segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Dra Selma e demais leitores, obrigada,

Consegui resolver o problema.

Não me perguntem como,pois não sei.
Baixei algumas informações, programas, usei vários recursos,mas não sei qual deu certo.

Nosso grupo não está mais gravado em ponto url no cachê do meu navegador.
Se digito a letra g, no cachê, não aparece nada, felizmente, e eu respiro fundo,nesse momento.

De todo modo- obrigada pelo "pensamento positivo" que fizeram.


O transtorno me lembrou que preciso atualizar minhas ferramentas de uso da internet.
Atualizar o internet explorer,e tentar instalar o mozilla.

Muito obrigada a vocês.
Provisoriamente,meu pc parece ter "engolido em seco" e estar livre daquelas listras da semana passada.
Um abraço, até amanhã.


Mala Nihil.

Carnaval é Pecado?


Os primeiros registros conhecidos sobre esta festividade datam de aproximadamente 5000 anos atrás na Babilônia, onde se venerava a Marduk (deus pagão que, segundo a lenda, fundou a cidade). Outros dados apontam que esta era uma celebração em homenagem a deusa Osiris que se realizava no Egito.

Também é dito que o carnaval teve origem em Roma, com as celebrações Saturnais (em homenagem a Saturno), Bacanais (em homenagem a Baco) e Lupercais (em homenagem ao deus Pan). Na Grécia era realizado um festejo em homenagem a Dionísio. Em Olímpia, Creta e outras populações da Grécia, era sacrificado anualmente um homem que representava a Cronos, o equivalente a Saturno dos romanos.

Estas celebrações tinham como objetivo venerar a alguma divindade pagã, e se caracterizavam pela selvageria, violência e obscenidade.

O que era celebrado no carnaval?

No carnaval se celebravam festas em homenagem a vários ídolos pagãos. Em tais festas reinavam a selvageria e os excessos de todo tipo; as leis e os cargos públicos eram ridicularizados.

Durante a Idade Média, a igreja Católica, em um esforço para se adaptar os costumes pagãos da população para conseguir mais adeptos, estabeleceu que o carnaval marcava o inicio da quaresma e propôs uma etimologia do latim vulgar “carne levare”, que significava “abandonar a carne”; mas este significado não tinha sentido, já que nestas festas costumava-se comer carne e toucinho. Posteriormente surgiu outra etimologia igualmente falsa, porém mais fácil de entender: “carne vale”, significando que durante a época de carnaval era permitido comer carne, assim poderiam estar preparados para suportar a abstinência de carne obrigatória na quaresma.

Que aspectos comuns existem entre o carnaval moderno e o antigo (romano)?
O principal aspecto em comum do carnaval moderno e do antigo seriam os excessos cometidos em nome da “alegria”. Hoje, como antes, o carnaval é considerado como um tempo em que tudo é permitido. Nesta época as pessoas têm a sensação de possuir a “liberdade” em fazer tudo o que lhe agrada. As estatísticas demonstram que durante esta celebração aumenta desproporcionalmente o consumo de álcool e drogas, a violência nos lares, a violência nas ruas, o adultério, a transmissão de doenças infecto contagiosas tais como a Aids.
Nas manhãs após o carnaval há pessoas dormindo pelas sarjetas, garrafas vazias... Enfim, o caos.

Quem é o Rei Momo?
Segundo a mitologia grega, Momo é o filho do sono e da noite; e é o deus da zombaria, do sarcasmo e da ironia. O Momo era conhecido como o protetor daqueles que se entregavam a loucura, ao escândalo, aos vícios e aos excessos. Era representado como um bufão (bobo, palhaço), que usava um gorro com guizos, um cetro e uma máscara.



A essas alturas você deve estar pensando: “Poxa,  a Selma deve ter uns oitenta anos e com certeza é uma velhinha encrenqueira!”.

Ah, nada disso. Acho o carnaval muito legal, quando as pessoas possuem senso de responsabilidade. Estar no Rio de Janeiro apreciando um desfile de escolas de samba é muito bonito. A alegria do povo deve ser respeitada. Talvez muitos usem as festas do carnaval para esquecer problemas sérios como enchentes e inundações. Fugir do luto...
Nada contra.

Não tenho hábito de beber, nada contra quem bebe. Somente contra quem bebe demais e ultrapassa os limites.
Não concordo com o uso de drogas. Para se ter alegria não é preciso se drogar, pois aí seria usar a droga para fingir que se vive.

Não concordo com o sexo da maneira como fazem. Com camisinha ou sem camisinha sexo é agradável com quem se ama, com quem se tem intimidade. E não com qualquer um, como fazem os animais.

Também não acho legal sair por aí beijando todo mundo.  Beijo não transmite Aids, apenas se houver sangue na boca. Mas beijo pode transmitir uma infinidade de doenças, entre elas Hepatite B (que é fatal)  e a mononucleose que é uma síndrome infecciosa que acomete principalmente indivíduos entre 15 e 25 anos. A doença é freqüentemente confundida com a gripe, por apresentar sintomas como febre alta, odinofagia (dor durante a deglutição dos alimentos), tosse, artralgias (dor nas articulações), cansaço, falta de apetite, dor de cabeça, calafrios, desconforto abdominal, vômitos e dores musculares. Depois do Carnaval a moçada tem isso e não sabe o que é. Pensa que é cansaço dos dias de festa.


O pastor Luiz Alberto disse que Carnaval é pecado. 
Penso da seguinte maneira... Se alguém quer participar do Carnaval numa boa, sem exageros, não está pecando de forma alguma.
Mas aquela pessoa que acha que Carnaval é beber todas, pegar todas, cheirar todas e beijar todas, enfim, cometer todos os tipos de excessos,
pode pagar caro por isso... Não acha?





(Selma)

Pedido de ajuda, (nihil)

(urgente)

por favor, gostaria que me indicassem como fazer para limpar o cachê do navegador.
Outra vez eu gravei indelevelmente um site no mesmo, e mesmo o Ccleaner não está limpando.(está gravado em arquivo     ponto.url)

Eu sei ir em Ferramentas, excluir histórico, arquivos e cookies,e faço isso sempre.
Também faço isso no Ccleaner.
Não sei como eu consegui gravar nosso blog.

Talvez a dra Selma também poderá dizer,uma vez que é autora do blog.
Acho que ela está dominando um pouco mais os "recursos de informática".

Agradecida.

(mala nihil)

Tinta de tatuagem pode causar problemas

Neste final de semana participei de um curso sobre doenças infecto contagiosas: AIDS, Hepatite e Herpes.


Achei muito interessante o assunto que estou postando abaixo. Se você – leitor – pensa em fazer uma tatuagem para ficar mais bonito,  fique sabendo que apenas a agulha descartável não irá proteger você!

Apesar da preocupação com Aids ser bem maior entre a população, é mais fácil adquirir hepatite no dia a dia, do que Aids.




