segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Obrigado, Senhor, por 2012

Eu tenho um monte de problemas, e acho que não consegui resolver nenhum deles. O mais difícil é o que escrever na internet - eu só escrevi groselha, na esperança de ficar famoso e rico, mas o máximo que consegui foi esvaziar esse blogue, o Adilson sumiu, o Vai Volta sumiu e até o Sr MB, que gostava de perguntar sobre á ardência do meu orgulho, também sumiu. Estou anônimo e pobre.

Foi mais um ano perdido, e como em todos os anos que já passaram, o máximo que sei fazer é empurrar os velhos problemas para esse novo ano que vem chegando. Provavelmente, 2013 não será diferente. Eu gostaria de escrever a alegria da vida, mas enfrento essa forte autocensura, que me cobra a resolução dos problemas.

Durante várias noites, eu liguei o rádio. Mas lá também não tive sorte. Quando alguém comentava sobre as suas crônicas que o Senhor nos deixou há muito tempo, logo o interlocutor falava sobre contribuição, dando o nome do banco, a agência e o número da conta. Bem que eu gostaria de fazer o mesmo nesse blogue, mas foram tão poucos os comentários, a maior parte vaiando o que escrevi, que morro de vergonha em pedir algum trocado para a Selma, a Nihil ou outro leitor que apareceu aqui por acidente.

Tem muita gente que já divulga a sua Crônica, e faz de graça. Veja o Sr Adilson, por exemplo, ele não só cita o número da página e o número do versículo, mas ele também traz um pouco da versão original em aramaico. Eu não tenho como competir com ele. Ele vive me alertando que os bonecos de gesso não tem alma e que, portanto, eles nada podem fazer para resolver os nossos problemas, eu já acho que eles ajudam a enfeitar o meu porão, muitas vezes sinto que o notebook está aquecido, e uso o boneco de gesso para calçar o notebook e tento ajudar o cooler a refrigerar. Ele acha um absurdo eu afirmar que a Santa Tereza de Ávila conserta o meu PC.

Enfim, eu devo tudo ao Senhor, principalmente essa chance que eu tive de tentar resolver os meus problemas em 2012. Peço desculpas por não conseguir resolver nenhum deles, por não ser um bom exemplo de como aproveitar esse fantástico milagre chamado vida e assim melhorar a sua reputação aqui na Terra, preciso melhorar o meu talento e principalmente esquecer o meu orgulho, isso sim que é o meu maior problema.

Espero que o Senhor me ajude a me livrar do meu orgulho em 2013.

Amém.

domingo, 30 de dezembro de 2012

Galaxy Note II

Esse celular é enorme e pouco prático, ele fica muito apertado dentro do bolso. O celular toca, e você leva um tempão para tirar do bolso, e quando você consegue, o camarada desiste de esperar você e encerra a chamada. O ruim não é perder a chamada, o ruim é ter que botar o celular no bolso, novamente.

Ouvi dizer que a Samsung conseguiu vender mais de dois milhões desse aparelho, é um número fabuloso, e há um forte boato que em 2013 a Samsung vai desenhar o Galaxy S IV com S Pen, ou seja, ela vai reduzir o tamanho e mostrar a Steve Jobs que a era da canetinha está de volta.

Lá na Apple, ouvi dizer que já conseguiram ensinar o Português para o Siri, o que tornaria o Iphone bastante atraente para o usuário brasileiro, e vai consolidar a posição de Steve para acabar com as canetinhas de uma vez para sempre. Afinal, se é mais fácil falar, para que usar a canetinha?

Apesar de eu ser um forte simpatizante do iPhone, hoje o Note II é o único que pode me ajudar a contornar um sério problema que eu tenho, a minha memória muito fraca. Se eu não anoto, acabo esquecendo.

A canetinha do Note II é muito diferente do Treo 650 da década de 90. A tela do Treo tinha apenas 2 polegadas, e a canetinha era indispensável para navegar nessa janelinha. Hoje, os celulares tem mais de quatro polegadas, tela sensível ao toque, e você não precisa mais comprar um iPhone para usufruir dessa tecnologia, quase todo o celular tem, claro que o do iPhone é o mais rápido e mais preciso, mas caro demais.

A canetinha do Note II é uma ideia que a Samsung traz com enfoque totalmente diferente, ela não é para navegar pelo celular. Imagine que você está diante de uma princesa, só que ela está com uma pressa danada e não dá para conversar, mas ela deixa o número do telefone. Agora, você só tem dez segundos para anotar. Ou seja, você puxa o S Pen do Note II, e em dois segundos ele ativa o celular na tela do bloqueio mas já abre o bloco de anotações no modo desenho, e assim sobram oito segundos para você anotar o número do telefone dela. São essas pequenas coisas que podem mudar toda uma vida.

Agora, se você tem uma memória melhor que a minha, consegue guardar a informação recente por mais de dez segundos, certamente que o Note II bem como a sua canetinha são as coisas mais inúteis do mundo, como Steve já havia falado milhares de vezes para seus fãs que pressionavam para enfiar uma canetinha no iPhone.

sábado, 29 de dezembro de 2012

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Lanterneiro

Hoje de manhã, recebi mensagem do Dr Esio Lopes:

Campeão perdeu a luta, essa não!!

A seguir mandei a seguinte mensagem:

Agora fiquei preocupado, não sabia que aquilo quebrava. Tem conserto? Tem que engessar? Ou a menina será obrigada a trocar de namorado?

E, prontamente, o Dr Esio explicou:

HOSAKA: Vai ter que chamar um lanterneiro para desentortar com martelo próprio!!!

Aí, precisei usar o dicionário para saber que "lanterneiro" é mais conhecido em S Paulo como "funileiro". Esse é o lado bacana dos celulares que servem como um computador de bolso, sem ele jamais entenderia o humor enigmático do Dr Esio.

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Arrasou com 71,4%

A grande final de O Maior Brasileiro de Todos os tempos aconteceu na noite desta quarta, 3 de outubro, na sede do SBT, em São Paulo. Após encerrada a votação, o jornalista Carlos Nascimento anunciou Chico Xavier como o grande vencedor da competição.

Representado por Saulo Gomes, o ícone espírita obteve 71,4% dos votos do público pela internet e via SMS.

Chico Xavier sempre foi considerado um mensageiro do amor. Um homem sereno e humilde que tocou o espírito de seus seguidores. Com apenas 21 anos, psicografou o primeiro livro. Logo viriam mais publicações, os elogios e as críticas. Durante toda a sua vida, ele teve que lidar com acusações e desconfianças dos descrentes na sua obra. Sua mensagem chegou a milhões de pessoas. Muitos são os relatos de vidas transformadas através das suas palavras.

----
Afinal...  é MUITO NATURAL...  NATURALISSIMO MESMO...  que os canalhas tipo 233 odeiem
ele...
 O BEM  sempre atraiu o ódio do mal...
Com o impoluto FCXavier não podia ser diferente perante o fanático anti-Espirita 233...

terça-feira, 25 de dezembro de 2012

Capítulo 41 - Entre as Árvores - Livro "Os mensageiros" (André Luiz /Chi...



Talvez haja por aqui alguém que tambem "imagine" que, depois do desencarne...

...  a "VIDA CONTINUA", com formas e aspetos que não ROMPEM BRUSCAMENTE   com as estruturas e hábitos  que montámos,  adquirimos e vivenciámos por cá...   :)...

Dual Boot: Windows 8 e Windows 7

A minha primeira experiência com o Windows 8 foi um desastre, perdi algumas funcionalidades no meu ultrabook da Samsung, como o acesso ao Internet Banking da Caixa Econômica Federal e a automação do navegador através do iMacros. Levei um tempão para reinstalar o Windows 7.

Nessa passagem de Natal, a Santa Tereza me mostrou uma dica de como instalar o Windows 8 através do Dual Boot, através da página que encontrei em http://www.comofaco.com/2011/09/14/como-instalar-o-windows-8-em-dual-boot/

Ao invés de instalar o Windows 8 a partir do Windows 7, peguei os 400 gb do disco rígido e dividi em duas partes, e instalei o Windows 8 a partir do boot do ultrabook, e ele então me perguntou em qual partição o novo sistema deveria ser instalado. Dessa vez, a instalação foi bem rápida.

O Windows 8 é bem mais prático para quem guarda os contatos e os compromissos na Internet. Isso é um tópico bastante antigo que enfrentei no fórum do iPhone. Nesse ano, enfrentei o mesmo debate no fórum do AndroidZ, de onde acabei dando o braço para torcer, e decidi abandonar o Outlook que me deu suporte desde 1990. Ou seja, agora eu posso atualizar os meus compromissos e os meus contatos tanto pelo celular quanto pelo Windows 8. Isso é super prático, mas se é seguro, isso tenho que confessar que não sei dizer.

O visual do Windows 8 lembra bastante o Android, onde você vê vários widgets de uma só vez, desde a previsão do tempo, bem como as cartas que chegaram na caixa postal. Mas para quem está acostumado com o paradigma dos ícones, existe um widget que abre a velha área de trabalho do Windows, só que dessa vez não existe mais o botão iniciar. Para sair do aplicativo, agora você precisa arrastar o mouse até o canto superior direito da tela, onde o Windows 8 disponibiliza as principais opções para navegar no novo sistema da Microsoft.

O navegador Internet Explorer 10 do Windows 8 é o mais sensacional que já experimentei, é bem rápido para carregar e navegar. É uma pena que não consigo entrar no Internet Banking da Caixa Econômica e nem instalar o iMacros, mas para isso é que o Dual Boot é o melhor recurso para usar um novo sistema, agora eu posso reinicializar o micro e escolher o Windows 7, obter as informações que eu preciso, salvando em um arquivo, e depois utilizo esse arquivo no ambiente do Windows 8, mantendo essa rotina até os desenvolvedores atualizarem o Internet Banking e o iMacros.

Outra boa novidade do Windows 8 é que ele dá acesso à loja da Microsoft, coisa que foi sucesso no mundo do iPhone e do Google Play. Eu baixei um vídeo-game espetacular, chamado Adora. O meu ultrabook não tem placa de vídeo poderoso e nem console para vídeo-games, mas o Adora com belíssimos gráficos é perfeitamente funcional só com o mouse. Trata-se de uma moça que procura pelo avô que sumiu no Peru, e ela vai ajuntando as ferramentas que encontra no meio do caminho para atravessar várias passagens secretas. Depois de duas horas, eu acho que consegui chegar em 10% da fase 1. Se depender de mim, essa moça não vai achar o avô. O jogo é distribuído gratuitamente, a mesma estratégia que a Apple e o Google usam para vender os celulares mais caros do mundo.

