, mas queria usá-los como se fosse um acessório do Office, transportando o arquivo só com a força de um botão. Como não sei como fazer isso, o FileBrowser parece ser a minha melhor solução: o Office gera o arquivo desejado numa pasta compartilhada, e o iPhone vai abri-lo através da rede WiFi.

06/06/2012 Quarta

Através do Microsoft Access 2007, criei um comando que gera um arquivo PDF a partir de um relatório:

DoCmd.OutputTo acOutputReport, "rptLunaticosDoBlogue", acFormatPDF, "C:\Compartilhado\SoJesusSalvaAdilson.PDF"

O FileBrowser conseguiu conectar no PC e exibir o arquivo bem rápido, deixei conectado por mais dez minutos, e aí o FileBrowser reclama que o servidor quebrou a conexão. Não consegui reconectar. Ao invés de desinstalar o FileBrowser, eu reiniciei tanto o notebook bem como o iPhone, e aí a conexão voltou ao normal. No FileBrowser, no entanto, existe um ícone que permite encerrar a conexão.

Ou seja, por mais espetacular que seja o Notebook bem como o iPhone, a conexão WiFi é um desafio, quando o assunto é a LAN (Rede Local). Quando você usa a rede WiFi para navegar na Internet é difícil perceber qualquer quebra na conexão, mas quando você pede para o iPhone abrir um arquivo que está lá no Notebook, ai tudo depende da sorte. Se um pernilongo passar no meio da transmissão tudo pode acontecer, o Norton pode entender que o iPhone é um vírus, a rotina do FileBrowser pode ser interrompida por outros serviços do iPhone, enfim, só Deus é que sabe como fazer uma conexão ficar estável.

As maquinas são diferentes dos homens. Há casamentos que duram mais de três meses, eu ficaria satisfeito se o FileBrowser pudesse estabilizar a conexão sem fio entre o PC e o iPhone por pelo menos 30 minutos.

07/06/2012 Quinta

Finalmente, encontrei um meio de recuperar a conexão do FileBrowser com o PC, sem precisar desinstalar ou reiniciar. Limpei a memória temporária do FileBrowser, desliguei o serviço de WiFi do iPhone para em seguida ligá-lo.Isso não demora nem um minuto. Ah como é gostoso, quando consigo fazer essas máquinas funcionarem!

segunda-feira, 4 de junho de 2012

Izabella Teixeira decide jogar o lixo do Rio em Porto Alegre

RIO DE JANEIRO - A ministra do meio ambiente, Izabella Teixeira, quer que o fechamento do Aterro Metropolitano de Jardim Gramacho, em Duque de Caxias, que recebia o lixo do Rio e da cidade vizinha, seja modelo para todo o País. Citando a meta do Estado do Rio de fechar todos os aterros no entorno da Baía de Guanabara até o fim do ano, a ministra disse que está lançado o “desafio de o Estado do Rio de Janeiro ser o primeiro a cumprir a Política Nacional de Resíduos Sólidos”.
Jardim Gramacho deve ser modelo para todo País - Victor R. Caivano/AP
Victor R. Caivano/AP
Jardim Gramacho deve ser modelo para todo País

A Política Nacional de Resíduos Sólidos foi instituída pela 12.305, de 2010. O objetivo da política é fechar todos os lixões do País até 2014. A ministra definiu o cumprimento do prazo para implantação da política como um “desafio imenso”.

“O prazo é muito curto, mas é importante que os instrumentos para a concepção desse objetivo sejam consolidados”, disse Izabella em entrevista coletiva durante a cerimônia de encerramento das atividades do aterro de Gramacho, considerado o maior da América Latina.

A ministra também lembrou que a responsabilidade de erradicação dos lixões é dos municípios. O governo federal tem atuado no financiamento de iniciativas locais de adequação à lei.“Os Planos Municipais de Resíduos Sólidos são necessários exatamente para a erradicação do lixões. Além disso, até o fim do ano implantaremos, em quatro cadeias, a estrutura de logística reversa”, completou Izabella.

Segundo a ministra do Meio Ambiente, ao fechar o aterro e construir o Centro de Tratamento de Resíduos de Seropédica, o Rio dá exemplo, com o município “atuando de maneira global”. Não temos nada que vai apequenar a participação da cidade do Rio de Janeiro na Rio+20, como anfitriã”, disse Izabella, lembrando que a partir do dia 5 a área do Riocentro estará entregue à ONU.