Tinta de tatuagens pode transmitir vírus da hepatite C  

 (Giuliana Reginatto)
    


No Brasil, a doença já atingiu cerca de três milhões de indivíduos: 40% não sabem como contraíram o vírus



Pensando em fazer uma tatuagem? Se a vontade for irresistível, prefira estampas em preto. A recomendação vem da hepatologista Deborah Crespo, doutora em Medicina pela Universidade Estadual do Pará e diretora do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Hepatologia da Amazônia. Após participar de um congresso sobre a doença em Viena, na Áustria, ela chegou a uma conclusão perturbadora: até a tinta usada pelos tatuadores pode transmitir o vírus da hepatite C, perigosa inflamação do fígado.



 ‘‘Entre os tatuados contaminados, a incidência do vírus C é muito maior nas pessoas que possuem tatuagens coloridas. A explicação é simples: quanto mais cores tem o desenho, mais recipientes diferentes terão contato com a agulha e, logo depois, com o sangue da pessoa. Quando um desenho tem apenas um pequeno detalhe em uma determinada cor, o pote de tinta geralmente é aproveitado para um outro trabalho’’, analisa a médica.



A constatação da especialista coloca em xeque a antiga crença de que usar agulhas descartáveis é uma medida suficiente para proteger tatuados contra possíveis infecções. ‘‘O vírus C é extremamente resistente ao ambiente. Ele pode permanecer vivo nas tintas por quatro dias. Para efeitos de comparação, o vírus da Aids suporta apenas 12 horas fora do corpo.’’



Ainda que o uso de agulhas descartáveis não seja capaz de garantir a segurança absoluta de quem decide estampar o próprio corpo, a precaução não deve ser abandonada. Vale citar a situação de Oklahoma, único estado norte-americano em que o procedimento é proibido. Autoridades locais tentam legalizar as salas de tatuagem como forma de impedir o avanço da hepatite C, já que estabelecimentos clandestinos muitas vezes não adotam nem sequer as noções básicas de higiene.


Segundo estimativas da Organização Mundial de Saúde (OMS), há 170 milhões de infectados pelo vírus C no planeta. Por ano, a doença mata cerca de 500 mil pessoas. Segundo o presidente da Sociedade Brasileira de Hepatologia, João Galizzi Filho, nos Estados Unidos, o número de mortes provocadas por hepatite C já supera o de causadas pelo vírus da Aids. ‘‘Hepatite dá menos ibope do que Aids. Nota-se isso na distribuição de verbas para campanhas de prevenção. Em 2005, vieram R$ 14 milhões para as campanhas sobre Aids e apenas R$ 1 milhão para as ações contra a hepatite’’, compara o médico.



No Brasil, a doença já atingiu cerca de três milhões de indivíduos. Destes, 40% não sabem como contraíram o vírus. A lógica da resistência elevada do vírus pode ajudar a desvendar este mistério. ‘‘Normalmente, só o compartilhamento de seringas e agulhas é visto como um comportamento de risco. Mas até quem usa drogas não injetáveis está sujeito à doença. Usuários de cocaína, quando apresentam feridas nas fossas nasais, correm riscos de contrair o vírus por meio das cânulas’’, exemplifica Deborah. Na dúvida, é recomendável fazer testes clínicos periódicos, já que a doença pode levar até três décadas para se manifestar.


 # No caso é preciso fazer um teste sorológico, o anti HBc para saber se a pessoa possui a doença ou não. Mesmo tendo tomado a vacina. Veja bem, a vacina contra Hepatite B não serve para Hepatite C.




(Selma)


Como dar glória a Deus?

Foi no Shopping Morumbi é que vi o iPhone 3G, isso já faz um ano e meio, e aproveitei o fórum do Terra para glorificar o Sr Steve Jobs bem como toda a equipe da Apple.

O iPhone 3G nada mais é que um telefone de brinquedo, não é possível falar com Deus por meio dele. Por outro lado, ele consegue colocar na tela textos de vários tamanhos, desde Genesis até o Apocalipse. Ou seja, o iPhone 3G pode ser usado como uma Bíblia de brinquedo.

Por intermédio do iPhone 3G eu podia dar uma de crente de brinquedo, citando um ou outro versículo. O problema é que os versículos nada mais são que sentenças isoladas, e eu não gosto de citar o versículo em particular, porque isso tira do texto original a totalidade da mensagem.

Por exemplo, o texto do Paulo, a dos Romanos, é bem hostil se você isolar um versículo. Os primeiros versículos, Paulo espuma de ódio aos homens que glorificam o iPhone e não o criador que criou Steve Jobs. E só lá no finalzinho é que Paulo solta a seguinte dica para sair fora dessa rotina de confundir a criatura com o criador: Justificados, pois, pela fé, tenhamos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo, por quem obtivemos também nosso acesso pela fé a esta graça, na qual estamos firmes, e gloriemo-nos na esperança da glória de Deus (Rm 5:1).

Para mim, isso é um texto bem difícil de entender, o que não ocorre com o Pastor Luis Alberto que acha o texto do Paulo tão cristalino que é até possivel encostar a mão no dedo de Deus. Tentando colocar o pouco que entendi do Paulo em minha vida, o correto era não ir no Shopping Morumbi, e sim ajudar o Padre Magalhães a limpar o banheiro da paróquia, e esperar pacientemente que um dia Deus providenciasse um celular melhor que o iPhone 3G caso eu merecesse.

Claro que não mereço o iPhone 3G, mas já que comprei, e depois de muito tempo, consegui comprar um Samsung Galaxy S, aí eu lembrei do texto do Mateus, onde Jesus orienta a dar um celular a quem não tem. Eu dei o iPhone 3G para a minha sobrinha, ela foi a primeira que me pediu, quando viu que tinha dois celulares. Hoje glorifico o Google e o Android, mesmo que o Pastor Luis Alberto me peça para glorificar o Paulo.

Ou seja, eu não sou um bom exemplo de crente que conduza alguém desanimado com a vida para Jesus, mas de celular, isso eu entendo um pouco. Deus fez coisas fantásticas que jamais vou conseguir entender, como o céu que nunca cái na minha cabeça, mas o celular da Samsung achei fantástico: para ligá-lo, basta simplesmente apertar o botão e manter a bateria sempre carregada. Claro que de vez em quando enfrento problemas com esse celular, aí vou no fórum do AndroidZ, e persistindo o problema, é nesse momento que mais lembro de Deus. Ou seja, eu sou apenas um carrapato de Deus, eu só sirvo para pedir, pedir e pedir.

Eu não sei como reconhecer o valor de Deus em minha vida, quando muito meu celular, o máximo que aprendi foi levantar as mãos e rezar o Pai Nosso com o Padre Magalhães. Isso basta para glorificar Deus, é óbvio que não. Ao invés de ser um servo imprestável de Deus bem que eu podia me esforçar mais, tentar usar a cabeça, e mostrar aos meus companheiros onde começa o maravilhoso trabalho de Deus e onde começa o pervertido trabalho do homem, e tentar separar o joio do trigo, mas isso eu acho que o correto é me reportar a quem sabe fazer isso. E aí eu pergunto: quem? O Padre Magalhães que é acusado de adorar defuntos, ou o Pastor Luis Alberto que é acusado pelo Dr Esio Lopes de roubar o pouco que as viúvas ganham da aposentadoria só para ouvir as palavras difíceis de entender do chamado Livro da Vida? Ou o Dr Esio Lopes, que defende que adorar o celular é a coisa mais natural do mundo, primeiro o espírito precisa aprender a se apegar às coisas para depois aprender a respeitar Deus, passando pela inevitável e dolorosa experiência da reencarnação?

