quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

O meu iPhone fala com o meu iPad!

Depois de várias décadas procurando um bom programa de código de barras, desde o tempo do Treo 650, Nokia N95, HTC, Galaxy S e agora o iPhone, finalmente encontrei um que presta, ele se chama ZBar e é distribuido gratuitamente na App Store. Se o código escaneado é um produto, ele mostra o código numérico e abre o navegador procurando mais informações daquele produto. Se ele é um código com números kilométricos, ele simplesmente exibe o número bem como diz que tipo de código de barra foi utilizado. O que é legal nesse programa é que você pode copiar esse número.

O problema é como passar esse número do iPhone para o iPad. O meu iPad é da primeira versão, e como a grana estava curta, eu comprei um que não tem câmera digital e nem acesso à rede 3G. A única coisa que os dois compartilham é a rede WiFi.

Com a chegada do iOs 5, o iPad ganhou um estranho programa chamado iMensagem (no ícone está Mensagem). Eu não tinha a menor ideia de como utilizá-lo. Mas hoje precisei passar o enorme código de barra em forma de números do iPhone para o iPad. O Google me explicou que eu precisava entrar em Ajustes do iPhone > Mensagens e ativar o serviço de iMessage.

Para mandar a mensagem para o iPad, eu abri um novo torpedo endereçado para mim mesmo, só que não selecionei o número do celular mas sim o meu endereço eletrônico no iTunes, e, quando mandei, que alegria!!!, a mensagem chegou direitinho no iPad. De acordo com o Google, o iMensangem pode ser usado tanto pela rede WiFi bem como pela rede 3G, sem nenhum custo adicional junto a operadora, desde que os dois equipamentos compartilhem o iOs 5.

Ou seja, consegui fazer do iPhone um bom acessório para o iPad. Parabéns à Apple pelo iOs 5, gostei mesmo!

iPhoneMod Brasil

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

SEXO SELVAGEM

 Agora que eu já chamei sua atenção, quero dizer o seguinte:
                         


                           ESPÍRITOS EXISTEM!


Não tenho como provar, mas que existem, existem...

Hóstia Alucinógena faz beatas atacarem Padre na Itália



Algumas fiéis da Santo Espírito de Campobasso, na região central da Itália, abraçaram o crucifixo, outras começaram a ter visões de santos. Outras, por sua vez, começaram a bater no padre e gritar: "Você é o demônio".

Toda essa confusão no último domingo (19) aconteceu porque as hóstias foram feitas com uma farinha alucinógena em vez da farinha comum. Trata-se de um caso de "ergotismo", uma intoxicação alimentar causada por farinhas de cereais contaminadas por esclerócios que atingem a safra do grão.

Esses organismos microscópicos contêm uma grande quantidade de fungos, perigosos para a saúde, entre os quais costumam encontrar-se muitos agentes psicotrópicos, parecidos com o ácido lisérgico, ou LSD.
Assustado, o padre da Igreja de Campobasso foi obrigado a se esconder na sacristia à espera da polícia. A retirada dos fiéis foi confusa, lembrando os protestos antiglobalização ocorridos na cúpula do G-8.


(vi no @CorreiodoBrasil)

http://br.noticias.yahoo.com/blogs/vi-na-internet/h%C3%B3stia-alucin%C3%B3gena-faz-beatas-atacarem-padre-na-it%C3%A1lia-223235046.html


(Selma)

domingo, 26 de fevereiro de 2012

O orgulho

"Agora me regozijo no meio dos meus sofrimentos por vós, e cumpro na minha carne o que resta das aflições de Cristo, por amor do seu corpo, que é a igreja; da qual eu fui constituído ministro segundo a dispensação de Deus, que me foi concedida para convosco, a fim de cumprir a palavra de Deus, o ministério que esteve oculto dos séculos, e das gerações; mas agora foi manifesto aos seus santos, a quem Deus quis fazer conhecer quais são as riquezas da glória deste mistério entre os gentios, que é Cristo em vós, a esperança da glória; o qual nós anunciamos, admoestando a todo homem, e ensinando a todo homem em toda a sabedoria, para que apresentemos todo homem perfeito em Cristo; para isso também trabalho, lutando segundo a sua eficácia, que opera em mim poderosamente." Colossenses 1,24.

Esse é um clássico texto do Paulo, ninguém hoje escreve mais assim, com exceção do Vai-Volta e do Adilson 233, que adoram admoestar entre si, mandando às favas os demais participantes. Nenhum dos dois se comprimentam com um humilde "bom dia", "boa tarde" ou "boa noite". O nome disso é orgulho, o que faz do Blog da Selma um dos mais desconhecidos do mundo do blog do Google. Pois, a Internet está cheio de blog de orgulhosos e assim o internauta tem a impressão que está só perdendo tempo diante de um monitor de 14 polegadas.

Mas, voltando ao texto do Paulo, e tentando adaptar ao mundo atual, eu reescreveria assim: Tenho orgulho de ser católico e acredito piamente que Deus ajudou o homem a ir até a Lua e que também ensinou a Santa Tereza a consertar micros. É óbvio que a questão hoje não é falta de sabedoria, mas sim excesso de irresponsabilidade fiscal, estamos gastando muito além do crédito que Deus nos concedeu, e assim não temos como ajudar a Nasa a contratar Spilberg a filmar em Blu-Ray uma nova expedição à Lua ou quando muito ajudar a Dilma a abrir mais vagas em escolas profissionalizantes que façam técnicos mais racionais para resolver o problema de nossos micros, ao invés dessas improvisações que revelam mais problemas em nossos aparelhos.

Ou seja, a Selma está certa. Chegou a hora de usar a humildade na prática, de gastar apenas com o necessário. Ao invés de contra-filé, o melhor é aprender a se contentar com alface. Não sei como os evangélicos e os espíritas vão conseguir botar isso na cabeça, mas nós católicos já temos uma velha solução de 2012 anos, só rezando. Deixar o orgulho de lado e abraçar a humildade, isso é ato de milagre, principalmente quando temos um Joseph Fambins, pegando no nosso pé, afirmando que não passamos de cabeça de porongo, aquele que entende o problema, aquele que sabe a resposta, mas não tem coragem de praticá-la.

VBA+Internet

Sub BlogSelma()


'No Excel, pressione [ALT]+[F11], depois Inserir > Módulo
'Acrescentar Microsoft Internet Controls em Ferramentas > Referências
'Copie esse código e execute o código na janela Verificação Imediata,
'digitando BlogSelma

Dim ie As InternetExplorer
Set ie = New InternetExplorer
ie.Visible = True
ie.Navigate "http://grupodediscussaoreligiao.blogspot.com/"

Do Until ie.ReadyState = READYSTATE_COMPLETE
Loop

Set ie = Nothing

'Mais referências com João Neto em
'http://officevbavsto.blogspot.com/2011/03/vba-internet-acessando-sites-da-web_12.html

End Sub

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Humildade


Humildade vem do Latim humus que significa "filhos da terra". Refere-se à qualidade daqueles que não tentam se projetar sobre as outras pessoas, nem mostrar ser superior a elas.

A Humildade é a virtude que dá o sentimento exato da nossa modéstia, cordialidade, respeito, simplicidade, honestidade e passividade.

Por humilde também se pode entender a personalidade que assume seus deveres, obrigações, erros e culpas sem resistência.

A humildade é um saber antes de ser uma virtude.

