terça-feira, 31 de maio de 2011

Inquisição: O Reinado do Medo

O historiador inglês Toby Green apresenta um panorama  vivo e acessível dos mais de 300 anos de medo instaurados na Espanha e em Portugal pela Inquisição – matriz, segundo ele, dos regimes totalitários do século XX.

O tribunal da Inquisição retratado por Goya no século XIX:
vigilância absoluta do cotidiano de todos os cidadãos


Luis Carvajal e suas irmãs Isabel e Leonor foram condenados à morte na Cidade do México, em 1596. O processo começou a partir da denúncia de uma vizinha portuguesa que observara uma sucessão de indícios criminosos: no lar dos Carvajal não se comia porco e só se cozinhava com azeite de oliva, jamais com banha. Aos olhos da Inquisição, essas eram provas de que os acusados obedeciam, em segredo, à lei judaica, que proíbe o consumo de carne suína.

Na Espanha, em Portugal e nas suas colônias na América, África e Ásia, os chamados convertidos ou cristãos-novos - judeus que, por convicção genuína ou temor de perseguição, aderiram ao catolicismo - foram as vítimas preferenciais dos inquisidores. Ninharias cotidianas como o uso de azeite ou o consumo de pão sem fermento bastavam para levá-los à fogueira. Os interrogatórios, conduzidos com grosseiros aparelhos de tortura que esticavam e dilaceravam os membros, tinham como pressuposto a culpa do acusado, ao qual só restava confessar suas faltas. Denúncias podiam ser apresentadas por qualquer informante anônimo - como a vizinha fofoqueira, no caso dos Carvajal. O historiador inglês Toby Green, do King´s College de Londres, vê nesse sistema uma antecipação das práticas dos regimes totalitários do século XX - mesmo de regimes que se anunciavam como ateus. O modelo de vigilância sobre os cidadãos a partir de uma rede de informantes anônimos é criação da Inquisição espanhola. E seria usado, por exemplo, pela Stasi, a polícia secreta da Alemanha Oriental, disse à  revista Veja o autor de Inquisição - O Reinado do Medo. Resultado de extensa pesquisa nos documentos da Inquisição preservados em instituições como o Arquivo Histórico Nacional, em Madri, o livro fornece um panorama vivo e acessível de um dos mais draconianos aparelhos de repressão da história.

Autorizada pelo papa Sisto IV em 1478, a Inquisição espanhola começou suas atividades em 1480 (sua contraparte portuguesa seria criada em 1547). Na interpretação de Green, a Inquisição espanhola foi, ao contrário da Inquisição medieval, que a antecede em mais de dois séculos, uma instituição marcadamente política, ainda que amparada em justificativas religiosas. A partir do século XVI, a serviço da chamada Contrarreforma, ela passou a interrogar, torturar e matar não só os convertidos, mas também cristãos velhos suspeitos de adesão às ideias dos reformistas Lutero e Calvino. Sua função primordial, porém, foi impor violentamente uma monolítica identidade cultural e religiosa à Espanha que os reis Fernando e Isabel haviam unificado no século XV, reunindo as regiões de Aragão e Castela depois de anos de guerras civis e religiosas. Ao longo dos mais de três séculos de existência da Inquisição espanhola, o Vaticano repetidas vezes tentou limitar seus poderes - sempre com a oposição do trono espanhol.

A Inquisição na Espanha foi extinta com a invasão de Napoleão, em 1808. Depois da expulsão do invasor francês, o rei Fernando VII até tentou reinstaurá-la, mas acabou cedendo à pressão política e declarou-a definitivamente encerrada em 1820. O número de mortos e torturados pelos inquisidores é incerto, pois muitos arquivos foram destruídos. Sabe-se que o primeiro meio século de atividade foi o mais violento, com 50 0000 pessoas julgadas em toda a Espanha, e grande parte delas executada. Em Toledo, cidade de forte tradição islâmica e judaica, 10% da população teria passado pelos tribunais. No século XIX os autos de fé e as execuções haviam se tornado relativamente raros - mas a Inquisição seguia ativa, por exemplo, na censura à imprensa e aos livros. A sociedade espanhola ainda vivia sob o jugo da humilhação e do medo. O livro de Green é uma análise assustadora do poder de coerção social da paranóia.





Livro: Inquisição
Autor: Toby Green
Editora: Objetiva
Páginas: 480
Valor: depende do lugar, entre 42 e 53 reais.






Revista Veja - edição 2218 -  25 de Maio de 2011
Por Jerônimo Teixeira



Dê de presente para  sua namorada (dia dos namorados chegando...). Eu adoraria ganhar um, pois é meu assunto preferido.




(Selma)

Bom dia, Sr Joseph

Não estou conseguindo comentar Verão Marciano, mas o texto da Selma é a sua cara, o Sr é um participante de um comentário só, não muda sequer uma vírgula. O Sr não tem vergonha, não?

Frank K Hosaka
fhosaka@uol.com.br (11)8199-7091

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Verão Marciano



West Village é um dos bairros mais charmosos de Nova York. Os prédios de tijolinhos e as calçadas largas reservam boas surpresas, como restaurantes e lojas.
West Village - NY


A livraria é uma delas. Estantes bem organizadas, livros meticulosamente distribuídos, avisos indicando quais as opções da loja. Uma estante mostra os livros mais vendidos. Em outra estão os livros em liquidação. Só que a livraria vende apenas um título: o Verão Marciano.
Pilhas e pilhas de livros, a mesma história, o mesmo título, o mesmo autor. Andrew Kessler teve a ideia de abrir a loja de um livro só para promover a primeira publicação dele.


"Quando eu terminei o livro, mesmo com toda a animação, eu me dei conta de que eu sou um autor desconhecido, sem apoio de editora. Fiquei preocupado, achando que meu livro não teria lugar merecido nas prateleiras de grandes livrarias e resolvi abrir uma loja para mim", diz ele.


Os moradores do West Village acharam tudo normal. "Tem uma loja aqui no fim da rua que vende apenas sal e chocolate", conta uma moradora.


                                                                                




Verão Marciano não é um livro de ficção. Andrew conta que teve a chance de estudar e acompanhar os trabalhos da equipe que mandou a sonda Phoenix para o pólo norte marciano. Ele estava lá, quando os cientistas vibraram com a descoberta de gelo e água em Marte.


Uma moradora do Village viu as fotos e gravuras, ouviu o resumo do próprio autor e decidiu comprá-lo.


O projeto de autopromoção deu muito certo, mas mesmo assim Andrew recebeu um aviso de despejo. A dona da loja encontrou um inquilino mais de acordo com as ambições capitalistas de Nova York. Ele terá que fechar a livraria.
Andrew está pensando em abrir novas livrarias de um só livro em outros lugares da cidade, ou, quem sabe, outros países. "Estou aceitando pedidos de franquia”. Mesmo se o projeto de franquia não der certo, esse novaiorquino de outro planeta diz que vai descobrir outro jeito para sempre divulgar a importância das pesquisas espaciais.



Do Portal G1 (Jornal Hoje)




Selma




Mistério ou coincidência?


Acordei de sobressalto, como se tivesse levado um susto. Havia um silêncio assustador dentro da escuridão da noite, que eu não sabia se esse silêncio acontecia somente dentro de mim ou no resto do mundo. Só sabia que era a primeira vez que experimentava um vazio tão profundo e assustador, ausência de pensamentos, uma espécie de peso na cabeça que não me deixava raciocinar. Cheguei a pensar que estava tendo um AVC ou algo parecido e não soube precisar quanto tempo tudo isso durou.
Lentamente os pensamentos começaram a vir, junto com os sons. Ouvi cães latindo bem longe e barulho de carros. Levantei-me e resolvi que tomaria um chazinho bem quente, que já estava pronto de véspera. Consultei o relógio e vi que marcava duas e trinta da manhã. Tornei a deitar-me e dormi um sono atormentado até  quase sete da manhã, quando o telefone tocou.

Uma cunhada avisava que um cunhado (53 anos)  em comum havia falecido de infarto fulminante exatamente às duas da manhã. Havia ido a uma festa e quando chegou, começou a passar mal, sendo que em questão de meia hora havia morrido.

Eu apenas tinha uma boa amizade com esse cunhado e raramente nos encontrávamos para conversar. Mas era uma pessoa de boa índole e boas qualidades, dessas que não fazem fofoca e nem se metem na vida dos outros.

Talvez tenha sido apenas uma coincidência, mas ele faleceu exatamente na hora em que acordei com uma sensação horrível. Isso aconteceu na madrugada do dia 22 de maio.




"Há mais mistérios entre o Céu e a Terra do que sonha a nossa vã filosofia."

(Shakespeare)





(Selma) 

domingo, 29 de maio de 2011

O iPad e o Ubuntu 11.04

Ubuntu é um sistema operacional para computadores, notebooks e netbooks, e você pode obter uma cópia pela Internet (se a sua banda larga for decente) ou comprar a revista Arquivo Linux n. 41 onde você encontrará o CD com a cópia do Ubuntu versão 11.04 (leia-se abril de 2011) por apenas R$ 14,00.

O Ubuntu não é fácil de usar. Eu achei muito confuso a interface gráfica da versão 11.04, assim eu pedi para ele trabalhar no modo clássico, que lembra bastante o Windows.