Esse é o grande problema da minha vida, tem muitas portas e todas acabam num beco sem saída. Nesse caso, pelo menos posso usar o celular como uma lanterna.

--------
 Texto em homenagem ao professor Milton Bins, autor de "Curso de Brinquedo"

domingo, 27 de fevereiro de 2011

RE: CARNAVAL

Frank K Hosaka
Para Luiz Alberto Paiva, Esio Lopes

Sinceramente, esse texto em nada me ajuda a convencer o carnavalesco a largar a sua fantasia para buscar Jesus, pois eu não sei que porta estreita é essa que o pessoal tanto fala. Eu não participo do Carnaval, mas eu gostaria de dançar como o pessoal faz ao som do tamborim e das baterias, eu acho a música muito envolvente, você não precisa fazer nenhuma contrição para sorrir. Ou seja, eu tenho muita vontade de participar do Carnaval, de se exibir no meio da avenida, mas eu sou muito ruim de pé e eu tenho o meu senso de ridículo. Essa é uma festa para jovens e não velhos como eu. Ou seja, eu sou pecador porque eu gostaria de participar do Carnaval. Isso porque eu não conheço o Reino dos Céus, nunca estive lá, já o Carnaval, esse é fácil de ver. A porta ampla da perdição, esse eu gostaria de entrar, e lá passar a mão naquela bela morena de corpo vistoso, mas quando tentei fazer isso, um baita marmanjo me derrubou no meio do salão e prometeu acabar com a minha raça se eu vestisse a minha fantasia de sossegado, novamente. Ou seja, existem regras para entrar no céu: não pecar. Existem regras no carnaval: não mexer com a moça mais bonita do salão.

Então que porta estreita é essa que garante a minha salvação? É a Bíblia, onde afirma que Deus fez o mundo e agora devo pagar por todos os pecados que a humanidade cometeu, além dos meus? E se eu conseguir isso, posso pelo menos dançar um samba no Reino dos Céus? O que falta nesses textos evangélicos é transparência: que o Carnaval abre novas oportunidades para fornicar, isso eu sei, mas o que - em nome de Nossa Senhora! - o evangélico tem a ver com isso? Foi Jesus ou o Paulo que pediu para acabar com a festa? A troco de quê? Jesus cansou de reclamar que damos muito valor às aparências, então o que os evangélicos deveriam fazer é mostrar que é possível ser feliz ao usar o caminho mais apertado, e não falar mal de quem está na ilusão de uma festa popular. Isso porque todo carnavalesco sabe que a alegria dura pouco, a pinga pode enganar e esquecer as nossas dívidas por algum tempo, mas eles continuam nessa vida, porque não conseguiram encontrar pelo menos um sorriso sincero de quem diz estar a procura de Jesus.

Ou seja, é fácil encontrar alguém sorrindo, esperando desfilar na avenida. Agora, um católico super feliz porque vai encontrar o Padre Magalhães e lá dar glórias ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo, isso estou esperando para ver. E outra coisa: esse negócio de que não é possível lavar a nossa alma com o Sabão Omo vai em contradição à tese de que Jesus já lavou as nossas almas, quando deu a sua vida através do seu valioso sangue. Graças a Jesus, as nossas almas são tão limpas e transparentes que pouca gente consegue ver, com exceção do Dr Esio Lopes. Hoje, ele mandou um vídeo de uma menina que saber tocar piano sem frequentar a escola como prova da reencarnação. O problema é que tem muita gente que frequenta a escola há muito tempo e não sabe ler, escrever e fazer conta, isso é prova do quê? Que tipo de evolução espiritual é essa, onde o perispírito esquece das coisas mais elementares?


From: lafpaiva@hotmail.com
To: frankhosaka@hotmail.com
Subject: CARNAVALu
Date: Sun, 27 Feb 2011 11:49:14 +0100


                                    O pecado é uma mancha negra que quando impregna na alma não larga e cria raízes profundas, tão profundas, que se torna impossível a sua remoção. Esse mal que tomou conta da humanidade tem se tornado uma epidemia tão terrível que tem destruído a vida do homem sobre a terra. Diz a Bíblia: “Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus” (   Romanos 3:23    ). O homem tem sido a vítima principal desta peste destruidora, e a cada dia, tem mergulhado cada vez mais profundo no lamaçal da iniqüidade. E à medida que este mergulho vai se aprofundando, mais difícil fica o entendimento entre Deus e os homens. Pecar é fazer o que Deus proíbe e não fazer o que Ele quer. Pecar é seguir nosso próprio caminho, fazer nossa vontade, buscar nossa própria satisfação, independente de como a  conseguir.
                                     Chega então o grande e esperado período de carnaval. As cidades se enfeitam e as pessoas se preparam para dedicar-se de corpo e alma a esses dias chamados de folia. As roupas são tiradas deixando a vergonha da nudez à mostra, as bebidas alcoólicas são mais digeridas, aumentando os números estatísticos dos embriagados, as máscaras são usadas, a pornografia e o sexo são liberados, o povo está entregue a Momo, o rei do carnaval. Há um caminho espaçoso e largo para se usar, e esse caminho não é de modo algum desagradável, você pode divertir-se muito nele; suas atrações encantam o coração humano e satisfazem os seus desejos. Os que se enveredam nos caminhos largos e espaçosos do carnaval não podem entender porque algumas pessoas convertidas ao “verdadeiro cristianismo” não seguem este caminho largo e escolhem o caminho estreito da salvação. E os carnavalescos tornam suas vidas verdadeiras fantasias cobertas pelas máscaras da alegria e do prazer. Não importa se essa máscara é uma demonstração falsa da alegria, do cinismo, do prazer, da libertinagem; não faz diferença. As máscaras do carnaval ocultam a verdadeira face horrível do pecado. A aparente alegria exterior é só uma máscara que muitas vezes esconde a tristeza, a melancolia, o medo, o ódio e outras mazelas mais recolhidas no interior do coração. Isto me faz lembrar de um palhaço carnavalesco que durante a folia esbanjava alegria e felicidade, mas, poucos dias depois suicidou-se de tanta tristeza e melancolia com a vida. Ele, simplesmente vestia uma mascara de ser feliz. Muitos estão vivendo esta situação.
                                      Passa o carnaval e para uns caíram as máscaras  e sobreveio a vergonha do pecado cometido; para outros continuarão com as máscaras da santidade mas com vida devassa o ano todo até vir o próximo carnaval. Para  todos, não adiantou esconder-se por traz de uma máscara porque Deus conhece o verdadeiro estado do coração. E agora?  Perguntam muitos. Como fazer para reparar os estragos deixados pelo período da folia ?  As atrações, os prazeres e o colorido desta festa esconderam os perigos invisíveis que se ocultam por traz de tudo isto. E agora ?  A folia passou deixando seu rastro de destruição e corrupção moral.
                                        Mas graças a Deus há um caminho de escape para quem está carregando em sua alma as manchas do pecado: O Senhor Jesus Cristo. Ele disse: “ Eu sou o caminho”( Jo 14:6 ).  Não apenas um caminho, mas “O” caminho. Tire esta máscara da folia e do pecado e entregue sua vida a Jesus. Este é o único meio de evitar a mancha incomoda do pecado e a sentença divina de passar a eternidade no inferno. E virão outros carnavais, mas, você não precisará da máscara do carnaval ou de enveredar-se pelos caminhos largos da folia para ser feliz. Vale a pena entrar pela “porta estreita” e seguir pelo “caminho apertado” que leva a vida, e você será sempre uma pessoa verdadeiramente feliz e vitoriosa e com a vida e a alma sem as máscaras do pecado herdará para sempre o reino de Deus. Amém.