Por falar em celular, o Windows 8 é bastante funcional com o Galaxy Note II, é fácil fazer a conexão, tanto pelo cabo de dados bem como pela rede sem fio. Eu acho que o Note II é um celular grande demais, pouco prático para quem conversa por muito tempo. No meu caso, a enorme tela de cinco polegadas facilita a minha leitura e vários serviços de consulta que faço no aparelho. O Note II trouxe de volta a velha canetinha, que o Steve Jobs cansou de avisar que é inútil e imprestável. O Steve estava coberto de razão, mas que essa canetinha do Note II é trilegal, ninguém pode negar. Por exemplo, imagine que o Note II esteja desligado, basta você puxar a canetinha que ele liga sozinho. O serviço de reconhecimento de escrita do S Pen do Note II é uma grande porcaria para quem tem péssima caligrafia como eu. A canetinha S Pen do Note II também executa várias funções impensáveis na época do Steve como navegar, capturar tela, recortar imagens, selecionar texto, etc, isso, é claro, se você conseguir apertar o botão dela. Enfim, o Note II é bem parecido com o Windows 8, grande, cheio de coisas imprestáveis, mas os dois conseguiram alegrar o meu Natal.

Obrigado, Papai Noel!

domingo, 23 de dezembro de 2012

Reflexão - Lição de Vida - Chico Xavier



... a Drª Selma já publicou por aí o enorme trabalho de FCXavier junto dos necessitados tanto no aspeto material quanto moral...  Durante quase 90 anos levou a esperança e o conforto a muitos lares em "estado d'alma caótico, e sem vislumbrarem qualquer saída desse mesmo estado d'alma caótico... 
Esse RETARDADÃO233!!!! (sim... sim... não passa mesmo dum mentecaptozito que acredita que vai sair da tumba e ressuscitar com sua mente-podre, lá num dia de são nunca qualquer)... 
Esse RETARDADÃO233!!!! dizia eu, bem se esforça desesperadamente para tentar desacreditar a OBRA-FCXavier, mas ela é tão enorme e esmagadora que nem mil milhões de canalhas233, conseguiriam levar a cabo tal intenção...
... aliás... cada vez mais essa IMENSA OBRA, é dada a conhecer junto da humanidade através de variadíssimos eventos que não só lhe prestam homenagem como atestam do grande e impoluto Espirito que ele foi/É!!!...
Quanto à NASA...  também aqui se pode ver o quanto este crápula233 muda de mascara consoante o interesse do momento... veja-se que ele sempre tem "massacrado a paciência" do Hosaka fazendo campanha anti-NASA, classificando-a  como farsante quanto à alunagem mostrada ao mundo em 1966...

...  agora...  para fazer anti-Espiritismo porco e extremamente desonesto, a NASA passa a merecer todo o credito do mundo...

É mesmo caso para se dizer energicamente: VÁ SE CATAR MACACÃO233!!!... VÁ E VOLTE BEM HIGIENIZADO DE CORPO E ALMA...

          

sábado, 22 de dezembro de 2012

Arquivo Fantástico: mensagens psicografadas por Chico Xavier inocentam r...



... como é NATURAL!!! o canalha233 elogia "qualquer um" que diga mal do impoluto médium FCXavier...   assim como todos aqueles que o admiram e que por qualquer meio atestam da grandeza
desse GRANDE SEGUIDOR DE CRISTO,  são vitimas da sanha peçonhenta que transborda  da
fossa mental que serve de mente a esse suino233...

(a VERDADE!!!! é que para o canalha 233, tendo o FCXavier todos os defeitos e mais alguns que sua peçonha  possa imaginar, ele, Chico Xavier, tinha exatamente os  (não) defeitos que Jesus gostava que TODOS TIVESSEMOS... Isto é, Jesus não se importaria nada, antes pelo contrario,  se regozijaria, se TODA A HUMANIDADE FOSSE UM IMENSO FCXAVIER!!!!!!!!!!!... ;)....

E para que não haja duvidas sobre o que digo acima, vamos pôr o crapula233 lançando mais uma vez seus dejetos mentais sobre quem, num ato de enorme coragem e sensatez,  credibilizou o enorme médium, em processo de enorme responsabilidade...  

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Natal chegando...

Pois é, pessoal...
Natal chegando, o mundo não acabou.
O 233 continua odiando o Chico, o Hosaka amando a princesa e os celulares....

Um abraço pra todos vocês.

Que 2013 seja diferente e melhor.

Quem é o porco espinho? Ahahahaha!
Tem enquete nova.

SA


O fim do calendário maia


g1.globo.com

Uma equipe de pesquisadores dos Estados Unidos anunciou nesta quinta-feira (10) a descoberta do calendário maia mais antigo documentado até o momento. A descoberta desmonta a teoria nada científica dos que preveem o fim do mundo em 2012, com base no calendário maia.

Essa teoria se baseia na existência de 13 ciclos no calendário maia, conhecidos como “baktun”. Porém, os novos dados mostram que o sistema possui, na verdade, 17 “baktun”

“Isto significa que há mais períodos que os 13 (conhecidos até agora)”, ressaltou o arqueólogo David Stuart, da Universidade do Texas-Austin, um dos autores do artigo publicado pela revista “Science”. Ele apontou que o conceito foi “manipulado”, e disse que o calendário maia continuará com seus ciclos por mais milhões de anos.

As pinturas encontradas em paredes de ruínas da cidade de Xultún, na Guatemala, foram feitas no século 9. O calendário documenta ciclos lunares e o que poderiam ser ciclos planetários, explicaram Stuart e seu colega William Saturno, da Universidade de Boston.

A escrita pintada no que seria um templo são vários séculos mais antigos que os "códices maias". Esses livros escritos em papel de crosta de árvore eram os registros escritos mais antigos da cultura maia e foram produzidos por volta do século 13.

'Primeira vez'

“Nunca tínhamos visto nada igual”, assinalou Stuart, professor de Arte e Escritura Mesoamericana, encarregado de decifrar os hieróglifos. Ele destacou que se tratam das primeiras pinturas maias encontradas em paredes.
A sala, segundo os especialistas, faz parte de um complexo residencial maior. Os pesquisadores lamentam que parte do quarto tenha sido danificada por saqueadores, mas foi possível conservar várias figuras humanas pintadas e hieróglifos escritos em preto e vermelho.

Em uma delas, aparece a figura do rei com penas azuis e glifos perto de seu rosto que, segundo decifraram, significam “irmão menor”.

Outra parede contém uma série de cálculos que correspondem ao ciclo lunar. Os hieróglifos de uma terceira parede estariam relacionados aos ciclos de Marte, Mercúrio e, possivelmente, Vênus, segundo os pesquisadores.

Os autores indicam que o objetivo de elaborar esses calendários, segundo os estudos realizados a partir dos códices maias encontrados previamente, era o de buscar a harmonia entre as mudanças celestes e os rituais sagrados, e acreditam que essas pinturas poderiam ter tido o mesmo fim.

“Pela primeira vez, vemos o que podem ser registros autênticos de um escrivão, cujo trabalho consistia em ser o encarregado oficial de documentar uma comunidade maia”, assinalou William Saturno. Em sua opinião, parece que as paredes teriam sido utilizadas como se fossem um quadro-negro, para resolver problemas matemáticos.
De acordo com os cientistas, poderia se tratar de um lugar onde se reuniam astrônomos, sacerdotes encarregados do calendário e algum tipo de autoridade, pela riqueza na decoração das pinturas nas paredes, que também utilizaram para fazer suas anotações.

A pesquisa continua aberta para determinar de que tipo de ambiente se tratava – se era uma casa ou um local de trabalho, e se era utilizado por uma ou várias pessoas.
“Ainda nos resta explorar 99,9% de Xultún”, lembrou Saturno, que afirmou que a grande cidade maia descoberta em 1915 proporcionará novas descobertas nas décadas vindouras.


quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

Ainda sobre o Chico

Estive pensando nas coisas terríveis que o 233 fala sobre o Chico. Então cheguei às seguintes conclusões sobre o homem - ser humano - Chico, sem falar em mediunidade e espiritismo:

1. Se o Chico fingia psicografar livros, concluo que era muito esperto, pois conseguiu escrever mais de 400, mesmo não tendo completado sequer o curso primário. Eu tenho curso universitário e nunca publiquei livro nenhum. 

2. Se ele era mesmo um calhorda (como diz o 233) por que então não pegou a grana dos 400 livros e foi embora morar em um lugar sofisticado e viver uma vida boa, como vive a Zíbia Gasparetto com os direitos autorais de seus livros? Burrice?

3. Por que doou o dinheiro para obras de caridade?

4. Qual o objetivo teria em fingir ao receber mensagens de parentes mortos em suas sessões espíritas? Ficava a noite toda recebendo mensagens, o que comprometeu sua saúde. Ele não ganhava nada com isso!

5. Queria ele promover a si próprio e a Doutrina Espírita através de falsas comunicações? Mas sem ganhar dinheiro? Que tipo de promoção seria essa? Mas se o espiritismo é uma farsa, como dizem, como fica?

6. Era gay, por isso não se casou. E daí? quantos gays existem pelo mundo? E que mal fez o Chico não se casando? O Papa não se casou, Jesus não se casou, O Diabo não se casou, meu vizinho não se casou...

7. Usava peruca, e era feio! Ahahaha! Essa merece rir! Se o único problema do mundo fosse usar peruca e ser feio, não teríamos guerras, fomes, mortes...

8. Por que ele, o Chico, incomoda tanto os antiespíritas? Ah...


Já é dia 21 no Japão e o Mundo ainda não acabou! Ahahaha!!
Meu pé de romã


SA

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

O fim do mundo está chegando...





De acordo com a profecia dos maias, o fim do mundo está pertinho... Faltam apenas 3 dias!
Tenho visto muita coisa estranha e engraçada ao mesmo tempo. Puseram a culpa até naquele cantor coreano Psy, dizendo que ele é um dos cavaleiros do Apocalipse, que não é tão inofensivo quanto parece e que veio, na verdade, anunciar o fim do mundo = http://www.youtube.com/watch?v=dx8QFV-hC90

Será que os maias  não gostavam desse tipo de música? Seria essa música que provocaria terremotos, tsunamis e a explosão de nosso planeta? E se tudo isso (segundo os maias) irá provocar a explosão do planeta, porque - oras bolas - existem pessoas estocando comida e fazendo abrigos embaixo da terra? Se o mundo vai acabar mesmo, por que o Brasil continua trabalhando nas obras para a copa de 2014? Por que minhas contas continuam a chegar e o gerente do banco sempre liga cobrando quando estoura o cheque especial? Por que veio a fatura do cartão de crédito? Estranho...