O Ubuntu também não tem programas que sincronizem as informações do iPad com o PC, se bem que ele consegue enxergar algumas pastas que o Windows não consegue exibir na janela do navegador Explorer. E, por tabela, o Ubuntu também não tem como atualizar o sistema do iPad, quando a Apple disponibiliza uma nova versão.

Aṕarentemente, o Ubuntu torna a vida do iPad mais difícil e torna mesmo. Apesar disso, foi estudando o Ubuntu é que consegui chegar na página http://gaigalas.net/Artigos/UbuntuServidorPHPMySQL.html onde aprendi a instalar um servidor Web no PC, é o melhor tutorial que já vi e que fala de um assunto tão complexo. Claro que gastei um fim de semana inteiro para aprender a configurar e entender um pouco a estrutura do Ubuntu, mas valeu a pena. Depois que consegui chegar na última tela do tutorial, fui no navegador do iPad e coloquei o IP da máquina onde estava instalado o Ubuntu, e lá estava a minha primeira página Web que montei com as minhas próprias mãos, eu me senti realizado. Claro que isso só é o começo. Ainda não tenho a menor ideia de como usar o MySQL, de como manipular a linguagem PHP e depois disso tudo tornar o iPad um cliente MySQL através do Safari.

Enfim, o meu sonho é transformar o iPad de uma fonte de consulta para um editor de dados e informações. Graças ao Ubuntu e ao Fórum do Ubuntu, eu consegui achar o começo do caminho. O duro é que você tem que ler e ler muito.

Mensagem de Frank K Hosaka no Fórum do iPad

História de um espírito

Há muitos anos, um Espírito apareceu a Divaldo (médium espírita, dirigente da instituição Mansão do Caminho da Bahia), e contou-lhe sua triste história:

“Eu era uma mulher bela, casada, também, com um homem muito atraente. Éramos felizes . . . até que um dia a beleza física dele nos desgraçou. Simpático, jovial e atraente, arranjou outra mulher mais bela e mais jovem do que eu. Uniu-se a ela, e disse-me:

- A partir de hoje irei transferir-me de casa. Por você estar velha e desgastada, procurei outra mulher mais jovem para me estimular e dar colorido à minha vida.

Dizendo isso, arrumou suas malas e saiu. Enquanto ele saía, dei um tiro em minha cabeça, para que ele ouvisse e tivesse remorso para o resto da vida. Suicidei-me . . . Não posso lhe dizer quanto tempo se passou . . . Senti o tormento que me veio depois do suicídio, a crueldade do ato impensado, o desespero que me proporcionou. Tudo quanto posso lhe dizer é que agora eu me libertei, momentaneamente do tiro, da bala que partira minha cabeça. E meu primeiro pensamento foi ver o homem por quem eu destruí minha vida. Quis visitá-lo, e uma força estranha como um magneto atraiu-me à uma casa majestosa, a uma mulher de meia idade e a um homem que estava atormentado e deitado em uma cama especial. Era meu antigo marido, portador agora de uma doença degenerativa. Estava desmemoriado, deformado, hebetado, teve também, derrame cerebral, estava sem cabelos, sem dentes, trêmulo sobre a cama . . . Uma verdadeira pasta de carne!
 

Então eu olhei, e pensei: - Meu Deus! Foi por isso que eu me matei!? Como fui tão apegada à matéria, que murcha e se decompõe mesmo em vida. Hoje estou sofrendo moralmente! Como pude dar tanto valor à matéria! . . . Não confiei em Deus, e cheguei ao extremo de tirar minha vida por um homem que não a merecia, enceguecida por sua beleza física. Apeguei-me muito, a ponto de anular minha personalidade. Não podia viver sem ele. Tem piedade de mim e de todos aqueles que estão presos às pastas de carnes que irão se decompor e morrer em breve tempo, mais breve do que esperamos.”

E o Espírito, saiu depressa, sem dar tempo de Divaldo falar com ela.

Dessa história, podemos tirar 3 lições:

1ª - Sobre o suicídio. A recomendação Espírita é: “Não se mate, você não morre.”

2ª - Procurar parceiros (as) visando beleza física e não espiritual, é outro engano. O amor verdadeiro não é cego, mas a paixão sim. Na questão 969, os Espíritos disseram para Allan Kardec que: “Muitos são os que acreditam amar perdidamente, porque apenas julgam pelas aparências, e que, obrigados a viver em comum, não tardam a reconhecer que só experimentaram um encantamento material! Não basta uma pessoa estar enamorada de outra que lhe agrada e em quem supõe belas qualidades. Vivendo realmente com ela é que poderá apreciá-la. Cumpre não se esqueça de que é o espírito quem ama e não o corpo, de sorte que, dissipada a ilusão material, o espírito vê a qualidade.”

3ª - Ninguém é de ninguém. Ninguém é posse de ninguém. Quando amamos verdadeiramente a outra pessoa, nós queremos vê-la bem, feliz, seja lá com quem for. Divaldo com muita propriedade nos exorta:

- É necessário libertar-nos dos apegos, das coisas escravocratas e seguirmos a direção do alvo, porque somos a flecha que o grande Arqueiro disparou.


Aprende pois a olhar, não com nossos olhos, mas sim com o coração, amar verdadeiramente a alma e não o corpo, pois o corpo acaba e a alma se eterniza; o Espírito é realmente a verdadeira luz , e nós como seres humanos deveríamos ver ,não com os olhos mas com o coração, pois este, nunca nos engana!!!! 



" A felicidade depende das qualidades próprias do indivíduo e não do estado material do meio em que se encontra." 


Doris Day


[Enviado por Esio Lopes na caixa postal de fhosaka@uol.com.br]

-----------------------

Aqui tem um monte de problemas, o do espírito da mulher que se arrependeu do suicídio, o da pasta de carne que se transformou o marido jovial e finalmente da bela moça que ficou com o fardo de cuidar de um moribundo. Como eu sou puramente materialista, acredito que se existe amor nessa história, ela está com a bela moça que cuidou da pasta de carne, mas já ouvi muitos casos em que ninguém gosta de cuidar de gente doente, a menos que exista uma recompensa material. Enfim, não vejo como a Doutrina Espírita possa ajudar a encontrar o verdadeiro amor ou pelo menos a se desapegar das coisas materiais. O Arqueiro nos deu estômago, e por causa disso sempre procuramos por comidas coloridas e vistosas. O Arqueiro nos deu a bunda, por isso preferimos andar de ônibus do que andar a pé até o serviço. O Arqueiro nos deu ouvidos, por isso gastamos com mp3 e outras músicas do momento. O Arqueiro nos deu olhos para procurar as coisas mais bonitas, redondas e sem rugas. Enfim, a nossa percepção é puramente material.  Não vejo como valorizar o altruísmo e o desapego, principalmente quando não fomos nós que inventamos o estômago, a  bunda, as orelhas e os olhos.

O suicídio faz sentido sim, quando o nosso orgulho é dilacerado. No caso do espírito arrependido, eu aconselharia a meter uma bala no marido que lhe abandonar, na próxima reencarnação, ocasião em que será legalizado a pena de morte para o marido ou esposa que cair fora do relacionamento, chega de divórcio, os advogados já ganharam muito dinheiro com isso. Chegou a hora de dar um basta! Que padres e pastores ganhem o seu dinheiro com casamentos, eu sou a favor, mas advogado ganhar palácio, carro e muito dinheiro graças ao desentendimento de casais, isso acho exploração demais!
Frank K Hosaka
fhosaka@uol.com.br (11)8199-7091 Diadema-SP

Há como vincular o BrOffice Base com o BrOffice Calc?

Depois que o Sr Católico me chamou de mentiroso no Blog da Selma, quando afirmei que era impossível vincular informações entre os aplicativos de escritório, eu decidi estudar um pouco mais o pacote do LibreOffice do Ubuntu 11.04, mas o máximo que eu consegui fazer foi vincular células de planilhas diferentes, usando o método de copiar a célula de uma planilha na célula da outra planilha.

Usando a tecla F4, eu consegui abrir uma janela para o banco de dados no Calc, e de lá copiar todos os dados para a planilha, eu consigo até editar os dados no banco de dados, mas a mudança no banco de dados não afeta a cópia existente na planilha. O Calc também tem uma função chamada Obter Dados Externos, mas o máximo que eu consegui foi obter resultado estatístico de uma tabela do tipo soma, média, desvio padrão e assim vai, quando o que eu queria era uma cópia sempre atualizada da tabela na planilha, para dali tirar uma tabela de preço mas só dos itens que mais giram. Claro que tal tabela pode ser obtida dentro do Base, mas o Calc é bem mais versátil por absorver mudanças de última hora, bastando apenas alterar uma fórmula aqui e outra ali.

Diante do exposto, pergunto aos universitários se tal possibilidade existe no ambiente LibreOffice, o que agradeço antecipadamente.

Mensagem de Frank K Hosaka no Fórum do Ubuntu

Como acabar com a lesma da Nihil?

Se algum dia você for replantar sua orquídea e no meio do substrato você encontrar essas bolinhas, se prepare pois você têm lesma no vaso e isso te dará algumas dores de cabeça mas, não se preocupe pois sua orquídea não ira morrer se seguir alguns conselhos, vejamos:

1 - Retire todo o substrato velho da sua orquídea, limpe ela com água corrente e detergente neutro usando uma esponja "a parte amarela" e uma escova de dentes macia para partes mais difíceis.