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

RE: REFLETINDO A VIDA

Frank K Hosaka
para Luiz Alberto Paiva


Desculpe, Pastor, mas nessa hora estou trabalhando. Mesmo assim, vou publicar sua mensagem lá no Blog do Religião Terra, patrocinado pela Selma, onde participam o Daniel, o Linga, a Nihil, o Adilson 233 e um Anônimo muito suspeito que lembra o professor. Não sei se é possível inserir algum comentário no seu programa, mas, se for possível, gostaria que o Sr lembrasse os professores ouvintes que o objetivo deles é ensinar o aluno a ler, escrever e fazer conta, e não pedir para os pais correrem atrás do Google para fazer a lição de casa para o aluno. Um forte abraço, Frank.


From: lafpaiva@hotmail.com
To: frankhosaka@hotmail.com
Subject: REFLETINDO A VIDA
Date: Sat, 26 Feb 2011 00:57:45 +0100

AMIGO FRANK

ME OUÇA NESTA MANHÃ DE SÁBADO... SEI QUE VOCÊ É UM CURIOSO. PORTANTO ACESSE O NOSSO PROGRAMA.
PARA ASSISTIR O PROGRAMA REFLETINDO A VIDA PELA TABAJARA AM VIA INTERNET É SÓ ACESSAR NOS SÁBADOS DAS 8:30 HS AS 9:30 HS:

http://www.radiotabajara.pb.gov.br/radio/am.html
 
MATE A CURIOSIDADE DE OUVIR A MINHA BELA VOZ.
 
AGUARDO COMENTÁRIOS. MANDAREI UM ABRAÇÃO PARA VOCÊ.

turbilhão 592, esqueci...

...um abraço em todo mundo.

(h h h ´!)

mala

turbilhão 591, para a Selma

Apreciei muito os artigos,mas eu acho que a paixão é necessária, pois em pessoas sadias, ela pode indicar quem poderá estar em nossa companhia por toda a vida,ou não.

Explico:

não acredito que a reação inicial dure- e comigo isso nunca ocorreu- mas imagino que essa reação inicial mostra as afinidades e as exalta, para que a "seleção" possa ser feita mais depressa.

Não estou tão inspirada agora,mas tenho falado muito sobre paixão e sobre literatura, no outro blog.
Quando essa série terminar, o endereço de ao menos uma coleção daqueles textos,vou postar aqui.

De qualquer jeito, sem paixão por alguma coisa não é possível viver,pois ela rege também os outros interesses.

Nesse momento, estou "apaixonada" por uma conversa literária.
Quando esse ciclo se esgotar - estarei livre para passar um tempo lá no JD.
O professor Andros deve estar estranhando meu sumiço, e orgulhoso do jeito que ele é, não me procurou.
Minha "paixão" passou, e ainda estou acomodando meu novo apreço por ele.(kkkkkk...)

Esse tema é controverso.
A paixão como espasmo,irá durar até no máximo,uns quatro anos, e esse é o tempo em que muitos jovens duram nas empresas,hoje em dia.
A paixão,como apreço, em minha opinião, teria a duração do traslado do planeta Marte,ou seja, vinte e quatro anos.
Muitos casamentos duram esse tempo- e os empregados que fidelizam suas empresas,também ficam nelas por esse período.
Mas, se eu contar essa teoria minha a alguns, costuma haver discussões,porque por ora, a paixão só é entendida por muitos,como um espasmo afetuoso e sexual.
O restante, ninguém entende como paixão.
Mas - eu entendo,porque qualquer entusiasmo é patogênico, e passageiro, assim como são todos os fenômenos da vida e da mente.

- mala nihil

Cérebro e Paixão

Afinal o que é realmente o AMOR? Como explicá-lo à luz da Ciência, assim como a PAIXÃO e todas aquelas fantásticas sensações que saboreamos algum dia, todos aqueles feitos de que fomos capazes e desconhecíamos ter capacidade para tal? Há cientistas estudando  a bioquímica do amor e da paixão.





De acordo com dados de investigações recentes, em termos cerebrais, as substâncias químicas que intervêm no processo da PAIXÃO são totalmente diferentes das que são responsáveis pelas RELAÇÕES AMOROSAS LONGAS! Ou seja: SE ESTÁ APAIXONADO, NÃO VAI DURAR MUITO! Em breve você terá que partir para outra.



Como se não bastasse, ainda foi determinada uma alucinante semelhança, em matéria de atividade cerebral, entre alguém APAIXONADO e alguém com PERTURBAÇÕES OBSESSIVO-COMPULSIVAS!
Ou seja, podemos pensar na seguinte conclusão: SE você está apaixonado, pode estar louco! Evite que aconteça! De acordo com os manuais de Psiquiatria, uma Doença Obsessivo-Compulsiva (DOC), é uma doença grave!

As conclusões basearam-se, também, em imagens de ressonância magnética (RM). Quando os indivíduos estudados que estavam apaixonados há apenas alguns meses, observavam uma imagem da pessoa amada, a RM indicava que tinham sido ativadas as áreas tegmental ventral e núcleo caudado, ou seja, as áreas cerebrais associadas ao prazer.

Bem,  então podemos concluir ONDE ESTÁ LOCALIZADO O AMOR -  NO CÉREBRO! Como no núcleo caudado reside uma rede de receptores de um neurotransmissor denominado DOPAMINA, puderam estes fantástcos seres da Ciência dizer ao mundo que este é, nem mais, nem menos, do que um dos componentes da POÇÃO MÁGICA DO AMOR!


Este neurotransmissor é o responsável pela inquantificável energia de que nos sentimos possuídos, pela focalização da atenção num determinado alvo, pela busca quase incessante da recompensa. Escalar um arranha-céu não é tarefa fácil para alguém com vertigens… Mas se estiver severamente apaixonado...

O arrefecimento da paixão tem a ver com a reação cerebral ao súbito aumento dos níveis de dopamina. À semelhança, por exemplo, da dependência da cocaína, os neurônios necessitam de quantidades cada vez maiores da substância para atingirem os mesmos estados de euforia.
Bom, talvez seja bem pensada pela Natureza a proteção que nos dá em termos bioquímicos ao arrefecer a paixão: se o estado de apaixonado é equiparável a uma doença mental grave ou, ainda, ao estado induzido por certas drogas duras, não é difícil concluir os terríveis danos a que estaríamos sujeitos se a paixão fosse muito duradoura.
Só mesmo a LOUCURA ETERNA poderia dar seguimento à ETERNIDADE da paixão A paixão, em termos genéticos,  não interessa à continuidade da espécie, já que tais características de insanidade seriam transmitidas à descendência. Ou seja, a dado momento, loucos cuidariam de seres recém-nascidos indefesos (loucos)… e por aí adiante. Até dá arrepios em pensar num tal futuro da HUMANIDADE!