Por que tudo continua calmo e tranquilo? Os pássaros continuam cantando na romanzeira do meu jardim. Nem mesmo uma folhinha balança...

O que será que o 233 faria se soubesse que realmente o mundo iria acabar? Explodiria o cemitério onde está sepultado o Chico Xavier ou iria até Portugal conversar pessoalmente com o V V ?

Quanto ao Hosaka, eu teria uma certeza... Ele iria té onde a princesa mora e faria uma declaração de amor para ela.


 Mas a certeza é que o mundo não vai acabar tão cedo. os maias não conseguiram sequer prever o fim deles próprios e a Nasa afirma que nenhum planeta irá colidir com a Terra. Eu penso que seria até bom se o mundo acabasse mesmo. esse planeta já deu o que tinha que dar.
De acordo com a enquete do blog, 75% das pessoas não acreditam na existência dos espíritos, ou seja, morreu, acabou...

Mal x Bem

1. - Sendo Deus o princípio de todas as coisas e sendo todo sabedoria, todo bondade, todo justiça, tudo o que dele procede há de participar dos seus atributos, porquanto o que é infinitamente sábio, justo e bom nada pode produzir que seja ininteligente, mau e injusto. O mal que observamos não pode ter nele a sua origem.

2. - Se o mal estivesse nas atribuições de um ser especial, quer se lhe chame

Arimane, quer Satanás, ou ele seria igual a Deus, e, por conseguinte, tão poderoso quanto este, e de toda a eternidade como ele, ou lhe seria inferior. No primeiro caso, haveria duas potências rivais, incessantemente em luta, procurando cada uma desfazer o que fizesse a outra,contrariando-se mutuamente, hipótese esta inconciliável com a unidade de vistas que se revela na estrutura do Universo. No segundo caso, sendo inferior a Deus, aquele ser lhe estaria subordinado. Não podendo existir de toda a eternidade como Deus, sem ser igual a este, teria tido um começo. Se fora criado, só o poderia ter sido por Deus, que, então, houvera criado o Espírito do mal, o que implicaria negação da bondade infinita. (Veja-se: O Céu e o Inferno, cap. X: «Os demônios».)

3. - Tendo o homem que progredir, os males a que se acha exposto são um estimulante para o exercício da sua inteligência, de todas as suas faculdades físicas e morais, incitando-o a procurar os meios de evitá-los. Se ele nada houvesse de temer, nenhuma necessidade o induziria a procurar o melhor; o espírito se lhe entorpeceria na inatividade; nada inventaria, nem descobriria. A dor é o aguilhão que o impede para a frente, na senda do progresso.

4. - Porém, os males mais numerosos são os que o homem cria pelos seus vícios, os que provêm do seu orgulho, do seu egoísmo, da sua ambição, da sua cupidez, de seus excessos em tudo. Aí a causa das guerras e das calamidades que estas acarretam, das dissenções, das injustiças, da opressão do fraco pelo forte, da maior parte, afinal, das enfermidades. Deus promulgou leis plenas de sabedoria, tendo por único objetivo o bem. Em si mesmo encontra o homem tudo o que lhe é necessário para cumpri-las. A consciência lhe traça a rota, a lei divina lhe está gravada no coração e, ao demais, Deus lha lembra constantemente por intermédio de seus messias e profetas, de todos os Espíritos encarnados que trazem a missão de o esclarecer, moralizar e melhorar e, nestes últimos tempos, pela multidão dos Espíritos desencarnados que se manifestam em toda parte. Se o homem se conformasse rigorosamente com as leis divinas, não há duvidar de que se pouparia aos mais agudos males e viveria ditoso na Terra. Se assim procede, é por virtude do seu livre-arbítrio: sofre então as conseqüências do seu proceder. (O Evangelho segundo o Espiritismo, cap. V, nos 4, 5, 6 e seguintes.)

5. - Entretanto, Deus, todo bondade, Pôs o remédio ao lado do mal, isto é, faz que do próprio mal saia o remédio. Um momento chega em que o excesso do mal moral se torna intolerável e impõe ao homem a necessidade de mudar de vida. Instruído pela experiência, ele se sente compelido a procurar no bem o remédio, sempre por efeito do seu livre-arbítrio. Quando toma melhor caminho, é por sua vontade e porque reconheceu os inconvenientes do outro. A necessidade, pois, o constrange a melhorar-se moralmente, para ser mais feliz, do mesmo modo que o constrangeu a melhorar as condições materiais da sua existência (nº 5).

  6.- Pode dizer-se que o mal é a ausência do bem, como o frio é a ausência do calor. Assim como o frio não é um fluido especial, também o mal não é atributo distinto; um é o negativo do outro. Onde não existe o bem, forçosamente existe o mal. Não praticar o mal, já é um princípio do bem. Deus somente quer o bem; só do homem procede o mal. Se na criação houvesse um ser preposto ao mal, ninguém o poderia evitar; mas, tendo o homem a causa do mal em SI MESMO, tendo simultaneamente o livre-arbítrio e por guia as leis divinas, evitá-lo-á sempre que o queira.
Tomemos para termo de comparação um fato vulgar. Sabe um proprietário que nos confins de suas terras há um lugar perigoso, onde poderia perecer ou ferir-se quem por lá se aventurasse. Que faz, a fim de prevenir os acidentes? Manda colocar perto um aviso, tornando defeso ao transeunte ir mais longe, por motivo do perigo. Ai está a lei, que é sábia e previdente. Se, apesar de tudo, um imprudente desatende o aviso, vai além do ponto onde este se encontra e sai-se mal, de quem se pode ele queixar, senão de si próprio? Outro tanto se dá com o mal: evitá-lo-ia o homem, se cumprisse as leis divinas. Por exemplo: Deus pôs limite à satisfação das necessidades: desse limite a saciedade adverte o homem; se este o ultrapassa, o faz voluntariamente. As doenças, as enfermidades, a morte, que daí podem resultar, provêm da sua imprevidência, não de Deus.

7. - Decorrendo, o mal, das imperfeições do homem e tendo sido este criado por Deus, dir-se-á, Deus não deixa de ter criado, se não o mal, pelo menos, a causa do mal; se houvesse criado perfeito o homem, o mal não existiria.
Se fora criado perfeito, o homem fatalmente penderia para o bem. Ora, em virtude do seu livre-arbítrio, ele não pende fatalmente nem para o bem, nem para o mal. Quis Deus que ele ficasse sujeito à lei do progresso e que o progresso resulte do seu trabalho, a fim de que lhe pertença o fruto deste, da mesma maneira que lhe cabe a responsabilidade do mal que por sua vontade pratique. A questão, pois, consiste em saber-se qual é, no homem, a origem da sua propensão para o mal.

8. - Estudando-se todas as paixões e, mesmo, todos os vícios, vê-se que as raízes de umas e outros se acham no instinto de conservação, instinto que se encontra em toda a pujança nos animais e nos seres primitivos mais próximos da animalidade, nos quais ele exclusivamente domina, sem o contrapeso do senso moral, por não ter ainda o ser nascido para a vida intelectual. O instinto se enfraquece, à medida que a inteligência se desenvolve, porque esta domina a matéria. O Espírito tem por destino a vida espiritual, porém, nas primeiras fases da sua existência corpórea, somente a exigências materiais lhe cumpre satisfazer e, para tal, o exercício das paixões constitui uma necessidade para o efeito da conservação da espécie e dos indivíduos, materialmente falando. Mas, uma vez saído desse período, outras necessidades se lhe apresentam, a princípio semimorais e semimateriais, depois exclusivamente morais. É então que o Espírito exerce domínio sobre a matéria, sacode-lhe o jugo, avança pela senda providencial que se lhe acha traçada e se aproxima do seu destino final. Se, ao contrário, ele se deixa dominar pela matéria, atrasa-se e se identifica com o bruto. Nessa situação, o que era outrora um bem, porque era uma necessidade da sua natureza, transforma-se num mal, não só porque já não constitui uma necessidade, como porque se torna prejudicial à espiritualização do ser. Muita coisa, que é qualidade na criança, torna-se defeito no adulto. O mal e, pois, relativo e a responsabilidade é proporcionada ao grau de adiantamento.
Todas as paixões têm, portanto, uma utilidade providencial, visto que, a não ser assim, Deus teria feito coisas inúteis e, até, nocivas. No abuso é que reside o mal e o homem abusa em virtude do seu livre-arbítrio. Mais tarde, esclarecido pelo seu próprio interesse, livremente escolhe entre o bem e o mal. (A GÊNESE, CAPÍTULO III - O bem e o mal. Origem do bem e do mal, ALLAN KARDEC)

__________
  O erro está em pretender-se que a alma haja saído perfeita das mãos do Criador, quando este, ao contrario, quis que a perfeição resulte da depuração gradual do Espírito e seja obra sua. Houve Deus por bem que a alma, dotada de livre-arbítrio, pudesse optar entre o bem e o mal e chegasse a suas finalidades últimas de forma militante e resistindo ao mal. Se houvera criado a alma tão perfeita quanto ele e, ao sair-lhe ela das mãos, a houvesse associado à sua beatitude eterna, Deus tê-la-ia feito, não à sua imagem, mas semelhante a si próprio. (Bonnamy, A Razão do Espiritismo, cap. VI.)
 
 
SA

domingo, 16 de dezembro de 2012

Praça Castelo Branco em Diadema


Nesse ano, o candidato do PT, Mário Reali, não ganhou a reeleição, e como prova de gratidão, o atual prefeito deixou a principal praça da cidade sem o tradicional bonecos de anjos à base de garrafas plásticas e nem mesmo pendurou aquelas lampadinhas que imunivam a rua toda.

Hoje, a cidade está com vários carros, e todos usando suas buzinas para homenagear o título que o Corinthians conseguiu no Japão, sem falar dos rojões que assustaram a cadela do meu irmão, que conseguiu escapar da coleira e invadiu o porão, fazendo xixi no corredor e no banheiro. É uma enorme poça amarela com um forte cheiro. Que chatice, que chatice.

Peço desculpas pela qualidade da foto, sempre esqueço de limpar a lente da câmara que fica na parte de trás do celular.

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Muçarela

Outro dia, vendo um programa de TV sobre culinária, encafifei com a palavra "muçarela", quando apareceu escrita no vídeo a quantidade que deveria ser usada na receita.

Eu pensei: "Tá errado! É mussarela e não muçarela!" E não descansei enquanto não procurei saber como era a grafia da palavra. Descobri, então, que aqui no Brasil a palavra aportuguesada correspondente à mozzarela (italiana) é muçarela, com "Ç" e não com dois "S"...
Ou seja, aqueles panfletos de pizzas que recebemos em casa estão todos com a grafia errada, pois em todos que recebi até hoje consta "mussarela".