2 - Pegue um vaso totalmente novo e o substrato de sua escolha novo, replante ela normalmente e coloque - a em um lugar diferente de antes pois, provavelmente ali se encontra mais lesmas e se você voltar a por ali o vaso ela ira atacar novamente a planta e de nada adiantara isso.

3 - Observe se as plantas ao lado da mesma se encontra com lesma, para isso basta molha - las bem e a noite "umas 21:00" você com uma lâmpada ou lanterna ira observar atentamente os vasos e procurar pelas "infelizes" de uma olhada minuciosa em raízes novas e em brotinhos pois elas adoram essa parte da planta.

Bom essa é minha dica sobre lesmas, pois já tentei varias coisas diferentes e essa é a melhor ainda que conheço.

Abraços.

Nightwalkerkmkz


Editado por Frank K Hosaka - fhosaka@uol.com.br - (011)8199-7091 

sábado, 28 de maio de 2011

Tabela de Preço

O final de maio trouxe ao Brasil o iPad 2, mais ou menos R$ 2.000,00, bem como o Arquivo Linux 41 com o Ubuntu 11.04 por R$ 14,00, isso é uma alternativa para o lendário Windows+Office de R$ 2.500,00.

Para saber qual a melhor alternativa, vamos pegar um exemplo simples, uma tabela de preço mais ou menos assim:

Maçã         0,50
Pera          0,70

É uma tabela pequena e dispensa qualquer computador, basta ir no bazar da esquina, comprar uma folha de papel A4 e uma caneta piloto, e tudo por R$ 5,00.

Então, para que servem os computadores?

Eles são necessários, quando muita gente pergunta a mesma coisa: afinal, a maçã é cinquenta ou oitenta centavos? No Brasil, o curso de caligrafia não é obrigatório, aliás os professores ganham tão pouco que raramente pedem para os alunos redigirem qualquer coisa, e quando redigem, nem mesmo o próprio aluno consegue entender o que ele escreveu.

O Ubuntu e o Windows só rodam em equipamentos pesados do tipo notebook, e os notebooks tem bateria que dura apenas duas horas, e a feira dura seis horas, logo essa é uma péssima solução. Só o iPad resolve: você pode montar a tabela com uma figura de uma maçã de um lado, e uma moeda de R$ 0,50 do outro, a seguir, uma figura de uma pera acompanhada da figura de moeda de 50 e duas moedas de 10 centavos, bem como você pode verbalizar tudo isso com a ajuda do iPod que vem embutido em qualquer equipamento da Apple, acompanhado do tradicional marketing "mulher bonita não paga nada, mas também não leva nada". Claro que o som do iPad é uma lástima, mas basta acrescentar aqueles pequenos auto falantes da China que fazem um belo barulho, pena que só dura apenas duas horas a bateria.

Mas o que chama a atenção é a disparidade entre o Ubuntu e o Windows+Office, sabendo que os dois têm os mesmos aplicativos. Para rodar o DVD, basta apenas colocar o disco no tocador, no caso do Windows. No caso do Ubuntu, você precisa fazer um bom curso de inglês para entender o guia do usuário para instalar os codecs tipo universal que não prometem abrir todos os discos, e quando conseguem abrir, você precisa aprender a conviver com distorções e tremedeiras na imagem do tipo Brastemp.

No Windows, você pode criar uma planilha, onde o preço atual do produto fique vinculado a um banco de dados. O Ubuntu tem planilha e banco de dados, antes chamava de BROffice, hoje o nome é outro, LibreOffice, mas só mudou o nome, vincular a planilha ao banco de dados ainda é impossível.

O Windows tem uma merecida péssima reputação de sempre travar, além de ser lento por rodar um anti-virus, mas ele é o único que consegue abrir o extrato bancário da Caixa Econômica Federal. O iPad é extremamente bonitinho, mas se você for pensar em imprimir a tabela de preço, você chegará à conclusão de que ele não passa de um equipamento ordinário. Já o Ubuntu não é nada bonito, falta muita coisa para chegar aos pés do Windows, mas o seu preço é muito, mas muito atraente. Claro que é possível comprar um Windows com menos de R$ 14,00, mas, nesse caso, como é que fica a sua passagem para o Reino dos Céus?

Frank K Hosaka
fhosaka@uol.com.br (11)8199-7091

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Joseph e o Bráulio

O Joseph sempre tem colocado nesse Blog a sugestão de sentar no Bráulio de um guarda suíço que trabalha no Vaticano de 40 em 40 minutos, isso é algo que ninguém espera dentro de um debate religioso, mas é o que a gente mais vê desde os primórdios do Uol.

Sob o meu ponto de vista, eu acredito que é bem mais fácil resumir toda a nossa vida, baseado nos dilemas do Bráulio. Quando somos jovens, não sabemos em que buraco meter o Bráulio. Quando somos adultos, a preocupação é como tirar o Bráulio, sem pagar pensão. A situação de muitos rapazes é mais ou menos assim, sempre encontra um buraco novo, mas tem que arcar com as contas dos buracos mais antigos.

Sempre encontro alguém que ganha R$ 545,00, mas 30% já vem descontado no contra cheque. Aquilo que o padre fala no altar sobre "família" é coisa difícil de entender, muitos já casaram três vezes, e nem mesmo os envolvidos sabem quem é o pai e mãe, tanto que é a natureza promíscua do Bráulio. Sendo assim, Deus não é apenas o Salvador, mas uma necessidade histórica, é muito mais romântico fantasiar a história de nossa vida assim, o de que viemos de Deus, vivemos com Deus e finalmente voltaremos para Deus.

Logo, Religião é um ótimo negôcio, mas o lucro é de poucos. Mesmo assim, sempre defendi a Igreja Católica, cheio de rituais e imagens que nada tem a ver com o Evangelho. Apesar do trabalho do padre centrar na salvação da alma, o que eu acho mais belo na missa é essa lição que aprendemos de não jogar toda culpa no Bráulio, aprendemos em cada Ave Maria a assumir as consequências de nossos atos e pensamentos.

O professor Andros detestava esse tipo de confissão de culpa, isso aliena o ser humano da lógica e da razão, as únicas ferramentas capazes de salvar o camarada da ignorância e do atraso tecnológico. Mas, se o professor estivesse aqui, eu lhe perguntaria: e de que adianta tanto saber científico, se nada disso ajuda a controlar a ansiedade do Bráulio?

Enfim, depois de tantos vai-vem do Bráulio sem critério algum, só o que resta é rezar e admitir que somos fracos e que o melhor negócio é deixar tudo na mão de Deus, na nossa só sai desastre.


Frank K Hosaka
fhosaka@Uol.com.br (11)8199-7091

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Os últimos dias de Frank K Hosaka

Esse é o título de um livro que certamente não chegarei a publicar, mas ele existe. Era para eu ter começado a escrever em 1999, quando sentia fortes tonturas e suspeitava tratar-se de câncer.

Na ocasião, comecei a ler vários textos, um mais difícil de entender que o outro, e hoje sou obrigado a reconhecer que não tenho a mínima idéia do que seja câncer. Mas fiquei fascinado com um texto que encontrei que falava de um padre no Amazonas que encontrou na babosa a cura "milagrosa" contra o câncer.

Copiei a receita, e consegui tomá-ló por uma semana e meia. Aquilo é um horror, além da babosa, o padre recomendou mel, pinga e líquidificar tudo. Eu mudei a receita, um pedaço de babosa de 0,5 cm e Cebion de 1 grama, em todas as noites, a tonteira sumiu e só peguei uma gripe brava em 2011, mas nessa semana mais dentes caíram e agora fico apavorado quando alguém quer tirar uma foto minha.

O certo é consultar um médico, mais precisamente um otorrinologista, mas tenho certeza que ele vai me proibir de comer doces e gorduras e fazer muitos exercícios, mas desde 1984 é que eu já havia decidido a morrer do jeito que eu quero e não viver com a tal da qualidade de vida que os médicos tanto anunciam, e assim decidi combater a minha suposta doença com as minhas improvisações.

Resultado: ontem olhei no espelho um banguela de 52 anos, que coisa feia! Foi aí que lembrei das fotos que falavam do câncer de boca, mas os textos são muito complicados que prefiro lembrar da Denize, a melhor dentista que já conheci, e ela reclamava que eu não sei escovar os dentes.

Mas vai que seja câncer mesmo. Por cautela, então, decidi começar a escrever os meus últimos dias da minha vida. A matéria que escrevi hoje ficou ótima, falava sobre a dor que é perder a confiança em alguém, é bem pior que perder os dentes. O problema é que não tive coragem de copiar no Blog da Selma, vai que eu não morra nessa semana e passe por um estrondoso vexame por muitos anos, assim só fica o registro de que tal livro existe, publicá-ló, isso já é outra história.

Frank K Hosaka
fhosaka@uol.com.br (11)8199-7091

ao sr.Hosaka, por uma mala "de olhos baixos".

Peço que leia,no Jornal de Debates, o site onde o professor Andros costuma estar- duas mensagens que eu escrevi para ele hoje,vinte e cinco de maio, e agora há pouco,das quinze horas até esse momento.
Acho que elas ficarão na primeira página de lá,até amanhã, de tarde.

Seus títulos foram:

"Meu querido" e mais em cima "ainda,sr.Teacher".