As conclusões destes cientistas tiveram ainda como base um estudo sobre níveis de SEROTONINA, um outro importante neurotransmissor, que se apresenta em NIVEIS BAIXOS em indivíduos com DOC. Ao compararem os níveis de serotonina no sangue de:

- indivíduos com paixão recente, que pensavam no ser amado pelo menos 4 horas;

- indivíduos com DOC (Distúrbio Compulsivo Obsessivo);

- indivíduos não apaixonados e não portadores de DOC (GRUPO DE CONTROLE);

Concluíram, estes estudiosos, que os níveis de serotonina nos 2 primeiros casos eram cerca de 40% inferiores aos do grupo de controle. Dito de outra maneira, O PERFIL BIOQUÍMICO DUM APAIXONADO E DUM PORTADOR DE DOENÇA OBSESSIVO-COMPULSIVA É DRASTICAMENTE SEMELHANTE!


Ficou impressionado?


(Selma)

A Cárie

O Hosaka vive se referindo aos seus dentes de forma desanimadora.  Pensando nos dentes do Hosaka resolvi postar esse texto.

Estudando crânios de humanos que viveram no final da era paleolítica (de 12 mil a 10 mil anos antes de Cristo), os paleontologistas verificaram que cerca de 60 a 70% deles apresentavam dentes com cárie. Entretanto, elas eram encontradas em pequeno número (principalmente nas depressões dos molares e pré-molares) e eram mais frequentes em adultos do que em crianças e adolescentes.

Este padrão de ocorrência de cáries se manteve praticamente inalterado até o final da Idade Média (cerca de 1453 depois de Cristo), mas começou a mudar a partir do século XVII. A partir desta época, as cáries começaram a atingir também as superfícies lisas dos dentes, e aumentaram tanto o número de dentes atingidos como o número de lesões por dente.

Estudos realizados no século XX mostraram prevalência de cárie baixa em populações que seguiam estilo primitivo e cuja alimentação e era pobre em açucar. Um aumento da experiência de cárie na população em consequência da adoção de uma dieta moderna, com alto teor de açúcar foi observado em esquimós, em países da África, como Sudão, Etiópia, Gana e Nigéria e nas ilhas do sul do Pacífico.

O aumento da incidência de cáries a partir do século 17 é atribuído à ampliação do consumo de açúcar de cana, que começou a ser produzido em grande quantidade pelas colônias europeias na América.


A cárie dentária é uma doença infecciosa e transmissível, causada por bactérias, como Streptococcus mutans. A cárie tem início quando a bactéria se fixa sobre a superfície que protege o dente (o esmalte, formado por proteínas e minerais de cálcio e fosfato)  usa o açúcar presente na saliva para obter energia para crescer, formando placas dentárias. Ao usar o açúcar para crescer a bactéria produz ácido láctico (um processo conhecido como fermentação láctica), aumentando a acidez na superfície do dente, levando à desmineralização do esmalte, e à formação de pequenas cavidades que são invadidas pelas bactérias.

O processo continua até atingir a dentina e a polpa do dente, de onde a bactéria pode atingir a corrente sanguínea e provocar graves infecções em outras partes do corpo. Com o passar do tempo, todo o dente é destruído.



Fase onde as bactérias podem passar para a corrente sanguínea,
e onde há dor, mau hálito e possível formação de abscessos (pús)

Como a formação da placa dentária e a produção de ácido que provocam a cárie são dependentes da ingestão de açúcar, quanto mais frequente for a ingestão deste, maior será a incidência de cáries. Quanto mais açúcar se ingere, o pH da saliva que deveria ser básico (por volta de 7) cai e há perda de sais minerais do dente. Se a ingestão de açúcar é freqüente, o pH salivar sempre ficará baixo, e sempre haverá perda de sais minerais, o que formará a cárie...

Medicamentos pediátricos são geralmente produzidos na forma de xarope, e infelizmente à base de sacarose, o que facilita o aparecimento de cáries nas crianças. Que mãe mandará a criança doente escovar os dentes após tomar xarope?

Trabalhadores em indústrias de confeitos em Israel e no Japão apresentam maior experiência de cárie do que outros trabalhadores  de outros tipos de indústrias. Sabe por quê? A cárie nessas pessoas é causada, além do consumo freqüente do açúcar, também pelas partículas de açúcar que se encontra no ar.

Saiba também que:
1.      A sacarose (açúcar de cana) é o açúcar mais cariogênico ( que mais produz cárie) que existe,
2.      O mel e o açúcar mascavo são tão cariogênicos quanto a sacarose,
3.      Bolachas, bolos e produtos industrializados causam tanta cárie quanto a sacarose, pois possuem a capacidade de “grudar” em seus dentes, e são amidos  facilmente digeridos pela enzima da saliva (amilase salivar, vc deve ter aprendido na escola), transformando-se em  açúcar na boca e  facilmente aproveitados pelas bactérias,
4.      Outros amidos, tais como arroz e feijão ( a melhor combinação na alimentação), são amidos mais complexos e só são digeridos pela amilase pancreática (no intestino duodeno) passando facilmente pela boca e não provocam cáries.
5.      O leite possui açúcar, a lactose, mas as outras proteínas que se encontram no leite impedem a lactose de “grudar” nos dentes e servir para a fabricação de cárie,
6.      A cárie depende da ordem que os alimentos foram ingeridos. Se você comeu um doce e mais nada depois e não escovou os dentes, o doce ficará aderido aos dentes e contribuirá para a cárie,
7.      O certo é comer  doce após as refeições e escovar os dentes, o que evita a cárie.
8.      A cárie é causada mais  pela frequência da ingestão do açúcar do que pela quantidade.


Procure fazer bochechos com flúor. Peça a fórmula para o seu dentista. O ideal  é NaF a 0.05% todas as noites, para que haja   a remineralização de possíveis lesões nos seus dentes e que não evoluam para a cárie. Afinal,  não há nada melhor que um sorriso bonito e um bom hálito, não acham?








(Selma)

Você tem o gene 24?

Você tem o gene 24? Não, não torça o nariz, não é nada disso que  está pensando. Foi descoberto esse gene como o responsável pelo fácil despertar pela manhã. Quem não tem, detesta acordar cedo...

A mudança para o horário de verão é uma tortura para você, só ao pensar que terá que levantar “uma hora” mais cedo?

 

 

Confesso que para mim é.

Leia o artigo abaixo e entenderá melhor a questão.

 

 

Cientistas identificam gene que regula ritmos diários do ciclo vigília-sono

Gene CG4857, apelidado de 24, altera o ritmo vigília-sono estudado na mosca da fruta, tornando mais difícil o despertar

 

Cientistas da Universidade Northwestern, Illinois (EUA), descobriram mecanismo das engrenagens essenciais do relógio circadiano. Eles identificaram que a perda de um determinado gene CG4857, apelidado de 24, altera o ritmo vigília-sono estudado na mosca da fruta, tornando mais difícil o despertar.
O relógio circadiano, entre outras coisas, regula quando um organismo acorda e quando dorme. Embora o estudo do Northwestern tenha sido realizado usando a mosca Drosophila melanogaster (aquela mosquina da banana e das frutas em geral), os resultados têm implicações para os seres humanos.