Essa informação mudou sua vida?
Eu sei que não... Mas deixou você mais culto, não deixou?
O que tem a ver com blog de religião? Sei lá...

SA

Musica de Nando Cordel em homenagem a Chico Xavier



apenas um comentário dos muitos que foram expostos... 

O Nando Cordel é iluminado, e ilumina a nossa vida com as suas composições, pura inspiração de deus. Parabéns Nando. sou sua fã, desde "Azogue"...rs
---
caramba... como a peçonha nauseabunda do 233 fica mais evidente perante estas demonstrações de
admiração e agradecimento ao impoluto médium que TANTO BEM(!!!) soube espalhar durante sua longa estadia por cá...  :)...
 

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

O Homem Bom Roberto Carlos



os GRANDES são homenageados enquanto os 233's desta vida desaparecem na vala comum dos ignorados...

um dos comentários ao vídeo...
*** Grande Roberto Carlos por esta grande homenagem ao grande cisco como Chico Xavier dizia ser, venham mais Chicos como este e que façam metade do que ele o "CHICO" fez pela humanidade...
ÓSCAR RIBEIRO - SETUBAL- PORTUGAL

O livro do Papa Bento

O papa Bento XVI (85 anos)completa a trilogia de livros "Jesus de Nazaré e lança  a polêmica obra "A infância de Jesus".  Encontrei na Livraria Cultura por R$24,90.

Nesse livro o Papa Bento afirma ( e corretamente!) que  Jesus nasceu antes de Cristo. Provavelmente entre 7 e 4 aC. O que aconteceu é que o calendário cristão, que divide a história a partir do nascimento de Jesus, somente foi estabelecido em 525 dC a pedido do papa João I. O monge Dionísio Exíguo fez os cálculos para determinar a data do nascimento de Cristo, concluindo que fora no ano 754 da fundação de Roma. Errou em alguns anos, e o calendário se difundiu pela cristandade até o século XIX, quando percebeu-se o engano. Tarde demais para mudar.



Recém-editado em 50 países, o livro procura estabelecer uma conexão respeitosa entre o Velho e Novo Testamento e narra o nascimento e a infância de Jesus baseado em Mateus e Lucas.

O Papa admite também que a estrela de Belém pode ter sido a explosão de uma supernova, hipótese já levantada pelo astrônomo alemão Johannes Kepler, no século XVII, que afirma o alinhamento entre os planetas Júpiter, Saturno e Marte e que na semana do nascimento de Jesus houve a explosão de uma supernova relativamente próxima à Terra.

A matéria ainda afirma que no livro  o Papa Bento  conclui que as as figuras do boi e do burrinho são apenas alegorias de humildade, cristalizados pela iconografia medieval.



SA


terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Religião não define caráter!

Desde os países cristãos aos islâmicos, os ateus enfrentam a discriminação e a perseguição, incluindo penas de morte, cadeia perpétua, privação da cidadania, educação e a atenção médica,  revela um relatório.
O estudo titulado “Liberdade de Pensamento 2012: Um Relatório global sobre a discriminação contra os humanistas, os ateus e os não religiosos” foi publicado pela União Internacional Ética e Humanista.
É verdade! Religião não define caráter!


O relatório comenta leis que violam a liberdade de consciência em 60 países e enumera vários casos individuais nos que os ateus sofreram perseguição por suas convicções. Segundo a análise, os ateus enfrentam a pior discriminação em países como Afeganistão, Irã e Paquistão. Ademais, a publicação de pontos de vista ateus ou humanistas está rigorosamente proibida em países como Bangladesh, Egito e Indonésia.

Na maioria destes países, os cidadãos estão obrigados a registrar-se como partidários de uma religião oficialmente reconhecida: normalmente o cristianismo, o judaísmo ou o islã. Sem este registro, os cidadãos não têm direito a receber serviços médicos, dirigir, ir à universidade ou viajar ao estrangeiro, o que obriga aos ateus  a mentir.

Em pelo  menos 7 estados de EUA, os ateus não podem ser funcionários públicos, enquanto em Arkansas não é permitido que sejam  testemunhas em processos judiciais.

Na Suíça, um diretor  de escola foi despedido de seu trabalho em 2010 após fazer pública sua preocupação sobre a promoção por parte do Estado da religião católica nas escolas. “Informaram ao  diretor  que foi despedido por ter tirado os crucifixos das salas de aula da escola pública na que trabalhava”, assegura o relatório, mencionando este caso entre outros muitos.

Heiner Bielefeldt, o Representante Especial da ONU para a Liberdade de Religião ou Crença, pronunciou-se a favor da publicação do relatório e expressou sua preocupação pela falta de atenção que os grupos de direitos humanos internacionais mostram com respeito à violação dos direitos dos não crentes.

 SA



Adaptado de:  http://www.bulhufas.com/ateismo-a-religiao-mais-perseguida-do-mundo/6622/

domingo, 9 de dezembro de 2012

O culto

Fez um calor danado nesse sábado, e assim decidi descansar na Praça do Mário, onde encontrei o Fábio, o Douglas e o Moisés, equipado com uma caixa acústica, alimentado por uma bateria de um carro. O som estava na faixa dos 60 decibéis, muito alto para uma plateia de quatro pessoas, eu e três mendigos.

Estava começando o primeiro culto a Deus em praça pública. O Fábio citou Malaquias, reclamando que o povo de Israel ficou quatrocentos anos sem oferecer um sacrifício ao Senhor dos Exércitos. O Fábio comentou que era um sacrifício imperfeito, onde o pecador se arrependia dos seus erros, matando um cordeiro para Deus lhe perdoar. Malaquias reclama que o povo de Israel não se arrependia dos seus pecados e, pior, usavam cordeiros ou outros animais velhos, doentes e coxos.

A seguir o Moisés usou o seu violão e 60 decibéis para cantar "Eu preciso de um milagre", lembrando mais ou menos a Maria, a irmã da Marta, que usou de todo o seu tempo para perfumar Jesus e adorá-lo. É uma canção bem longa para quem não está acostumado com 60 decibéis como eu.

O Douglas entrou em cena, com uma apostila de dez páginas, citando o primeiro versículo de João, comentando que temos uma visão errada de Deus, como se ele fosse um pobre coitado que precisa da nossa atenção. Ele citou mais dois pontos da sua longa apostila, mas perdi a minha atenção, vendo do outro lado da praça um pai de família tirando os filhos do carro para colocá-los dentro de casa, tentando protegê-los de um quarto mendigo que apareceu na praça, e começou a insistir em pedir algo. O pai de família muito a contragosto acabou cedendo um copo de água. O monólogo do Douglas estava tão confuso quanto as homilias de padres de muita idade que vão lendo os textos que já foram citados ao longo da missa, e não consegue explicar a plateia como o trabalho de divulgar o Evangelho agrada ao Pai Todo Poderoso.

Depois de mais duas canções de louvor, eis que chegamos na saideira do culto, o Fábio convidou todo mundo a ficar de pé e bem mais próximo para que aceitassem Jesus como único sacrifício perfeito para agradar a Deus. Como eu sou tímido, fiquei lá atrás, sentado. Já os mendigos se aproximaram do Fábio, e o Fábio pediu para o Douglas e o Moisés botarem as mãos sobre a cabeça deles.

Ao contrário da missa católica que é cheio de Amém, Amém e Amém, esse culto teve colaboradores (possivelmente parte da família do Fábio, do Douglas e do Moisés) dizendo Aleluia, Glória a Deus, Oh Glória, mas esse culto tem um denominador comum com a Missa: é longo, chato e barulhento.

Quando terminou o culto, só lembrei do Paulo, de quantos decibéis ele precisou para converter um judeu para Jesus. Deve ter sido bem mais de 60 decibéis, e, é claro, com a força do Espírito Santo. Quem não se converteu, no mínimo deve ter ficado surdo.

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

A janela lateral

Da janela do meu local de trabalho, vejo o tempo e a vida passando todas as manhãs bem cedinho...
Um dia de inverno, com muita neblina, em julho de 2012.

Um dia nublado de de outubro de 2012.

Um dia que amanheceu com muito nevoeiro após uma noite de chuva (novembro 2012)


Um dia chuvoso de outubro de 2012.





quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

O ateu construtor de igrejas

Morreu ontem, dia 5 de dezembro, o famoso arquiteto Oscar Niemeyer nascido em 15 de dezembro de 1907.

Várias obras foram produto de seu planejamento, obras maravilhosas em Brasília tais como o símbolo de Brasília, o edifício do Congresso Nacional, além de outras construções famosas como o Palácio da Alvorada, Palácio do Planalto e a Catedral Metropolitana Nossa Senhora de Aparecida.

Niemeyer sempre se declarou ateu, mas homem inteligente que era, isso nunca interferiu no  seu trabalho de planejar construções, e construiu igrejas fantásticas. As suas igrejas nunca interferiram em sua não-crença: nem mesmo o produto maravilhoso de seu planejamento o fez acreditar em Deus. Foram 16 obras religiosas.

Em uma entrevista disse que era tudo muito natural, construir lugares sagrados e aconchegantes, pois havia nascido em família católica. Sua avó tinha vários oratórios em casa e sempre reuniões para orações.

Penso que é fácil de entender; era arquiteto e para ele só interessava a obra em si. O que faziam dentro da construção já não era problema dele.

O próprio Niemeyer resume: “Pensei que a catedral pudesse refletir, como uma grande escultura, uma ideia religiosa, um momento de oração, por exemplo. Projetei-a circular, com colunas curvas, que se elevam para o céu, como um gesto de reclamo e comunicação.” (NIEMEYER, OSCAR, apud MÜLLER, 2002, A Catedral de Brasília, 1958-1970: Redução e Redenção. Excerto de dissertação de mestrado do autor, intitulada O Templo Cristão na modernidade. Cadernos de Arquitetura e Urbanismo; Belo Horizonte, v.10, n.11, p. 9-33, dez. 2003.)



Perguntaram a ele como resumir a vida em uma só palavra. E ele disse: solidariedade. Muito bom.




SA




Eu não sei usar o Mobile Odin

AndroidZ

Nesses dois últimos meses, eu tive um curso intensivo com o professor Jhonny a respeito do aplicativo Mobile Odin que custa 10 Dilmas no Play Store. Eu fiquei encantado com o programa, ele é bem mais simples e bem mais fácil de usar do que o tradicional Odin que eu rodava lá no PC.

Para instalar uma ROM que vem com um arquivo embutido com a extensão .tar, você usa o comando Open File do Mobile Odin. Para instalar uma ROM com extensao .zip (e dentro dela não tem nenhum arquivo com a extensão .tar) você usa o comando OTA /Update ZIP. Eu fiz o teste várias vezes, e funcionou, e por conta disso aumentei os pontos do professor Jhonny.