Ali,eu me retratei do meu exagero de ontem, por causa de uma "frase" que li numa mensagem sua,e sobre a qual eu nem comentei.
Me aborreci, e fui logo me despedindo de todo mundo,como o sr.viu.

Depois de umas horas,vi que - como acontece em parte das vezes- exagerei.
Ainda que o senhor nem tenha entendido o que foi que me aborreceu.
( e vai continuar não sabendo)

Lendo esses textos,seu mal estar irá diminuir,e é o que eu desejo que ocorra.
No mais,manterei todas as palavras favoráveis de ontem.

E manterei mesmo assim,minha decisão de só voltar aqui em julho,ou em agosto.

Ando novamente propensa a enganos e a exageros,e não desejo brindá-los com minha confusão pessoal.

(suspendi o psicotrópico que estava  tomando)
Também estou sem tempo para estar em tantos sites de uma vez,e essa "autodivisão" anda me estressando.


Não sou mais como eu fui lá no gd do terra, em que muitas vezes não percebi quando era hora de
 me recolher ao silêncio.
Como o sr.pôde ver,virei uma "garota ajuizada".


E quero restaurar sua paciência,bem como sua confiança nessa que vos escreve.
E eliminar qualquer mal estar que sobrou.

Eu tinha que postar essa mensagem em destaque,pois assim o senhor a veria depressa.


Aos demais,peço que publiquem mais mensagens em destaque aqui.´
Em destaque,vou continuar só publicando os envios botânicos- e os envios daquele meu arquivo no blog do sr.William.

Talvez,até agosto.

Uma boa tarde aos que ficam,pois eu me vou.

°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°

terça-feira, 24 de maio de 2011

PIADA DO DIA III

- Papai, o que é Páscoa?
- Ora, Páscoa é ...... bem ...... é uma festa religiosa!
- Igual Natal?
- É parecido. Só que no Natal comemora-se o nascimento de Jesus, e na Páscoa, se não me engano, comemora-se a sua ressurreição.
- Ressurreição?
- É, ressurreição. Marta, vem cá!
- Sim?- Explica pra esse garoto o que é ressurreição pra eu poder ler o meu jornal.
- Bom, meu filho, ressurreição é tornar a viver após ter morrido. Foi o que aconteceu com Jesus, três dias depois de ter sido crucificado. Ele ressuscitou e subiu aos céus. Entendeu?
- Mais ou menos ....... .Mamãe, Jesus era um coelho?
- Que é isso menino? Não me fale uma bobagem dessas! Coelho ! Jesus Cristo é o Papai do Céu! Nem parece que esse menino foi batizado!Jorge, esse menino não pode crescer desse jeito, sem ir numa missa pelo menos aos domingos. Até parece que não lhe demos uma educação cristã! Já pensou se ele solta uma besteira dessas na escola? Deus me perdoe! Amanhã mesmo vou matricular esse moleque no catecismo!
- Mamãe, mas o Papai do Céu não é Deus?
- É filho, Jesus e Deus são a mesma coisa. Você vai estudar isso no catecismo. É a Trindade. Deus é Pai, Filho e Espírito Santo.
- O Espírito Santo também é Deus?
- É sim.- E Minas Gerais?- Sacrilégio!!!- É por isso que a Ilha da Trindade fica perto do Espírito Santo?
- Não é o Estado do Espírito Santo que compõe a Trindade, meu filho, é o Espírito Santo de Deus. É um negócio meio complicado, nem a mamãe entende direito. Mas se você perguntar no catecismo a professora explica tudinho!
- Bom, se Jesus não é um coelho, quem é o coelho da Páscoa?
- Eu sei lá! É uma tradição. É igual a Papai Noel, só que ao invés de presente ele traz ovinhos.
- Coelho bota ovo?
- Chega! Deixa eu ir fazer o almoço que eu ganho mais!
- Papai, não era melhor que fosse galinha da Páscoa?
- Era, era melhor, ou então urubu.
- Papai, Jesus nasceu no dia 25 de dezembro, né? Que dia que ele morreu?
- Isso eu sei: na sexta-feira santa.
- Que dia e que mês?
- ??????? Sabe que eu nunca pensei nisso? Eu só aprendi que ele morreu na sexta-feira santa e ressuscitou três dias depois, no sábado de aleluia.
- Um dia depois.
- Não, três dias.
- Então morreu na quarta-feira.
- Não, morreu na sexta-feira santa ....... ou terá sido na quarta-feira de cinzas? Ah, garoto, vê se não me confunde! Morreu na sexta mesmo e ressuscitou no sábado, três dias depois! Como? Pergunte à sua professora de catecismo!
- Papai, por que amarraram um monte de bonecos de pano lá na rua?
- É que hoje é sábado de aleluia, e o pessoal vai fazer a malhação do Judas. Judas foi o apóstolo que traiu Jesus.
- O Judas traiu Jesus no sábado?
- Claro que não! Se ele morreu na sexta!!!
- Então por que eles não malham o Judas no dia certo?
- É, boa pergunta. Filho, atende o telefone pro papai. Se for um tal de Rogério diz que eu saí.
- Alô, quem fala?
- Rogério Coelho Pascoal. Seu pai está?
- Não, foi comprar ovo de Páscoa. Ligue mais tarde, tchau.
- Papai, qual era o sobrenome de Jesus?
- Cristo. Jesus Cristo.
- Só?
- Que eu saiba sim, por quê?
- Não sei não, mas tenho um palpite de que o nome dele era Jesus Cristo Coelho. Só assim esse negócio de coelho da Páscoa faz sentido, não acha?
- Coitada!
- Coitada de quem?
- Da sua professora de catecismo!

by Marciano Alado

PIADA DO DIA II

Outra piadinha religiosa:


Estavam o Lula, o Bush e o Papa viajando juntos em um avião, quando aparece em uma das asas do avião o Diabo, com um enorme serrote e começa a cortar uma das asas da aeronave.
Quando viram o 'dito-cujo' fazendo a sacanagem, ficaram apavorados, aí o Lulla disse:
- Bush, você que sabe falar e argumentar como ninguém, convença o Capeta a parar com isso senão vamos cair e morrer todos!!!
Então o Bush foi até lá, conversou... conversou... e nada dele parar.... Foi quando Bush voltou e disse ao Papa:
- Papa, só o senhor mesmo poderá nos salvar... Ele não quer nem conversa... vai derrubar o avião mesmo!!!
O Papa foi até o Diabo e argumentou o que pôde.... e nada.... Desistiu, voltou e disse:
- Não sei o que fazer... estamos perdidos... Vamos rezar!!!
Foi quando Lula disse:
- Deixe comigo... Sou a nossa última chance, vou tentar.
E lá foi ele falar com o Diabo.
Não trocaram duas palavras, e o Diabo parou de serrar a asa do avião e sumiu... Espantados, Bush e o Papa perguntaram: 'O que você disse a ele ?
- É o seguinte: Se eu morrer, juro fundar o PT no Inferno...

by Marciano Alado

PIADA DO DIA

Aproveitando o tema do GD, piadinha do dia...


      PIADA DO DIA

Toda vez que o padre viajava, o papagaio aproveitava para ligar para a sua família no Amazonas. E ficava horas e horas pendurado no telefone.
Até que um dia, o padre teve de voltar antes do esperado e pegou o bicho no flagra.
- Agora eu entendi porque quando viajo a conta telefônica vem tão cara!
- Currupaco! Currupaco! fez o papagaio... Não briga comigo não! Juro que não faço mais isso!
- Eu tenho certeza de que não vai mais fazer, ponderou o padre, depois do castigo que eu vou lhe dar. E pegando dois pregos enormes, pregou o bichinho na parede com as asas abertas.
- Pronto! Vai ficar aí durante uma semana pra aprender a se comportar. O papagaio ralhou por algumas horas, mas depois se conformou. Afinal, uma semana não era tanto tempo. Nisso, percebeu que ao seu lado havia um crucifixo.
- Ei, cara! disse, voltando-se para o crucifixo... Há quanto tempo você está pregado aí?
Ao que Jesus respondeu:
- Há mais de dois mil anos!
- Puta que o pariu! surpreendeu-se o papagaio... Você ligou pra onde?

by Marciano Alado

Temos motivos para acreditar em nossas crenças?

Olá Pessoal, sou o André, mas aqui vou ficar com o apelido de Opegno !

Existe uma possibilidade significativa de que o interior da sua mente seja a única coisa que existe? Ou, mesmo que exista um mundo fora da sua mente, que ele seja completamente diferente daquilo em que você acredita?


2. Se essas coisas são possíveis, há alguma maneira de provar para você mesmo que elas não são, de fato, verdadeiras?

3. Se você não pode provar que existe alguma coisa fora da sua mente, é certo continuar acreditando no mundo externo, mesmo assim?

Minha opinião:

Mas sejamos sinceros, maioria das pessoas que dizem crer em Deus, seja elas evangélicas ou não, não tem nenhuma experiência com ele, falam por falar, pedem por pedir, mas nenhum acontecimento “anormal”, sobrenatural ou pessoal podem dizer !!!


Eu fui um desses, digo que acredito na existência de Deus, mas não posso provar, pois não tenho nada a dizer, nenhuma experiência, e oh que fiquei 4 anos numa igreja buscando de verdade...Sei que é contraditório. Digo que acredito em Deus, pois não creio que nós humanos, a terra, universo é fruto do o acaso.