O que é relógio circadiano?
Ritmo circadiano, ou ciclo circadiano, ou relógio circadiano designa o período de aproximadamente um dia (24 horas) sobre o qual se baseia todo o ciclo biológico do corpo humano ou de qualquer outro ser vivo, influenciado pela luz solar.
O ritmo circadiano regula todos os ritmos materiais bem como muitos dos ritmos psicológicos do corpo humano, com influência sobre -  por exemplo -  a digestão ou o estado de vigília, passando pelo crescimento e pela renovação das células, assim como a subida ou descida da temperatura
.O "relógio" que processa e monitora todos estes processos encontra-se localizado numa área cerebral denominada núcleo supraquiasmático, localizado no hipotálamo na base do cérebro e acima das glândulas pituitárias.



Pesquisas recentes expandiram o sentido do termo, demonstrando que os ritmos circadianos estão também relacionados às marés, ao ciclo lunar e também à dinâmica climática da Terra através das correntes eólicas e marítimas, em especial se observado com relação aos animais migratórios. Dessa forma, a dinâmica circadiana não se reduz a uma questão fisiológica, mas também a uma conjuntura astronômica, geológica e ecológica.

"A função de um relógio é dizer ao seu sistema que o sol está nascendo e é hora de levantar", disse Ravi Allada, que conduziu a pesquisa. "As moscas sem o gene 24 não eram muito ativas antes do amanhecer. O equivalente em seres humanos seria alguém que tem dificuldade de sair da cama pela manhã".

Período (per) é um gene nas moscas de fruta que codifica uma proteína, chamada PER, que por sua vez regula o ritmo circadiano. Allada e seus colegas descobriram que 24 é criticamente importante para a produção dessa proteína-chave do relógio. Quando o gene não está presente pouca proteína é encontrada nos neurônios e o ritmo vigília-sono da mosca é perturbado.

Os mecanismos fundamentais conhecidos do relógio circadiano, tanto em moscas quanto em seres humanos, envolvem o processo de transcrição, onde o RNA é produzido a partir de DNA. Uma parte do sistema de controle da chamada retroalimentação transcricional também é importante.
Na tentativa de identificar os componentes do relógio, os investigadores identificaram um jogador novo no sistema, o gene 24. Em vez de operar no processo de transcrição, eles descobriram que o 24 opera no processo de tradução: tradução de proteínas de RNA.

O gene parece promover a conversão do período de RNA para a proteína. "Esse gene realmente define um novo mecanismo pelo qual os relógios circadianos funcionam", disse Allada. "Descobrimos que 24 tem um papel muito importante e essencial na tradução de uma proteína-chave do relógio".
Os pesquisadores acreditam que é provável que um mecanismo semelhante ao descrito para o gene 24 da mosca será evolutivamente conservado e encontrado em seres humanos.





(isaude.net)



(Selma)

Thunderbolt: 30 segundos para transferir um Blue-Ray

Nova entrada ultraveloz quer substituir USB

Por Redação Link
Entrada Thunderbolt, que pode transferir dados a 10 Gbps, é demonstrada em um MacBook. FOTO: STEPHEN LAM/REUTERS
Os novos MacBooks da Apple são os primeiros a utilizar uma nova porta trasmissão de dados criada pela Intel e apresentada nesta quinta-feira, 24. Chamada de Thunderbolt, a porta é semelhante à popular porta USB usada em pen drives e para conectar equipamentos e periféricos no computador, como câmeras, impressoras, mouses, celulares e transferir arquivos para o computador ou a partir dele.
—-
Siga o ‘Link’ no Twitter e no Facebook

Nos aparelhos da Apple, o Thunderbolt terá mais funções de porta de vídeo no início, substituindo a entrada ‘Mini DisplayPort’ usada nos MacBooks, e servirá para conectar monitores DisplayPort, como os monitores feitos pela Apple. Assim como o DisplayPort, a entrada Thunderbolt também pode ser usada para conectar outros monitores com saída DVI, HDMI e VGA.
O que há de novo na entrada Thunderbolt é que ela também pode transferir dados entre equipamentos, como discos rígidos que usem entradas com padrões USB, FireWire, Ethernet ou o PCI Express. Ela é capaz de transferir dados com velocidade de 20 gigabits por segundo (Gbps), cerca de 20 vezes maior do que os cabos USB 2.0 atuais e duas vezes mais rápido que as conexões USB 3.0 (ainda pouco usada). De acordo com a Intel, um arquivo de filme longa-metragem em alta definição pode ser transferido em 30 segundos e um arquivo de áudio MP3 com duração de 1 ano poderia ser transferido em 10 minutos. Ele também pode alimentar equipamentos com potência de 10 watts, enquanto que o USB 3.0 faz isso com 5 watts.
A Apple já foi pioneira em adotar novos padrões de conexões no passado. A empresa deu um importante passo para o padrão USB, ou Universal Serial Bus, ao adotá-lo em seus computadores iMacs no fim dos anos 1990. Em outros momentos, porém, a Apple ficou isolada, adotando padrões que não se tornaram populares.
A Intel vinha chamando a entrada Thunderbolt com outro nome, de LightPeak. Nesta quinta, a empresa disse em um evento em Santa Clara, na Califórnia, que está trabalhando para levar o Thunderbolt para computadores, monitores, dispositivos de armazenamento, câmera, entre outros aparelhos. A empresa afirmou que fabricantes de disco rígidos externos, como LaCie e Western Digital, estão planejando apoiar o padrão Thunderbolt.
/ COM INFORMAÇÕES DA ASSOCIATED PRESS

Fonte: O Estado de São Paulo 

Editado por @frankhosaka

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Consciência x Cérebro x Amor x Sentimentos

O que é consciência?
À grosso modo, podemos pensar em duas situações:
1.  se a pessoa está acordada ou não;
2.  ter consciência de quem se é e qual o papel no mundo.

Em termos médicos poderíamos definir o seguinte:

ESTAR consciente é fazer uso da razão ou da capacidade de
raciocinar e de processar os fatos que vivenciamos. ESTAR consciente
é ser capaz de pensar e ter ciência das nossas ações físicas
e mentais. Na clínica médica, podemos averiguar o estado
de alerta ou lucidez que uma pessoa apresenta num determinado
momento.

Assim, podemos perceber num exame clínico o estado
ou nível de consciência, no qual podemos encontrar as seguintes
palavras: lúcido, vigil, hipovigil, hipervigil, confuso, coma profundo
etc. Todas elas atestam o nível de percepção que temos em relação
ao mundo.

Alguém que utilize certas doses de álcool, por exemplo,
pode apresentar o seu nível de consciência reduzido (hipovigil) ou
até mesmo atingir o estado de coma.
De forma inversa, as anfetaminas (estimulantes) — muito utilizadas em dietas de emagrecimento
— costumam fazer o cérebro trabalhar mais depressa,
deixando as pessoas mais ‘acesas’, mais ‘elétricas’, com a fala
rápida, e podem provocar insônia e muita irritabilidade. Esse estado
é conhecido como hipervigilância.