Ou seja, aprendi com o professor Jhonny que o Android é superior ao iOs. Tanto o Android como o iOs são dois viadutos, no iOs os tratores andam sempre na faixa da direita, já no Android a ordem dos tratores não altera o viaduto.

Mas a vida é bruta, não tem nada a ver com o que o professor ensina na sala de aula ou no AndroidZ.

Eu conheci um novo ROM que altera o kernel, o nome dele é Siyah-s3-v1.7-CWM.zip. Eu não consegui instalar pelo comando OTA do Mobile Odin. Eu fui obrigado a flasher o arquivo CF-Root-SGS3-v6.0.tar pelo Mobile Odin e depois usar o famigerado CWM Recovery para poder instalar o Siyah. Eu detesto, como eu detesto o CWM Recovery! Mas, enfim, consegui instalar o kernel Siyah e com ele criar o dual boot, onde pude usar dois sistemas diferentes, o primário foi o LK4 e no secundário o Resurrection Remix, o problema é que eu perdi o meu link com o Kies, o principal meio que usava para sincronizar o Outlook com o Galaxy SIII. Alguém sugeriu usar o Kies Air, mas aquilo ali é uma tremenda porcaria - ele leva quinze minutos para montar o link!

Mas o Mobile Odin me ajudou a trazer de volta o LK4 em menos de cinco minutos, sim o Mobile Odin é o melhor estepe para o Android. Não existe nada parecido no mundo do iOs.

Ontem, no entanto, encontrei o WanamLite 5.1, onde traz o básico do Android 4.1.2 - ao invés de você arrancar programas que você não usa como o Dropbox (eu uso o Outlook), você simplesmente não instala o programa, muito mais fácil, não acha?

Então, chamei de volta o Siyah, para ver se ele podia instalar o WanamLite 5.1 como Rom secundário, e o Siyah não conseguiu.

Numa nova tentativa, instalei o WanamLite 5.1 como principal ROM e depois pedi para ele instalar o Siyah. O máximo que o WanamLite conseguiu fazer foi botar o logo do Siyah na tela do reboot, e mais nada.

Isso me fez lembrar do apóstolo Paulo, que vivia dizendo que o Android e o iOs são inflexíveis, que não há como alterar a ordem dos tratores, a menos que o Pai Todo Poderoso assim queira. Ou o apóstolo Paulo estava certo, ou eu não sei usar o Mobile Odin.

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Eu e a minha língua comprida

José Nêumanne em O Estado de S Paulo

Na entrevista coletiva em que foi apresentado como técnico da seleção nacional, Luiz Felipe Scolari fez uma brincadeira sobre a pressão sofrida por qualquer ocupante de seu novo emprego. "Se não quer pressão, é melhor não jogar na seleção, vão trabalhar no Banco do Brasil", disse ao completar a declaração de que ganhar a Copa de 2014 é uma obrigação. Bastou isso para que o mundo desabasse sobre sua cabeça. Apesar de ser esta notoriamente dura, seu dono, o autor da graçola, submetido a críticas de sindicatos de bancários e diretores e funcionários do BB, terminou pedindo desculpas em público.

O autor destas linhas é do tempo em que passar no concurso para o Banco do Brasil era quase como ganhar na loteria da Caixa Econômica Federal. Perceba que a sorte neste país está sempre sob chancela estatal. Emprego estável garantido, prestígio social e, como insinuou Felipão, vida mansa. Hoje já não se pode dizer o mesmo, mas também não é uma ocupação de que alguém venha a arrepender-se algum dia, principalmente diante das vicissitudes da economia, que às vezes provocam dores de cabeça nos assalariados da iniciativa privada, mas nunca prejudicam as evidentes vantagens de quem vive sob os auspícios da viúva.

De pouco adiantou o currículo do técnico, o último a dirigir uma seleção brasileira campeã do mundo, em 2002, na Ásia: ele teve de ajoelhar no milho e se penitenciar perante a corporação. Logo depois de seu triunfo, a gestão federal do Partido dos Trabalhadores (PT) empreendeu um esquema de compra de votos de bancadas aliadas para apoiar projetos no Congresso Nacional. E parte do dinheiro que usou foi surrupiado dos cofres do banco cuja honra foi agora defendida com tanto denodo por seus funcionários. O então diretor de Marketing nomeado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Henrique Pizzolato, mandou depositar R$ 73,9 milhões nas contas das agências publicitárias mineiras DNA, Graffiti e SMPB, que os repassaram em forma de propina a partidos e políticos da base.

Condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) a 12 anos e 7 meses de prisão, o ex-funcionário de carreira e petista da linha de frente terá de amargar pelo menos 2 anos e 1 mês numa cela e pagar R$ 1,3 milhão de multa. É muito dinheiro, mas praticamente nada comparado com o total que se sabe que foi furtado. O companheiro pisoteou e jogou no lixo a credibilidade de uma instituição financeira com mais de 200 anos de existência e excelente reputação no mercado financeiro mundial. Seus colegas e correligionários, entretanto, preferiram execrar a Justiça pela sentença que condenou o ladrão à merecida prisão e reclamar do técnico da seleção pela piada, que nem é das mais pesadas.

Tão zelosa em negar os próprios privilégios, a corporação do BB nunca se mostrou particularmente interessada em salvaguardar a boa imagem dela. Ao desbaratar a quadrilha dos "bebês da Rosemary", os irmãos Vieira, que compraram as graças da ex-chefe do gabinete da Presidência da República em São Paulo Rosemary Nóvoa de Noronha, a Polícia Federal (PF) comprovou isso. Pois constatou que essa senhora, acusada de desvio de conduta na Operação Porto Seguro, conseguiu que Luiz Carlos Silva, presidente da empresa Cobra, braço tecnológico do BB, contratasse a New Talent, de João Vasconcelos, marido da moça, e seu genro, Carlos Alexandre Damasco Torres. Assinado em maio de 2010, quando o vice-presidente de tecnologia do BB era José Luiz Salinas, o contrato levou em conta um atestado de capacidade técnica que os agentes federais presumem ser falso. Genuína mesmo era a ligação de Salinas com José Dirceu, o ex-chefe da Casa Civil de Lula, como Pizzolato condenado (por corrupção ativa e formação de quadrilha), e com o ex-presidente do PT Ricardo Berzoini, que o apadrinharam para o cargo. Salinas, hoje na Ásia, era também frequentador habitual do gabinete de "madame Rosemary".

Ainda há tempo para a corporação do BB protestar contra a malsinada influência em créditos evidentemente desastrosos, que também comprometem a credibilidade do banco público, mas nem a Velhinha de Taubaté acredita nessa hipótese. Pois os indignados com a gracinha do sisudo Felipão nunca vieram a público reclamar do aparelhamento promovido pelo PT dos bancários Berzoini e Luiz Gushiken na antes respeitável instituição financeira. Ao contrário, todos neste momento estão empenhados em encontrar uma desculpa qualquer, similar à do caixa 2 de campanha, com a qual tentaram desacreditar o julgamento do mensalão.

Enquanto isso, dirigentes do PT, falsos ingênuos e blogueiros ditos progressistas fazem de tudo para desmoralizar pelo menos um dos responsáveis pela condenação dos companheiros Dirceu e José Genoino. A bola da vez não é o ex-presidente do STF Carlos Ayres de Brito nem o atual chefe máximo do Judiciário e relator do julgamento, Joaquim Barbosa, mas Luiz Fux.

O ministro está sendo acusado à boca pequena, como é comum no gulag de intrigas do PT, de ter-se comprometido a absolver os mensaleiros em troca da vaga no Supremo. A calúnia não se apoia em documentos nem na lógica e padece de um defeito de origem: quem mereceria recriminação, um jurista que aceita chegar ao topo da carreira renegando a independência e a honra de julgador ou um estadista que seja capaz de exigir dele tal promessa? A pergunta nem merece resposta, tão implausível é a injúria.

Mas há outras duas que não podem ser caladas. Qual a pior hipótese: a de uma secretária de luxo ter poderes para nomear e promover usando o santo nome do ex-presidente Lula em vão, sendo sempre atendida, ou a de este avalizar seus pedidos? Seria pior para a República o advogado-geral da União fazer tráfico de influência ou ele nunca ter percebido a quadrilha operando no gabinete ao lado, de um amigo que promoveu?

Pelo visto, o mensalão é pinto comparado com o estrago feito pela madame em nome de Lula.

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Conclusões sobre a existência de Espíritos

O desentendimento entre o VV e o 233 será eterno, a menos que um dos lado ceda...

O  V V acredita (assim como eu e milhares de pessoas) na existência de vida após a morte, e que habitando nosso corpo material existe um ser espiritual que sobrevive após a morte do corpo físico.
E espíritos existem?

São vários os artigos falando sobre existência de espíritos e experiências de cientistas. W. Crookes foi um dos cientistas que investigou a espiritualidade.  O que tenho a dizer? São apenas conclusões minhas, que logo serão bombardeadas pelas conclusões do 233, mas vamos lá:

1. Kardec disse que os espíritos existem, e quando ele disse isso, não estava sendo torturado pela CIA, FBI e nem pelo Joaquim Barbosa. Naquele tempo que ele disse que os espíritos existiam não havia internet, Jornal Nacional, Twitter, redes sociais e nem como mandar torpedo pelo celular. Portanto, Kardec não queria publicidade e portanto,  ele afirmou uma verdade sem interesse algum: "Espíritos existem".

2. Chico Xavier foi pobre a vida inteira, nunca cobrou para psicografar mensagens e vender livros. Concluo que ele não usou o Espiritismo para se promover portanto, "Espíritos existem."

3. Todo mundo fala que espíritos não existem... Mas se alguém for convidado para dormir sozinho em uma casa mal assombrada, vai se borrar de medo... Portanto, "Espíritos existem".


4. Outras pessoas dizem que quando morre tudo acaba. Mas se uma delas for convidada para ficar uma noite toda dentro de uma cova de um cemitério, ela provavelmente irá ca*** de medo. Portanto, "Espíritos existem".

5. Se alguém sonhar com uma sombra preta falando que irá morrer no dia seguinte, a pessoa ficará doente de medo. Portanto, "Espíritos existem".

6. Todos falam que as fotos de espíritos não existem, mas ninguém conseguiu provar até hoje, verdadeiramente, que espíritos não existem. Portanto, "Espíritos existem".

7. Todo mundo tem uma historinha sobrenatural para contar. Portanto, "Espíritos existem".

8. Se você ficar sozinho em casa, e ouvir barulhos estranhos ficará com medo. Portanto, "Espíritos existem".


Concordam?