Segundo Santo Agostinho, onde está a humildade, está a caridade, pois sem a humildade o eu ocupa todo o espaço disponível e enxerga o outro como apenas objeto. Existe a verdadeira humildade: “a consciência e o sentimento de seu pequeno valor moral em comparação com leis maiores.”

Com humildade se ensina, com humildade se aprende.


(Wikipédia)

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

O manual do iPhone no iPhone

Na página http://support.apple.com/manuals/#iphone, o primeiro tópico fala sobre o manual do iPhone iOs 5, mas para você baixar a versão em português, você precisa selecionar o item Languages. Aqui eu recomendo utilizar o Internet Explorer ao invés do Firefox, onde você pode baixar o manual no formato PDF através do comando Salvar Como.

A melhor maneira de ver esse manual é usando um notebook com o Adobe Reader, você coloca a tela do notebook na base da mesa como se fosse um iPad, usa o comando [CTRL]+[L] para colocar o manual em tela cheia, a seguir você usa [CTRL]+[SHIFT]+[+] para girar o documento até ficar no modo retrato, legível para você. Claro que é meio esquisito ver um documento assim no notebook, com o teclado perto da orelha, e você precisa deixar o notebook examente em 90o. para que não seja necessário segurar no aparelho. Outra boa opção é comprar um iPad, o problema é que isso não sai por menos de R$ 1.800,00.

Também é possível mandar o arquivo diretamente no iPhone, o problema é que as letras são muito pequenas, difícil de ler pelo aplicativo Adobe Reader do iPhone. Para contornar esse problema, a sugestão é usar o programa do Kovid Goyal, o Calibre, que você encontra na página http://calibre-ebook.com/download_windows, transformando o arquivo PDF no formato Epub.

Como o programa é gratuito, você não pode esperar que ele faça milagres. Eu tenho um arquivo do Manual do HP 48 que ele não conseguiu converter, mas no caso do Manual do iPhone, ele conseguiu fazer quase tudo, incluindo várias imagens que estão no arquivo original. O que ele não conseguiu fazer foi preservar o link entre o índice e o capítulo que desenvolve o tema. Outro problema é informar ao iTunes aonde encontrar o arquivo que foi convertido, no meu caso, eu tive que selecionar o computador e procurar a pasta Usuários > Frank > Biblioteca do Calibre.

Para contornar o problema do link, a dica é usar o motor de busca do iBooks do iPhone. Por exemplo, se você quer pesquisar o tema Siri (é um programa que só existe no iPhone 4S), use o resultado da busca para navegar no manual. Nesse fórum, eu vi um tópico que perguntava como usar o Calibre para converter um texto do Word (.doc) em .epub - a minha sugestão é usar o Office 2007 ou posterior, convertendo primeiro em .pdf, para depois converter em ebook do tipo Epub.

iPhoneMod Brasil

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

O que é o Carnaval?

Desde 1981 é que não acompanho mais a televisão, assim não sei o que é e quando é o Carnaval, mas quando vou jantar na casa da minha mãe, sempre vejo uma notícia espetacular e que me conecta ao momento que vivo. A foto acima é de um rapaz que pegou os votos dos juízes e tentou se livrar deles num banheiro químico, instalado no Anhembi.

Até hoje, não sei que importância tem em definir o campeão das escolas de samba. Talvez seja dinheiro, mas de quem? De quem assiste os desfiles durante as noites chuvosas? Do contribuinte que paga o IPTU em São Paulo? E quem ganha e quanto ganha desfilar ali na avenida? O Waldir, que morreu de Aids, me contou que ele tinha que pagar para desfilar na avenida, mas ele me disse que valia o investimento por viver esse momento de alegria.

O único carnaval que eu conheci foi quando era criança. Era dia de muita farra. Eu botava um monte de água na minha bisnaga e molhava os meus amigos de infância, ou os carros que passavam na avenida de barro. Hoje tudo é asfalto, e Diadema é bastante tranquila. Não tem batucada, não tem bisnaga com água, só essa dúvida no calendário: se o feriado é na terça, por que o comércio pára na segunda e na quarta até o meio dia?

Enfim, carnaval é só confusão. O jornal informou que até houve queima de fantasias. A minha vontade é que o pessoal também queimasse o carnaval do nosso calendário, mas, pensando bem, não há como abolir o carnaval do nosso folclore. Eu que sou um cidadão pacato não consigo apartar esse carnaval do Vai-Volta, Adilson, Anônimo & Esio Lopes, quem somos nós para impedir de alguém acabar com a apuração e decidir o campeonato na moedinha? A escola sortuda ficaria com todo o dinheiro do otário do contribuinte que nem tem direito de opinar qual a escola que trouxe o melhor samba enredo.

Como importar epub no iBooks?

Eu não tenho o link, mas encontrei uma dica de como importar um livro digital no formato Epub lá nos Estados Unidos; a dica recomendava você mandar um email do computador para o seu iPhone, e no aplicativo do Email você abre o anexo com o "Abrir com o iBooks". Isso, eu achei uma besteira. Se você está do lado do computador, muito mais fácil é usar o iTunes.

Imagine que você está no Safari, navegando em http://www.brasilepub.com.br e lá você encontra a Carta de Pero Vaz Caminha, quando você apertar o botão download, o Safari vai dar essa opção de importar o livro diretamente no iBooks, assim que ele terminar o download. Note que o Safari não abre uma janela de download, ele só tarja a barra de endereço. Quanto à Carta de Pero Vaz Caminha, você sabia que ele morreu em 15 de dezembro de 1500, curioso não? Lá no Blog da Selma, onde eu e o Adilson participamos esporadicamente de manhã, de tarde e de noite, tem um ateu anônimo que insiste em prever que o mundo vai acabar em 20/12/2012. Claro que a morte de Pero Vaz de Caminha não tem nenhuma relação numérica, mas o fato é que ele morreu no mesmo ano que escreveu a carta à Dom Manuel I, que chato, não?

IMPORTANTE: Se você está tendo problemas com o iBooks, leia "Corona" no seguinte link: http://itouchbrasil.com/2012/01/resolvendo-o-problema-do-ibooks-apos-jailbreak-5-0-1-untethered.html

iPhoneMod Brasil

domingo, 19 de fevereiro de 2012

Como comprar aplicativos no Android Market?

Até ontem, eu imaginava que era impossível comprar um aplicativo pago no Android Market. Depois de muita pesquisa, eis o resultado:

Faz mais de meio ano que comprei um Galaxy S para o meu sobrinho, só que ele não tem cartão de crédito, o máximo que ele pode fazer é baixar os aplicativos gratuitos.

Hoje, descobri que existe um portal chamado Google Wallet.http://www.google.com/wallet/ e usando a conta e senha do meu sobrinho, eu posso cadastrar o meu cartão de crédito internacional na opção forma de pagamento. Depois de efetuar as compras, basta excluir o meu cartão, para que o safado do meu sobrinho não compre games ao invés de aplicativos produtivos ou livros digitais.

No mundo do iPhone, a coisa é bem mais fácil. Eu tenho uma conta na App Store que está vinculado ao meu cartão de crédito, e de lá eu posso presentear o meu sobrinho com o aplicativo, bastando apenas cadastrar o seu emai. Claro que o aplicativo nunca vai chegar no Galaxy S, pois ele é incompatível com o sistema da Apple, mesmo assim deixo essa nota para lembrar a todos que tudo é possível nesse mundo, quando a gente tem dinheiro.