Mas na própria bíblia entendo que informa que algumas pessoas tiveram/terão experiências extra-ordinárias com Deus, vide Paulo, Moisés, e tantos outros, mas a maioria, a grande massa, vai ficar com as migalhas, com os contos do outros, vai crer porque o vizinho, fui curado, etc. Nesses casos, que é maioria, é difícil a caminhada com Deus, é somente pela fé, acreditar em algo que não se vê e que nunca tiveram uma experiência.


Opegno

Palloci, o cara

Hoje eu um Índico um bom videogame, mas ele não funciona no iPad, apenas no PC ou nos dispositivos a base de Android 2.2, clique aqui

IFrank

O monge e a poeta- mala nihil

Imaginem um lugar atemporal onde todos os personagens históricos que viveram em épocas diferentes,ou que viveram no mesmo tempo-mas em locais e em cenários distintos e distantes-possam se encontrar ,depois que morreram.

Mas, afastem da mente o bucolismo  dos possíveis espaços "além vida" do espiritismo e do budismo.
Seria uma espécie de "não lugar" o lugar que eu imagino.
Um local  onde todos podem se falar,- um deserto iluminado por um sol cor de gelo.

Os personagens históricos,segundo o que eu imagino- terão a mesma aparência que tiveram na fase juvenil de suas vidas, que é a aparência pela qual eles são conhecidos em ilustrações de suas biografias.

Uma jovem aparece rodopiando,dançando e cantando, sem parar.
Ela não é igual a mim em tudo.
É mais baixa,mais magra, mais espevitada,mas tem os meus olhos.
E canta preces aos deuses,faz hinos à vida,se preocupa ostensivamente com o amor.
O amor sob todas as suas faces.
O amor erótico- o amor familiar,o amor entre amigos, a fraternidade que precisaria imperar em nosso mundo- o belo sentimento de amizade, o amor à natureza.
Ela canta para deusa Vênus,e canta para a estrela mais brilhosa que tem no céu- à qual ela chama de Héspéros.
Joga a seda sobressalente do seu vestido,sobre um leão.
O imenso gato se levanta rugindo- ela vê sua pata entalada,e continua cantando,agora suavemente.
O dono do leão  olharia surpreso.
A maluquete tinha jeito para falar com os irracionais.
Não era diferente dele naquilo.
O gato ia se acalmando,e voltava a se deitar.

Ela olharia para ele,sorrindo,e lhe  perguntaria o nome.
Era um padre com um jeito de chato e pedante.
Muito acanhado,ele voltaria a sentar-se,sem responder ,e prosseguria a leitura de uma imensa bíblia ilustrada.
Ela se aproximaria curiosa.
Já sabia- embora tivesse nascido num tempo mais antigo,que aquele era o grande livro de amparo religioso de cristãos,judeus e islâmicos.
Já o tinha lido,um tempo antes,- todo aquele que um dia havia nascido na Grécia,como ela mesma,tinha na bíblia,uma das leituras obrigatórias,porque ela era um épico parcialmente produzido por seu povo.
Mas aquele senhor ao lado de quem ela se sentava,podia ser um romano,ou um italiano.
Muito calmo e sereno-ele prosseguia em seus estudos.
Vendo que ela não ia embora,ele começaria a falar das coisas sagradas, mantendo sempre a voz muit
 calma,de pedagogo.

Ela de chofre,se arriscaria a perguntar algo a ele.
Como lidar com a rejeição do público a uma obra importante realizada durante toda uma vida, e na qual se pôs todo o empenho,e os melhores sentimentos?
Apesar da sua euforia aparente,ela estava ocultando uma tristeza sem fim.
Um grupo de monges havia destruído seus nove livros.
De tudo o que fizera em sua vida de poeta,literata,cantora,e de senhora dedicada a festas-haviam restado aolguns poucos fragmentos que um dia seriam achados por arqueológos.
Mas,o que seria de um mundo que não conheceria suas melhores opiniões a respeito do quanto o amor ea significativo para alterar seus rumos?

Ele sorriria,quase amargo.
Também fôra rejeitado em cada um dos dias da sua vida.
Não fôra poeta,mas fôra outro tipo muito intelectualizado.
Era uma mistura de padre, com tradutor e intéprete,e ainda podia domar imensos felinos.
Arriscara-se numa empresa,na qual fôra o tempo inteiro - criticado, vaiado,mas às vezes,também,fôra ovacionado.
Assumira um risco maior do que o que podia alcançar.
Ocupara-se de uma tarefa pesada,mas que mudaria para sempre a cena  religiosa do mundo- e que popularizaria as idéias tidas como idéias centrais do cristianismo.
Traduzira a bíblia do grego e aramaico,para o latim.
Ainda não conseguia parar de encontrar em cada uma das linhas,os erros que cometera.
Pois vivera num tempo diferente do tempo em que aqueles textos haviam sido escritos.
Era um grande conhecedor do idioma que ela falava- mas não conhecia o modo de vida de pessoas como ela, do tempo dela.
Então,cometera alguns enganos na versão que fizera,que poderiam levar a erros interpretativos.

Ela logo se apressaria em consolá-lo.
Mas ele fizera o melhor que ele podia fazer!
E o mundo cristão ainda deveria agradecer a iniciativa dele,pois poucos teriam tanta energia para uma empresa tão séria como aquela
O principal, visivelmente,estava concluído,e atualmente- ela contava, muitos cristãos estavam tendo autosuficiência naqueles estudos,e podendo mesmo começar suas instituições religiosas.
Tudo porque ele um dia, traduzira a bíblia para uma linguagem que o povo podia ler, e a partir da qual,outras traduções seriam feitas com mais  facilidade.
Ela o tinha mais ou menos como um santo.

Sim,ela já sabia quem ele era,mas ele ainda demoraria um pouco para reconhecer a ela pelo jeito de falar.
Por seus temas e preocupações caracteríticos.

Eloquentemente,ela diria que ele era um personagem muito importante para a história do mundo,pois cumprira o maior desejo da deusa Vênus,que era o de ver um ser humano dedicando amor,complacência e consideração aos semelhantes.
Ele se preocupara com a educação do povo.
Já não estava bom?

Ele,agradecido pela  "força"- contaria que muito do que aprendera sobre os gregos,e sobre a idolatria deles ao amor,ele aprendera com os poemas que lera - escritos por ela, e que integravam os pergaminhos de sr.Máximo de Tiro- bem como do poeta Ovídio.
Ele também já percebera quem era ela.
Ela não deveria chorar pelos seus mortos.
Ou pelos seus papéis mortos, dizendo melhor.

As palavras dela viviam.
Viviam, e haviam vivido na imensa alegria e no imenso amor- de todos os santos que haviam passado pelo mundo.
Todas as coisas que as pessoas pensavam e descobriam, nunca ficariam escondidas.
Um passo a mais que um ser humano dá- é o passo da Humanidade inteira,ainda que ninguém jamais venha a  saber desse passo,e nem que consecução foi essa.
Ela teria que entender melhor- e acreditar nele,pois ele era um hierofante.
Acreditava em boa parte das possibilidades mágicas.

Os pensamentos e letras,mesmo quando eram apagados da história conhecida,sobreviviam em bibliotecas na atmosfera terrestre, sobreviviam no pensamento coletivo.
Os pensamentos que um dia ela havia manifestado,não eram mais dela,mas já eram de todo mundo.
E continuariam influenciando as pessoas até o fim dos tempos.

Abraçando-se ao gatão- a moça chorava emocionada, e o leão rugia baixo.
Dizia que ele e que seu dono eram muito ]"gente fina".

O padre, que já não tinha mais tanta vontade de continuar sendo padre, surpreendeu-se de encontrar aloguns pontos em comum com uma Madalena  grega,com uma mulher conhecida como pecadora e suicida.
Adivinhando os pensamentos que ele tivera,pois aquele bardo em que eles viviam,favorecia isso- ela logo responderia:

_Eu nunca tirei a minha vida, caro senhor.
Eu jamais teria proporcionado uma vergonha assim ao meu nome.
Isso seria incoerente com os meus princípios,e com minha devoção a Vênus.
As outras lendas ao meu respeito- acho melhor não  comentar.
Eu fui feliz,e envelheci em paz.
Morri de causas naturais,cantando em frente à baía de Lêucades.

_E eu tenho saudade da minha casa,na Sicilia...

_Eu e alguns amigos ficamos exilados lá por cinco anos,mas o senhor deve conhecer essa história.

_Claro,claro.
E não precisa comentar as "lendas   sobre sua vida".
Só por nos falarmos,posso entender que você nunca "errou".
De todo modo,o passado cabe mais lá no lugar onde ele tem que ficar mesmo- que é o passado.
Você vai ser cristã?

_Não,mas gostaria de ficar um tempo perto de vocês,que são cristãos.
Sabe,  senhora de Vênus é a matriarca de todas as religiões,sem exceção.
Ela ensinou tudo aos santos e aos budas.
O pacto do amor,e da salvação do mundo- é o maior pacto esotérico e religioso a ser feito pelos homens e pelas mulheres dos mais variados tempos.

_Eu jamais discordaria disso.

Ambos dariam a mão um ao outro.
Uma bela amizade começaria.
Ela conviveria por muito tempo com o sangha cristão.
Ele aprenderia tudo sobre literatura e sobre poesia grega antiga.