SA

domingo, 2 de dezembro de 2012

Empresa não vota

O Estado de S Paulo

A presidente do Tribunal Superior Eleitoral, ministra Cármen Lúcia, considera necessário que se proíbam as doações eleitorais feitas por empresas. A lógica é simples: "Pessoa jurídica não é cidadão e não vota. Não há por que empresa fazer financiamento de campanhas", disse a ministra ao Estado. Partidos políticos são entidades privadas de direito público, que precisam ser financiadas não pelo Estado ou por grandes corporações, mas pelo eleitor que os escolhe para representá-lo. As doações feitas por empresas têm pelo menos dois inconvenientes: elas não são transparentes e dão margem a supor que essas empresas, cujo objetivo é lucrar, terão algum tipo de benefício caso seus candidatos sejam eleitos.


Dos dez maiores doadores privados para a campanha de candidatos a prefeito e vereador na última eleição, seis eram empreiteiras. Boa parte dos recursos que essas empresas doaram foi entregue diretamente à direção dos partidos, que então fizeram o repasse aos candidatos sem identificar a origem, configurando a chamada "doação oculta". Nas contas de campanha, então, apareceram somente os recursos que foram encaminhados pelo partido aos candidatos, omitindo as pessoas jurídicas. Permitida pelas normais eleitorais, essa manobra faz constar das contas dos candidatos somente os recursos entregues pelo partido. Assim, embora o partido seja obrigado a divulgar de quais empresas recebeu doações, os verdadeiros doadores não ficam vinculados diretamente aos candidatos.

Na eleição em São Paulo, essa modalidade de contribuição chegou a 90% dos R$ 42 milhões arrecadados pelo PT e a 82% dos R$ 34 milhões obtidos pelo PSDB. Tais números indicam a dependência cada vez maior que as campanhas das grandes legendas desenvolveram em relação ao dinheiro desembolsado por empresas, cujo interesse no resultado da votação não tem nada de cívico. Disputar uma eleição, de fato, é caro; no entanto, isso não significa que se possa turvar o processo de arrecadação de recursos, dando margem à suspeita de que haverá traficância de interesses. Convém lembrar que a maior fonte de receita das empreiteiras que lideraram as doações nas campanhas municipais Brasil afora está justamente nos contratos com o setor público.

A legislação prevê ainda outras formas de financiamento de partidos. Uma delas é a propaganda eleitoral "gratuita", bancada com dinheiro público, por meio da compensação fiscal dada às emissoras de rádio e TV obrigadas a transmiti-la. Outra é o Fundo Partidário, formado com recursos públicos - principalmente dotações orçamentárias da União. Neste ano, foram liberados R$ 286,2 milhões, bolo que foi dividido entre todos os partidos, mesmo entre aqueles que acabaram de ser formados - muitos dos quais nanicos que, por força da lei, fazem jus a nacos desse fundo e de preciosos minutos na TV. Há casos, porém, em que os novos partidos já nascem com grande número de parlamentares, mas que, sem terem sido ainda "testados" nas urnas para que se saiba qual é seu real tamanho, recebem um grande volume de recursos. É o caso do PSD do prefeito Gilberto Kassab, que, com seus 49 deputados e 2 senadores cooptados de outros partidos, obteve R$ 7 milhões do Fundo Partidário. Para acabar com esse tipo de distorção, um projeto de lei em tramitação na Câmara suspende a participação desses novos partidos no Fundo Partidário e no rateio do tempo de TV até que enfrentem alguma eleição parlamentar. Como toda proposta de reforma político-partidária, essa iniciativa deverá enfrentar grande resistência no Congresso.

Diante de mecanismos de financiamento eleitoral tão viciados, o correto é incentivar as doações de pessoas físicas, modelo tido pelos especialistas como o mais adequado, mas que no Brasil ainda é insignificante. Além de consolidar a ligação entre o partido e seus eleitores, esse sistema facilita a fiscalização e impõe limites para a doação, evitando assim que grandes empresários façam doações milionárias como pessoas físicas. O problema é conseguir convencer os eleitores comuns de que seu dinheiro é necessário para ajudar a sanear um sistema político em franco descrédito como o nosso.

Windows 8

Eu vi matéria, afirmando que a venda de PCs nos Estados Unidos despencou, principalmente aqueles que vêm equipado com o Windows 8. Curioso, decidi comprar o programa Windows 8 64 bits Ultimatum no Shopping Popular de Diadema a R$ 10,00. Demorou bastante, coisa de duas a três horas. Uma das principais tarefas dele foi o de arrancar o controlador do Bluetooth e do WiFi do meu pseudo-ultra book da Samsung, ele afirmou que os drivers eram incompatíveis.

Depois de instalado, a primeira coisa que eu fiz foi tentar ativá-lo. Primeiro, eu desliguei a proteção em tempo real do Norton, depois abri o programa ativação dentro da pasta Crack que veio no DVD. Pelo que pude entender, para ativar um programa pirata é necessário o uso de um vírus. Se o antí-virus estiver de plantão, ele não deixa abrir o arquivo.

O programa de ativação pediu para reinicializar, e isso demorou, demorou e demorou. Quando passou dos cinco minutos, decidi desligar o aparelho na marra, pressionando o botão de energia até ele apagar. A partir daí, eu só fui brincando com o novo sistema, tentando entender a nova perfumaria da Microsoft.

Você precisa encostar o mouse num dos cantos da janela para ativar as opções que o sistema oferece, e que são exibidos na forma de painéis, tem tudo que é tipo de painel, desde a antiga área de trabalho até coisas novas e ínúteis como agenda, previsão do tempo, e um monte de quinquilharias. Para você se livrar delas, basta usar o botão esquerdo, e depois aparecem novos paínes que ajudam a configurar o painel, você pode criar um atalho na área de trabalho, mudar a configuração, eliminá-lo, ou simplesmente mudar o painel de lugar. É um sistema voltado para o celular à base de toque de tela, e que a Microsoft teve a brilhante ideia de trazer para o PC. Todas aquelas frescuras que você vê no celular, você também pode contemplar no Windows 8.

Testei o cabo HDMI, o pendrive, o WiFi, tudo parecia funcionar bem. Foi na hora de testar o navegador é que fiquei perplexo. O Windows 8 vem com o Internet Explorer versão n. 10, ou seja, ele não suporta o iMacros e o acesso ao Internet Banking é bastante problemático, e o pior é que ele é bem mais lento que o Internet Explorer 9 do Windows 7. Na área de trabalho, não existe mais o menu Iniciar, logo, você é obrigado a criar paineis na tela Início para criar os documentos ou entupir a área de trabalho com vários ícones.

Enfim, o Windows 8 não é ruim, na medida que ele for espalhando, é aí que os bancos vão ajustar o Internet Banking ao novo sistema, bem como o pessoal do iMacros vão tornar a automação do Internet Explorer 10 viável. Por enquanto, tudo indica que os americanos vão esperar o resto do mundo comprar o novo sistema, bem como o resto do mundo vão esperar os americanos atualizarem o novo sistema. Ou seja, só sobrou você para resolver o impasse.

sábado, 1 de dezembro de 2012

Campanha Anti Drogas em Porto Alegre

Certa vez, um carioca foi visitar um amigo, professor de Sociologia, em Porto Alegre. O professor convidou o carioca a puxar um baseado no Jardim Botânico, mas a polícia pegou os dois.

O Juiz marcou o julgamento para 15 dias, mas ao invés de mandá-los para a cadeia, ele decidiu dar um serviço comunitário para os dois, o de tirar os víciados da vida de drogas.

Depois de 15 dias, os dois voltaram ao tribunal. O juiz perguntou ao carioca quantos usuários ele havia tirado das drogas.

- 65!

- Meus parabéns. Me explica como você conseguiu isso.

- Eu desenhei dois círculos, um grande e um pequeno, e expliquei para eles o que acontece com o tamanho do cérebro antes das drogas e depois das drogas.

- E você? perguntou o juiz ao professor de Sociologia.

- 277!

- Excelente! Me explica como você conseguiu isso.

- Eu desenhei dois círculos, um pequeno e um grande, e expliquei para eles o que acontece com o tamanho do buraco do traseiro, antes e depois de ser pego pela polícia, usando as drogas.


(fonte desconhecida)

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

A Felicidade não é deste mundo?

Jesus disse que o reino dele não é deste mundo, e muito mais coisas que deveríamos fazer para viver bem, mas para uma vida melhor, em outro lugar. Prometeu ao bom ladrão o Paraíso. E para ir ao Pai era preciso passar por ele.
Resumindo:
De acordo com Jesus, devemos ter uma vida decente nesse planeta visando uma outra melhor, depois da morte.


Kardec disse que  a felicidade não é deste mundo. A vida verdadeira está em outro lugar, muito melhor que esse, sem dores, sem tristezas e decepções.

 Schopenhauer  disse para não sonharmos com um futuro brilhante, pois a felicidade é uma quimera, não existe  e somente a dor e o fracasso que são reais. Segundo ele, nosso objetivo de vida não pode ser o de ser feliz, mas sim de ficar longe da dor e do sofrimento.


Shakespeare foi paradoxal: é melhor viver sem felicidade do que sem amor. Ou seja, a felicidade não vale muito... Mas como ter amor e não ser feliz?

Segundo Freud, a  felicidade é um problema individual. Aqui, nenhum conselho é válido. Cada um deve procurar, por si, tornar-se feliz.

Segundo Voltaire,  os homens que procuram a felicidade são como os embriagados que não conseguem encontrar a própria casa, apesar de saberem que a têm.

Millôr Fernandes foi irônico:  o dinheiro não traz felicidade. Mas paga tudo o que ela gasta.
Schopenhauer teria uma resposta para Millôr:  O dinheiro é uma felicidade humana abstrata; por isso aquele que já não é capaz de apreciar a verdadeira felicidade humana, dedica-se completamente a ele.

Oscar Wilde:  A felicidade do homem casado depende das mulheres com quem não se casou.

Victor Hugo pensava do seguinte modo: A suprema felicidade da vida é a convicção de ser amado por aquilo que você é, ou melhor, apesar daquilo que você é.


Não é a força mas a constância dos bons resultados que conduz os homens à felicidade, segundo Friedrich Nietzsche.


A maior felicidade é quando a pessoa sabe porque é que é infeliz, disse Fiodor Dostoievski.

 Einstein disse: "Jamais considerei o prazer e a felicidade como um fim em si e deixo este tipo de satisfação aos indivíduos reduzidos a instintos de grupo."


A verdadeira felicidade é impossível sem verdadeira saúde, e a verdadeira saúde é impossível sem um rigoroso controle da gula. Mahatma Gandhi.