Androidz

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Céu x Inferno

Foi tudo muito rápido. A executiva bem-sucedida sentiu uma pontada no peito, vacilou, cambaleou.
Deu um gemido e apagou.
Quando voltou a abrir os olhos, viu-se diante de um imenso Portal.

Ainda meio zonza, atravessou-o e viu uma miríade de pessoas.Todas vestindo cândidos camisolões e caminhando despreocupadas. Sem entender bem o que estava acontecendo, a executiva bem-sucedida abordou um dos passantes:

- Enfermeiro, eu preciso voltar urgente para o meu escritório, porque tenho um meeting importantíssimo. Aliás, acho que fui trazida para cá por engano, porque meu convênio médico é classe A, e isto aqui está me parecendo mais um pronto-socorro. Onde é que nós estamos?


- No céu.


- No céu?...


- É.


- Tipo assim... o céu, CÉU...! Aquele com querubins voando e coisas do gênero?


- Certamente. Aqui todos vivemos em estado de gozo permanente.


Apesar das óbvias evidências nenhuma poluição, todo mundo sorrindo, ninguém usando telefone celular, a executiva bem-sucedida custou um pouco a admitir que havia mesmo apitado na curva.

Tentou então o plano B: convencer o interlocutor, por meio das infalíveis técnicas avançadas de negociação, de que aquela situação era inaceitável. Porque, ponderou, dali a uma semana ela iria receber o bônus anual, além de estar fortemente cotada para assumir a posição de presidente do conselho de administração da empresa.

E foi aí que o interlocutor sugeriu:

- Talvez seja melhor você conversar com Pedro, o síndico.

- É? E como é que eu marco uma audiência? Ele tem secretária?

- Não, não. Basta estalar os dedos e ele aparece.

- Assim? (...)

- Pois não?


A executiva bem-sucedida quase desaba da nuvem. À sua frente, imponente, segurando uma chave que mais parecia um martelo, estava o próprio Pedro.

Mas, a executiva havia feito um curso intensivo de approach para situações inesperadas e reagiu rapidinho:

- Bom dia. Muito prazer. Belas sandálias. Eu sou uma executiva bem-sucedida e...


- Executiva... Que palavra estranha. De que século você veio?


- Do 21. O distinto vai me dizer que não conhece o termo 'executiva'?


- Já ouvi falar. Mas não é do meu tempo.


Foi então que a executiva bem-sucedida teve um insight. A máxima autoridade ali no paraíso aparentava ser um zero à esquerda em modernas técnicas de gestão empresarial. Logo, com seu brilhante currículo tecnocrático, a executiva poderia rapidamente assumir uma posição hierárquica, por assim dizer, celestial ali na organização.

- Sabe, meu caro Pedro. Se você me permite, eu gostaria de lhe fazer uma proposta. Basta olhar para esse povo todo aí, só batendo papo e andando a toa, para perceber que aqui no Paraíso há enormes oportunidades para dar um upgrade na produtividade sistêmica.


- É mesmo?


- Pode acreditar, porque tenho PHD em reengenharia. Por exemplo, não vejo ninguém usando crachá. Como é que a gente sabe quem é quem aqui, e quem faz o quê?


- Ah, não sabemos.


- Entendeu o meu ponto? Sem controle, há dispersão. E dispersão gera desmotivação. Com o tempo isto aqui vai acabar virando uma anarquia. Mas nós dois podemos consertar tudo isso rapidinho implementando um simples programa de targets individuais e avaliação de performance.


- Que interessante...


- É claro que, antes de tudo, precisaríamos de uma hierarquização e um organograma funcional, nada que dinâmicas de grupo e avaliações de perfis psicológicos não consigam resolver.


- !!!...???...!!!...???...!!!


- Aí, contrataríamos uma consultoria especializada para nos ajudar a definir as estratégias operacionais e estabeleceríamos algumas metas factíveis de leverage, maximizando, dessa forma, o retorno do investimento do Grande Acionista... Ele existe, certo?


- Sobre todas as coisas.


- Ótimo. O passo seguinte seria partir para um downsizing progressivo, encontrar sinergias high-tech, redigir manuais de procedimento, definir o marketing mix e investir no desenvolvimento de produtos alternativos de alto valor agregado. O mercado telestérico, por exemplo, me parece extremamente atrativo.


- Incrível!


- É óbvio que, para conseguir tudo isso, nós dois teremos que nomear um board de altíssimo nível. Com um pacote de remuneração atraente, é claro. Coisa assim de salário de seis dígitos e todos os fringe benefits e mordomias de praxe. Porque, agora falando de colega para colega, tenho certeza de que você vai concordar comigo, Pedro. O desafio que temos pela frente vai resultar em um Turnaround radical.


- Impressionante!


- Isso significa que podemos partir para a implementação?


- Não. Significa que você terá um futuro brilhante... se for trabalhar com o nosso concorrente. Porque você acaba de descrever, exatamente, como funciona o Inferno...


Max Gehringer
(Revista Exame)

Clear: um programa super inteligente

Ao contrário da Bíblia que nos explica que todos viemos do ventre de nossas mães, e que estamos no planeta para superar os tropeços e que o nosso destino é pastar naquele lago que arde e cheira enxofre, finalmente chegou um programa que auxília no dia a dia de nossas vidas.

A nossa vida nada mais é que uma rotina. Toda manhã a gente tem que baixar as calças para tirar água do joelho, botar as calças no lugar para não expor o nosso vergonhoso joelho, escovar os dentes, pentear o cabelo, trocar de roupa, pegar o dinheiro da condução, tomar café, abrir a porta, trancar a porta, mas nada disso dá para colocar no Aplicativo Calendário, pois o intervalo é de cinco em cinco minutos, e todas essas tarefas tem que ser feito em, no máximo, três minutos. Ou seja, o Aplicativo Relógio também não ajuda a compor essa lista de tarefa pois o intervalo dele é de minuto em minuto.

O Clear é um programa bem simples, ele é um sofisticado editor de texto, e que custa US$ 0,99 na App Store. Ele oferece a possibilidade de criar listas de tarefas, o que está no topo é mais prioritário e que vem abaixo é menos prioritário. Pegando o exemplo acima, a lista ficaria assim:

Tirar água do joelho
Escovar o dente
Trocar de Roupa
Pegar o dinheiro da condução
Correr atrás do ônibus

Depois você pode agrupar tudo isso, e chamá-lo de Rotina Matinal. Ou seja, Clear nada mais é que um monte de listas. Ajuntando todas as listas, aí você chega no painel de controle do programa que explica como mudar as prioridades, mudar a descrição da lista ou da tarefa, ou seja, é coisa que dá para aprender em cinco minutos (se as dicas estivessem em português, dá para dominar o programa em dois minutos). No topo das listas, certamente que o título será "Caso de vida e morte", onde existe apenas uma única tarefa, é a que Jesus ensinou, quando veio na Terra há 2012 anos: Procurar Deus! O único problema é que você terá que escrever duas vezes, para poder ajuntar e subir no nível das listas.

iPhoneMod Brasil

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

O espírito do Adilson

Há exatamente 6.000 anos, Deus fez o céu e a terra, a luz, as árvores, as estrelas, os peixes, os pássaros, os animais, e finalmente no 6o. dia, ele fez o homem parecido com ele, com carne, osso e espírito, e baseado na primeira matriz, Deus arrancou das costas do homem a primeira mulher, podemos deduzir daqui que Deus tinha criado, no mínimo, dois espíritos.