Um dia,ela voltaria à sua terra natal,e para os seus amigos poetas.
E continuaria cantando e poetando para sempre, -orando à senhora de Vênus pela salvação do mundo.

Ele,pelo seu lado, continuaria - lá no céu católico,cuidando do sangha cristão.

Mas agora,com menos chatura.
E com mais poesia.
Seu leão,acabaria nascendo no mundo,nba casa de sri Yogananda.
E jamais em sua vida,comeria carne.
Seria um exemplo de bondade felina,para o futuro grupo da Self Realization Fellowhip.
º
º
º
º
Eu descrevi o que eu suponho que poderia ter sido uma amizade entre a poeta grega Safo de Lesbos,e o São Jerônimo cristão,dois personagens admiráveis,em minha opinião- e que tiveram em comum,seu profundo humanismo.
Safo era mais selvagem em seu jeito de amar,e de gostar das pessoas- era mais provinciana,e mais diretamente afetuosa,ao passo que ele manifestou uma dedicação humanista à comunidade- realizando um trabalho difícil para o seu sangha religioso- em beneficio dos melhores interesses dos fiéis de todos os tempos e lugares.

Eu ainda estou aprendendo a escrever crônicas e contos.
Sempre fui principalmente poeta,a vida toda,mas desde que eu comecei a escrever nos gds do Uol,e do Terra-aprendi a fazer resenhas,e dissertações,e melhorei na arte dos contos.

Gostaria de fazer algo diferente, em literatura,que já foi tentado por um autor- mas cujo empenho não pôde falar da maioria dos pernsonagens históricos.
Isso porque ele não teve disponibilidade para continuar sua obra.

Desejo fazer o que foi representado por esse ensaio acima.
Ou seja,promover em meus contos,um encontro entre personagens históricos,e de preferência,se possível,não quero criar falas para eles,mas desejo fazê-los conversar,usando palavras que eles proferiram em vida,ou trechos de obras literárias por eles criadas.
Ou seja,quero fazer uma montagem,para que pareça uma conversa.

Tipo- já pensaram-um bate papo entre o imperador Ashoka e Cristóvão Colombo,entre Santa Tereza e Monge  Milarepa, entre Sócrates e Nietzche,entre o monge Serpente,da Índia,e Freud(acontece que o monge Nagarjuna desenvolveu um sistema de pensamento no budismo,muito semelhante  aos postulados da psicanálise), e etc,etc.

Se eu puder dedicar minha vida a isso,e se essa pequena obra se tornar rentável,ainda que postumamente, vou ficar agradecida...

Uma ótima noite,e um bom restante de mês aos leitores,espero que tenham curtido.

Eu quase escrevi esse conto no outro blog,mas como é esse site que pretende substituir o gd do terra,achei que essa apresentação ficaria melhor aqui.

Festejei assim,o aniversário do meu namoro com o Príncipe,que foi no dia dezesseis de maio.
Entre os dois,a poeta era eu.
Ele era o "grande centrado" - o grande idealista.

Ou seja, eu e ele,até hoje,nos assemelhamos aos personagens  do conto acima.

Até breve a todos.

°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°

carpideira 337- mala nihil

Vou escrever algo "diferente" mais acima,para o blog.
Será para festejar os trinta e um anos que eu conheci o "Príncipe".
Depois de hoje,eu recomendarei para que fiquem atentos a todos os títulos em destaque do blog do sr.William,no indicador mais abaixo.
Alguns desses títulos em destaque,são minhas poesias.
Não estou com muito ânimo mais para escrever,sem ser ali.

Por aqui,vou continuar publicando um endereço botânico por página.

Ficarei um tempo sem maiores interações com os presentes.

Humpf...

...eu driquei com uma coisa, e desejo "dar um tempo",agora.

Mas, voltarei para cá.

Enquanto vcs ficarem na espera,tratem de escrever bastante.
Sei que tem muita gente olhando para nós,que nem se manifesta.

Pois bem.
A terceira cronista "importante" daqui(os dois primeiros são a Selma e o sr.Hosaka)  a terceira cronista importante daqui- que sou eu,vai entrar de férias.

Procurem se cuidar- e cuidar do blog.

domingo, 22 de maio de 2011

ao sr.Hosaka,e aos demais,- aviso de agradecimento,

Esqueci de escrever um texto hoje de manhã a todos que se importaram com aquele problema meu de achar a senha do computador,para que eu pudessse me cadastrar no antivirus,para continuar recebendo suas atualizações.

Levei uns dias,para escrever esse mesmo texto,porque quis ter certeza de que não teria mais problema nessa parte,depois da tentativa de solução que eu dei.
Eu pus senha nesse pc em uso.
Não havia senha nele, um vendedor de pcs nunca poria uma senha no computador de uma senhora- porque qualquer mulher é boa para perder suas anotações de agenda.

Com essa senha,renovei o antivírus,cuja validade agora será até agosto.
Depois disso,acho que vou ter que pagar,se continuar querendo ter o mesmo como proteção desse meu pc pequeno.
Aí vou ver se troco de proteção.

O outro pc maior,que eu usei ontem e anteontem- que também é notebook,mas que é aquele notebook que não dá para carregar na bolsa, e cuja bateria dura pouco- também é protegido pelo McAfee,mas ali esse antivírus não exigiu isso.
Lá,essa proteção gratuita,será por mais tempo.

Agradeço a todos que se importaram com o caso,inclusive,ao sr.Marciano Alado.

O problema não existe mais -por enquanto,nem esse pc tem uma senha difícil de lembrar.
A senha daqui,é meu próprio nome.

º
º
º
Ao sr.Hosaka,em especial- de uma recém deslumbrada com aparelhos eletrônicos:

um devaneio lúcido que tive muitos anos atrás, com um eletroeletrônico que seria um tipo de "televisão de bolso"- se realizou no aparelho Galaxy Tab,que eu vi há pouco numa loja do shopping onde estou agora, usando esse meu net.
Acho que esse deve ser o seu Galaxy.

Ainda bem que eu não teria nenhum uso para ele, e pouco me importaria assistir televisão no ônibus,mas o aparelho é fascinante.

Idem não "aqueça os neurônios" achando que vou gastar "meu pouco money" com eletroeletrônicos.
Do que eu mais precisava agora,era da autosuficiência em internet.

Apesar do que eu disse para o Opegno nesses dias, acho que vou adiar a compra de todos os demais eletroeletrônicos,para o ano que vêm mesmo,a partir de março.
Para 'me recuperar do gasto atual".
Então a partir de março de 2.012- o ano do fim do mundo!(hohó!),é que eu vou ter um celular simples, e uma máquina de meditação.
Desisti da câmera fotográfica mais uma vez, e o Ipad, vou ter -se eu encontrar um usado na Santa Ifigênia.
Isso,sempre a partir de março do ano que vêm.

Estou sorrindo,e meio feliz,mesmo sem tantos motivos, e apenas por esse dia estar ensolarado.

Um bom domingo a vcs todos.(estou indo ao templo)

Natureza Viva 42- samudra nihil

Fiquem com mais uma das "quinhentas orquídeas" que tentarei postar nesses anos.
Os outros textos,e minhas poesias, eu estou escrevendo,mais ,é em  outro site- atualmente.

Esse  blog eu tenho reservado especialmente,para  postagens de imagens bonitas,e  para outras prosas, de vez em quando.
Se um dia eu voltar a falar só de religião, também tentarei estar  aqui mais vezes.

Um ótimo domingo a quem ficar.(eu estou de saída agora)
http://images.google.com.br/images?hl=pt-BR&q=aganisia+pulchella&gbv=2

carpideira 336- mala nihil

Tá, vcs sabem sobre meus computadores - e sobre meu "aviso prévio".
E sobre meu desejo de estudar mais.
É por isso que estou "de aviso prévio".

(eu pedi...)

Mas, produzindo uma lamentável rima,
-minha vida continuará um mistério.

Ninguém pode me ajudar tanto assim mesmo.
Algum dia,eu vou sumir no "horizonte de eventos" da física conhecida pelo professor Andros.

De quem eu continuo sendo uma admiradora incondicional.
Não estou mais perto dele,por falta de tempo.

Aliás,eu sempre fui admiradora incondicional tanto dele,quanto do sr.Hosaka.
Mas, esse último fato,só deixei ser conhecido- há pouco tempo.

Tentarei mandar  uma Natureza  Viva,e depois, irei desaparecer como um som no ar.
Mas,voltarei amanhã,ou terça feira.

Como sempre tem ocorrido.
Até quando der,até quando eu gostar disso.

Quem é a Nihil?

Até pouco tempo, ela era uma admiradora incondicional do ex-professor de Sociologia do ex-GD Religião, e durante todo esse tempo ela publicou vários artigos tentando agrupar as mais belas fotos de orquídeas espalhados no acervo do Google, bem como escreveu com os seus dedos crônicas baseadas na complicada cultura budista, que fala de um camarada que tenta viver mas não consegue porcausa do enorme peso na consciência, ele tinha matado o seu melhor amigo, eu não lembro se foi acidente ou se foi por desgosto.

Mas é no Blog da Selma é que temos um pouco mais de informação: ela tem um PC quebrado, um Netbook que tem uma bateria que só dura duas horas, um celular com o chip da Tim e um aviso prévio a cumprir, ou seja, a Srta. Nihil é praticamente uma desocupada.