Só há um caminho para a felicidade. Não nos preocuparmos com coisas que ultrapassam o poder da nossa vontade. Epicuro


Uma alegria tumultuosa anuncia uma felicidade medíocre e breve. Plutarco.


Faça o que for necessário para ser feliz. Mas não se esqueça que a felicidade é um sentimento simples, você pode encontrá-la e deixá-la ir embora por não perceber sua simplicidade. Mario Quintana.

A felicidade aparece para aqueles que choram. Para aqueles que se machucam. Para aqueles que buscam e tentam sempre. Clarice Lispector.

A felicidade morava tão vizinha.  Que, de tolo. Até pensei que fosse minha. Chico Buarque.


A felicidade não entra em portas trancadas. Chico Xavier.


Tristeza não tem fim. Felicidade sim.Tom Jobim.



Quando eu tinha 5 anos, minha mãe sempre me disse que a felicidade era a chave para a vida. Quando eu fui para a escola, me perguntaram o que eu queria ser quando crescesse. Eu escrevi “feliz”. Eles me disseram que eu não entendi a pergunta, e eu lhes disse que eles não entendiam a vida. John Lennon







SA

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

O último adeus

Foi aos cinquenta e quatro anos que o meu pai faleceu, e uma semana antes, quando mamãe e eu estávamos na UTI, o meu pai agradeceu, agradeceu e agradeceu várias vezes. É um dos momentos que o meu pai deixou gravado para a minha memória.

Hoje, quem tem cinquenta e quatro anos sou eu. Como não tenho vontade de agradecer a ninguém, principalmente o Sr MB por ter escamado o artigo Curso de Brinquedo, acredito que ainda vou sobreviver nessa semana.

No entanto, um dos irmãos do meu pai faleceu hoje, ele morava em Oregon (é um estado que fica bem perto do Canadá), e foi passear, levando na sua bagagem três gerações, sua esposa, filhos e netos, lá no Japão, onde ficou hospedado no hotel de sua irmã. A família do meu pai é enorme, eu não sei exatamente quantos tios e tias eu tenho, eu presumo que sejam uns dez.

O meu tio veio duas vezes no Brasil, a primeira vez, quando a Lilian nasceu, e a segunda vez, quando já estávamos morando em Diadema. Nas duas ocasiões, ele mostrou uma cartela cheia de remédios, aquilo é um horror ou um louvor à moderna medicina que garantiu setenta e quatro anos para o meu tio.

O passeio estava programado para março de 2011, mas o Japão foi pego de surpresa, além do tsunami, teve que enfrentar um sério problema com uma das usinas nucleares. Depois de um ano e meio, o meu tio executou o seu passeio. A minha mãe diz que o comentáiro é de que ele foi só para o Japão para dar o último adeus.

Problema mesmo é que ele morreu no vôo de retorno, e a última notícia que eu tenho é que o corpo está num dos hospitais de Florida, do outro lado e bem abaixo dos Estados Unidos. Certamente que será uma autópsia bem rigorosa, tomara que os médicos não encontrem nada relacionado ao desastre nuclear, e que se trata de um simples último adeus.

Diante do exemplo que o meu pai e os meus tios deixaram, só posso repetir o que eles já fizeram. Quando sentir que a minha hora está chegando, vou fazer o máximo possível para ver mais uma vez aqueles que me fizeram sentir como membro de uma família, e principalmente porque não sei onde moram o Adilson e o Sr MB, onde gostaria de deixar o meu último adeus, bem como todo o trabalho para trasladar o que sobrar de mim.

É uma notícia triste e inoportuna, mas também um presente de Deus que lembra que ainda é possível buscar a serenidade dentro de nós, basta fugir um pouco da correria do dia a dia.

Livre-arbítrio



Partindo de um link fornecido pelo Daniel, interessei-me pelo texto sobre livre-arbítrio. Como  a página fornecia poucas palavras sobre o assunto, pesquisei um pouco mais e descobri que o texto havia sido tirado de um artigo publicado pelo site NewScientist.

Diz o seguinte:

um experimento realizado há 30 anos pelo neurocientista Benjamin Libet, sugerindo que o livre-arbítrio — ou seja, a liberdade na tomada de decisões — era influenciado pelo nosso cérebro, acaba de receber uma nova interpretação.

Na época, Libet avaliou a atividade cerebral de indivíduos enquanto eles executavam movimentos voluntários em um ambiente controlado. O cientista percebeu que uma reação cerebral ocorria pouco antes dos participantes realizarem as ações, sugerindo que uma decisão inconsciente ocorria no cérebro aproximadamente meio segundo antes de o indivíduo decidir realizar o movimento conscientemente, o que ele chamou de “potencial de prontidão”.

Desde então, esse potencial tem sido estudado por vários outros cientistas, com o intuito de provar se a tomada de decisões é ou não é voluntária. E, aparentemente, a resposta a essa questão pode ser sim e não!

Quem decide é o cérebro?

Os experimentos parecem indicar que o nosso cérebro já decidiu antes de nós sobre alguma coisa que acreditamos ter acabado de decidir. Assim, os pesquisadores pensam que, quando temos que tomar alguma decisão, nosso cérebro começa a reunir neurônios que acumulam informações relacionadas aos diversos resultados possíveis das nossas escolhas.

E, quando um desses resultados conta com o maior número de evidências positivas, uma dessas escolhas é acionada, e a tomada de decisão ocorre. A discussão agora é determinar se essa nova interpretação prova ou não a existência do livre-arbítrio, embora os pesquisadores acreditem que esta nova teoria possa abrir novas portas para explicar o mecanismo de tomada de decisões.

Fonte: NewScientist

Leia mais em: http://www.tecmundo.com.br/mega-curioso/27991-o-cerebro-interfere-no-nosso-livre-arbitrio-.htm#ixzz2DXwu5fTE

Um experimento realizado há 30 anos pelo neurocientista Benjamin Libet, sugerindo que o livre-arbítrio — ou seja, a liberdade na tomada de decisões — era influenciado pelo nosso cérebro, acaba de receber uma nova interpretação.

Na época, Libet avaliou a atividade cerebral de indivíduos enquanto eles executavam movimentos voluntários em um ambiente controlado. O cientista percebeu que uma reação cerebral ocorria pouco antes dos participantes realizarem as ações, sugerindo que uma decisão inconsciente ocorria no cérebro aproximadamente meio segundo antes de o indivíduo decidir realizar o movimento conscientemente, o que ele chamou de “potencial de prontidão”.

Desde então, esse potencial tem sido estudado por vários outros cientistas, com o intuito de provar se a tomada de decisões é ou não é voluntária. E, aparentemente, a resposta a essa questão pode ser sim e não!

Os experimentos parecem indicar que o nosso cérebro já decidiu antes de nós sobre alguma coisa que acreditamos ter acabado de decidir. Assim, os pesquisadores pensam que, quando temos que tomar alguma decisão, nosso cérebro começa a reunir neurônios que acumulam informações relacionadas aos diversos resultados possíveis das nossas escolhas.

E, quando um desses resultados conta com o maior número de evidências positivas, uma dessas escolhas é acionada, e a tomada de decisão ocorre. A discussão agora é determinar se essa nova interpretação prova ou não a existência do livre-arbítrio, embora os pesquisadores acreditem que esta nova teoria possa abrir novas portas para explicar o mecanismo de tomada de decisões.

Fonte: NewScientist

http://www.tecmundo.com.br/mega-curioso/27991-o-cerebro-interfere-no-nosso-livre-arbitrio-.htm#ixzz2DXwu5fTE

Lendo o texto cheguei à seguinte conclusão:

Se o cérebro decidiu "antes de nós", é porque nós mesmos decidimos, oras bolas! Afinal de contas o cérebro faz parte de nosso corpo!

SA


(Obs: tive que tirar os links e a foto para corrigir o problema que o post estava apresentando)

Músicas

Há muito tempo ouvi essa música de Johann Pachelbel (compositor alemão barroco)Canon em Re Maior e por ela me apaixonei. Queria que fosse tocada  no meu velório e na outra encarnação, quando eu "nascer de novo", ahahaha!


http://www.youtube.com/watch?v=UcxN1uEQTkY&feature=related


Eu sei que o 233 gosta da Nona sinfonia de Beethoven:
 http://www.youtube.com/watch?v=e9cno71jklc 


O Daniel indicou uma música para o Hosaka. Com certeza, a melhor canção para o Hosaka dedicar à princesa é essa:

 http://www.youtube.com/watch?v=fxtkVjBoDGg



SA

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Será que ressuscitamos ou reencarnamos?


De onde vieram os átomos que formam nosso corpo?
Os elementos químicos todos que se encontram espalhados pelo planeta, que formam nosso corpo e ganharam nomes na tabela periódica têm sua origem no hidrogênio, que ficou aprisionado dentro das estrelas sob imensa pressão e temperatura. Quando as estrelas explodem, elas esparramam seu conteúdo pela galaxia toda, por vários planetas. E podem dessa forma, ao cair em algum lugar favorável, produzir vida. Que foi o nosso caso.
Quando morremos acontece o mesmo: nossas moléculas se esparramam por toda parte. Somos um aglomerado disso tudo.  Somos formados do que já fomos anteriormente.
O que significa isso?
Que ressuscitamos ou que reencarnamos?

Vejam o vídeo do astrofísico Neil deGrasse Tysson (pode ter legenda se vc clicar em legendas - cc):




SA

domingo, 25 de novembro de 2012

O que é curiosidade?

A metade da minha vida, eu tive ajuda dos meus pais. Eles me colocaram na escola, e lá tive professores que me ensinaram o que é gramática, o que é literatura, o que é ciência, o que é matemática. Mas, eu sei apenas o básico. Eu não sou capaz de ler um livro ou sequer um comentário de jornal. Eu sei o que é porcentual, mas não sei o que significa os bancos brasileiros praticarem um juros de 5% ao mês, quando os bancos internacionais praticam empréstimos a 5% ao ano.

Ao contrário da Doutora Selma, eu tenho pavor de botar a mão no bisturi. A Doutora Selma já cortou milhares e milhares de bifes em sua vida, e eu nenhum. Mesmo que eu tivesse a curiosidade de pegar um livro sobre cirurgia odontológica, isso não me daria amparo legal para cortar um bife, mas nada me impede de abrir uma banca no Shopping Popular e abrir o meu açougue particular sem o diploma do CRM. Entrar no mundo informal é muito mais rápido e sem nenhuma burocracia, você não precisa de contador, licença de funcionamento da Prefeitura, do Estado ou da Receita Federal.