Adão e Eva viveram setecentos anos, mas só tiveram dois filhos. Ou seja, fazer as plantas e os animais se multiplicaram era fácil, o problema era fazer o homem se multiplicar. O maior problema do Adão não era ausência da revista Playboy e nem a ausência do Viagra, mas o terrível peso na consciência, o de abraçar a irmã e sentir uma enorme culpa por praticar o incesto. Mas, enfim, nasceu Caim e Abel. Pergunta: de onde vieram os espíritos deles?

Até ontem, concluimos que os espíritos não tem coração, baseado nas premissas do anti-espiritismo que o Adilson quer nos ensinar. Baseado na equação de Einstein, também concluímos que a força da gravidade do planeta Terra não tem nenhum efeito sobre os espíritos, e só assim é possível o espirito se desencarnar. Ou seja, a força da gravidade age encima da carne cada vez mais podre e dos ossos que estão no caixão - nesse momento, a posição do espírito é x1, y1, z1, e a posição do defunto acompanha o planeta Terra em x2, y2, z2 ... x3, y3, z3... x4, y4, z4... Ou seja, a comunicação com o espírito só será possível quando a Terra voltar na posição x1, y1, z1, e isso pode acontecer daqui a 365 dias ou depois de vários séculos, talvez isso explique porque muitos mediúnicos se encontram com espíritos de vários séculos atrás.

Mas na teoria anti-espírita do Adilson, os espíritos também não tem força suficiente para dizer coisa alguma. Nesses 6.000 anos, bilhões de espíritos ficaram espalhados em torno da órbita do Sol, parados exatamente no mesmo lugar, quando eles desecarnaram. O único incoveniente é quando o espírito dos vivos colide com o espírito dos mortos. No começo, ninguém reclamava. Mas hoje o Adilson sofre com essas colisões que provocam zumbidos que não lhe deixam dormir, e por isso hoje ele é o anti-espírita mais famoso do planeta. Ou seja, ele está revoltado com Einstein que fez uma inútil equação que transforma matéria em energia, mas em nada ajuda a eliminar esse amontoado de espíritos espalhados na rota do Planeta Terra e que ficam zumbindo, zumbindo e zumbindo em seus ouvidos.

Dúvidas X Certezas

domingo, 12 de fevereiro de 2012

Esse tal de Arduíno

Por Tatiana de Mello Dias

Como uma plataforma aberta criada para estudantes impulsionou o hardware livre ao atrair curiosos e fãs de eletrônica que querem construir seus próprios aparelhos

Sábado, 11h, 30 graus. O calor em São Paulo estava quase insuportável, mas em um casarão no bairro Santa Cecília, ele não foi páreo para placas, fios e circuitos – trio que centralizou as atenções dos presentes. Na Oficina Arduino 100 Noção, todos os olhares estavam fixos nas entradas da protoboard, placa usada para o aprendizado de eletrônica.

Eles estavam lá para entender o que é, afinal, o Arduino, plataforma que populariza o conceito de hardware livre. Assim como o software, o hardware open source é desenvolvido de forma aberta, sem patentes, e seu projeto pode ser recriado de diferentes formas. E, depois dos conceitos, vem a prática. Tudo o que todo mundo queria, naquela manhã, era só uma coisa: fazer que a luzinha da placa acendesse.

A oficina ocorre quinzenalmente no Garoa Hacker Clube, comunidade de amantes de eletrônica que funciona no porão da Casa de Cultura Digital. Quem dá as aulas é o desenvolvedor Cláudio Miklos, membro do clube fundado no começo de 2011. Ele não pediu autorização para começar a dar as oficinas sobre uma de suas paixões.

Criado em 2005, o Arduino surgiu como um projeto para estudantes. Aprender eletrônica era caro: um microcontrolador custava 100 euros. Por isso estudantes do Instituto de Design de Interação de Ivrea, na Itália, decidiram fazer sua própria placa. Buscaram colaboradores e, assim, Massimo Banzi criou uma tecnologia eficiente e acessível, compatível com Windows, Mac e Linux. As placas foram feitas em dois dias. Chegou a hora de fazer um software que as fizesse conversar com o computador. “Surgiu a vontade de fabricar algo de maneira mais profissional”, diz Gianluca Maertino, cocriador da plataforma, no filme Arduino, o Documentário. Logo as placas começaram a ser vendidas – sem perder sua característica livre: qualquer um poderia recriá-las, desenvolvê-las e fazer qualquer coisa com aquilo.

É isso o que permitiu o surgimento de oficinas como a de Cláudio Miklos. Uma placa de Arduino custa cerca de R$ 100. Mas o padrão aberto permite que ela seja reproduzida e conectada ao software, barateando ainda mais a produção. Naquele sábado, os alunos trabalhavam em um kit que não custou mais do que R$ 30. E ali cada um tinha um objetivo diferente.

“Quero virar nerd de Arduino”, brincou a estudante de artes Aline Arcuri. Ela foi à aula por indicação de um professor da faculdade. Interessada em arte eletrônica, quer aprender a usar a plataforma para criar uma “floresta de LEDs” na Voodoohop, festa alternativa paulistana. “Arduino está em alta, mas não tenho muita paciência. Quer dizer, não tinha. Estou me forçando a ser nerd. Se tivesse ido para a balada ontem, hoje não estaria entendendo nada”, riu.

O analista de sistemas Dorival Lopes quer automatizar o acendimento das luzes da sua casa. “É muito caro comprar essas coisas”, disse, enquanto quebrava a cabeça para descobrir qual conexão estava errada – o seu LED não acendia. E acender a lâmpada é o primeiro indício de que a placa montada pelos alunos está funcionando.

“Não precisa ser nenhum gênio”, disse Miklos, forçando os alunos a testar uma a uma as conexões da placa atrás dos problemas. O primeiro LED a acender foi o do bancário Leonardo Luciano Silva. Ele é um aluno aplicado. Quer entrar para o Garoa Hacker Clube, mas precisa de uma indicação de um sócio – enquanto isso não acontece, ele frequenta os eventos ajudando os outros alunos.

“Acendeu!”, comemorou Rodolfo Araújo, também analista de sistemas. Ele tem um objetivo ambicioso: quer montar uma estação meteorológica na laje de sua casa e enviar as informações para a web, para oferecer previsão do tempo à região de Guarulhos. “Depois que se aprende a falar, o céu é o limite”, disse.

A placa de Arduino comprada pronta já vem com o LED funcionando e outras saídas – como USB e Bluetooth. Mas a ideia da oficina é mostrar aos alunos que é possível criar a própria placa – e desenvolver interações a partir dela. “Fazer nessa plaquinha dá muito mais noção do que está acontecendo”, disse Aline, a última a conseguir acender o LED – sem um pingo frustração. “Fazer hardware aberto é se divertir”, diz Miklos. “O Arduino é uma forma de entender o que está dentro dos eletrônicos e pegar o controle de volta”, diz o professor do ensino médio Joan Carlos de Mena no documentário.

Para todos. A revolução do Arduino vai além do hardware. Seu software transforma uma linguagem relativamente fácil para humanos (um C simplificado) em outra língua, mais difícil para homens, mas mais fácil para o hardware entender. Isso simplifica a criação de comandos para a placa, que vai conversar com o ambiente via sensores (de presença e temperatura) e pode ser conectada a outros objetos (até a um celular Android).