SER consciente não é um estado momentâneo em nossa
Existência. SER consciente refere-se à nossa maneira de existir no mundo. Está relacionado à forma como conduzimos nossas vidas e, especialmente, às ligações emocionais que estabelecemos com as pessoas e as coisas no
nosso dia-a-dia. Ser dotado de consciência confere a  capacidade de amar!


Na realidade, a consciência é um atributo que transita
entre a razão e a sensibilidade. Popularmente falando, entre a “cabeça”
e o “coração”.
Falar sobre consciência pode ser uma tarefa “fácil” e “difícil”
ao mesmo tempo. O “fácil” são as explicações científicas sobre o
desenvolvimento da consciência no cérebro, que envolvem engrenagens
como atenção, memória, circuitos neuronais e estruturas
cerebrais, que só serviriam para confundir um pouco mais.

Nada disso vem ao caso agora. Aqui, vamos considerar o lado “difícil”, subjetivo e relativo ao sentido ético da existência humana: o SER consciente.
Mostrar apreço às condutas louváveis, ser bondoso ou educado,
ter um comportamento exemplar e cauteloso, preocupar-se
com o que os outros pensam a nosso respeito nem de longe pode
ser definido como consciência de fato. Afinal, a consciência não é
um comportamento em si, nem mesmo é algo que possamos fazer
ou pensar. A consciência é algo que sentimos. Ela existe, antes de
tudo, no campo da afeição ou dos afetos. Mais do que uma função
comportamental ou intelectual a consciência pode ser definida
como uma emoção.

Consciência é um senso de responsabilidade e generosidade baseado
em vínculos emocionais, de extrema nobreza, com outras
criaturas (animais, seres humanos) ou até mesmo com a humanidade
e o universo como um todo.
Talvez seja  uma espécie de entidade invisível, que possui vida própria e que independe da nossa razão.
É a voz secreta da alma, que habita em nosso interior e que nos
orienta para o caminho do bem.
A consciência nos impulsiona a tomar decisões totalmente
irracionais e até mesmo com implicações de risco à vida. Ela permeia
as nossas atitudes cotidianas (como perder uma reunião de
negócios porque o filho está ardendo em febre) e até as nossas
ações de extrema bravura e de auto-sacrifício (como suportar a
dor de uma tortura física e psicológica em função de um ideal). E,
assim, a consciência nos abraça e conduz pela vida afora, porque
está em plena comunhão com o mais poderoso combustível afetivo:
o amor.

O que me confunde, é saber que pessoas que tiveram danos cerebrais (caso Phineas Gage, p. ex), tenham ficado desprovidas de sentimentos. Nesse caso, o “sentimento” estava associado ao lado do cérebro lesionado.

Ou não? (Parodiando Caetano Veloso)...





(Selma)

Ser consciente é ser capaz de amar

Como visto na aula do professor Osvaldo, o termo consciência é ambíguo, sugerindo dois significados totalmente distintos. E por isso mesmo, é compreensível que a esta altura o leitor esteja confuso. Na realidade, a consciência é um atributo que transita entre a razão e a sensibilidade. Popularmente falando, entre a "cabeça" e o "coração".
Falar sobre consciência pode ser uma tarefa "fácil" e "difícil" ao mesmo tempo. O "fácil" são as explicações científicas sobre o desenvolvimento da consciência no cérebro, que envolvem engrenagens como atenção, memória, circuitos neuronais e estruturas cerebrais, que só serviriam para confundir um pouco mais. Nada disso vem ao caso agora, pelo menos não é esse o meu propósito. Portanto, esqueça! Aqui, vou considerar o lado "difícil", subjetivo e relativo ao sentido ético da existência humana: o SER consciente.
Mostrar apreço às condutas louváveis, ser bondoso ou educado, ter um comportamento exemplar e cauteloso, preocupar-se com o que os outros pensam a nosso respeito nem de longe pode ser definido como consciência de fato. Afinal, a consciência não é um comportamento em si, nem mesmo é algo que possamos fazer ou pensar. A consciência é algo que sentimos. Ela existe, antes de tudo, no campo da afeição ou dos afetos. Mais do que uma função comportamental ou intelectual a consciência pode ser definida como uma emoção.
Peço licença e vou um pouco além. No meu entender, a consciência é um senso de responsabilidade e generosidade baseado em vínculos emocionais, de extrema nobreza, com outras criaturas (animais, seres humanos) ou até mesmo com a humanidade e o universo como um todo. É uma espécie de entidade invisível, que possui vida própria e que independe da nossa razão. É a voz secreta da alma, que habita em nosso interior e que nos orienta para o caminho do bem.
A consciência nos impulsiona a tomar decisões totalmente irracionais e até mesmo com implicações de risco à vida. Ela permeia as nossas atitudes cotidianas (como perder uma reunião de negócios porque seu filho está ardendo em febre) e até as nossas ações de extrema bravura e de auto-sacrifício (como suportar a dor de uma tortura física e psicológica em função de um ideal). E, assim, a consciência nos abraça e conduz pela vida afora, porque está em plena comunhão com o mais poderoso combustível afetivo: o amor.
De forma bem prosaica, imagine a seguinte situação:
Você está no aconchego do seu apartamento, depois de um dia exaustivo de trabalho e reuniões. Momentos depois, o interfone toca anunciando a visita inesperada de uma grande amiga. Ela está grávida de sete meses e chegou abarrotada de sacolas com as últimas compras do enxoval. Apesar do cansaço, você fica verdadeiramente feliz com sua presença.
Por alguns momentos, vocês conversam alegremente sobre o bebê, os planos para o futuro e colocam as "fofocas" em dia. Lá pelas tantas da noite, sua amiga diz que precisa ir embora.
Em frações de segundos, você pensa: "Preciso tomar um banho e dormir, será que ela vai entender se eu não acompanhá-la até a portaria do prédio?", "Mas ela está grávida e tem tanta coisa pra carregar!", "É melhor eu ir junto, não foi isso que me ensinaram."
Bom, essa tagarelice mental, que azucrina tal qual um crime cometido, sem dúvidas não é imoral. É absolutamente humana, natural e foge ao nosso controle. Mas também não é a sua consciência soprando no seu ouvido.
Ao contrário do "vou ou não vou", você é imediatamente tomado por um impulso generoso e se flagra no elevador com sua amiga, suas bolsas e sacolas. Chama um táxi, abre a porta do carro, diz ao motorista para ir com cuidado e se despedem felizes.
Hum! A consciência é assim mesmo: chega sem avisar e não complica, apenas faz!
Uma história mais comovente:
São Paulo, domingo, novembro de 2007. Cerca de três minutos após ter decolado do aeroporto Campo de Marte, um Learjet 35 caiu de bico sobre uma residência, onde moravam 14 pessoas de uma mesma família. No acidente morreram o piloto, o co-piloto e seis pessoas que estavam na casa. Os vizinhos Airton, de 47 anos, e seu pai, o sr. Ângelo, de 75, correram para o sobrado da família Fernandes assim que ouviram o barulho da queda do avião. Pai e filho conseguiram salvar Cláudia Fernandes, de 16 anos. Eles ouviram o choro da garota, que é autista e brincava com sua amiga Laís na hora do acidente. Airton, emocionado, descalço e com a blusa suja de sangue e cinzas, lamentava ter conseguido salvar apenas uma única vida. O sr. Ângelo queimou a mão ao salvar Cláudia e, após ser atendido por médicos no local, permaneceu na rua tentando furar o bloqueio policial para voltar aos escombros.
Sem qualquer sombra de dúvidas, podemos afirmar que Airton e Ângelo possuem consciência. E naquela tarde de domingo, eles não pensaram, simplesmente agiram: isso é pura consciência em exercício.
Todas as pessoas portadoras de consciência se emocionam ao testemunhar ou tomar conhecimento de um ato altruísta, seja ele simples ou grandioso. Qualquer história sobre cons ciência é relativa à conectividade que existe entre todas as coisas do universo. Por isso, mesmo de forma inconsciente (sem nos darmos conta), alegramo-nos frente à natureza gentil dos atos de amor. 