Mas para cortar o bife, você precisa muito mais que a simples curiosidade, você precisa ter muito peito. A Doutora Selma já demonstrou que tem bastante peito, e eu nenhum. Ou seja, o bisturi é o mesmo, mas enfrentar um bife que grita de desespero e dor, ah isso eu não tenho coragem de encarar.

Essa diferença de postura e personalidade tem a sua melhor explicação no livro do professor Rivail. Por fora parecemos iguais, mas por dentro temos um elemento comum que são diferentes. O professor Rivail chamou-lho de "espírito". Bill Gates chamou-lhe de "software". O Adilson chama de "Índice Interno de Orelhudice", e eu aqui chamo de curiosidade.

A minha tese é de que todos temos curiosidades diferentes. A gente pensa que a curiosidade de uma mulher a leva até o volante do fogão, mas a Doutora Selma demonstrou que não. Ela não só sabe como usar um bisturi, mas também sabe como montar um blogue. Com a ajuda de um horroroso motorzinho refrigerado à água, a Doutora Selma consegue esculpir belos dentes. Enfim, o mundo da doutora é mecânico e prático, já o meu é platônico e sem objetivo. Eu gastei quatro anos da minha vida para tentar fazer a princesa prestar atenção em mim, já a doutora Selma não gasta sequer cinco minutos, ela aprendeu com a sua curiosidade como usar a anestesia e conseguir um monte de abraços de seus pacientes só porque a doutora sabe como usar uma seringa ou xirocaína.

A minha curiosidade é bem limitada, o máximo que consegui foi viver de lembranças da princesa. Às vezes fico imaginando se é possível fazer um download da curiosidade da doutora e fazer um upgrade na minha curiosidade, e assim eu criar coragem para abrir um consultório clandestino no Shopping Popular, mas sem alterar o tamanho do peito. E você, até onde a sua curiosidade lhe levou nessa vida?

O que podemos fazer pelos espíritos?

O Sr Adilson e o Sr Vai Volta são os que mais acrescentam comentários nesse blogue, de acordo com o levantamento que a Doutora Selma fez recentemente. A situação da Doutora Selma não é boa. Para você arrancar o dente de um cliente, isso precisa de um raio-x, examinar se a coroa está realmente comprometida para depois arrancar o dente condenado com um alicate, ou seja, é um trabalho de no mínimo de meia hora. Para a Doutora contar todos os comentários do Adilson, do Vai-Volta, e colocar a tabela em ordem crescente, isso é coisa de semanas. Ou seja, não entrou ninguém no consultório da Doutora Selma nesses últimos cinco meses, e agora ela apela para o espírito do Papai Noel para que ele arranje alguém com uma terrível dor de dente nesse Natal. Claro que o trabalho dela não se resume em arrancar a dor do paciente, mas sim o seu pão de cada dia, essa é uma herança maldita que todos nós herdamos de nossos antepassados, que pisaram na bola com o Arquiteto do Mundo, e agora temos que suar a camisa para ter o merecido sustento de cada dia.

Ao invés de colocar o Papai Noel no Blogue, muito melhor seria se a Doutora Selma colocasse o endereço do seu consultório, se colocasse a tabela de preço da resina, e se convidasse o Vai-Volta e o Adilson para melhorar o bom humor. Mas, isso, o Google não permite, e assim temos que conviver com as cáries do Adilson e do Vai-Volta em seus comentários. Para o Vai-Volta, bastaria apenas a conta bancária da Doutora Selma, que ele iria conseguir um empréstimo a uma taxa bem menor que o Selic, mas isso o Google não permite. Ou seja, a liberdade de expressão do Google não contempla ganhos pessoais, mesmo que seja para comprar uns três pãesinhos.

Isso me fez lembrar de uma passagem do Evangelho, onde Jesus afirma que temos que ajudar os menos afortunados que vemos do que os espíritos que não vemos, acho que isso foi depois do Sermão da Montanha em Mateus. Quem é bom em citar a Bíblia é o Adilson, eu já tenho muita dificuldade na leitura, não lembro do texto original, mas acredito que tem a ver com o amor às pessoas que vemos todos os dias. Ou seja, se não podemos ajudar a Doutora Selma que vemos todos os dias, imagine o que podemos fazer para os pobres espíritos cuja carne já virou pó mas ainda vagam na Terra em busca da Luz. Muitas vezes eles ficam revoltados e balançam as mesas, muitas vezes sem a ajuda de um mediúnico.

Aqui eu apelo pela conhecida técnica católica da oração. Claro que Deus sabe do que a Doutora Selma precisa, mas não custa nada repetir o pedido, pois não é só destino da Doutora Selma que está em jogo, mas sim esse espaço que conseguimos para publicar os nossos comentários na internet. Claro que a Doutora Selma detesta esse modismo católico, mas que culpa nós temos se os nossos espíritos ainda estão no começo do longo caminho da evolução? Enfim, a paciência é o único remédio que conhecemos para pintar os tijolos de nossas paróquias e mostrar ao mundo o nosso belo sorriso, ainda que todos os dentes sejam totalmente postiços.

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Habemus Papam - parte 2

Hoje, consegui trocar o disco com o Cesar. O quarto capítulo em diante mostra o escolhido vagando num teatro e até assistiu uma missa, onde estavam apenas ele, o padre e mais cinco fiéis. O padre disse que passamos por uma fase bem difícil, e ele aconselhou a procurar a humildade, mostrar as nossas fraquezas a Deus e reconhecer que dependemos muito mais dEle agora.

No Vaticano, sem nenhum Papa para apresentar ao mundo, ou pelo menos para um terço do planeta, depois de três dias, os arcebispos decidiram sair, e assistir a mesma peça de teatro que o escolhido estava assistindo. A peça foi prejudicada. Com tantos arcebispos na plateia, foi fácil para todos identificarem quem era o novo Papa.

Finalmente, o escolhido teve a coragem de aparecer na famosa sacada, recebendo calorosos aplausos, mas o seu discurso foi curto e amargo: ele pediu para todos orarem por ele, principalmente porque ele não tinha nenhuma habilidade para ser o líder espiritual de milhões de católicos que ainda existem no mundo moderno.

Ou seja, o filme é um ensaio de como será o fim do catolicismo.

O filme é bem água com açúcar, mas com o fim do catolicismo, eu acredito que o protestantismo vai também desaparecer, bem como o ateísmo, e o planeta será 3/3 espírita, ou seja, ao invés de pedir ajuda à Santa Tereza, você precisará levar o seu PC numa casa espírita e pedir para um mediúnico psicografar um tutorial de como consertar o PC.

Enfim, o Ésio estava certo, a religião baseado na antiga Bíblia está acabando. Hoje, precisamos distinguir a nossa existência carnal e a nossa existência espiritual, e consertar um problema de cada vez, pois os milagres só existiram no tempo de Jesus. Agora é o tempo do professor Rivail, você é dotado de um espírito junior, senior ou pleno, eu ainda não sou nenhum dos três, porque ainda tenho o Santo Bento XVI que reza por mim e por milhares de devotos que depositam em crucifixos, imagens de madeira, gesso ou papel, a esperança de que somos mais que cobaias no laboratório do Paraíso.

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

O silêncio é de ouro

Muitas vezes minha avó repetiu a frase "A palavra é de prata e o silêncio é de ouro" e eu, na minha infantil ignorância não entendia e não refletia. Quando criança  falta muita paciência e em tudo colocamos pressa e irreflexão. Só muito tempo depois, amadurecendo,  comecei a digerir o verdadeiro significado da frase, que na verdade é muito simples: melhor o silêncio do que a palavra, obviamente que em determinadas ocasiões.

Jesus foi um grande adepto do silêncio nas horas certas, e dava muito valor para ele. Disse para seus Apóstolos que  a boca fala conforme o estado do coração, e o mais importante é o que sai pela boca e não o que entra, pois o que entra logo sai e é jogado em lugares desprezíveis. Bem, não tanto desprezíveis, pois hoje em dia o que entra pela boca  quando sai está sendo jogado através de esgotos  em rios e praias, poluindo o ambiente com coliformes fecais (Escherichia, Enterobacter e Klebsiella). Na época de Jesus nunca tinha se ouvido falar em coliformes, e provavelmente os lugares escusos aos quais ele se referia não contaminava os rios do Oriente Médio.

 Visto que o que entra pela boca  já sabemos o destino, o importante é descobrirmos os danos causados pelo que sai. E aí a coisa complica... Muitas vezes perdi a chance de ficar em silêncio e acabei complicando a situação.

Quando Jesus foi preso, foi levado pelos soldados à presença de Herodes, que ficou satisfeito em vê-lo, pois a fama de Jesus era grande e muitas notícias haviam sido trazidas até ele pelos fofoqueiros de plantão. Jesus estava sujo devido aos maus tratos, rosto cheio de sangue e ferido. Herodes teve um faniquito e xingou os soldados por terem trazido Jesus sujo, e pediu que o limpassem, pois na sua presença queria pessoas limpas e não sujas a ponto de causar nojo. Os soldados limparam Jesus com a "delicadeza" de soldados... Jesus permaneceu em completo silêncio. Qual de nós suportaria isso?

"Limpo", Jesus é novamente levado à presença do poderoso Herodes, que mandou colocassem nele uma túnica branca. Sabem o significado da túnica branca naquele tempo? Que a pessoa era louca, doida varrida, que o que ela dizia não tinha valor algum!

"_Têm-me falado muito de tua sabedoria, dos teus discursos e da tua doutrina; eu desejaria ouvir-Te refutar os teus acusadores. – Que dizeis? – É verdade que és o rei dos judeus? – És o Filho de Deus? – Quem, és? – Ouvi dizer que tens feito grandes milagres, prova-o diante de mim, fazendo um milagre. Depende de mim libertar–Te. – É verdade que deste a vista a cegos de nascença? Ressuscitaste dos mortos Lázaro? Saciaste vários milhares de homens com poucos pães? Porque não respondes? – Conjuro-te a operar um dos teus milagres. – Seria muito em teu favor”. Herodes cobriu Jesus de perguntas, mas Ele permaneceu calado.

Vendo que nenhuma palavra conseguiria arrancar de Jesus, Herodes o mandou de volta para Pilatos. Não queria se comprometer, principalmente porque já havia mandado cortar a cabeça de João Batista.

Jesus permaneceu em completo silêncio. Não se revoltou, não acusou. O que teria acontecido se Ele "rodasse a baiana"? Não se sabe.

Mas a verdade é que o silêncio foi de ouro, porque não valia perder a paciência com pessoas medíocres. Jesus sabia que todos eram medíocres. Só sai mediocridade do coração dos medíocres.

Tenho pensado muito nisso, no meu dia a dia.


Igreja Bonsucesso em Jacareí/SP, onde meus pais se casaram há 50 anos





Abs.