Por ser open source, há uma grande biblioteca de comandos. Quem cria um robô, objeto de arte, impressora 3D ou qualquer outro objeto físico para Arduino contribui com funções para a biblioteca. É conhecimento sobre conhecimento, o mesmo princípio do software livre.

Quando ouviu falar da plataforma, o programador Zach “Hoeken” Smith pensou de cara em uma máquina que fabricasse objetos. Ele não entendia muito de eletrônica, mas deu certo. E hoje sua empresa, a Makerbot, vende impressoras 3D a um preço acessível (cerca de US$ 1 mil). É a única do tipo. A Makerbot pega um projeto de objeto em 3D e, com múltiplos Arduinos, funciona como um robô recriando o projeto em plástico. Se o projeto do objeto for open source, então os objetos também serão abertos. “O que nós tentamos fazer é tornar tudo open source”, diz Smith.

Como o Arduino é a primeira plataforma a adotar o conceito de hardware aberto, os padrões ainda são nebulosos. “A questão de open hardware ainda é complicada, não existe ainda uma licença”, diz Massimo Banzi. Mas, se o ritmo de desenvolvimento continuar o mesmo – hoje há 120 mil usuários do Arduino, contando só a placa oficial – a expectativa de seus criadores é que, em dez anos, apareça o primeiro computador Arduino. “Por que não?”, brinca David Cuartielles, cocriador da plataforma.

O Estado de S Paulo

Adilson, Matéria, Energia & Cia

Agora, o Adilson questiona a tese da Selma, segundo a qual o espírito é o equivalente à energia, estudado por Einstein entre 1879 e 1955. De acordo com o Einstein, se você colocar o Adilson (m = 120 kg) numa catapulta e arremessá-lo a 300.000 km/s ao quadrado, é nessa hora que você transforma matéria em energia.

O problema é como chegar nessa espantosa velocidade.

Se você pegar o Adilson no topo de um prédio de 10m de altura e empurrá-lo, ele vai chegar no chão em apenas um segundo. Usando a equação de Einstein, você precisaria procurar um prédio de 300.000 km de altura, para ver se consegue fazer o Adilson chegar no solo em apenas um segundo. O problema é que o planeta Terra tem apenas um perímetro de apenas 12.600 km, logo é impossível transformar o Adilson em energia, principalmente aqui que simplifiquei a equação na primeira potência e não na segunda potência.

Mais uma vez o Adilson tem razão. Não existem espíritos que andem a 300.000 km/s, tudo elevado ao quadrado. Se existissem, não seriamos capazes de enxergá-los ou ter tempo para resgatar qualquer mensagem que eles gostariam de nos transmitir.

Pulsação espiritual

Eu vejo apenas as primeiras linhas dos comentários do Vai Volta com o Adilson, e pelo que pude estrapolar, cheguei à conclusão de que o Adilson custa a acreditar que o espírito tem as mesmas funções orgânicas que o nosso corpo tem, tipo, que seja capaz de andar, abrir portas ou mandar um beijo, tocando os lábios na palma da mão.

Eu não sei praticamente nada do espiritismo e menos ainda do Adilson. Já faz mais de dez anos que acompanho esse rapaz, e o máximo que consegui foi imaginar que é careca (a tese do Filósofo no Terra), é pai de um moço que foi perseguido por uma bela gata e que acabou encarando o Adilson, frente a frente.

Mas lá na Paróquia, sempre ouço o Padre Magalhães afirmar que o Espirito de Deus está presente em todos os lugares e é ele que nos protege de todo o mal. Já frequento a Paróquia desde os meus 25 anos e hoje estou com 53 anos, e confesso que a definição de Deus em Pai+Filho+Espírito é complicado para mim, tanto quanto a "evolução espiritual" que o Dr Esio tanto defende.

Mas hoje usei o programa AcroBible no iPhone e pedi para localizar na Bíblia alguma mensão sobre o "coração do espírito", e o programa retornou que não existe nenhuma mensagem usando exatamente essas palavras. Ou seja, se o Adilson se reporta apenas aos textos bíblicos, podemos concluir que ele está certo. Nenhum espírito tem coração, de acordo com a Bíblia, logo não faz sentido em falar de pulsação espiritual.

Também baixei o programa Livro dos Espíritos no iPhone, de Allan Kardec. Também procurei o texto "coração do espírito" e o iPhone não achou nenhuma ocorrência com essa palavra. Ou seja, o Adilson está completamente certo. O espírito não tem coração nem na Bíblia e muito menos no famoso texto de Allan Kardec.

Como atualizar o iPhone?

Tem uma mensagem nesse fórum de um rapaz com o iPhone 3GS e ele perguntou se a Maria leva alguma vantagem em atualizar o iOs de 3.1.1 para o 5.0.1. A melhor resposta foi a de que as novas versões consertam bugs encontrados no caminho, mas o rapaz decidiu não atualizar, porque ele só precisa das funções básicas do iPhone, o celular, o Safari, e só.

Aqui em casa, eu tenho um outro usuário que tem iPhone 4 com iOs 4, é a minha sobrinha, e ela gostou do iOs 5, só que eu não tenho a menor ideia de como atualizar o iPhone dela.

Para atualizar o iPhone são necessários três pré-requisitos: um PC, uma conta no iTunes e uma conexão decente com a Internet. Ela não tem nada disso. Ela tem essa tranqueira chamada Netbook, ela não tem cartão de crédito e a conexão da Telefonica só alcança a velocidade de 30 kb/s aqui em casa.

Mas, enfim, ela está feliz com o iPhone que comprei para ela. O iPhone é para ela símbolo de status, só uma pessoa muito rica é que tem esse aparelho. Ou seja, ela não tem a menor ideia do que seja um iPhone, onde o núcleo do relacionamento está entre o usuário e o portal do iTunes, e não o aparelho em si.

A minha sobrinha já trabalha e o banco também ofereceu um cartão de crédito, mas ela morre de medo de ter o seu cartão. Ela é uma consumidora compulsiva, gosta de comprar roupas, e sempre tem um carnezinho para pagar na Renner. Ou seja, o cartão de crédito iria transformar a vida dela num desastre financeiro. O máximo que pude fazer foi sincronizar o iPhone dela com a minha conta, e de vez em quando ela pede para eu digitar a senha para atualizar um ou outro programa. Agora, mudar o sistema nessas condições, é complicado. Não posso sincronizar simplesmente com o meu micro novamente porque isso iria acabar com as informações que já gravou no iPhone e que são importantes para ela.

Ou seja, essa é uma boa razão para você não atualizar o sistema: você não tem conta no iTunes, não tem um micro decente e você é usuário da Telefonica. Pelo menos, o iPhone faz a sua função de celular bacana, mesmo que completamente desatualizado.

iPhoneMod Brasil

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Todo médium é gay?




A sociedade não aceita -  principalmente – que homens decidam passar a vida sozinhos, sem viver com uma companheira. Esse tipo de discriminação existe também em relação às mulheres, mas é mais leve.

Portanto, muitos são  aqueles que criticam homens/mulheres que não se casaram e decidiram por passar a vida no planeta Terra vivendo por outros propósitos que não constituir família.

Os brasileiros (talvez todos os latinos) não aceitam muito bem homens que têm um comportamento mais educado, procuram dar mais valor aos machões. Isso pode ser comprovado pelas cenas que se vê em programas de TV.