Trecho de Mentes Perigosas, de Ana Beatriz Barbosa Silva

editado por @frankhosaka 

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Selma, ou turbilhão 590

por enquanto,minha internet está sem as listras(então posso escrever)

Vou indicar seu último artigo para pessoas que privilegiam "em excesso" a razão,destituída do que a faz existir,que é a reação ou o "estado de necessidade por alguma coisa".

Nessa semana também eu vou comprar e começar a ler o livro "Mentes Perigosas",da dra. Ana Beatriz.

Estou numa fase em que ando voltando a ler livros,e não só revistas de pesquisas- porque o livro é bom para a reformulação da linguagem do leitor.

Uma boa tarde a vc, e ao blog.

mala nihil

°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°

Mais de 5000 visualizações!

Agradeço a todos os frequentadores deste blog! Já passamos  de 5000 visualizações!


Obrigado!
Continuem participando, comentando...

O erro de Descartes

Você acha que para pensar bem e tomar decisões corretas é preciso manter a cabeça fria e afastar todos os sentimentos e emoções ?


O  livro O erro de Descartes*, do português Antônio Damásio,  mostra que a ausência de emoção e sentimentos, na verdade, destrói a racionalidade ao invés de melhorar o processo de decisão.


Nos primeiros capítulos ele fala sobre um dos casos mais famosos da neurociência: Phineas Gage.
 Phineas Gage foi um australiano que viveu em meados do século XIX. Segundo relatos da época, ele era um homem muito gentil que trabalhava na construção de ferrovias. Após um acidente em 1848, envolvendo explosivos, uma barra de ferro atravessou sua cabeça, atingindo o cérebro (parte pré-frontal).

Phineas Gage era um jovem supervisor de construção de ferrovias da Rutland e Burland Railroad, em Vermont, EUA. Em setembro de 1848,  enquanto estava preparando uma carga de pólvora para explodir uma pedra, ele socou uma barra de aço inadvertidamente no buraco. A explosão resultante projetou a barra, com 2.5 cm de diâmetro e mais de um metro de comprimento contra o seu crânio, a alta velocidade. A barra entrou pela bochecha esquerda, destruiu o olho, atravessou a parte frontal do cérebro, e saiu pelo topo do crânio, do outro lado. Gage perdeu a consciência imediatamente e começou a ter convulsões.




Esquema mostrando como a barra de ferro atingiu o crânio de PG
Felizmente ele foi socorrido na hora e conseguiu sobreviver. Mas ele não só sobreviveu como não ficou com nenhuma sequela aparente (exceto por um olho que ele perdeu). Visão, fala e movimentos perfeitos.




Barra de ferro vista por outro ângulo e como o crânio ficou danificado

Entretanto, logo depois de recuperado, Phineas Gage teve seu comportamento completamente alterado: começou a usar palavrões, fazia comentários cruéis desnecessários, tratava mal as pessoas, e fazia péssimas decisões que não levavam em conta as consequências. Morreu pouco mais de 10 anos depois pobre e sozinho. Na época, um médico estudou o seu caso, e é graças a ele que temos todas essas informações.
O caso Phineas Gage é importante pois foi o primeiro caso que mostrou que emoção e comportamento estão sim associadas a uma parte específica do cérebro.


No livro, Damásio ainda fala de um caso semelhante ao de Phineas Gage que ele teve a oportunidade de estudar, o caso de Elliot. Elliot sofreu um acidente semelhante ao de Phineas Gage, demonstrando os mesmos sintomas. Damásio aproveitou a chance para estuda-lo. Fez diversos testes de QI, além de outros tipos de testes de inteligência. Surpreendentemente, Elliot se saia muito bem, às vezes melhor do que a média da população, provando que era dono de um intelecto saudável.

Ao longo da convivência com Elliot, Damásio se deu conta que ele contava sobre a tragédia da sua vida de forma impassível. Com o passar do tempo, notou que Elliot quase nunca se zangava, nem se incomodava com as milhares de perguntas repetitivas de Damásio. Num outro teste, se colocou estímulos visuais em frente de Elliot como: pessoas se afogando, incêndios terríves e terremotos horríveis.  Nisso, Elliot, impassivo, fez um comentário que abriu os olhos de Damásio: sinto que meus sentimentos mudaram após o acidente.

 Ou seja, Elliot se deu conta que coisas que antes lhe causavam emoções fortes, agora não lhe causavam nenhuma reação, nem positiva, nem negativa.

Imagine que sua comida favorita, a música que você mais gosta, seu filme predileto, nada disso  desperta mais nenhuma emoção. Você agora está para sempre destituído da possibilidade de curtir o que você gostava, e ao mesmo tempo, consciente de que aquilo outrora o divertia. Em suma, o estado de Elliot pode ser resumido como saber sem sentir.

De fato, segundo Damásio, nenhuma emoção era muito intensa em Elliot, nem tristeza nem alegria. tanto o prazer como a dor pareciam ser de curta duração.
Essa falta de sentimentos leva o doente a não se importar muito com a sua decisão e portanto, fazer decisões ruins.


Por que o livro se chama “O Erro de Descartes”?
Porque Descartes acreditava que o corpo era separado da mente. A mente só precisava do corpo para poder funcionar, fora isso, não havia nenhuma conexão entre eles. Mas Damásio acredita justamente o contrário, que corpo e mente estão intimamente conectados: a mente comanda o corpo inteiro, mas são as sensações que o corpo manda para mente que induzem a mente funcionar daquela maneira, contrapondo o dualismo cartesiano no qual a alma (razão pura) é independente do corpo e das emoções.

Quem foi Descartes?
Foi o filósofo e matemático francês que pensou, pensou e pensou e  disse:
Cogito, ergo sum  que significa: "penso, logo existo"; ou ainda Dubito, ergo cogito, ergo sum: "Eu duvido, logo penso, logo existo" .


Será? Conheço muita gente que existe mas não pensa... rsrs!



*O Erro De Descartes -  Damasio, Antonio R - Editora Companhia das Letras

 




(Selma)