“A gente passou os últimos 30 e poucos anos cometendo um enorme crime ambiental, que é esse lixão às margens da Baía de Guanabara”, disse o prefeito do Rio, Eduardo Paes, que comandou a cerimônia de fechamento do Aterro de Gramacho ao lado da ministra Izabella e do secretário estadual de Meio Ambiente, Carlos Minc. Segundo Paes, a Prefeitura investirá R$ 2 bilhões nos próximos 15 anos em tratamento de lixo.
O Estado de S Paulo

domingo, 3 de junho de 2012

Como estudar a Religião?

Toda vez que usamos a palavra "Religião", isso vem associado à velha pergunta milenar "Por que devo ser bom?".

Eu já frequento o forum de Religião faz mais de um quarto de século, e parece ser uma eternidade. De tantos desaforos que tive que engolir do professor, eu acabei me transformando num ateu tão arrogante e cínico como ele. A única diferença é que evito de usar adjetivos que o professor usa do repertório popular, como "arder", "tubaína" e por aí vai. Mesmo assim, a ausência de violência verbal não faz das minhas crônicas um bom planfleto para promover a paz e a diplomacia, pelo contrário - para isso, veja os comentários que seguem aos meus textos.

A maior reclamação que vejo nos comentários é que não consigo responder a pergunta de modo aceitável, ou seja, eu não sou tão bom quanto imaginava ser. Falta sal nas minhas crônicas, os meus textos têm soja demais, essa é a reclamação mais frequente.

Para contornar tal situação é que sempre revejo velhos tópicos que vi na Biblia. Nessa semana, fiquei pensando na parábola do Bom Samaritano, onde conta que o Esio Lopes viu um rapaz inconsciente no chão mas não lho socorreu porque tinha uma palestra sobre o espiritismo para fazer numa penintenciária, o professor também viu a vítima mas passou bem longe porque a primeira regra do ateísmo reza que o custo-benefício de ajudar um desconhecido é nulo ou negativo, e finalmente apareceu a Senhorita LG, essa se prontificou de aproximar do rapaz, tentou acordá-lo, e quando os olhos abriram, ela perguntou: "O Sr é solteiro?" E o moço foi bem rude com ela: "Moça, você não percebe que eu tomei um porre e que agora só quero dormir!"

Eu também já passei por essa situação. A primeira vez foi no banheiro de uma indústria farmacêutica, encontrei o banheiro cheio de bolo digestivo espalhado no chão, e seguindo o rastro, encontrei o funcionário sentado no chão, perto do vaso, consciente. Ele me pediu para ligar para o seu chefe, e eu pedi o ramal. E o chefe dele me atendeu rápido, e não demorou nem cinco minutos para aparecer. Outra vez, o cliente desmaiou na minha frente. Tudo o que fiz foi pedir socorro para a Ambulância, e eles nem demoraram dez minutos. Tive muita sorte nesse caso, a esposa do cliente apareceu e seguiu com ele na ambulância. Mas botar a mão no indivíduo como a Senhorita LG fez, ah isso eu não tenho a menor coragem.

Depois do sufoco, eu lembro que Deus teve uma longa conversa com Moisés e Moisés escreveu então Deuteronômio, eu li o texto apenas uma vez, lá em 1984. Uma parte da passagem ficou gravado na memória, quando Moisés fala sobre o suposto cadáver encontrado no chão, ele gasta uns dez parágrafos para explicar o que fazer. Mesmo com a ajuda do iPhone, eu não consigo achar esse texto. Deuteronômio é o pior texto que eu já li, ele é longo e bem mais chato que a Constituição Federal de 1988. Ruim mesmo é que tudo que leio com o olho direito, acabo esquecendo com o olho esquerdo. A minha memória é randômica com poucos kbytes. Tudo o que sei é que textos longos me fazem chorar, logo, eu não sei como estudar Religião.

Eu não sei como debater com o Sr Duzentos, Trinta e Três que aparentemente sabe distinguir o VT com o NT, ele sabe qual a diferença entre o Deus de Jacó e o Pai de Jesus, e até sabe das gambiarras do Sr Rivail. Enfim, tenho que reconhecer: eu não sou bom, eu não sei como estudar a Religião, se é que tal coisa existe. É óbvio que o fato de eu não saber como estudar Religião não implica necessariamente que ela não exista.