Ontem mesmo em uma chamada do Big Brother, falava-se de um casal, onde se atribuía o papel masculino à  moça e o feminino  ao rapaz. Por quê?
Ora, porque o rapaz apesar de fortão e tatuado, era chorão. Chorava em vários momentos, onde se podia ver as lágrimas escorrendo pelo rosto. E a moça era mais cerebral, era ela quem decida os passos do jogo. Não me perguntem nomes, pois eu detesto o Big Brother, para mim é um dos piores programas da TV e não assisto. O que sei é apenas o que vejo nas chamadas da TV e pequenos comentários na internet.
Bem, concluindo o raciocínio... Segundo a preferência nacional, não basta o cara ser fortão, sarado, bonito, lutador de MMA. O cara tem que mostrar que é macho, através de atitudes. Não pode chorar, imagino que tem que ser mal educado, cuspir no chão, arrotar, palitar os dentes...

Na novela das 9, chamada “Fina Estampa”,  há um motorista tipo machão. No começo da novela ele batia na esposa e foi até preso. Houve um movimento de mulheres ofendidas que denunciaram a novela e exigiram que o personagem fosse tirado do ar. O autor manipulou o personagem de tal maneira, que agora ele caiu no gosto popular. Por quê? Ora, agora ele vive em eterna briga com um personagem gay, chamando-o de biba, gazelinha, e outros apelidos. Dizem que isso agradou os telespectadores e agora o personagem machão  “Baltazar” faz sucesso na novela.


Em relação aos médiuns espíritas famosos, no caso como exemplo Chico Xavier e Divaldo, os critérios usados para definir a masculinidade são os  mesmos. Como nunca se casaram e não constituíram  família, são taxados de “homossexuais”. Como não apresentam comportamento de “machos”, tais como a sociedade determina, são chamados de gays.

Se são gays, isso não diminui em nada o valor desses homens. O valor deles está na moralidade das palavras, dos livros e das palestras. Ser gay não é problema para um homem. Assim como ser branco ou preto. Pobre ou rico. O que eu estou  tentando dizer aqui é sobre a maneira preconceituosa como a sociedade vê e classifica as pessoas apenas através do método visual, sem se atentar aos detalhes mais significantes de sua vida.

Jesus Cristo não se casou. Paulo de Tarso também não. Parece que o Diabo também não é casado...
Sobre Paulo de Tarso , dizem que ele era homossexual... Já ouvi muitos estudiosos da Bíblia falar sobre isso. Ele alegava não ser casado e parece que pedia também para que os homens não se casassem. E dizia:

“Mas, se não podem conter-se, casem-se. Porque é melhor casar do que abrasar-se. 1 Coríntios 7:9”

Ele aconselhava aqueles que não podiam conter-se, a se casar. Entendo que com isso ele queria dizer que ele podia “conter-se”, e nunca se “abrasava” .  Ou seja, não precisava de sexo.


Dizem também que ele foi apaixonado por uma irmã de  Estevão (que antes parecia se chamar Jesiel). Mas ela não o quis, talvez porque ele mandou apedrejar o Estevão (Atos dos Apóstolos)  ou porque ela morreu de uma doença grave... Ou porque –dizem os historiadores – Paulo era baixinho e feio e ela era muito bonita, inteligente e virtuosa.

Bem, de qualquer modo, Paulo disse que se casassem somente aqueles que não podiam conter-se. Entendo que o Chico Xavier podia conter-se e assim ele o fez: não se casou. Dedicou uma vida inteira a ajudar os pobres de corpo e de espírito.
Casou-se com seus propósitos.






Pitakas 11

Bom dia.
Estou ausente,entre outros motivos,por estar reescrevendo  textos velhos,no outro blog-

Sei que estão saudosos do aventureiro que saiu um dia de casa,em busca da espiritualização.
Ele encontrou o que desejou, mas reparem numa coisa,

-para alcançar o objetivo,viveu histórias iguais às que  passamos, de uma forma mais diluída,em busca do mesmo sonho.
A "vinculação ao sagrado",traz dificuldades aos  postulantes,mas a cada etapa vencida, a vida melhora por bastante tempo,e somos até mais felizes,do que éramos antes de "procurarmos por Deus".
Então começamos uma outra parte do nosso postulado,e nos sobrevêm novas "faturas".
O importante,é que cada dia,é  uma evolução e uma melhoria,para nós.

Sri Santinho quis enfrentar "sua barra pesada" de uma vez.
Conseguiu,venceu- e foi "feliz para sempre" depois.
Há um monte de  exemplos semelhantes aos dele.
Há tantos budas no universo,quanto grãos de areia,numa praia.
Mas,os "pequenos  budas" que somos nós,também tem os seus ...caminhos.
A nós,não é recomendável o autosacrifício.
Podemos praticar uma religião em nome de uma felicidade compreensível por nós,(e mais rápida),mas então saberemos que a  vinculação específica a valores morais nobres,também exigirá com frequência,uma inclinação nobre de caráter,aplicada à prática.
Isso,umas vezes,é ...o desafio.
E  é um bom exercício,que depois de findo,nos deixa mais calmos,em função do cumprimento do dever.

Por ora é só.
Uma ótima "jornada espiritual" a todos nós,hoje.
Oportunamente,voltarei.

-srta Nihil

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

O sétimo capítulo de Romanos

Ao contrário do Mateus que narra a presença de Jesus na história de Israel, o texto do Paulo extrapola o campo da simples narrativa. Nesse capítulo, ele começa com o triste exemplo da mulher que tem milhares de obrigações com o marido e Paulo afirma que todas essas obrigações encerram, quando o chifrudo bate as botas. A seguir vem uma longa explicação de que quem vive em Cristo, valorizando o lado espiritual que há em nós, também estará livre das obrigações que o pecado impõe em nossas vidas, principalmente aqueles que priorizam o desejo da carne.

É um texto para lá de complicado.

Mesmo assim, o que eu consegui entender é que existem dois mundos dentro de nós, o da carne, que de nada serve para os propósitos do Senhor dos Exércitos porque vai virar pó, e o lado espiritual, aquele que enxerga muito além do horizonte dos nossos olhos, ouve muito além do silêncio do Universo, e, quem sabe, é capaz de reencarnar, sem precisar de prévia autorização daquele que detém o Livro da Vida.

No tempo do UOL-Terra, o professor nos ensinou que somos apenas carne, osso e um monte de complicações, que esse negócio de espírito nada mais é que a materialização do nosso medo doentio de morrer, e a única saída para acabar com o baixo QI é usando a forca para os políticos que não valorizam o estudo, pois é a única arma eficaz que combate o atraso religioso e que só perpetua essa relação de dependência que nos deixam cada vez mais pobres e os padres cada vez mais ricos.

Apesar da visão de mundo do professor ser bem prática e experimentável, eu admiro os padres que improvisam um monte de sermão para entender o Paulo. Para mim, Paulo é incompreensível, mas a sua forma de escrever em zigue-zague, aliás coisa que lembra bastante a Srta Nihil, é que me inspira a escrever textos mais simplistas e infantis: esse negócio de acreditar que o homem foi na Lua ou de acreditar que é possível fazer transfusão de resina perispirita, isso tudo em nada me ajuda a idolatrar menos o iPhone e idolatrar mais a Santa Tereza de Ávila. Ou seja, se entendi alguma coisa do sétimo capítulo do Paulo, posso concluir que estou muito longe do que ele esperava de mim. Acho que só é possível se livrar do pecado, quando nós virarmos pó. Não basta simplesmente acreditar que o Chefe venceu a morte, e muito menos praticar boas obras, principalmente quando eu tenho pouca vontade de fazê-las.