Ao invés de escrever cartas de amor ao professor, agora ela precisa aprender a escrever currículos que convençam a burguesia empregá-la, para poder consertar o micro, carregar o crédito do celular ou simplesmente comprar o pão de cada dia para ter o que agradecer ao Pai, ao Filho e ao Espíto Santo.

Como o Brasil passa por uma fase de forte crescimento, serviço é que não falta. Ela pode ser taxista, ajudando os turistas a encontrar hotéis e estádios onde serão realizados a Copa de 2014 e as Olimpíadas de 2016, ou seja, a primeira linha do currículo ficaria assim "eu sei dirigir".

Como a moda do Fast Food veio para ficar, onde só se come misto quente e espeto de churrasco, a segunda linha do currículo ficaria assim: "eu sei cozinhar"

Para quem comparou os textos da Srta. Nihil com os Boletins de Ocorrência publicados pela Dith ou os processos em trânsito nos tribunais (publicados pelo Dr. Ésio), a Srta. Nihil pode acrescentar a linha "eu sei ler e escrever". E baseado nos turbilhões que ela escreveu, ela pode enriquecer essa linha com a frase "e fazer contas".

Mas o mais importante é a advertência que a Dith deixou, quando viu o professor convidar a Srta. Nihil tomar tubaína bem no meio da esquina, e ela sempre lho agradecia. A Dith ficou revoltada com a Srta. Nihil, mas essa é uma virtude e que vai acrescentar muito valor ao currículo, escrevendo assim "eu sei esperar".

iFrank

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Sobre a prosa com o Opegno,nesses dias.- mala nihil

Uma vez que o Blogger,na quinta feira passada,sumiu com uma réplica longa que ele fez a mim, a uma mensagem minha para ele do dia 04 de abril de 2.011- nessa mesma quinta feira,doze de maio,e com minha tréplica também longa a ele- vou relembrar o que ele escreveu a mim,e irei reescrever o que eu escrevi a ele,nesse dia.

Ele disse que leu aquela minha mensagem,entitulada "Ao André Pegnoratto" no dia em que a postei,mas que adiou a resposta.
Disse que se desanimou com a religião,porque seu interesse é eminentemente cristão- e que quando ele frequentou grupos evangélicos,ele percebeu principalmente interesse financeiro,por parte desses grupos.
Disse que não entra numa igreja,há quatro anos.
Afirmou que "ele não é o sr.Hosaka",disse que tem vinte e quatro anos(pelas minhas contas,ele tem mesmo, e seu aniversário é em dezembro)- e que vai casar com uma "princesa" de vinte e dois.
Pediu o e-mail e a senha do blog, para conseguir postar mensagens em destaque aqui,e quando o Blogger sumiu com nossas mensagens,ele se espantou.
"Não o vimos mais".

Eu respondi a ele,  ou seja, a esse resumo que fiz do que eu lembro que ele disse,o seguinte:

-Minha vida também passou por umas poucas,mas marcantes mudanças.
Dificuldades de usar os computadores conhecidos e disponíveis- e uma previsão de mudança de horárioos na minha rotina-me levaram a comprar um notebook, e a por uma internet nele.
O notebook foi comprado, porque na época,me preocupei com meus problemas de vista,e vi que precisava de um pc de tela média.
Depois,vi que ele seria difícil de transportar,e que eu também precisava de um cuja bateria durasse mais,e que não me obrigasse,portanto,a carregar fios para todo lugar.
Então, há menos de um mês comprei um pequeno.
Estou mais tranquila em relação à continuação da minha inclusão digital,agora.
Mesmo que por motivos de desemprego,não der para continuar pagando uma banda larga ótima,  conseguirei ter uma "alternativa".
E o melhor,é que esses bens adquiridos,com sua garantia de inclusão digital,são para sempre.

Em função  disso,já deixei de viver sobrecarregando minhas estantes com tudo quanto é revista.
Livros eu continuarei comprando,mas com mais critério.
Aliás,eu ganhei uma estante nova,dentro da qual guardei todas as minhas revistas antigas de arte e de botânica,e essas -por serem bonitas,eu vou continuar comprando.

Então, já posso usar a internet com maior calma,e fazer dela uma arma mais útil para a minha vida.
Por causa disso- já ando menos capenga em questões virtuais.

Mudei de seita do budismo,porque eu não estava mais conseguindo ir no templo do budismo Terra Pura,que também é frequentado pelos budistas de outras "linhas"- e estou seguindo uma religião Vajrayana,atualmente,que é o "caminho do diamante" no budismo.
Não perdi nada por fazer isso,está sendo muito bom para eu, e está sendo uma verdadeira surpresa - na realidade.
Fui em Diadema no inicio do ano,para uma consulta médica(só deu para marcar ali,porque é difícil marcar neurologistas pelo convênio), fiquei conhecendo a cidade onde mora o sr.Hosaka.
Uma semana depois,voltei lá para assistir uma cerimônia budista no templo Tendai- e passei,nas duas vezes,na frente do Jardim Zoológico e do Jardim Botânico.
Foi então que escrevi uns versinho sobre Diadema aqui no blog,e foi então que eu tive aquela idéia de escrever o conto sobre Adão,Eva e a serpente,no paraíso.(Adão-sr.Hosaka,Eva Nihil,Serpenteacher),conto que garantiu uns dias de diversão para nós.(hahahahahahaha...)

Estou de "aviso prévio".

Eu, que uns anos atrás,fui quase avessa à tecnologia,agora me preparo para ter um telefone celular,até agosto,para ter uma câmera digital,em janeiro do ano que vêm,para eu fotografar as dálias e os miosótis daqui do bairro- planejo aprender a tocar um teclado sintetizador de sons,e até o final do ano que vêm,vou ter uma brainmachine.
Porque não tenho mais reservas contra o uso da tecnologia para alcançarmos um estado de melhoria pessoal.(vide turbilhão 705,mais abaixo. Postei até um site dessas máquinas)
Poderei muito bem juntar as rotinas da meditação mais naturalista,com a induzida por máquinas.
Deus nos deu a inteligência para produzirmos meios de vivermos melhor, e de fazer o que é do interesse - também  melhor.
E não nos proibiu de usar essa inteligência.

Li uns meses atrás,um livro de poesias de uma poeta da antiguidade,e isso me levou a retomar a escrita das minhas poesias.
Eu costumo escrevê-las,desde pequena,lotei um monte de cadernos escolares com elas, destruí alguns desses cadernos.
Quando encontrei os gds do Uol e do Terra - "dei um tempo" -porque comecei a me ocupar com os textos correntes para esses sites,mas nos últimos meses,voltei a escrever e a reescrever versos antigos.

Que nem Safo de Lesbos, a poeta cujas poesias eu só conheci no ano passado,eu gosto de escrever versos naturalistas, ecológicos, poemas de amor,e preces em forma de versos.
Mas,vcs não conheciam essa minha inclinação- porque sempre fiquei constrangida em mostrar essas rimas,mas a loucona da Safo me ensinou a não ter mais essa vergonha.
Ou a diminuir esse constrangimento.

A leitura do livro de poesias dela me inspirou o inicio de uma série,chamada Encrenca,onde  eu falo de literatura, filosofia,e onde às vezes, falo de redação,idioma, e de outros temas culturais.
Vez por outra, eu escrevo um ou outro número da série Encrenca aqui no blog também.

Será que fiquei mala + uquete de verdade?
Eu era mais conhecida pelos textos da série Turbilhão,Carpideira,pelos envios artísticos e botânicos.

As muitas imagens das quais eu sempre me vali- disfarçavam minha dificuldade,ou minha insatisfação com a chance das minhas palavras traduzirem a sublimidade invisível presente na natureza e na arte.
Também um dos motivos que me levaram a retomar a poesia, foi um problema que tive num dos pcs,que me impediram de usar essas imagens.
Pois a cada vez que mandava uma postagem delas,eu tinha problemas de conexão.

Já não estou usando mais esse pc,e ando pensando se vale a pena mandar  consertá-lo.

Em meus textos Encrenca,ando refletindo mais sobre literatura,sobre as palavras,sobre a religião, e ando fazendo mais reflexões filosóficas.
Espero que todas as conclusões às quais eu ando chegando,sobre as coisas,e que estão me deixando mais segura,atualmente,não sejam só uma miragem.

Voltei  a assistir o programa Provocações na TV Cultura de Sâo Paulo,toda terça feira,a partir das vinte e três horas e dez minutos.
É apresentado pelo sr.Abujamra,e é uma atração onde se fala principalmente,de cultura.
Dá para assistir pela web.

Sei que eu não falei isso tudo para o André.

Eu lembrei das réplicas (duas) que eu dei a ele,e acrescentei mais temas.

Espero que ele goste desse texto- se ver.
Lembrarei aqui que já mandei para ele ontem,por e-mail,o e-mail e a senha desse blog.

Obrigada pela paciência  de vocês,leitores.

Espero que tenha sido tudo- que não haja mais nada.

Uma boa tarde a todos.

Violência




Vi na TV ontem e hoje, um garoto de 15 anos que matou duas meninas de 13 anos. Uma das meninas era sua namorada e concordou em ir com ele para um lugar ermo para fazer um teste de gravidez.