------------------------------

Para o Sr MB: YouKu, a banda chinesa do iPad


---------------------------

Para a Senhorita LG, Start Me Up



------------------------------

Para a Selma, Romaria



------------------------------

Para o Sr Duzentos, Trinta e Três: Silvio Brito


---------------------------------

Para Marciano Alado, Baby Android,



sexta-feira, 1 de junho de 2012

Eu acredito em Deus

Eu acredito em Deus.

Mas talvez o meu Deus seja diferente do seu, assim como (com certeza) deve ser diferente do Deus do Hosaka, do 233 e da Nihil. É  diferente do Deus do Velho Testamento, que vejo como uma criatura rigorosa, exigente e que castiga os seus filhos ao menor deslize. É semelhante ao Cristo - suave -que perdoa e entende as falhas de todos nós.

Os meus "primeiros contatos" com Deus creio que foram através de minha avó materna, que pacientemente me ensinava religião em uma  Bíblia ilustrada. Lembro-me até hoje, com incrível nitidez, de Jesus, dos anjos e dos demônios dessa Bíblia. Os anjos e Jesus eram lindos, envoltos e luz e transmitiam paz. Os demônios eram em tons cinza, com garras, dentes e asas iguais às de morcego. Lembro-me de minha avó mostrando a passagem do Evangelho, onde Jesus dizia  "deixar vir a mim os pequeninos", onde Ele  aparecia rodeado de crianças na ilustração.
Isso causava em mim vontade de ir ter com Jesus. Uma vez cheguei a colher flores e fiquei um dia inteiro atrás de  minha avó para que ela me dissesse onde Jesus estava, pois eu queria lhe entregar as flores pessoalmente. Custei a entender que apesar de vovó ensinar que Jesus existia, Ele não podia receber minhas flores (somente o perfume delas), ele não tinha endereço, casa, cic e rg.


Vovó tinha  mania de quadros de santos. Tinha vários deles esparramados pela casa. No seu quarto havia um que me impressionava: eram duas crianças brincando com uma bola  perto de uma espécie de penhasco e logo atrás delas um anjo. Pacientemente ela me explicava que o anjo protegia as crianças enquanto elas brincavam e esse- no caso- não deixava as criancinhas despencarem no precipício.  Impossível entrar no quarto dela sem  ficar olhando o quadro. A infância é a fase mais feliz  e inocente da vida.

Muitas vezes questionei o porquê dos santos estarem sempre sérios nos quadros. Se era necessário sofrer para ser "santo". Vovó sempre me olhava com desaprovação quando eu fazia perguntas insistentes e que ela não sabia responder. Às vezes ficava em silêncio. Às vezes praguejava:
- Deus castiga, menina! 
Ela havia sido católica fervorosa antes de conhecer meu avô. Dizem até que ela iria ser freira. Mas meu avô mudou tudo... Ele era Espírita lá pelos anos de 1920, naquela época em que o Espiritismo era visto como algo feio e meio proibido. Ele foi palestrante em um centro Espírita e fez uma coleção enorme de livros e revistas sobre o assunto. Pude ler exemplares antigos do "Reformador", e outra revista que não me lembro o nome onde vi pela primeira vez fotos do fantasma de  "Irmã Josefa", o que me tirou várias noites de sono.

Em casa ouvia que havia céu e inferno. E também purgatório, que era aqui mesmo na Terra, onde ficavam alguns espíritos. O Espiritismo já ensinava que havia vida após a morte e que havia um outro "mundo paralelo", para onde iriam as pessoas depois da morte, sem ser necessariamente um céu ou um inferno. Vovó que ficou viúva bem cedo, acreditava que meu avô a  estava esperando do outro lado da vida, conforme promessa feita por ele mesmo, antes de morrer.

O quintal da casa de minha avó era vizinho do quintal de uma Igreja Evangélica, "Igreja Universal do Reino de Deus". Eu me lembro que todo domingo tinha música, pois a igreja tinha uma banda ou algo parecido. Uma vizinha era frequentadora assídua dessa igreja. Ela era costureira de mão cheia, e a maior parte do dinheiro que ganhava, ela dava para a igreja, pois acreditava que só assim Jesus podia ajudá-la a crescer na vida. E ficar livre das tentações dos demônios.

 Lembro-me também de outra vizinha, cujo filho tinha problemas mentais. Todos comentavam que ele era saudável, até o dia que começou a tomar pinga das macumbas que achava nas encruzilhadas. Diziam que era castigo (?).  Desde então a mãe dele passou a sofrer muito e teve que internar o pobre coitado em uma espécie de casa de repouso. Hospício.