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

De quantos repositórios eu preciso?

Nesse fim de semana, eu vi uma dica de como tornar o Cydia mais rápido na hora de sincronizar o seu banco de dados com os repositórios do mundo inteiro. A dica aconselhava a não acrescentar muitos repositórios no Cydia. Aí, eu pensei numa maneira melhor: o de retirar os repositórios desnecessários.

Eu sei que instalei três aplicativos: NoNewsIsGood, SBSettings e iFile. Para saber a qual repositório eles pertencem, eu fui na pasta Manage / Packages do Cydia, e lá descobri que existem dezenas de aplicativos instalados no iPhone. Olhando um por um, criei a seguinte lista:

Big Boss, Cydia/Telesphoreo, Unknown/Local e BENM.AT

Acredito que existe uma relação de dependência entre aqueles aplicativos e os aplicativos que eu instalei, assim achei melhor não mexer neles e, por tabela, também não mexi nos repositórios indicados por esses aplicativos.

Assim, da pasta Sources, retirei os seguintes repositórios: DevTeam, i.danstaface, ModMyi, Site Officiel de iPhone, ZodTTD

e agora o Cydia gasta apenas 30 segundos para sincronizar; claro que a janela oferece menos produtos, mas pelo menos não fico mais perdendo tempo procurando um iSwype ou iBluetooth ou iSearcher for iPhone que não funcionam no iOs 5. No caso do iSearcher, eu comprei no App Store Contact Power Search por US$ 0,99. Pouco a pouco, o App Store está tomando o espaço do Cydia, agora só falta a Apple liberar a venda do SBSettings, iFile e NoNewIsGood pelo App Store para acabar de vez com a novela do Jailbreak.

iPhoneMod Brasil

domingo, 5 de fevereiro de 2012

Como mandar torpedo pelo celular?

Hoje fiz um teste com o iPhone 4 iOs 5 e o Galaxy S Android 2.3. Mandei uma mensagem do Galaxy para o iPhone, "Adilson é moço", e chegou do mesmo jeito no iPhone. Fiz o inverso, e o Galaxy recebeu assim "Adilson i mogo". Não sei como fazer o Galaxy receber o torpedo do mesmo jeito que o iPhone escreveu. A melhor solução é eu mudar a forma de eu escrever textos, esquecer os acentos.

Eu até montei um programa em Basic, para converter os meus textos acentuados em textos não acentuados. Olhá só que horror ficou:

Public Function TextoCSV(strTexto As String)
'Usar a instrução Option Compare Binary no início do módulo de programação
Dim iTam As Integer
Dim iCont As Integer
Dim strLetra As String
iTam = Len(strTexto)
For iCont = 1 To iTam
 strLetra = Mid$(strTexto, iCont, 1)
 If Asc(strLetra) > 47 And Asc(strLetra) < 126 Then
  TextoCSV = TextoCSV + strLetra
 Else
  Select Case strLetra
   Case " "
    TextoCSV = TextoCSV + strLetra
   Case """"
    TextoCSV = TextoCSV + "'"
   Case "ã"
    TextoCSV = TextoCSV + "a"
   Case "Ã"
    TextoCSV = TextoCSV + "A"
   Case "à"
    TextoCSV = TextoCSV + "a"
   Case "À"
    TextoCSV = TextoCSV + "A"
   Case "á"
    TextoCSV = TextoCSV + "a"
   Case "Á"
    TextoCSV = TextoCSV + "A"
   Case "é"
    TextoCSV = TextoCSV + "e"
   Case "É"
    TextoCSV = TextoCSV + "E"
   Case "ê"
    TextoCSV = TextoCSV + "e"
   Case "Ê"
    TextoCSV = TextoCSV + "E"
   Case "í"
    TextoCSV = TextoCSV + "i"
   Case "Í"
    TextoCSV = TextoCSV + "I"
   Case "ó"
    TextoCSV = TextoCSV + "o"
   Case "Ó"
    TextoCSV = TextoCSV + "O"
   Case "ô"
    TextoCSV = TextoCSV + "o"
   Case "Ô"
    TextoCSV = TextoCSV + "O"
   Case "ú"
    TextoCSV = TextoCSV + "u"
   Case "Ú"
    TextoCSV = TextoCSV + "U"
   Case "ç"
    TextoCSV = TextoCSV + "c"
   Case "Ç"
    TextoCSV = TextoCSV + "C"
   End Select
  End If
 Next iCont
End Function

O interessante é que o programa não funcionou, descobri que é necessário definir uma instrução Option Compare Binary para que o PC distingua um cedilha maíusculo do minúsculo. Resumindo, se você usar o torpedo, evite acentuações, mesmo que a pessoa que vai receber a mensagem também tenha um iPhone. Fiz um teste com a minha sobrinha que tem um iPhone 4 iOs 4, e ela recebeu a mensagem sem acento.

Claro que muita gente aqui ficou muitos anos aprendendo a ler, a escrever e fazer contas com uma das línguas mais belas do mundo, e é triste não poder usar nada disso no nosso celular. Esse é o preço do imperialismo da Google, da Apple, temos que nos submeter ao American Way to Read, to Write and to Calculate. It's very sad. iPhoneMod Brasil

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Pensamento do dia

"A morte não é a maior perda da vida.
A maior perda da vida é o que morre dentro de nós enquanto vivemos."
(Dalai Lama)

Espírito é energia (Especial para 233)

Dra. Selma, como a senhora imagina o corpo astral (um espírito desencarnado ou simplesmente emancipado do corpo e passeando pelo mundo espiritual)?

1)Tem sangue perispiritual circulante?
R: Claro que não... Espírito não precisa de sangue.

2)Pode um corpo astral sofrer de hipertensão arterial?
R: Não, visto estar desencarnado.


3) Poderia haver transfusão de sangue perispiritual entre dois desencarnados?
R: Mais uma vez a resposta é não.





Na obra "Missionários da Luz" - André Luiz ( pág. 221 - Edição FEB), lemos: "O corpo perispiritual, que dá forma aos elementos celulares, está fortemente radicado no sangue. O sangue é elemento básico de equilíbrio do corpo perispiritual." Em "Evolução em dois Mundos", o mesmo autor espiritual revela-nos que os neurônios guardam relação íntima com o perispírito.

O sangue transporta a Hereditariedade, tem fundamental importância nos enlaces cármicos coletivos e individuais:" Na organização fetal, o patrimônio sangüíneo é uma dádiva do organismo materno. Logo após o renascimento, inicia-se o período de assimilação diferente das energias orgânicas, em que o “eu” reencarnado ensaia a consolidação de suas novas experiências e, somente aos sete anos de vida comum, começa a presidir, por si mesmo, ao processo de formação do sangue, elemento básico de equilíbrio ao corpo perispirítico ou forma preexistente, no novo serviço iniciado. O sangue, portanto, é como se fora o fluido divino que nos fixa as atividades no campo material e em seu fluxo e refluxo incessantes, na organização fisiológica, nos fornece o símbolo do eterno movimento das forças sublimes da Criação Infinita. Quando a sua circulação deixa de ser livre, surge o desequilíbrio ou enfermidade e, se surgem obstáculos que impedem o seu movimento, de maneira absoluta, então sobrevém a extinção do tônus vital, no campo físico, ao qual se segue a morte com a retirada imediata da alma" - Missionários da Luz - André Luiz.