O  menino de 15 levou a menina de 13 para um matagal onde passava um rio. Para a menina fazer um teste de gravidez...  Parece que o teste deu negativo, mas mesmo assim o menino não gostou da brincadeira, e resolveu que deveria matar a menina. E assim o fez. Não satisfeito, chamou a  amiga da menina  (que a acompanhara e aguardava em outro lugar). E matou também a amiga da menina. Foi embora com um amigo que assistiu a tudo calado.

Assistiu às aulas normalmente nesse e nos outros dias. Até fingiu ajudar a procurar as garotas desaparecidas.  Uma testemunha e imagens da câmera de uma farmácia ajudaram a esclarecer o crime. O rapaz assassino foi “preso” sorrindo.  Sorria muito.
Seria um psicopata? Com certeza... Quem tem coragem de matar duas pessoas e fingir que está tudo normal? Eu não consigo matar um frango!

Meu Deus! Quando que em meus 13 anos eu  pensaria em fazer um teste de gravidez? Com essa idade eu tinha os “paquerinhas” da escola, curtia música, roupas, maquiagem, algumas festinhas  e só. O máximo que podia acontecer eram beijinhos inocentes, bilhetinhos com erros de português (ainda tenho um guardado) e a gozação da meninada, escrevendo nossos nomes com giz  em corações pelas paredes!

Confesso que tenho medo do futuro da humanidade, desse nosso conturbado planeta de provas e expiações.




(Selma) 

Turbilhão 705- mala nihil

Gradualmente,vou me transformando numa nerd tecnológica também.

Depois dos pcs,do celular, meu "brinquedo" do ano que vêm,será o que será visto abaixo.
E ainda por cima,desejo ser revendora das brainmachines.
Já não tenho mais preconceito contra a meditação  auxiliada pela tecnologia,quando penso que nossas religiões foram criadas quando ainda não existia o papel,e quando ainda não existia a mídia.
Depois veio tudo isso, e isso tudo só ajudou um número cada vez maior de pessoas a cultivar a fé da sua preferência.

Então, o uso da tecnologia para nossa automelhoria,não tem nada demais,se aprendemos nas escolas, ouvindo músicas,ouvindo rádio,vendo televisão e internet.

Vejam a seguir...as famosas,e já nem tão novas assim...máquinas de meditação.

(bom almoço a todos- com uma boa música de fundo)

http://www.topstar.med.br/relaxamento.htm

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Blu-Ray: Além da vida

Filme de Clint Eastwood com bela fotografia e traz nas primeiras cenas o cenário de um tsunami, mas o tema do filme é a tal da mediunidade, tema amplamente discutido no antigo GD Terra. Clint Eastwood mostra que há dois tipos de mediunidade, aquele que conforta com palpites que nada tem a ver com quem procura contato com o outro lado da vida, e aquele que consegue conversar com o outro lado, mas evita de usar esse dom pois arruina a sua vida: para ele, a vida foi feita para falar com os vivos, e não com quem atravessou a fronteira dela.

Ou seja, existem mediúnicos e mediúnicos, essa é a mensagem de Clint Eastwood, o verdadeiro é aquele que não está manchado de rosa...

IFrank

Sugestão para leitura: o impressionante portal do iPad Dicas

Oração de Emmanuel

Senhor, ensina-nos:

a orar sem esquecer o trabalho;

a dar sem olhar a quem;

a servir sem perguntar até quando;

a sofrer sem magoar seja a quem for;

a progredir sem perder a simplicidade;

a semear o bem
sem pensar nos resultados;
 
 a desculpar sem condições;

a marchar para frente
sem contar os obstáculos;
 
a ver sem malícia;

a escutar sem corromper os assuntos;
 
a falar sem ferir;

a compreender o próximo
sem exigir entendimento;
 
a respeitar os semelhantes,
sem reclamar consideração;
 
a dar o melhor de nós,
além da execução do próprio dever,
sem cobrar taxa de reconhecimento.
 
Senhor,
fortalece em nós
a paciência  para com
as dificuldades dos outros,
assim como precisamos da paciência
dos outros para com as nossas dificuldades.
 
Ajuda-nos, sobretudo,
a reconhecer que a nossa felicidade
mais alta será invariavelmente,
aquela de cumprir-te os desígnios
onde e como queiras,
hoje agora e sempre.
(Emmanuel)
AMÉM.
 
 
 
 
Emmanuel era o Espírito guia de Chico Xavier que, através de sua mediunidade, nos deixou essa oração.
Continuo mais Espírita do que nunca, apesar de ter passado altos e baixos na vida e muitas vezes ter chegado a acreditar na não-existência de Deus.
Se o falecido 233 lesse essa oração, falaria que é uma bobagem, que Emmanuel nunca existiu. Mas isso é outro assunto.
Fiquem em paz.
 
 
Selma
 
 

Dinheiro Pink

Todos os dias se ouvem notícias de que caixas eletrônicos foram explodidos. E que agora, quando os caixas são explodidos, as cédulas ficam manchadas de cor de rosa. Por que rosa? Ora, se não fosse de rosa seria outra cor qualquer... O objetivo foi (segundo fiquei sabendo) tingir de vermelho, porque vermelho é uma cor que chama bastante a atenção. E uma nota vermelha chamaria bastante à atenção. Mas o que aconteceu é que em vez de vermelho a tinta ficou rosa... Mas seja como for, sabe-se que uma nota manchada de rosa é produto de roubo.


Não é crime receber nem portar as notas, mas quem tiver uma pode ajudar nas investigações As  notas roubadas de caixas eletrônicos e tingidas de cor-de-rosa por equipamentos de segurança instalados pelos bancos estão circulando pelo comércio. O fato de as notas estarem manchadas não tem evitado que os ladrões levem o dinheiro e o repassem.

O BC (Banco Central) informou que as cédulas manchadas são danificadas, mas continuam valendo, no entanto, os comerciantes podem se recusar a recebê-las. Segundo a polícia, receber ou portar uma nota como essa não é crime, mas quem estiver com ela pode ajudar nas investigações. "Ela pode identificar de onde veio isso. Se eventualmente ela receber uma nota de boa fé, não tem porquê ter medo", explicou o delegado Luis Paulo Silva ao site G1 .

Desde 1º de abril, 39 casos de roubo a caixa eletrônico foram registrados na Grande São Paulo. Os ataques aconteceram na capital e em mais dez cidades da região metropolitana. As informações são do telejornal SPTV, da Rede Globo.

A capital registrou 16 casos, e o restante foi nas outras cidades. Os criminosos escolhem preferencialmente os caixas eletrônicos instalados em lojas de conveniência de postos de combustível e agências bancárias. Ao menos metade dos crimes foi nesses locais. Terminais de supermercados e de farmácias também tem sido alvo na recente onda de ataque.


A pessoa que receber uma cédula dessas pode se dirigir até uma delegacia de polícia ou trocá-la em um banco. De acordo com o Banco Central, as agências são obrigadas a fazer a troca.

Apesar do uso da tinta em caixas eletrônicos ser recorrente, o Banco Central afirma que o sistema ainda precisa ser regulamentado. (Portal G1)


Recebi uma nota de cinquenta reais com a pontinha ligeiramente manchada  de rosa. Fui ao banco e perguntei ao gerente se precisava tocar. Ele me disse que não, que aquilo parecia ser mancha de caneta. E agora? Se for só  na pontinha não tem problema? Como saber se é tinta de caneta Bic ou tinta de caixa eletrônico explodido?
Bem... Deixa pra lá... Já passei pra frente!





Selma

Andros: Velhinho conservador e agressivo?

Sob o título de “Organização dos Velhinhos Conservadores Agressivos”, um participante do JD (fabio.ribeiro2) “desceu a lenha” no Andros....
Vejam uma parte do texto:

“O que se pode dizer de alguém que só usa a internet para fazer ataques pessoais? O que dizer de uma pessoa que parece ser absolutamente incapaz de articular idéias de maneira sofisticada? O que dizer de um debatedor que nunca rebate argumentos racionais de maneira racional?

Quem tem QI mediano ou elevado não deve usar tacapes e bordunas na internet. Ao fazer isto só conseguiria se equiparar aos indígenas sem nem mesmo partilhar a cultura deles. Portanto, não vou rebater a ofensa em termos ofensivos. Repito aqui a citação que fiz quando o tal me ofendeu no passado:

"O ataque pessoal é dirigido com bastante frequencia contra a ética do argumentador, sugerindo que ele é desonesto, não é digno de confiança ou não é uma pessoa íntegra. Em outros casos, o ataque pessoal põe em dúvida a credibilidade do argumentador ou sua capacidade de argumentar racionalmente. Pode-se até mesmo sugerir que o argumentador é louco ou mentalmente desequilibrado e que, portanto, seu argumento não merece atenção." ( LÓGICA INFORMAL, Douglas N. Walton, Martins Fontes, 2006, p.189).
http://jornaldedebates.uol.com.br/debate/caos-excesso-chuva-ou-falta-governo/artigo/ataque-ad-hominen-renovado/15267 

E  ainda ameaçou processá-lo.
Pois é... Nosso amigo Andros anda falando demais por lá... E se esquecendo que as pessoas que lá se encontram são bem diferentes do ex grupo de discussão do Terra.
Tome cuidado Andros!





Artigo na íntegra:






(Selma)