Todos os acontecimentos eram devidamente assimilados e analisados por mim, na infância e adolescência.  E a conclusão era de que a vida era realmente um mistério muito grande.O Deus da Igreja Católica  havia estabelecido o Céu, o Inferno e o Purgatório, para onde as pessoas deveriam ir depois da morte e lá ficar eternamente, se fossem boas, más ou mais ou menos, respectivamente.  O Deus Evangélico - já naquele tempo - pedia dinheiro para que o crente tivesse salvação. 
Um deus que eu  não entendia muito bem, deixava o rapaz que bebia pinga de macumba no hospício. O Deus do espiritismo dizia que havia vida após a morte e reencarnação.

Os homens bomba dizem  morrer por seu Deus. O WTC foi explodido em nome de Deus.  Há lugares onde cristãos são odiados. Judeus são odiados. Muçulmanos são odiados.Todos são incompreendidos por causa de deus.

Muitas vezes ouvi pessoas falando:
_"Sabe Fulano? A vida dele vai mal porque ele não tem religião".
_"Conhece Beltrano? O filho dele nasceu com problemas porque ele é muito fofoqueiro e Deus castigou".


Definitivamente, tenho um Deus diferente. 
Bem diferente do Deus pedagógico do 233, literalmente interpretado da Bíblia, literalmente traduzido do hebraico e do grego, respeitando todas as vírgulas e parágrafos.
Também é diferente do Deus que castiga os fofoqueiros e os sem-religião. E dos que se explodem.E dos que pedem dízimos e confissões.


"Ninguém vai ao Pai senão por mim", foi a frase dita por Jesus. Acredito. Um dia na minha infância procurei desesperadamente por Jesus para  entregar flores e me aborreci porque não O encontrei. Fiquei dias olhando a gravura na Bíblia e invejando as crianças que estavam ao Seu lado.

Você cresce, amadurece e conhece pessoas que oferecem visões novas da vida e consequentemente do Criador. Há pessoas alegres e comunicativas, que sempre enxergam uma luz no fim do túnel nas piores dificuldades, enquanto há outras depressivas onde parece haver sempre uma nuvem negra por cima de sua cabeça. Há aquelas que sempre colocam você para cima e há aquelas que sempre querem você para baixo.  O Bagavad Gita traz uma grande citação que é o seguinte: " na vida, se você fizer sucesso, ganhará alguns falsos amigos e muitos verdadeiros inimigos". Pura verdade.
 

Infelizmente,  na maioria das vezes,  bonzinho só se ferra!
Muitas vezes me aborreci e chutei o balde.  Xinguei, descabelei, blasfemei. Arrependi.
 Há horas em que é difícil dialogar com alguém que não se vê, não se ouve a voz, uma palavra de consolo e ainda - dizem- tem o poder de castigar quando contrariado! Deus há de entender que realmente nosso psicológico fica abalado. Que errar é humano e perdoar é divino. Ele não haveria de criar tantos filhos para deixar ao acaso e ao sofrimento físico ou  espiritual.

Infelizmente Deus não poderá vir escrever aqui no Blog, nem responder à pergunta feita pelo Hosaka. Não da maneira que ele deseja, talvez de outro modo.
 

Tenho certeza de que  dia poderei entregar as flores para Jesus. Meu coração diz isso.  Afinal, para chegar ao Pai, temos que passar por Ele. E eu acredito em Deus. Mesmo que "anothen" signifique "do alto" e não "de novo".

Amém.







Sonia Araújo

(Convém que assine meu verdadeiro nome!)


Por que Deus não escreve no meu Android?

Nem nunca me mandou um email...

Tem horas que é meio chato falar sozinho.
Parece quando estamos num chat, postamos 4 dedos de texto e a pessoa desaparece, sem dar aviso.
Frustrante.

Nunca responde objetivamente, dá e toma, ou não dá e deixa a gente morrer na esperança, como uma criança miserável aguardando o presente do Papai Noel.

Não tenho queixas pessoais contra Ele. Nunca me tirou alguém que não fosse pelas vias naturais ou caso fortuito. Também nunca me mandou nenhum Anjo, quando precisei. pelo menos não vi. Se estava na m*, lá continuei. Sozinho.