Einstein deu a conhecer sua teoria especial da relatividade. Nela, o grande cientista estabeleceu que " matéria e energia são apenas duas manifestações diferentes da mesma realidade física fundamental e que podem converter-se, uma em outra, segundo a equação: E = m.c2 ".

Onde: E=energia / m=massa / c=velocidade da luz

Espírito é energia.
Energia é igual à massa x velocidade da luz ao quadrado...

Pense sobre isso.




(Selma)





quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

A educação dos filhos

Como educar os filhos diante das diversidades?

• Pai: Que você vai ser quando crescer, filho?
• Filho: Presidente da República, pai.
• Pai: Puxa, filho, que legal. Mas por quê?
• Filho: Pra não precisar estudar.
• Não, filho, não é bem assim. Precisa estudar muito.
• Então quero ser vice-presidente.
• Vice, filho? Por que?
• Pra não precisar estudar. O José de Alencar também só foi até a quinta série primária. Já posso parar.
• Não é assim, filho. Ele trabalhou muito e aprendeu.
• Pai, todo mundo que se dá bem não estudou: o presidente, o vice, a Xuxa, o Kaká, o Zeca Pagodinho...
• É que eles têm um talento...
• Ah, entendi, estudar é para quem não tem talento?
• Não, filho, pelo amor de Deus. Artista é diferente.
• O presidente e o vice não são artistas.
• Não, quer dizer, o presidente, de certo modo, até é.
• Se eu estudar, vou ganhar mais do que o Kaká?
• Menos.
• Ah, é? Então quero ir já para a escolinha.
• Você já está numa boa escola, filho.
• Quero ir pra escolinha de futebol.
• Não, filho, você precisa estudar muito. A escola abre caminhos para as pessoas. Pode-se viver dignamente. Filho, você precisa ter bons valores. Pense numa profissão, numa coisa honesta e que seja respeitada. Não quer ser médico, dentista ou, sei lá, engenheiro?
• Não. De jeito nenhum. Tô fora, pai!
• Mas por que, filho?
• Eles nunca vão ao Faustão.
• Isso não tem importância, filho. Que tal bombeiro?
• Vou querer ser astronauta ou jornalista.
• Hummm... Jornalista? Por que mesmo, filho?
• Não precisa mais ter diploma pra ser jornalista. Mas... Pensando melhor, acho que vou ser corrupto.
• Meu Deus, filho, não diga isso nem de brincadeira!
• Na TV disseram que ninguém se dá mal por causa da corrupção e que tudo sempre termina em pizza. Adoro pizza. Quando for corrupto, pedirei só de quatro queijos.
• Ser corrupto é muito feio, meu filho.
• Ué, pai, se é feio assim, por que Brasília está cheia deles e quase todos conseguem ser reeleitos?
• É complicado de explicar, filho. Mas isso vai mudar.
• Quero ser corrupto e praticar nepotismo.
• Cale a boca, filho, de onde tira essas barbaridades?
• É só olhar a televisão, pai. O Sarney pratica nepotismo e é presidente do Senado. Ninguém pode mexer com ele.
• Mas você sabe o que é nepotismo, filho?
• Sei. É empregar os parentes da gente.
• E você quer fazer isso?
• Claro. Assim, ia acabar com os vagabundos da família. Se eu te arrumar um emprego, você deixa?

"De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto." (Rui Barbosa - 1914)

Câncer bucal

Gostaria de ler um comentário da dra. Selma a respeito.>>


Existe um termo médico chamado “apoptose”, que muitos chamam de “suicídio celular”, que é entendido como o tempo normal de vida de uma célula num organismo, para depois essa célula morrer e ser substituída por uma nova.

As células de um feto, por exemplo, sofrem apoptose., até que esse feto se torne embrião. Muitas morrem, para dar lugar a outras novas. As células da cauda do girino sofrem apoptose para que  ele se torne sapo.
As células da pele humana sofrem apoptose  numa média de 10 dias aproximadamente, quando são renovadas.
Quando se  machuca a pele, elas também se removam, mas porque sofreram “necrose” e não apoptose.

Nem toda célula reproduzida com falha é cancerosa. Há tumores malignos e sem malignidade. Há células alteradas  geneticamente que não se transformam em câncer.




“Há um momento em que a produção leva vantagem sobre a eliminação, e o segredo deve ser descobrir o motivo disso. “
Realmente, há um momento em que a produção leva vantagem sobre a eliminação. Qual o segredo?
Vamos tomar como exemplo o Carcinome Epidermóide, que é o tumor mais comum da cavidade bucal. Ele acontece geralmente em homens, depois dos 55 anos, e geralmente ocorre na lateral da língua. Por que geralmente em homens? Porque eles fumam mais, bebem mais... O sistema de classificação do câncer é o TNM, onde
T= Tamanho
N= quantidade de gânglios(linfonodos regionais ) atingidos (Nódulos)
M= Metástases (quantidades)

Não vou postar a imagem aqui, pois não é o propósito desse blog e a imagem é chocante demais.
Causas: fumo, álcool, péssima higiene bucal, predisposição genética, sexo masculino, idade. Nem sempre é necessário todos esses requisitos.

Por que há proliferação exagerada das células, sem que haja apoptose e elimine o mal?
  1. A fumaça quente do cigarro irrita as células e produz modificações genéticas, necrose e renovação celular mais rápida. Elas morrem por necrose e não por apoptose (suicídio).
  2. O álcool  produz renovação celular rápida, pois desidrata as células.
  3. A falta de higiene (falta de escovação) ajuda anão remover os resíduos de álcool e cigarro.
  4. A predisposição genética facilita a malignidade (está no código genético).
São, dessa forma, muitos os fatores que colaboram para a carcinogênese (formação do câncer), sem chance de renovação celular benéfica. Os pacientes que possuem esse câncer precisam  que ele seja removido cirurgicamente e depois quimioterapia e radioterapia. Chance de sobrevivência: 55%. Ou seja, pode viver ou morrer... pois 55% não significa muita coisa.


Outro tipo comum de câncer bucal é  a queilite actínica. Uma lesão que acomete mais o vermelhão do lábio inferior. Causada por exposição excessiva ao sol. Acomete geralmente moradores de zona rural ou aqueles que trabalham sob o sol. Aparece uma feridinha que não sara e sangra. Só aumenta, nada a faz diminuir. Isso tem um curso rápido, 15 dias mais ou menos. E acomete mais homens que mulheres. Por que?
  1. A grande maioria das mulheres, mesmo as que trabalham na zona rural usam batom, o que protege das radiações UVB.
  2. Os homens fumam mais que as mulheres, e isso ocorre onde se coloca o cigarro, também devido ao calor da fumaça.
  3. O álcool ajuda a piorar.
  4. Pacientes de cor branca, pois são mais sensíveis aos raios solares.
  5. Predisposição genética.



    O ex-presidente Lula está com um câncer de laringe. Quais foram as causas?
     1. cigarro
     2. álcool
     3. predisposição genética.


Infelizmente na formação do câncer, atuam muitos agentes que facilitam a carcinogênese. São muitos e agem mais rapidamente que o turnover (rotatividade) natural das células. Talvez aí se aplique a frase de Paulo: "O salário do pecado é a morte." Isso se considerar pecado o fumo, o álcool e a falta de higiene... Mas e a genética? Onde se aplica?  Na lei da reencarnação? (rsrs!)


 -Sonia-