Não tenho como bloquear Deus da minha lista de contatos.
Tem horas que até gostaria, acho Ele meio mal educado e sacaninha...
Deus é um troll.


Segundo o Diabo, Deus é um sacana. Admiro muito este trecho do filme Advogado do Diabo: http://www.youtube.com/watch?v=vdPlMRhERDk
Hoje estou meio agnóstico. Falar de Deus não me interessa mais. Perda de tempo, a não ser para expor o que está acima, a completa inutilidade de se ter um.

Outro dia estava assistindo o History, canal 55-1, só assisto agora a programação em HD. o Top Shot é muito bom, o M.B. deve gostar também. Os caras atiram muito, e sou afim desta atividade. Não, não sou bandido, apesar de já ter usado terno por algum tempo. Hoje em dia só curto uns rolés na minha Shadow, tá de bom tamanho. Quase aposentado, ou na Reserva, para os iniciados.

Do History, estava assistindo uma série que se chama Batalhas A.C. O link é este aí, o episódio tá no youtube: a href="http://www.youtube.com/watch?v=C2pWvOoXM-U

Episódio sobre Josué, general de Moisés e depois seu sucessor. Bicho sanguinário, que exterminou a Terra prometida, mandado por Deus. Milhares de homens, mulheres, crianças, bodes, vacas, cães... "Mate tudo o que respira!", disse Deus a Josué.

Se o deus de um é o deus de todos, nesta oportunidade Ele tomou partido. E foi phodda!

Todos os fdp do mundo são filhos de Deus? Estupradores e vítimas, também, por exemplo?

Cara nestas horas me pergunto: Karái, será que o M.B. tá certo? Pelo menos ele me respondeu uma vez por email, o sumido Esio, o Hosaka, a Dona Lívia, a Selma, o William... o 233 acho que também não existe, nunca me respondeu também. Deve se achar um deus. Dos maiores.

Deus poderia ao menos me mandar um torpedinho. Deve estar duro e sem créditos, mas não acredito muito, porque os sacerdotes continuam arrecadando horrores para Ele, e o Banco do Vaticano continua rico, apesar das roubalheiras. Sugiro que Deus baixe o Whats App, programinha Android bem bacaninha, free, e passe a mandar Suas mensagens de graça. Adoraria receber uma tipo: "Oi, meu filho! Tenha um bom dia em Meu nome!"

O diabo manda recados o tempo todo.

Abraço fraterno.

O fim do Universo


A Via Láctea, galáxia onde está localizado o nosso Sistema Solar, está em franca rota de colisão com Andrômeda, uma galáxia vizinha, disseram nesta quinta-feira, 31, os astrônomos da Agência Espacial dos Estados Unidos, a Nasa.

Os astrônomos anunciaram as descobertas depois de analisar uma série de dados obtidos pela observação do telescópio Hubble. Eles identificaram o movimento de Andrômeda em direção à Via Láctea e acharam que haveria chances de que as galáxias apenas resvalassem uma na outra, mas após analisar a rota com o telescópio, descobriram que, de fato, haverá uma colisão frontal.

De acordo com os cientistas o Sol e a Terra conseguiriam sobreviver à colisão - que deve ocorrer com as galáxias se movimentando a 1,9 milhão de quilômetros por hora -, mas tanto o planeta quanto a estrela devem estar em um local diferente no espaço quando o choque acontecer.

O Estado de S Paulo


Bom dia, Srta Nihil,

Para criar o link no comentário, a sintaxe é assim:

<a href="http://1.bp.blogspot.com/-_7Fhn4b6kCM/Ta6mw1ebxHI/AAAAAAAADYo/h20bwfs_4_A/s1600/A+Ultima+Ceia+de+Leonardo+Da+Vinci.jpg">A última vez que Deus foi visto</a>

A grosso modo, o formato genérico é esse:

<a href="URL">texto</a>

Não se trata de um sinal de Menor < e outro de Maior >, mas sim de um par de sinais, no primeiro par você usa a tag a href="URL" e no segundo par /a, mas entre um par e outro, você precisa colocar um texto, mais chamativo ou o próprio endereço do link.

Isso é meio chato, mas na Internet você precisa aprender a linkar as coisas.

Mas na hora de mandar um email, o procedimento não é o mesmo, varia de acordo com os recursos que o provedor fornecer para você.

Um forte abraço, e que Deus lhe ajude a linkar com mais visibilidade.